Transporte coletivo em Campo Grande necessita de mais investimentos em corredores de ônibus

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Em Campo Grande, são mais de 125 mil passageiros por dia. É quase 30% da população. Há dez anos, esse numero era quase 20% maior. Com a facilidade de linhas de créditos para a compra de carros e motos, muita gente deixou de usar os coletivos. Isso porque usar o transporte público, segundo os próprios passageiros, ainda não tem sido a melhor opção.
A dona de casa Quitéria Laerte do Nascimento pega ônibus só quando está com as crianças. Se não precisa levar os pequenos, usa bicicleta. "É um horror. Quando pego, o ônibus está lotado. O valor da passagem também é um absurdo", afirma.
O sistema de transporte coletivo em Campo Grande é operado por cinco empresas. Ao todo, são 536 ônibus, 24 executivos e 46 articulados, maiores que o comum. Da frota, 74% possuem elevadores para atender deficientes.
Estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta que a principal reclamação do brasileiro quanto ao transporte público é a lentidão. A maioria das pessoas não suporta o atraso dos ônibus.
Os passageiros também reclamam do aumento da tarifa do transporte. Em Campo Grande o preço é de R$ 2,70. Outro ponto desfavorável para o transporte coletivo é a questão da superlotação.
O especialista em trânsito Carlos Alberto Pereira diz que em Campo Grande faltam corredores exclusivos para os ônibus. Atualmente, as faixas demarcadas em alguns pontos mostram a preferência, mas não a exclusividade dos coletivos nessas vias. "Acompanhamos o PAC da Mobilidade e a expectativa é que daqui a algum tempo Campo Grande disponha de um número aceitável de faixas exclusivas", explica.
Quanto ao valor do passe de ônibus, o presidente da Associação das Empresas de Transporte Coletivo e Urbano (Assetur) conta que é possível reduzir essa taxa, ou ainda, evitar novos aumentos. "O transporte essencial tem que ter o menor custo possível", diz.
Já existem pontos como esses, chamados de pré-pago. O passageiro paga o vale-transporte antes de passar pela catraca. No espaço reservado, aguarda o veículo e entra pela porta de trás, agilizando a saída do coletivo e evitando atrasos.
Em Campo Grande também há um sistema de integração: o passageiro, no intervalo de uma hora, pode pegar dois coletivos de rotas diferentes, pagando apenas uma passagem.
A capital aguarda o repasse de cerca de R$ 270 milhões do governo federal, referente ao PAC da Mobilidade Urbana. O investimento, segundo o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Planurb), será útil para ampliar linhas de ônibus, reformar e construir novos terminais de transbordo.
Há mais de 25 anos não existem grandes incentivos em projetos de melhoria no transporte. A previsão é de que, ao longo de dez anos, a população possa ver um avanço nesse setor. "O importante é proporcionar a intermodalidade, ou seja, a integração do ônibus com ciclovias, e que tenha a possibilidade desse ciclista ir ao terminal de transporte, deixar a bicicleta em um bicicletário, e que possa dar continuidade ao transporte pelo ônibus", afirma a diretora do Planurb, Marta Martinez.
O urbanista Valter Cortez indica outra solução para o transporte público de Campo Grande: bondes elétricos modernos. Veículos leves sobre trilhos. No projeto, feito há doze anos, o pequeno trem cortaria pontos importantes da cidade, aproveitando a malha ferroviária existente. "Confiável, não tem ruído, não causa poluição, e transporta grande quantidade de pessoas. Do ponto de vista do turismo e do lazer seria fantástico", argumenta.



Fonte: Da TV Morena -  G1.com.br


READ MORE - Transporte coletivo em Campo Grande necessita de mais investimentos em corredores de ônibus

Em Fortaleza, Rodada de negociação decisiva para evitar greve de ônibus acontece hoje

Na sexta-feira, 15 de julho, os motoristas que ficaram reunidos na porta da empresa Dragão do Mar, desde 3h30min da manhã em assembleia na porta da garagem foram impedido de entrar para a garagem, conforme informações do SINTRO (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários do Estado do Ceará).
Dezenas de motoristas e cobradores, não puderam entrar com o argumento de que haviam chegado atrasados. A empresa tomou a decisão de suspender o atendimento à população, deixando milhares de passageiros, com transtornos na saída de casa, conforme informou o assessor político do SINTRO, Valdir Pereira.
Apesar de não poderem entrar para o trabalho os motoristas permaneceram pacificamente na porta da empresa e decidiram voltar para casa às 13h após os dirigentes do SINTRO darem informações sobre a 7ª rodada de negociação ocorrida no mesmo dia as 9h da manhã na SRTE (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego). A próxima rodada irá acontecer na segunda feira (18/07), às 14h30min.
Para o presidente do SINTRO/CE, Domingo Neto, “esse ato da Dragão do Mar mostra quem não tem compromisso com a população, os rodoviários têm o compromisso de lutar por melhores condições de trabalho e solicita o apoio da sociedade”.

Há mais de duas semanas em estado de greve, motoristas e empresas não avançaram nas negociações, e hoje é esperada uma decisão sobre na justiça do trabalho entre ambas as partes para evitar a greve.
Na sexta-feira, 15 de julho, os motoristas que ficaram reunidos na porta da empresa Dragão do Mar, desde 3h30min da manhã em assembleia na porta da garagem foram impedido de entrar para a garagem, conforme informações do SINTRO (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários do Estado do Ceará).
Dezenas de motoristas e cobradores, não puderam entrar com o argumento de que haviam chegado atrasados. A empresa tomou a decisão de suspender o atendimento à população, deixando milhares de passageiros, com transtornos na saída de casa, conforme informou o assessor político do SINTRO, Valdir Pereira.
Apesar de não poderem entrar para o trabalho os motoristas permaneceram pacificamente na porta da empresa e decidiram voltar para casa às 13h após os dirigentes do SINTRO darem informações sobre a 7ª rodada de negociação ocorrida no mesmo dia as 9h da manhã na SRTE (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego). A próxima rodada irá acontecer na segunda feira (18/07), às 14h30min.
Para o presidente do SINTRO/CE, Domingo Neto, “esse ato da Dragão do Mar mostra quem não tem compromisso com a população, os rodoviários têm o compromisso de lutar por melhores condições de trabalho e solicita o apoio da sociedade”.

Fonte: Sintro-CE

READ MORE - Em Fortaleza, Rodada de negociação decisiva para evitar greve de ônibus acontece hoje

Cuiabá: Bilhetagem eletrônica é ampliada, ''Cartão TEM'' visa reduzir a quantidade de dinheiro nos coletivos

Para facilitar a utilização do transporte coletivo por parte de usuários eventuais, a Associação Matogrossense dos Transportes Urbanos (MTU) lançou uma nova modalidade de cartão de transporte. Com o TEM, sigla para transporte econômico municipal, os passageiros não precisarão mais realizar o cadastro nas unidades da MTU para se beneficiarem da integração. A intenção da entidade, que representa as empresas de transporte coletivo da Capital e de Várzea Grande, é o de ampliar o uso da bilhetagem eletrônica e reduzir a quantidade de dinheiro nos coletivos, minimizando o número de assaltos, cerca de 800 por ano, conforme estimativa da MTU.

O cartão terá um custo inicial para o usuário, no valor de uma passagem municipal, R$ 2,50, que servirá como depósito. Para reaver a quantia, o passageiro poderá se dirigir a um dos postos de recarga e devolver o cartão ou inseri-lo nos validadores do ônibus. A catraca será liberada e o pagamento aceito como dinheiro e não dará direito à integração. "A comodidade trazida pelo cartão evita também que os passageiros sejam expostos dentro dos coletivos por terem de abrir a carteira para pegar o dinheiro".

Presidente da MTU, Ricardo Caixeta Ribeiro ressalta que mesmo que o processo resulte na redução do número de cobradores, a medida não se traduzirá em demissões. No último acordo salarial, as empresas assinaram um termo de compromisso que garante estabilidade aos profissionais e, mesmo quando os postos de trabalho forem extintos, eles serão remanejados. O presidente baseia-se no fato de que, com o crescimento do Estado, em nível acima da média nacional, e com a proximidade da Copa do Mundo, faltará mão de obra qualificada. Por conta disso, os cobradores que não forem aproveitados possuem a vantagem de já estarem ambientados à empresa.

A bilhetagem eletrônica ao portador, modalidade do novo cartão, já é utilizada em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. Atualmente, a MTU possui cerca de 200 mil usuários cadastrados e espera, assim, contemplar usuários eventuais, turistas e visitantes das duas maiores cidades do Estado. "Com esta nova modalidade, trabalhamos no sentido de dar a todos a oportunidade de usufruir da melhor forma possível dos serviços de transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande". (GN)



READ MORE - Cuiabá: Bilhetagem eletrônica é ampliada, ''Cartão TEM'' visa reduzir a quantidade de dinheiro nos coletivos

Ribeirão Preto: Corredor de ônibus é essencial na cidade

A criação de corredores exclusivos para os ônibus, reivindicada pelo Sindicado das Empresas de Transporte Urbano de Ribeirão Preto, ajudaria a baratear o valor da passagem. A queda no preço se explica pois o trânsito livre para os coletivos reflete no consumo menor de diesel, o que poderia desonerar a tarifa (hoje a R$ 2,40, comum e R$ 2,60, integrada) - em até 2%.

Foto: Matheus Urenha
A discussão voltou à tona na semana passada, depois de as concessionárias terem protocolado na Transerp pedido para aumento da tarifa em 15%. Se aceito pela prefeita Dárcy Vera (DEM), as passagens saltam para R$ 2,76 (comum) e R$ 3 (integrada).

O presidente do sindicato, Luiz Gustavo Vianna, afirma que os corredores oferecem condição de coletivos circularem com velocidade maior, com consumo de diesel menor. Pelos cálculos, os ônibus percorreriam 2,75 km por litro, contra 2,5 km feitos atualmente. "A diferença parece ser pequena, mas ao final o impacto financeiro para manter o transporte público torna-se grande. Só o combustível reflete 15,5% na planilha de custos das empresas", explica.

Alternativas
O professor Coca Ferraz, especialista em trânsito da USP (Universidade de São Paulo) em São Carlos, vê os corredores como alternativa para baratear a passagem. "Se aumenta a velocidade dos coletivos, o gasto com combustível é menor. Entretanto, é um projeto difícil para ser implantado, já que as ruas não foram planejadas", pontua.

Outra vantagem da medida é que as empresas podem circulam com até número menor de ônibus e manter o cumprimento dos horários. "Sou a favor também da concessão de subsídios para as concessionárias, que pode ser implementada de várias formas, como a renúncia fiscal", completa.
Segundo as concessionárias, o pagamento da Taxa de Gerenciamento e Fiscalização e do ISS (Imposto Sobre Serviços), onera o valor da passagem em 4%.

O especialista em finanças públicas da USP, Carlos Campelo, explica que a administração municipal só pode renunciar tributos a favor das concessionárias, caso alterar o modelo de concessão do transporte público em vigor. "Já o subsídio é permitido desde que a medida seja regulamentada por lei. O pagamento do subsídio é considerada uma despesa e depende da disponibilidade de verbas."

Sobre a criação de corredores, Campelo acredita que a implantação influencia mais na questão da mobilidade urbana e não teria impacto no valor da tarifa.


Por Wesley Alcântara

READ MORE - Ribeirão Preto: Corredor de ônibus é essencial na cidade

Em Caruaru, Destra debate sobre transporte coletivo em Audiência Pública

Na manhã desta sexta-feira, 15, foi realizada a primeira Audiência Pública, para debater questões sobre o transporte coletivo de Caruaru. A mesa, composta por integrantes da Autarquia Municipal de Defesa Social Trânsito e Transportes (Destra), do Ministério Público e do Legislativo, foi presidida pelo coronel Clovis Cavalieri, diretor presidente da Destra, que explicou o intuito da audiência. “Nossa meta é promover um debate e colher informações que possam vir compor o edital de licitação que será elaborado. Com esta audiência visamos garantir a participação popular em um processo histórico para o município”.
Todos os presentes receberam as propostas do poder público sobre o tema e por ordem de inscrição as pessoas opinaram sobre a situação do transporte na cidade. Cada um teve cinco minutos para se colocar sobre o tema. O primeiro a usar a Tribuna da Casa foi o consultor, Darci Norte, ele apresentou sugestões sobre o conteúdo da licitação e usou exemplos de cidades que já adotaram esse tipo de Lei. O representante da Apodec, Esnande Quirino, também se pronunciou pedindo que as pessoas que tenham algum tipo de deficiência ou dificuldade sejam ouvidas neste processo. “Queremos que os veículos do transporte coletivo sejam adequados para os deficientes”, enfatizou.
O promotor George Diógenes defendeu o processo licitatório e disse que a cidade não pode ficar de fora do que diz a Lei. “Nesse momento é fundamental que a cidade crie a Lei. Ouvimos sempre que a empresa precisa de qualidade para sobreviver, ressalto que a licitação é um caminho pra isso. Outro ponto principal é a transparência, e quando se trata de ente público, a população deve ter conhecimento de tudo, por isso a importância desta audiência pública”
Os vereadores Adolfo José, Licius Cavalcante, José Carlos do Sindicato e Lula Torres estiveram presentes. Adolfo José, que é proprietário de empresa de ônibus e representa o Sindicato dos donos de empresa defendeu a licitação, para ele, só dessa maneira a situação pode ser legalizada em Caruaru. O presidente da Câmara, Licius Cavalcanti, também fez o uso da fala. Ele defendeu a licitação e disse que a Lei moraliza o serviço em Caruaru.
Estudantes e o representante do Conselho Tutelar Gil Bobinho usaram a palavra para defender a necessidade da realização de audiências como a de hoje. Por fim, o coronel Clovis Cavalieri, agradeceu a todos que compareceram, e disse qual o procedimento a partir de agora. “Pressa não é sinônimo de agilidade e hoje trabalhamos dessa forma, a gente não trabalha de todo o jeito, pode ter certeza que iremos fazer uma licitação com as sugestões que foram apresentadas nessa Audiência Pública e se for necessário, iremos fazer novos debates”, finalizou.
PROPOSTAS DO PODER PÚBLICO – TRANSPORTE COLETIVO
1.  Estudo para criação de novas linhas – incluído linhas circulares;
2.  Admitir que empresas reunidas na forma de consórcio participem da licitação;
3.  Cada empresa ou consórcio só pode ser declarado vencedor em apenas um único lote da licitação para evitar que se forme um cartel no setor;
4.  Renovação periódica da frota;
5.  Todos os veículos com acessibilidade;
6.  Bilhetagem eletrônica;
7.  Manter a tarifa social aos domingos e principais feriados;
8.  Construção de estações de terminais de embarque/desembarque (terminal de bairro);
9.  Exigir que a empresa ou consórcio vencedor ofereça constantes programas de treinamento e capacitação aos seus funcionários no exercício das atividades direta ou indiretamente relacionadas à prestação do serviço de transporte;
10. Implantação de sistema de vigilância e monitoramento nos veículos de transporte coletivo através de fiscalização eletrônica;
11.  Implantação de serviço de informações sobre o funcionamento do transporte coletivo, visando à orientação do usuário para a sua adequada utilização, bem como a recepção de reclamações e sugestões por meio de atendimento através de sítio eletrônico e por meio telefônico, disponibilizando linha de acesso gratuito, durante o horário comercial;
12. Vedar a subconcessão das linhas;
13. Atender as normas previstas na Lei Municipal nº 5.085/2010; Lei de Concessões nº 8.987/1995 e Lei de Licitações nº 8.666/93 e demais legislações correlatas.


Fonte: Prefeitura de Caruaru

Share |
READ MORE - Em Caruaru, Destra debate sobre transporte coletivo em Audiência Pública

Itabuna Card: Sistema de transporte de Itabuna terá integração

Foi lançado oficialmente na noite de ontem (sexta-feira/15), o Itabuna Card, em solenidade no Tarik Fontes Plaza Hotel, com a participação de jornalistas e autoridades. O sistema, que visa à integração do sistema de transporte de massa, envolve a Secretaria de Transporte e Trânsito e a Associação das Empresas de Transportes Coletivos formada pelas empresas Expresso Rio Cachoeira e Viação São Miguel.
Para o secretário de Transporte e Trânsito, Wesley Gonçalves Melo o novo sistema é inovador e vai permitir o transbordo de passageiros gerando mais facilidades e benefícios para os usuários, que vão pagar uma passagem e utilizar dois ônibus, com um menor custo. Ele observa ainda, que o novo modelo proposto por uma equipe de técnicos e consultores oferece a possibilidade de melhoria dos serviços de transporte urbano, com uma espera menor nos pontos de ônibus e racionalização das linhas.
No estudo preliminar realizado para a implantação do sistema foi detectado que 78% das linhas tinham uma espera superior a 30 minutos e, com o modelo implementado agora, 80% das linhas terão uma espera inferior a 30 minutos. Wesley Melo explica que o sistema será operado pelos mesmos 100 veículos já existentes: “não haverá nem diminuição e nem aumento da frota, até porque a cidade não comporta um maior número de ônibus, daí a importância dos projetos e estudos visando a melhoria da mobilidade urbana, que vêm sendo implementados pelo governo municipal”.
O sistema do Itabuna Card vai ser operado e controlado pelas empresas filiadas à Aetu, cabendo à fiscalização à Prefeitura de Itabuna, poder concedente do serviço, a sua fiscalização através da Settran, que vai acompanhar o novo modelo, inclusive atuando na campanha de esclarecimento e orientação à população, uma vez que o sistema mexe com todos os usuários dos transportes de massa na cidade. Já hoje, sábado-16, o sistema foi apresentado às lideranças comunitárias durante um encontro na Usemi, quando segundo o secretário, serão agendados encontros das equipes da Settur e Aetu, que vão às diversas comunidades explicar as inovações e os benefícios do Itabuna Card.
O secretário explica que o trabalho de marketing do Itabuna Card está sendo deflagrado com o lançamento de uma campanha envolvendo a distribuição de panfletos, disponibilização de mapas sobre todas as linhas e mobilização de orientadores que vão atuar nos pontos de ônibus da cidade devidamente uniformizados e identificados pela Setran. Wesley Melo acredita que como toda mudança de padrões, a princípio a população vai sentir algumas dificuldades para a entender implementação do sistema, mas no futuro, compreenderá que o modelo adotado vai permitir racionalizar os serviços, agilizar o transporte urbano e gerar beneficios à comunidade com um serviço de qualidade e eficiente.
Fonte: Prefeitura de Itabuna

READ MORE - Itabuna Card: Sistema de transporte de Itabuna terá integração

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960