No Grande Recife, Trens a diesel serão substituidos pelo sistema VLT

quarta-feira, 27 de julho de 2011


Depois dos ônibus elétricos, os pernambucanos vão ver mais um sistema de transporte entrar para a história, é que está perto a aposentadoria dos trens a diesel como forma de transporte de passageiros na Região Metropolitana do Recife, estes trens fazem o percurso Cabo-Cajueiro Seco e Curado/Cajueiro Seco serão trocados por um sistema moderno e mais econômico.

Trata-se de um trem de superfície que possui duas composições movidas a diesel. Esse VLT é um sistema de grande relevância social por beneficiar um contingente populacional de baixa renda e oferecer condições de segurança, rapidez e pontualidade, além da reformulação do sistema urbano – em especial na questão da requalificação do transporte intermunicipal – e aproveitamento da infraestrutura ferroviária existente, que estava subutilizada há muitos anos.

Cada composição do VLT é formada por dois carros equipados com ar condicionado, com passagem tipo gangway e capacidade de transporte de 330 passageiros.





O novo sistema de transporte leve sobre trilhos (VLT), onde segundo o METROREC o primeiro VLT já foi entregue e encontra-se em testes. Os seis restantes VLTs serão entregues ao longo dos próximos dois anos.

As obras para recuperação e duplicação do trecho ferroviário entre as estações de Cajueiro Seco e Cabo já foram iniciadas. As obras levaram dois anos para sua conclusão. Os VLT provavelmente começarão a funcionar a partir do 2º semestre de 2012, em substituição aos trens DIESEL.


Informações: Blog Meu Transporte

READ MORE - No Grande Recife, Trens a diesel serão substituidos pelo sistema VLT

No Rio, Metrô ganha monitores em estações para alertar sobre lotação

A concessionária Metrô Rio investiu em novos equipamentos e instalou monitores nas estações, com o objetivo de informar à população sobre como está o movimento nas plataformas.


Fonte: R7.com


A empresa quer diminuir as lotações e melhorar o serviço. Segundo o gerente Joubert Flores, a iniciativa vai facilitar a vida do usuário.

- O compromisso que nós temos é informar em qual situação está o sistema, cheio demais ou não, para dar o direito de escolha às pessoas, até a expansão da frota.

De acordo com Flores, o sistema já oferece todos os carros disponíveis e, enquanto não houver mais composições, não há como aumentar a oferta.

Para ele, qualquer ajuda, sugestão ou informação do usuário é importante e passa pelos funcionários da concessionária.

- Nós analisamos toda informação que recebemos, seja através de SAC, twitter ou qualquer meio e, dentro das possibilidades, procuramos implementá-las no sistema. Em relação aos intervalos praticados, são os menores possíveis, de acordo com o número de trens disponíveis. Até ano que vem, quando houver expansão da frota, não há como aumentar lugares.
READ MORE - No Rio, Metrô ganha monitores em estações para alertar sobre lotação

Usuários de Fortaleza sofrem com lotação no metrô

Os vagões do trem da linha Oeste, que liga Fortaleza a Caucaia, ficam entupidos de gente no começo da manhã e fim de tarde. Usuários dizem que o serviço piorou após início de obras do Metrofor e pedem melhorias.

O aperto e o sufoco são grandes para quem precisa utilizar os trens metropolitanos no horário de pico. Os vagões lotados já fazem parte da rotina dos usuários que se deslocam entre Fortaleza e Caucaia pela linha Oeste. Os horários mais críticos são entre 6 e 7 horas e das 17 às 18h30min.

A reportagem acompanhou ontem a viagem que sai às 6h40min de Caucaia, indo em direção ao Centro de Fortaleza. “Nesse horário é bem mais cheio”, afirma a atendente Nilma Leal. “O trem é lotado porque é mais barato e chega mais rápido”, aponta a vendedora Rosângela da Silva.

Segundo os usuários, os trens ficaram mais cheios após a mudança do horário das viagens em maio. Antes, o intervalo entre as viagens era de 30 minutos nos horários de maior demanda. Agora o intervalo é de 45 minutos. O tempo do percurso também aumentou. “Ultimamente, todos os trens atrasam”, afirma a vendedora Maria do Espírito Santo.

As mudanças ocorreram devido às obras do Metrofor próximas à estação João Felipe, no Centro, para a construção da futura estação Xico da Silva. Ela será a principal parada da futura linha Sul do metrô, que ligará Fortaleza a Maracanaú. No local, foi escavado um grande buraco ao lado da linha do trem. Para prevenir acidentes, a velocidade do veículo precisou ser reduzida no trecho.

Ontem, foram 50 minutos de viagem entre Caucaia e Fortaleza. O trajeto era realizado em 40 minutos até maio. O desconforto da viagem só não é maior porque os trens foram reformados e ganharam ar-condicionado. O preço da passagem também é atrativo para a população e custa R$ 1 (inteira) e R$ 0,50 (meia).
 
Melhorias em 2012
A direção do Metrô de Fortaleza (Metrofor) informa que uma série de medidas estão sendo tomadas para melhorar o atendimento dos usuários dos trens metropolitanos. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, a construção da estação Xico da Silva é a principal causa para o aumento dos intervalos dos trens e do tempo de viagem. A previsão é de que as obras do Metrofor terminem até o primeiro semestre de 2012.

Também foram reformados 31 carros Pidners, que datam de 1970. Eles ganharam ar-condicionado e receberam reparos no revestimento e internamente. Esses vagões já atendem a linha Oeste. Por fim, o Metrofor informa que já estão em testes com passageiros os novos Veículos Leves sobre Trilhos (VLT). Até o fim do ano, eles devem entrar em operação comercial.

ENTENDA A NOTÍCIA
O trem metropolitano da linha Oeste, que liga Caucaia a Fortaleza, é opção de transporte de pessoas que moram próximas às 10 estações. O deslocamento é mais rápido e econômico, pois a tarifa custa R$ 1 (inteira) e R$ 0,50 (meia).

SAIBA MAIS

Única em operação
A linha Oeste tem cerca de 20 quilômetros de extensão. Ele é a única linha de trem em operação, depois que a linha Sul (Fortaleza-Maracanaú) foi interrompida para as obras do Metrofor. A linha Oeste transporta uma média de 13 mil passageiros/dia e realiza cerca de 46 viagens diárias.
10 estações no percurso
São dez estações no percurso, em Caucaia, Araturi, Jurema, Conjunto Ceará, Parque Albano, São Miguel, Antônio Bezerra, Padre Andrade, Álvaro Weyne e João Felipe (Centro). O horário das viagens está disponível no site www.metrofor.ce.gov.br.
O jeito é esperar
A previsão é de que as obras do Metrofor terminem até o primeiro semestre de 2012. Com isso, os horários dos trens serão regularizados.
 
Vai melhorar
Até o fim do ano, os VLTs devem entrar em operação comercial e reforçar o atendimento aos usuários da linha Fortaleza-Caucaia. A previsão é de que a qualidade no atendimento melhore no próximo ano.


Informações de Geimison Maia - O Povo Online
READ MORE - Usuários de Fortaleza sofrem com lotação no metrô

São Paulo: Estacionamento de bicicletas aumenta 11% em relação a 2010

As paradas nos bicicletários públicos em estações de metrô, terminais de ônibus e estacionamentos de carros cresceram 11% no primeiro semestre deste ano, em relação a 2010.

Além de ser possível deixar a própria bike, também é possível alugar nos 22 pontos administrados pela ONG Instituto Parada Vital, que hoje conta com 400 bicicletas - em breve, haverá outras 300.

Para o presidente do Instituto Parada Vital, Ismael Caetano, os números refletem uma mudança de comportamento. "Os paulistanos estão percebendo a bicicleta como um meio de transporte eficiente", diz. Tanto para alugar como para deixar a bike, é preciso se cadastrar. Mais informações estão disponíveis em
www.paradavital.org.br.


READ MORE - São Paulo: Estacionamento de bicicletas aumenta 11% em relação a 2010

Salvador terá mais 188 km de ciclovias, obras começam em 2012

O sistema cicloviário de Salvador caminha a passos largos para sair do papel nos próximos anos. Nesta terça-feira (26), a Câmara Municipal da capital baiana recebe da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) o projeto da nova malha de transporte destinada especialmente aos ciclistas soteropolitanos.

De acordo com a diretora de equipamento e qualificação urbanística do órgão estadual, Lívia Gabrielli, a expectativa é de que as obras, orçadas em R$ 40 milhões, comecem a sair do papel a partir do início de 2012 e fiquem prontas em dois anos, a tempo para servir de alternativa para a cidade na Copa do Mundo de 2014.

O projeto que prevê a instalação dos 188 quilômetros de malha cicloviária em Salvador foi dividido em três etapas. A primeira contempla a orla da cidade e integra a capital baiana com Lauro de Freitas, onde serão construídos outros 60 quilômetros de ciclovia. A segunda etapa engloba o Centro Histórico de Salvador, onde se estuda a implantação de um plano piloto de bicicletas públicas, assim como ocorre em Paris, na França, e em Santiago, no Chile.

A terceira e última parte do projeto segue da Avenida Luiz Viana Filho (Paralela) ao centro da cidade. As principais estações de transbordo da capital baiana, como Iguatemi, Lapa, Pirajá e Mussurunga, bem como os pontos de acesso ao metrô, estão interligados às ciclovias como parte de um plano de integração entre transportes.



READ MORE - Salvador terá mais 188 km de ciclovias, obras começam em 2012

Metrô é boa opção para conhecer melhor a cidade de São Paulo

Nas férias de julho, o Metrô é uma boa opção para que os paulistanos e visitantes possam conhecer os diversos pontos turísticos e de interesse da maior cidade do País e uma das maiores do mundo. Detalhe importante: muitos desses pontos podem ser acessados com a utilização de uma única passagem de metrô, que custa R$ 2,90. Outros pontos mais distantes podem ser alcançados com a utilização de linhas de ônibus integradas com o sistema metroviário.

Quem utiliza esse meio de transporte todos os dias, tem notado que o movimento de usuários nos últimos dias tem sido mais tranquilo nessa época do ano . De acordo com a área de Estudos e Estatísticas do Metrô, o movimento é cerca de 6% menor, com redução de cerca de 200 mil pessoas. São estudantes e também pais que aproveitam as férias escolares dos filhos para deixar a cidade. O reflexo disso pode ser notado no trânsito das avenidas, nos centros comerciais e também no transporte coletivo, principalmente no Metrô, que é hoje o principal meio de locomoção das pessoas.

Com uma rede de 70,6 quilômetros e 62 estações (incluindo o trecho em funcionamento da Linha 4-Amarela, operada e mantida pela concessionária ViaQuatro), o metrô, que por si já é uma atração para muitos visitantes, possibilita acesso rápido e confiável a grande parte dos pontos de interesse da capital paulista. Alguns desses pontos, como a Catedral da Sé, o Museu de Arte de São Paulo (Masp), a Rua 25 de Março (maior centro de comércio popular), a Liberdade (o bairro oriental) podem ser alcançados com uso exclusivo do Metrô, e outros mais distantes, como o Jardim Zoológico, na zona Sul, e o Parque do Carmo, na zona leste, podem ser acessados com a utilização de linhas de ônibus integrados.

Pela Linha 1-Azul, o usuário tem acesso ao Centro de Exposições Imigrantes, o Jardim Botânico, o Centro de Controle Operacional do Metrô (rua Vergueiro, 1200), Centro Cultural São Paulo, Centro Cultural Banco do Brasil, Museu de Arte Sacra, Museu da Língua Portuguesa, Rua 25 de Março, Museu da Imigração Japonesa, Pinacoteca do Estado, Catedral da Sé, Sambódromo e Parque do Anhembi.

Na Linha 2-Verde, o visitante pode conhecer o Instituto Cultural Itaú, o Museu de Arte São Paulo - MASP, Casa das Rosas, o Centro da Cultura Judaica, o Museu do Ipiranga, Aquário São Paulo e o Museu do Futebol (que fica anexo à entrada principal do Estádio do Pacaembu). Com a Linha 3-Vermelha, o usuário poderá conhecer o Memorial da América Latina, o Play Center, o Parque da Água Branca, Parque do Carmo e o Memorial do Imigrantes.

Na Linha 5-Lilás, a atração é a estação Santo Amaro, primeira estação metroviária construída numa estrutura conhecida como ponte estaiada, sobre o rio Pinheiros. Essa estação faz integração física com a estação Santo Amaro da Linha 9-Esmeralda da CPTM, que conta com uma ciclovia em paralelo ao seu traçado ao lado da Marginal Pinheiros.

Mais informações sobre pontos turísticos e de interesse próximos às estações do Metrô podem ser obtidas na Central de informações do Metrô (tel. 0800 7707722) e no site
www.metro.sp.gov.br

Além dessas opções de visitas, o Metrô conta com o Turismetrô, que é realizado em parceria com a São Paulo Turismo (SPTuris). Esse programa de visitação a pontos turísticos e históricos ocorre nos finais de semana, aos sábados e domingos (às 9h00 e às 14h00) e conta com cinco roteiros, próximos do Metrô (Turismo na Sé, na Paulista, no Teatro Municipal e no Memorial da América Latina). Os passeios partem sempre da estação Sé e são acompanhados por guias especializados. Os interessado podem obter mais informações do Turismetrô no site www.cidadedesaopaulo.com


Fonte: Governo de São Paulo

READ MORE - Metrô é boa opção para conhecer melhor a cidade de São Paulo

Ipanema e Leblon terão menos ônibus com corredor exclusivo em agosto

Leblon e Ipanema são os próximos bairros a receberem o BRS, sistema de ônibus rápido que circula em vias preferenciais para o transporte público. No próximo dia 20  de agosto, o sistema começa a operar na Avenida Ataulfo de Paiva e na Rua Visconde de Pirajá. O projeto do governo estadual já é uma realidade na Avenida Nossa Senhora de Copacabana.

"Os corredores BRS projetados pela Prefeitura são o ponto de partida para a racionalização do sistema de ônibus em nossa cidade. A frota será enxugada em 10,6% de veículos no novo corredor e teremos diminuição nos tempos de viagem. Além da redução do número de ônibus, a organização do tráfego também vai ajudar na fluidez. A ligação entre os corredores de Leblon e Ipanema ao de Copacabana dará mais conforto e rapidez para quem utiliza do transporte público", comentou Alexandre Sansão, secretário municipal de Transportes, durante coletiva na tarde desta terça-feira (26).

O sistema será o mesmo adotado em Copacabana, com as devidas adaptações em função das características das novas vias beneficiadas. A Ataulfo de Paiva e a Visconde de Pirajá terão uma faixa preferencial para ônibus e duas para os demais veículos. Das 55 linhas que passam atualmente nas duas avenidas, 50 permanecerão circulando no BRS e serão separadas em três grupos: BRS1, BRS2 e BRS 3, com 16 pontos, seis no Leblon, dez em Ipanema, distantes cerca de 250 metros entre si no caso de pontos de BRS diferentes. 

As cinco linhas que deixam de circular no BRS são a 438, 439, 512, 522 e 574, todas no trecho entre as avenidas Visconde de Albuquerque e Bartolomeu Mitre.

Uma novidade é que os pontos dos tipos BRS1 e BRS3 serão conjuntos em função da oferta menor de linhas nos dois bairros e da possibilidade de integração entre os BRS1 e BRS3, aumentando as opções dos usuários. O embarque fora dos pontos não será permitido o que, junto com a via preferencial, vai contribuir para diminuir os tempos de viagem.


Da mesma forma no horário de funcionamento do corredor, de 6h às 21h, não vai ser permitido o ingresso de automóveis particulares no corredor prioritário, reservado para ônibus e táxis com passageiros embarcados. Outros veículos poderão entrar para acessar transversais à direita ou entrar em garagens, mas quem circular por dois quarteirões será multado pelas câmeras da Prefeitura.

Como os dois bairros oferecem recuos na calçada dos dois lados da via, o BRS de Leblon e Ipanema ganhou uma característica nova. As baias do lado direito serão reservadas para carga e descarga, pontos de táxi e estacionamento de motos. Os automóveis deverão usar somente as baias do lado esquerdo. Os taxistas podem circular sem passageiro para acessar estes pontos, mas neste caso vale a mesma regra de não ultrapassar dois quarteirões.

No monitoramento do novo corredor exclusivo para ônibus, os controladores da CET-Rio que ficam no Centro de Operações da Prefeitura vão contar com as imagens de três câmeras espalhadas pelas vias, que irão ajudar na fiscalização e na troca de informações com as equipes que trabalharão nas ruas. Uma delas fica na esquina da Ataulfo de Paiva com a Afrânio de Melo Franco, no Leblon.


As outras duas ficam na Visconde de Pirajá, em Ipanema, uma na altura da Praça Nossa Senhora da Paz e outra na esquina da Gomes Carneiro. Além disso, o Centro de Operações possui mais quatro câmeras em vias de acesso aos bairros, sendo duas na Lagoa, uma na praia de Ipanema e outra na praia do Leblon, que facilitarão ainda mais o trabalho das equipes.

Assim como ocorreu no primeiro BRS, equipes de divulgadores, desta vez usando camisas azuis, irão tirar dúvidas e distribuir panfletos explicativos em todos os pontos. Os motoristas, cobradores e fiscais também estão recebendo treinamento diferenciado que inclui relacionamento com o público e noções de inglês e espanhol, já com vistas aos eventos de 2014 e 2016, além de atender a própria demanda já existente na Zona Sul.

Espera-se uma redução no tempo na travessia das duas vias que, somando aos minutos ganhos na Av. N. Sra. de Copacabana, dará ao cidadão carioca ainda mais tempo para curtir a cidade e sua família e passar a perceber ainda mais claramente as vantagens do BRS - sistema que, em breve, avançará para mais bairros cariocas, melhorando os níveis de mobilidade da população.






READ MORE - Ipanema e Leblon terão menos ônibus com corredor exclusivo em agosto

Terminais de ônibus em Campo Grande terão câmeras de segurança

A rotina de passageiros do transporte coletivo e a movimentação em algumas ruas e avenidas de Campo Grande serão monitoradas por câmeras de vigilância. O sistema deve começar a funcionar em setembro. Serão várias espalhadas em cada um dos oito terminais.

Até o final de agosto, a
Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) deve terminar a instalação dos equipamentos. A previsão é que eles entrem em funcionamento em setembro. Uma forma de tentar dar mais segurança a quem usa o transporte coletivo. "Inibe o ladrão e a população se sente mais segura, porque tem o carro vigiado", comenta o motorista Erandi Pereira Ramos.

A tecnologia deve também ir para as ruas da cidade. De acordo com o diretor-presidente da Agetran, em agosto o processo de licitação deve ser concluído, e até o final do ano a previsão é de que 20 câmeras sejam instaladas em pontos críticos da cidade. "Temos um ponto que a
pessoa liga todos os dias para a gente, que é nos altos da Afonso Pena, que eles querem câmeras urgentemente para lá. Nosso propósito não é só câmeras de segurança, mas também para dar fluidez", afirma Trindade.

O
monitoramento será feito provisoriamente na Agetran. O governo federal já liberou verba para que a antiga sede da agência se transforme na central de monitoramento do circuito de segurança em vias públicas. Mais de R$ 2 milhões serão investidos no projeto. A intenção é reduzir acidentes e a criminalidade nas ruas de Campo Grande.

Algumas câmeras foram instaladas temporariamente, em dois locais, onde o fluxo de veículos é intenso, como na avenida Afonso Pena.

Na rotatória da Via Park com a avenida Mato Grosso também foram instaladas câmeras de segurança como teste, mas a Agetran não fez levantamento para saber se houve ou não uma diminuição do número de acidentes e infração no trânsito. Em Campo Grande, o projeto ainda está saindo da papel, mas no interior do estado, em Maracaju, essa tecnologia já está em funcionamento há alguns meses nas ruas da cidade.

Nove câmeras gravam 24 horas por dia as ruas mais movimentadas da cidade. Mais de R$ 1 milhão foram investidos. O sistema possibilita identificar com precisão a cor, a placa do veículo e até pedestres. A Polícia Militar é quem faz o monitoramento. O índice de criminalidade reduziu, assim como o de acidentes. Segundo a polícia, houve uma diminuição de 80% dos acidentes em dois meses de testes.



Fonte: Portal MS
READ MORE - Terminais de ônibus em Campo Grande terão câmeras de segurança

Restrição aos ônibus de fretamento em São Paulo completa dois anos

A restrição aos ônibus de fretamento na cidade de São Paulo completa dois anos. Segundo o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento para Turismo – Transfretur, em 2009, primeiro ano da implantação da Zona Máxima de Restrição aos Fretados (ZMRF), no centro expandido da Capital, houve perdas em torno de 40% no faturamento das transportadoras. Agora, as empresas já se acomodaram com as mudanças na legislação. Porém, o transporte turístico ainda precisa de adequação.

Recentemente, o prefeito de São Paulo Gilberto Kassab disse, na abertura do 6° Salão do Turismo – Roteiros do Brasil, que o turismo na cidade ocupa um papel de relevância. Informou ainda que a Capital paulista sedia hoje os 23 maiores eventos do ano, como São Paulo Fashion Week, o Grande Prêmio de Fórmula 1 e a Fórmula Indy. Para ampliar a vocação de turismo de negócios do município, Kassab adiantou que pretende construir um mega centro de convenções em Pirituba, zona Oeste de São Paulo, que terá área de 5 milhões de metros quadrados.

Diante de toda essa previsão de investimentos, o grande desafio é a forma de locomoção do visitante até os destinos turísticos de São Paulo. O serviço de transporte turístico de passageiros por fretamento, o mais utilizado até 2009, ainda sofre com a as exigências da legislação que instituiu a Zona Máxima de Restrição aos Fretados (ZMRF) em 70 km quadrados no centro expandido da Capital paulista. A restrição completa dois anos nesta quarta (27). “Cerca de 80% categoria já encontraram formas para atender a legislação. Mas, ainda falta encontrar solução para os outros 20%, que estão na sua maioria no serviço de transporte eventual ou turístico”, informa Jorge Miguel dos Santos, diretor executivo do Transfretur – Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento para Turismo.

Segundo o dirigente, houve uma acomodação do setor em relação ao serviço de fretamento contratado pelas empresas para atender seus funcionários. Já o fretamento eventual (não rotineiro) ainda está em fase de mudanças. “Estamos conversando com o poder público para solucionar alguns pontos específicos da legislação que prejudicam o transporte turístico”, explica Jorge Miguel. “Queremos sensibilizar nossas autoridades quanto a esses problemas visando a melhora na atividade turística da cidade”, completa.

Um dos obstáculos para o trabalho das empresas refere-se à procura de locais, nas vias públicas, para os ônibus estacionarem ou até mesmo para realizar paradas rápidas para efetuarem o embarque e desembarque dos turistas. “Em muitos dos casos, a solução dos motoristas dos veículos, para que não levem multas, é rodar pela cidade até dar o tempo de pegar o passageiro”, exemplifica Santos. “Para evitar situações como essa, o setor está discutindo a questão especificando as características próprias da atividade de transporte turístico. Enquanto isso, a categoria busca melhores alternativas, dentro da lei, para os casos que não se encaixam na regulamentação”, acrescenta.

Outra dificuldade é a mudança no procedimento na exigência da Autorização Especial de Trânsito (AET) para entrar na ZMRF, que determina o envio de informações sobre a viagem, local de desembarque e finalidade de cada viagem. A Portaria 18/11 da Secretaria Municipal de transportes (SMT), por meio do Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV), que entrou em vigor no dia 15 de abril, determina que o limite da expedição dos dados é de até 12 horas do dia útil anterior ao evento para o fretamento eventual.

Para situações de imprevisibilidade ou emergência como: velório; translato de passageiros para hotel decorrente de atraso ou cancelamento de vôo; acidente com veículos pertencentes a seguradoras para atender clientes em grupo; entre outros casos, como surgir um evento ou viagem de última hora;

Entenda o caso

Em 27 julho de 2009, a Prefeitura instituiu a Zona Máxima de Restrição aos Fretados (ZMRF), em um perímetro de 70 km quadrados no centro expandido da Capital. Nele, os ônibus de fretamento não podem circular entre 5h e 21h. Nesse período só podem entrar na ZMRF os veículos que possuam Autorização Especial de Trânsito (AET).
Na ocasião, houve revolta dos usuários, rejeição de 73% da população e repúdio da ZMRF pelos empresários e sindicalistas às restrições impostas.

Em agosto de 2009, a Câmara Municipal de Vereadores encaminhou o Projeto de Lei nº 512/09, sobre a atividade de fretamento no município de São Paulo, para a sanção do prefeito Gilberto Kassab (DEM). O PL se transformou na Lei nº 14.971/2009, mantendo a Zona Máxima de Restrição aos Fretados.

No primeiro ano da ZMRF, as empresas de transporte de passageiros por fretamento tiveram prejuízos em torno de R$ 1.280 milhões. Ainda segundo estimativa do setor, as transportadoras perderam por volta de 40% no seu faturamento em 2010. Antes da restrição 490 ônibus que circulavam no centro expandido, logo após, o número passou para 200 veículos.

As empresas que não cumprirem a legislação têm que pagar multa R$ 2.500 por veículo considerado irregular e ainda correm o risco de perder o Termo de Autorização (TA) e o Certificado de Vínculo ao Serviço (CVS). Sem eles, o transporte por fretamento não pode circular na cidade.



Informações da Transfretur


READ MORE - Restrição aos ônibus de fretamento em São Paulo completa dois anos

Em Fortaleza, Motoristas de ônibus decidem sobre greve nesta quinta-feira

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro) decide nesta quinta-feira, 28, em duas assembleias (manhã e tarde), se paralisam as atividades ou não em Fortaleza.

Desde o início do mês, a categoria se encontra em estado de greve exigindo melhoria salarial e benefícios.

Segundo o presidente do Sintro, Francisco Sérgio Barbosa Medeiros, motoristas, cobradores e fiscais de linhas reivindicam um reajuste salarial de 25%, além de vale refeição de R$ 8,50, mas os empresários oferecem 6,3% de aumento.

Fonte:  O Povo Online

READ MORE - Em Fortaleza, Motoristas de ônibus decidem sobre greve nesta quinta-feira

No Rio, Mercedes testa mistura de 30% de diesel de cana em 30 ônibus

Pioneira no desenvolvimento e nos testes com diesel de cana no Brasil, a Mercedes-Benz dá mais um passo decisivo para a consolidação do uso desse combustível alternativo em veículos comerciais. Em parceria com a Viação Saens Peña, começam a ser testados, no Rio de Janeiro, 30 ônibus abastecidos com 30% de diesel de cana e 70% diesel S50 - B5.


Baseada no êxito dos testes com ônibus urbanos abastecidos com 10% de diesel de cana em São Paulo - que resultaram na redução de 9% nas emissões de Material Particulado, sem aumentar as emissões de óxidos de nitrogênio - a Mercedes-Benz está elevando esse percentual para 30% no Rio de Janeiro.



"Mostramos ao mercado que o diesel de cana é a mais viável alternativa de combustível limpo para o nosso País, sem exigir alterações na motorização do veículo e contribuindo para o negócio dos operadores. Mais uma vez, a Mercedes-Benz indica o caminho a seguir", afirma Ricardo Silva, vice-presidente de Ônibus América Latina da Mercedes-Benz. "Queremos proporcionar à Viação Saens Peña, para a Fetranspor e aos órgãos gestores do Rio de Janeiro a mesma satisfação com os resultados obtidos em São Paulo, consolidando nosso trabalho conjunto na busca de soluções sustentáveis".


Os testes no Rio de Janeiro serão realizados com ônibus urbano OF 1722 da Mercedes-Benz, numa parceria que envolve também a Amyris Brasil, fabricante que desenvolveu o diesel de cana no País, e a Fetranspor - Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro e a Petrobrás Distribuidora.

Redução de emissões - O uso de 30% diesel de cana e 70% diesel S50 - B5, proporcionará 4% de redução das emissões de Material Particulado - PM, e 3% das emissões de Óxidos de Nitrogênio - NOx, quando comparado com o novo Diesel S50-B5. Quando comparado com o Diesel S500 - B5, ainda em uso em muitas cidades brasileiras, a redução é de 10% de Material Particulado e de 7% de Óxidos de Nitrogênio - NOx, afirma Gilberto Leal, gerente sênior de desenvolvimento de motores da Mercedes-Benz. É um benefício que implementamos agora e que resultará na melhoria da qualidade do ar.

Outro resultado que merece destaque é a manutenção do desempenho do veículo. Mesmo com 30% de diesel de cana, nos ensaios comparativos em banco de provas, todos os parâmetros de controle do motor permaneceram exatamente iguais. Isso reforça a confiança da Mercedes-Benz no uso desse combustível alternativo, que se mostra como uma alternativa interessante, pois não requer alteração na estrutura da frota atual.

Característica fundamental também derivada dos testes com diesel de cana é a manutenção do reduzido consumo. Para os clientes, esta será uma opção a mais no uso de combustíveis alternativos no já conhecido e eficiente motor diesel Mercedes-Benz.

Os testes com diesel de cana demonstram a alta competência da Mercedes-Benz do Brasil na utilização de biocombustíveis sustentáveis. Isso atesta a confiança da Empresa nessa nova fonte energética para o presente e o futuro da mobilidade nos veículos comerciais.


A planta da Empresa em São Bernardo, São Paulo, abriga o maior Centro de Desenvolvimento Tecnológico de veículos comerciais da América Latina, considerando todas as indústrias do setor. A unidade é também centro mundial de competência da Daimler para desenvolvimento e produção de chassis de ônibus.

Seminário - Ainda na cidade do Rio de Janeiro, a Mercedes-Benz estará presente, nesta semana, no 1º Seminário de Tecnologias Sustentáveis no Transporte. Este evento será realizado pela Fetranspor, no Centro de Convenções Sul América, nos dias 26 e 27 de julho.
Além de patrocinar o evento, a empresa será representada por executivos no painel "Biocombustíveis: Oportunidades e Desafios" e na mesa redonda sobre "Combustíveis Alternativos".

A montadora irá expor dois veículos: o ônibus a diesel de cana da Viação Saens Peña e um chassi urbano BlueTec 5, a melhor tecnologia para ônibus em atendimento ao PROCONVE P-7, legislação que entrará em vigor no Brasil a partir de janeiro de 2012.



READ MORE - No Rio, Mercedes testa mistura de 30% de diesel de cana em 30 ônibus

No Dist. Federal, Paralisação de ônibus deve atingir ainda outras cidades do Entorno

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) anunciou que vai multar a partir desta quarta-feira (27) as empresas responsáveis pelas linhas que fazem o percurso de Águas Lindas de Goiás e Santo Antônio do Descoberto a Brasília em caso de atrasos dos ônibus. A multa é de R$ 3.684,90 para cada atraso verificado. Rodoviários das duas cidades estão em greve.

Segundo a agência, a medida foi tomada "visando resguardar o deslocamento da população no trajeto trabalho/residência e vice-versa". Na segunda-feira (25), os trabalhadores de Águas Lindas iniciaram uma paralisação, e nesta terça (26), os rodoviários de Santo Antônio do Descoberto aderiram à greve. Eles querem reajuste de 20% nos salários. A proposta das empresas é de um aumento de 6,29%.

A paralisação deve atingir ainda outras cidades do Entorno. Segundo o presidente da Confederação Única de Trabalhadores do DF, José Eudes da Costa, que participa das negociações, os rodoviários de Valparaíso prometem parar a partir das 4h de quarta-feira. São 150 ônibus que não sairão da cidade.

Os rodoviários do Novo Gama, Cidade Ocidental e Planaltina também ameaçam parar nos próximos dias. Eles também pedem um reajuste de 20% no salário.

O impasse permanece, já que não houve reuniões entre os dois lados nesta terça. "Estamos esperando, ainda não fomos chamados para negociação", diz Costa. "[Eles] Têm que voltar [ao trabalho] para facilitar a negociação", diz o gerente de uma das empresas, João Caetano da Rocha.

Fonte: G1.com.br

READ MORE - No Dist. Federal, Paralisação de ônibus deve atingir ainda outras cidades do Entorno

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960