Prefeitura do Rio determina que ônibus terão que circular com velocidade máxima de 50 km/h

sexta-feira, 1 de julho de 2011

A Prefeitura determinou que os ônibus de transporte coletivo terão que circular no máximo a 50 km/h ou menos nos casos em que o limite de velocidade seja ainda menor. A resolução foi publicada nesta sexta-feira (1º) do Diário Oficial do Município.

A medida inclui ônibus urbanos, micro-ônibus, fretados e veículos de transporte escolar e vale também para os corredores criados na avenida Nossa Senhora de Copacabana e na rua Barata Ribeiro. Segundo o secretário municipal de transportes, Alexandre Sansão, a medida foi tomada com base em estudos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio).

Em nota, ele afirma ainda que o estudo foi feito porque havia a percepção de que os ônibus estavam correndo demais em determinadas vias.

Ficam de fora do novo limite as vias de trânsito rápido, como as avenidas Brasil, das Nações Unidas, em Botafogo; o aterro do Flamengo, a a auto-estrada Lagoa Barra, o Elevado da Perimetral e o viaduto do Gasômetro, as linhas Amarela e Vermelha e os túneis Rebouças, Santa Bárbara e Zuzu Angel. 


Fonte: R7.com

READ MORE - Prefeitura do Rio determina que ônibus terão que circular com velocidade máxima de 50 km/h

Empresa que venceu a licitação em Diadema começa a operar no fim do ano

A Transportadora Turística Benfica, com sede em São Caetano, foi homologada pela Prefeitura de Diadema e irá assumir 40% das linhas de ônibus municipais. A empresa venceu a licitação para terceirização da Empresa de Transporte Coletivo de Diadema e deve começar a operar em cinco meses.
Ontem, a Comissão de Licitações da administração do prefeito Mário Reali (PT) rejeitou recursos interpostos pela Viação Umuarama, no Paraná, e pela Rodoviária Metropolitana, de Pernambuco, perdedoras do certame, contestando o resultado da disputa. A Viação Cidade Sorriso, também do Paraná, não questionou a licitação.
A empresa de São Caetano ofereceu R$ 15,8 milhões para assumir as linhas pertencentes à ETCD e terá direito de explorar o serviço por 15 anos, prorrogáveis por mais cinco. O valor foi R$ 500 mil maior do que o oferecido pela Viação Umuarama. A Cidade Sorriso sugeriu R$ 13,7 milhões, enquanto a Metropolitana propôs R$ 12,7 milhões.
A dívida da ETCD, estimada em R$ 110 milhões, não será herdada pela Benfica. Reali confirmou ao Diário que o Poder Executivo já renegocia esse débito com credores, entre eles o INSS, que receberá os cerca de R$ 20 milhões de passivo parcelados em 15 anos.
A companhia pública foi fundada em 1987, pelo então prefeito Gilson Menezes (ex-PT, hoje PSB), para responder por parte das linhas do transporte público. A crise financeira começou a se agravar em 2001 devido a más administrações.
O restante das linhas hoje é operado pela Viação Imigrantes.


READ MORE - Empresa que venceu a licitação em Diadema começa a operar no fim do ano

Termina a greve do transporte coletivo em Foz do Iguaçu

O Sindicato dos Rodoviários de Foz do Iguaçu suspendeu a paralisação do transporte coletivo na tarde de sexta (1º), em função do entendimento no Tribunal Regional do Trabalho em Curitiba.

Segundo o sindicato, a principal reivindicação já havia sido atendida. Devido à sanção do projeto de lei, assinada pelo prefeito em exercício, Chico Brasileiro, que reforça a garantia da manutenção dos cobradores nos ônibus coletivos.

Brasileiro afirmou que não havia motivos para vetar o projeto, uma vez que a proposta não contraria nenhuma diretriz do novo sistema e teve aprovação unânime dos representantes do povo, que são os vereadores.

A lei do transporte já assegura o emprego dos cobradores, porém nessa fase de transição para o novo sistema, determinadas linhas tiveram que ser atendidas provisoriamente com alguns microônibus, tendo o motorista fazendo a função de cobrador. A lei reforça que a única exceção de ônibus sem cobrador serão as linhas denominadas de alimentadoras.

De acordo com o sindicato as reivindicações foram atendidas em partes e o dissídio salarial coletivo para acordar um reajuste salarial, que atenda as partes sindicato e empregador, ficou para o mês de outubro.

Entre as reivindicações, o sindicato pede aumento salarial, plano de saúde, redução na carga horária e outras.

Segundo o secretário geral do sindicato Antonio Nereu Claro da Silva está marcada para segunda-feira (4) uma assembleia.


Fonte: Click Foz

READ MORE - Termina a greve do transporte coletivo em Foz do Iguaçu

Começou a valer novidades no transporte público de Porto Alegre, veja aqui o que mudou

Novo ônibus vai circular em Porto Alegre 
Com um mesmo cartão, seja do Transporte Integrado (TRI) ou do Sistema Integrado Metropolitano (SIM), é possível andar de trem e ônibus. Ainda nos ônibus, somente em Porto Alegre, a segunda passagem integrada é gratuita, mesmo para estudantes.
Confira as mudanças, fruto de uma parceria entre prefeitura de Porto Alegre, Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb) e Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP).

Fique por dentro

O que é o tempo de integração?É o tempo que o passageiro terá para embarcar no segundo ônibus sem ter que pagar pela segunda passagem.

Como é feito o cálculo do tempo de integração?
As linhas de ônibus foram divididas em cinco grupos, de acordo com o tempo total da viagem: 20, 40, 60, 80 e 100 ou mais minutos. Ao passar o cartão, o computador calcula quanto tempo falta para o fim do percurso e acrescenta 30 minutos.

Como o validador do segundo ônibus calcula o tempo?
O registro da soma é gravado no cartão. Assim, o validador do segundo ônibus relaciona o tempo registrado no cartão com a hora do segundo embarque e garante ou não a isenção. Até ontem, o processo já ocorria para o desconto de 50% na segunda passagem.

Quem embarca no meio do trajeto tem o tempo total da viagem mais os 30 minutos?
Não. O validador desconta o tempo já corrido e acrescenta aos 30 minutos apenas o tempo restante até o fim da linha.

É possível ir e voltar pagando uma passagem?
Sim, desde que o usuário use somente um ônibus para ir e outro para voltar. Um passageiro que desembarcar na metade do caminho de uma linha de 80 minutos, por exemplo, terá outros 70 (os 40 minutos restantes da viagem mais os 30 minutos) para pegar o segundo ônibus.

Evitar passar pela roleta vai aumentar o tempo para pegar o segundo ônibus gratuitamente?
Não. A conta é feita a partir do tempo que falta para o fim do percurso. Assim, quem passar pela roleta cinco minutos antes do fim da linha, terá apenas cinco minutos acrescidos aos 30.

E se o ônibus atrasar?
O cálculo da média de tempo que um ônibus leva do início ao fim do trajeto já abrange eventuais atrasos causados pelo trânsito. Se o atraso extrapolar o tempo para fazer a integração, a passagem será cobrada normalmente.

A segunda viagem gratuita pode levar a aumento na passagem?
Não. A ATP acredita que o benefício vai atrair mais usuários em horários em que há baixa procura pelos ônibus. Isso garantiria a manutenção dos valores atuais.

Quem paga em dinheiro também tem este direito?
Não. Somente usuários dos cartões TRI e SIM terão direito à segunda passagem gratuita.

Qual a diferença entre os cartões TRI e SIM?
O TRI é o cartão usado nos ônibus de Porto Alegre e o SIM é o cartão da Trensurb usado no trem. A partir de hoje, os dois cartões poderão ser usados tanto no ônibus quanto no trem.
O benefício tem limite de uso por dia?
Não. A isenção ocorrerá toda vez que o passageiro utilizar dois ônibus para se deslocar, dentro do tempo da integração.

Trensurb amplia viagens nos horários de pico
A Trensurb anunciou ontem que aumentará as viagens nos horários de pico. Para isso, haverá a adoção de um novo sistema. Atualmente, todos os trens circulam entre as estações São Leopoldo e Mercado. A partir de terça-feira, alguns veículos pegarão passageiros apenas entre a estação Sapucaia e a Mercado. Com mais trens em circulação, haverá redução no intervalo entre as viagens, acrescendo a capacidade em mais de 2 mil passageiros.
O horário de pico matutino nas viagens de Sapucaia ao Mercado - com intervalos de quatro ou cinco minutos entre os trens - é ampliado em 28 minutos e passa a ser das 6h23min às 8h30min. O número de viagens aumenta de 27 para 29.
À tarde, o horário de pico nas viagens da Estação Mercado à Estação Sapucaia aumenta em oito minutos, indo das 17h13min às 18h51min. As viagens aumentam de 21 para 23.
O usuário precisará observar com atenção o indicador de destino dos trens - nos horários de pico da manhã e da tarde -, para certificar-se de embarcar no veículo certo. Saindo da Capital, um trem vai até a Estação Sapucaia, e o seguinte até a Estação São Leopoldo - e assim sucessivamente. Em direção a Porto Alegre, não é necessário cuidar, pois todos os trens têm como final a Estação Mercado.

Novidade na frota da Capital
Porto Alegre conheceu ontem o ônibus que passará a integrar a frota da Capital. Conhecido como BRT, o veículo tem espaço para 120 pessoas, piso interno antiderrapante produzido com materiais para alto trânsito, o que evita o desgaste frequente, e bancos ergonômicos, que possibilitam maior comodidade e correta manutenção da postura, além da fácil higienização. Tem letreiros digitais internos e externos que disponibilizam informações úteis como temperatura e localização da linha no momento. O BRT circulará a partir desta primeira semana de julho, e rodará, inicialmente, em diferentes pontos da cidade.


Fonte: Zero Hora

READ MORE - Começou a valer novidades no transporte público de Porto Alegre, veja aqui o que mudou

A cada R$ 1 investido em transporte público, governo dá R$ 12 em incentivo para carro e moto

A cada R$ 12 gastos em incentivos ao transporte particular, o governo investe R$ 1 em transporte público. A constatação foi feita pelo Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas) no estudo sobre a mobilidade urbana no Brasil, divulgado na última quarta-feira (25). A pesquisa considera as três esferas de governo do país: municipal, estadual e federal.
A pesquisa considera esse desequilíbrio de valores gastos em incentivos como um dos fatores responsáveis pelo aumento do número de carros e motos no país e, por consequência, dos congestionamentos. "Muitas vezes, essas políticas não são percebidas claramente pela população por envolver omissão do poder público", diz o texto.
Entre os subsídios considerados pelo Ipea está a isenção de IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) dada aos carros de baixa cilindrada, os chamados carros populares. "Enquanto os veículos acima de 2.000 cilindradas pagam 25% de IPI e aqueles entre 1.000cc e 2.000cc pagam 13%, os veículos de até 1.000cc pagam 7% e os comerciais leves, 8%". Por 1.000 cc, entende-se veículos 1.0.
 
Considerando essas variações de percentual por categoria, o instituto estima que o governo deixe de arrecadar entre R$ 1,5 bilhão e R$ 7,1 bilhões somente com a isenção do IPI por ano. Já os ônibus e trens recebem de R$ 980 milhões a até 1,2 bilhão em isenção de impostos.
O instituto ainda calcula que o governo deixa de arrecadar cerca de R$ 7 bilhões ao ano dando estacionamento gratuito aos carros nas vias públicas. Vale ressaltar que o Ipea considera esta estimativa conservadora, uma vez que o valor médio de estacionamento utilizado para o cálculo foi de R$ 3 por quatro horas.
Somados a isenção do IPI com a dos estacionamentos nas vias públicas, os veículos individuais recebem aproximadamente 90% de todos os subsídios dados pelo governo para mobilidade urbana. 
Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho, técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea, defende o equilíbrio da distribuição financeira de recursos.
- Nós defendemos que o governo destine mais investimentos na infraestrutura da mobilidade urbana, pois o aumento do uso de veículos particulares aumenta a poluição, os congestionamentos e o número de acidentes nas regiões metropolitanas.

Inflação
Além da questão do subsídio, o estudo apontou outras razões para a piora do transporte público do país. De 1995 até hoje, as tarifas de ônibus subiram cerca de 60% mais que a inflação. Para chegar à conclusão, o instituto considerou o INPC (Índice Nacional de Preços do Consumidor), que é calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) todos os meses. O Ipea colheu dados de dez regiões metropolitanas (Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre e Brasília) e da cidade de Goiânia. 
Outro dado trazido pelo estudo é que o brasileiro perdeu mais tempo em média no trânsito em seu deslocamento da casa para o trabalho. Baseado em cálculos das Pnads (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 1992 e 2008, o Ipea concluiu que o tempo médio subiu de 37,9 minutos para 40,3 minutos. Houve também um aumento na quantidade de pessoas que ficam mais de uma hora no trajeto de casa para o trabalho, de 15,7% para 19%.
"Esses dados mostram que as políticas de mobilidade adotadas não estão

Fonte: R7.com

READ MORE - A cada R$ 1 investido em transporte público, governo dá R$ 12 em incentivo para carro e moto

Chega a Florianópolis modelo de ônibus para novo projeto de transporte coletivo

Já chegou a Florianópolis um modelo de ônibus do projeto Via Rápida, que a prefeitura de Florianópolis pretende implantar no transporte coletivo da cidade. A proposta segue as características do sistema BRT (Bus Rapid Transit, transporte rápido de ônibus), em que os ônibus têm a função de fazer viagens em menos tempo e desafogar o fluxo de veículos. O sistema já é utilizado em Curitiba, no Paraná.

Durante a manhã desta quinta-feira, a prefeitura apresentou o projeto durante um seminário de mobilidade urbana na Capital. A ideia é implantar três linhas para o BRT em Florianópolis: Centro - UFSC, Centro - Estreito e Centro - Aeroporto.
Foto:Edu Cavalcanti / Agencia RBS
Na primeira etapa do projeto deve ser implementada a linha Centro - UFSC, que vai passar pela avenida Beira-Mar Norte e ir até o bairro Trindade. Em 60 dias, a prefeitura pretende lançar o edital do estudo de viabilidade e projeto básico de engenharia.

O segundo passo será a busca de recursos para o projeto. Em seguida, deve ser lançado o edital de licitação para a obra da primeira linha do BRT. Ainda não há estimativas dos custos da obra.



Fonte: A Notícia


READ MORE - Chega a Florianópolis modelo de ônibus para novo projeto de transporte coletivo

Grande Recife lança campanha com foco no usuário idoso

O Grande Recife Consórcio de Transporte deu início no último 15/06 – Dia Nacional do Enfrentamento da Violência Contra a Pessoa Idosa - uma campanha educativa voltada para o respeito aos assentos reservados e ao tratamento destinado aos idosos, gestantes e portadores de deficiência.

A campanha “Gentileza Faz a Diferença” está contando com peças de divulgação, de caráter educativo (cartazes, outbus, inbus, abrigos de ônibus); ações de multiplicação, feitas por artistas educadores que atuam nos Terminais de Integração em toda a Região Metropolitana do Recife, além de uma campanha especialmente elaborada para a disseminação nas mídias digitais e sociais (Twitter, Facebook, Orkut, Blogs, etc).

Para o presidente do Grande Recife, Manoel Marinho, a campanha “Gentileza faz a diferença” auxilia muito na conscientização dos usuários e operadores sobre o respeito aos idosos - e demais públicos com mobilidade reduzida que utilizam o STPP/RMR. “Precisamos trabalhar a questão da cordialidade. Os idosos precisam ter respeitados os seus direitos, como portadores de gratuidade do sistema. Também estamos trabalhando, junto às empresas operadoras, para aprimorar cada vez mais a capacitação dos operadores, visando atender dignamente não só os idosos, mas todos aqueles que necessitam de uma prestação de serviço diferenciada”, enfatizou.

Seqüência – A “Gentileza faz a diferença” é a segunda campanha lançada pelo Grande Recife, este ano, com foco na melhoria do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife. No mês passado, a campanha “Curta Seu Som Legal. Use Fone de Ouvido”, que tem como foco o estímulo ao uso de fones de ouvido como forma de evitar que o som propagado pelos equipamentos incomode os demais usuários, teve uma ótima repercussão entre os usuários, que participaram ativamente da divulgação, através das mídias sociais.


Fonte: CGRT

READ MORE - Grande Recife lança campanha com foco no usuário idoso

Transporte público de São José dos Campos não vai mais ter passe de papel

O Consórcio 123, que administra o transporte público em São José dos Campos, vai interromper no sábado a venda dos passes de papel usados nos ônibus e vans.

A medida faz parte do processo de integração do transporte coletivo na cidade. A intenção é fomentar o uso dos cartões eletrônicos  usados nas linhas de ônibus.

Pelo menos por enquanto, os perueiros estão de fora do plano de integração e não usarão cartão eletrônico.

Integração
A integração do transporte coletivo em São José começou em 2004. Desde 15 de abril deste ano, o passageiro pode utilizar mais de um ônibus no deslocamento de uma região para a outra pagando uma passagem, no período de duas horas.

Segundo o secretário de Transportes Anderson Farias Ferreira, o passe de papel não terá um prazo de validade, mesmo depois da suspensão das vendas. “Se os passageiros ainda tiverem os passes de papel podem continuar usando. A ideia é que os passageiros troquem esses passes por créditos do cartão eletrônico, para que os de papel não circulem mais.”

Ainda de acordo com o secretário, a intenção é tornar o processo mais seguro.

Nas ruas
Ambulantes que vendem, ilegalmente, o passe de papel na praça Afonso Pena, no centro de São José, já começaram a sentir os efeitos da integração dos ônibus.

De acordo com Tânio Roberto Chagas, 37 anos, as vendas dos passes caíram. “Há 10 anos eu vendo passes na praça e desde abril as coisas andam devagar por aqui. Eu vendia uma média de 300 passes por dia, agora só vendo 100”, disse Chagas.

Outro ambulante, que não se identificou, confessa que a procura pelos passes não é mais como antes. “Eu vendo os passes para ajudar na complementação da minha renda. Mesmo vendendo R$ 0,20 mais barato, não está saindo muito”, afirmou.



READ MORE - Transporte público de São José dos Campos não vai mais ter passe de papel

Passagem de ônibus em Juiz de Fora pode passar de R$ 1,80 para R$ 1,95

A passagem de ônibus em Juiz de Fora pode passar de R$ 1,80 para R$ 1,95. A proposta foi apresentada nesta quinta-feira, 30 de junho, na Câmara Municipal de Juiz de Fora, pelo secretário de Transportes e Trânsito da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, Márcio Gomes Bastos, durante audiência coletiva.
O departamento propôs o valor de R$ 1,93, sem o adiconal do Custo de Gerenciamento Operacional (CGO), e de R$ 1,95 com o CGO. No primeiro caso, o reajuste seria de 6,7% sobre o valor vigente - de R$1,80; no segundo, o índice aplicado é de 8,3%. De acordo com o secretário, o valor foi estudado de acordo com a planilha de gastos da Settra. "A metodologia de cálculo tarifário adotada foi a mesma referente aos estudos de 2010."
Para justificar o aumento, Bastos apresentou a planilha. De acordo com as informações apresentadas pelo porta-voz do órgão, a Settra tem um custo fixo de R$ 212.205,96 mil para 83 quilômetros rodados, em média. O custo total fixo por quilômetro é de R$ 3,73. Nesses índices estão incluídos os gastos de remuneração, depreciação e benefícios para os funcionários.
Outro argumento utilizado pelo secretário, foi que, com o aumento da tarifa, serão adquiridos mais dezoito coletivos para compor a frota, que, atualmente, é de 554 carros. Desse número, cinco serão usados para substituição da frota-reserva, oito para atender o aumento da demanda e outros cinco para transportar os moradores do programa Minha Casa Minha Vida. "Parte da frota-reserva já está sendo utilizada em horários de pico, para atender à demanda. Com isso, conseguiremos melhorar o nível da oferta de ônibus para os passageiros", garante.
Licitação
Outro ponto que foi levantado no encontro foi o atraso da licitação para a contratação da empresa que fará o estudo técnico para a reestruturação do sistema de transporte coletivo na cidade, que foi divulgado em 2009. Bastos afirmou que em agosto de 2009, quando o resultado ia ser divulgado, o Tribunal de Contas do Estado suspendeu a licitação porque três empresas que estavam participando do projeto questionaram o edital do processo.
Após o período, a Prefeitura voltou a estudar o edital. "Os estudos vão começar em julho e, provavelmente, até o final do ano, outro edital será divulgado", diz Bastos.


Fonte: Acessa.com

READ MORE - Passagem de ônibus em Juiz de Fora pode passar de R$ 1,80 para R$ 1,95

Dois corredores de Mauá terão ônibus 24h por dia

Os moradores de Mauá irão ganhar duas novas linhas noturnas. Com isso, dois dos principais corredores do município ficarão cobertos pelo transporte coletivo 24 horas por dia.
As chamadas "Linhas Corujão" vão ligar o Centro da cidade aos bairros Jardim Zaíra 4 e Jardim Itapeva todos os dias. Elas começam a circular na madrugada de sábado (2).
Antes, a última viagem destas linhas tinha início à 0h05. A partir de agora, haverá viagens à 1h, às 2h e às 3h da madrugada. A partir das 3h45, a operação normal dos coletivos já tem início.
Além dos usuários dos terminais, as linhas também pegarão passageiros nos pontos dos corredores, tanto na ida quanto na volta.
O valor da passagem não será alterado e continua a R$ 2,50. Os usuários que tomarem o ônibus no Terminal Central deverão utilizar as catracas dos veículos e não aquelas situadas na entrada da estação, para pagarem suas passagens.
As "Linhas Corujão" foram instituídas após um levantamento realizado pela Secretaria de Mobilidade Urbana. "Constatamos que a demanda para estes corredores é considerável mesmo durante a madrugada", disse o secretário da pasta, Renato Moreira.

READ MORE - Dois corredores de Mauá terão ônibus 24h por dia

Campo Grande: Ministro libera R$ 338 mi para mobilidade urbana

O Ministro das Cidades, Mário Negromonte, afirmou que na próxima semana começa a liberar R$ 338 milhões dos programas Pró-Transporte, Corredores Estruturais e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade Urbana para Campo Grande. A afirmação foi feita ontem (29), em Brasília, ao prefeito de  Nelson Trad Filho (PMDB) e ao deputado federal Edson Giroto (PR-MS), participantes do encontro.

Projeto

O Projeto de Mobilidade Urbana prioriza o transporte coletivo urbano, sendo que estão previstos investimentos de R$ 20 milhões para construir cinco terminais; outros R$ 7,5 milhões para reforma de sete unidades; R$ 160 milhões para construção de 68,4 quilômetros de corredores de transporte coletivo; R$ 9,7 milhões para implantar 56 quilômetros de ciclovias; R$ 4,5 milhões para modernização do sistema de controle eletrônico; R$ 67,3 milhões para intervenções viárias; e R$ 9,5 milhões para estações de pré-embarque.
O valor total é de R$ 280 milhões.
O Pró Transporte, com investimentos de R$ 58 milhões, tem como meta asfaltar 100% das linhas de ônibus da Capital, que vai beneficiar moradores de 30 bairros. Os recursos se destinam à implantação, recuperação e requalificação de vias exclusivas para veículos de transporte coletivo, terminais de grande e pequeno porte, pontos de conexão entre linhas, abrigos nos pontos de parada, obras de acessibilidade de pedestre e ciclistas às vias.
O programa é implementado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e sua viabilização foi conseguida no ano passado por Nelsinho em apresentações ao Conselho Monetário Nacional (CMN), que autorizou o empréstimo para execução da obra.
Durante a reunião, o ministro também afirmou que pretende vir à Capital para assinar o convênio de transferência de recursos dos cofres da União para a Prefeitura.
“A reunião foi produtiva, nossa parte já está pronto”, afirmou Nelsinho, durante evento de formatura do Proerd 1º semestre, na Seleta nesta quinta-feira (30).
O prefeito de Campo Grande ainda afirmou que irá sentar com representantes da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano da Capital (Assetur) para definir detalhamento do projeto.
“A Prefeitura fez a parte dela, preciso agora precisamos ver a contra-parte da Assetur para receber o projeto, como adequação da frota e outras”, comentou Nelsinho.



Fonte: Vinícius Squinelo e Wendell Reis - Capital News

READ MORE - Campo Grande: Ministro libera R$ 338 mi para mobilidade urbana

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960