No Recife, Linha de ônibus Joana Bezerra/Boa Viagem é sinônimo de caos no transporte público da cidade

quarta-feira, 11 de maio de 2011

É de assustar o que os passageiros da linha Joana bezerra boa viagem passam todos os dias na hora do pico, as cenas que vemos são totalmente absurdas e não condiz com um transporte público de qualidade, pelo contrário, o que os passageiros de ônibus estão passando é uma verdade ir vergonha para o sistema de transporte do Recife, logo de manhã, já se não pode mais vê aonde acaba a fila e quando existe fila, a bagunça e desorganização tanto da empresa Borborema como do CGRT que não conseguem resolver este problema.
Quando os ônibus param para o embarque, começa o empurra empurra, e não importa se têm mulheres, idosos e crianças, a lei é a do mais forte, e é aí que começa o perigo, são passageiros se batendo e até se agredindo para subir no ônibus, deixando muitos usuários assustados em meio às discussões geradas no empurra empurra, e o ônibus só sai quando não dá mais ninguém mesmo, é um em cima do outro literalmente, numa total falta de respeito com os passageiros que ali estão.
O Blog Meu Transporte fez uma vistoria no quadro de horários fornecido pelo Consorcio Grande Recife e constatou que a oferta é boa, porém não é suficiente, no site do consórcio esta linha opera em intervalos de 3 em 3 minutos, porém ainda existem muitos ônibus que não são articulados, e o que está piorando essa situação, é que este tempo de 3 em 3 minutos não está sendo cumprido pela empresa, pois quando o ônibus para o embarque, ele fica mais de 5 minutos para o embarque dos passageiros, pois o sistema adotado hoje pelos fiscais que organizam a fila lá, é que primeiro entram os que estão na fila pela porta do meio, e depois de 3 minutos, tempo determinado por viagem, é que se abre a 3ª porta para o embarque dos chamados apressados ou furões, e é nesta 3ª porta que o ônibus fica preso sem poder sair, e quando sai, vai com as pessoas espremidas, sem conforto nenhum.
E é este desconforto que está tirando muitos passageiros do SEI (Sistema Estrutural integrado), para o funcionário público athaison, é melhor pagar duas passagens e chegar tranqüilo no trabalho, ele relata que o caos já começa no metrô e piora na Joana bezerra, ‘’é uma bagunça, uma falta de humanidade mesmo com as pessoas, eu queria que os governantes passassem o que estas pessoas passam todos os dias.

Resposta do Consórcio Grande Recife de Transportes


Atualmente a linha 080-Joana Bezerra/ Boa Viagem opera com 19 veículos, dos quais 15 são articulados, e realiza 222 viagens todos os dias. Nos horários de pico, a linha passa a operar com um intervalo médio de 3 minutos. Aproximadamente 19 mil pessoas utilizam esta linha diariamente, uma média de 86 passageiros por viagem. A frota é composta por ônibus convencionais, articulados (maiores) e/ou equipados com a plataforma elevatória.
Por se tratar de um terminal de integração pequeno, não há possibilidade de dois ônibus articulados pararem próximos um ao outro para embarque em uma mesma linha. Porém, em horários em que a demanda de usuários é muito grande, a fiscalização permite que a linha 070-Candeias/Joana Bezerra, que não é integrada, passe a operar dentro do terminal para auxiliar o transporte dos usuários. Os veículos que operam por esta linha são menores e podem operar simultaneamente com os da 080-Joana Bezerra/ Boa Viagem.
Um dos principais problemas enfrentados pelos veículos destas linhas é o cumprimento de horários após às 7h20. Os veículos saem do terminal em direção ao bairro de Boa Viagem e acabam ficando presos em congestionamentos no trajeto. Isso dificulta a volta ao terminal e o efetivo cumprimento do quadro de horários.
Para auxiliar a formação e organização das filas no Terminal Integrado de Joana Bezerra, o Consórcio conta com 20 apoios operacionais, que se revezam em turnos diários de 10 apoios. Destes 10, quatro estão sempre focados na linha 080-Joana Bezerra/ Boa Viagem, por ser a linha que apresenta a maior demanda de usuários. Além destes quatro, a empresa operadora ainda disponibiliza mais dois funcionários para auxiliar na organização desta linha, totalizando seis pessoas.
Novo terminal – Joana Bezerra:
Recursos previstos - R$ 8.012.744,13
Status: Projeto executivo licitado
Prazo de conclusão: 12 meses
OBS: O edital de licitação da obra está previsto para ser publicado no segundo semestre de 2011.
O terminal integrado de Joana Bezerra passará por um processo de ampliação de sua estrutura física para melhor acomodar os passageiros, atualmente 89.476 transportados em dias úteis. Porém, não está prevista a ampliação no número de linhas, sete ao todo. A área total do terreno é de 10.317,40 m2 e a área construída deve ser ampliada em  4.699,86m2.
Fonte: Meu Transporte

Share |

READ MORE - No Recife, Linha de ônibus Joana Bezerra/Boa Viagem é sinônimo de caos no transporte público da cidade

Rio lança primeiro ônibus flex GNV e diesel do país

O governo do estado apresentou, na manhã desta terça-feira, no Aterro do Flamengo, o ônibus com tecnologia GNV e diesel que entrará em testes este ano e poderá ser implantado no Rio na Copa de 2014 e nas Olimpíadas de 2016. O novo ônibus foi desenvolvido pelo Programa Rio Transporte Sustentável e tem capacidade para se locomover utilizando até 90% de GNV, emitindo 20% menos gás carbônico que o diesel.
De acordo com o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, a CEG vai garantir o abastecimento, criando 57 garagens para atender dois mil ônibus.
— Esse é um dos mais promissores caminhos para chegar 2016 com uma frota limpa, sem poluentes — acrescentou o secretário.
Lopes explicou que o protótipo passará por testes operacionais durante um ano para aprovação de uso comercial e urbano.
- Finalizados os testes, vamos criar um estímulo aos empresários para a troca da frota. Além disso, o dono dos ônibus será atraído por um veículo que pode consumir menos, com custo operacional menor. A vantagem maior é para o cidadão, que vai respirar um ar muito mais limpo - disse Lopes.
Ainda segundo o secretário, existe uma perspectiva muito boa de se baratear a passagem de ônibus no futuro, com a queda do custo operacional.
O projeto, coordenado pelo governo estadual, foi desenvolvido com tecnologia nacional pela Man Latin América, Robert Bosh AL e Volkswagen. O protótipo já foi homologado pelo Instituto de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e faz parte de um programa do governo para tornar sustentáveis 100% da frota de transportes do Rio até 2016, ano em que a cidade vai sediar as Olimpíadas.
A presidente do Instituto Estadual do Ambiente, Marilene Ramos, comemorou a iniciativa que, segundo ela, vai diminuir significativamente a emissão de gases de efeito estufa e de particulado, um dos principais problemas de qualidade do ar no Rio.


- Como a frota de ônibus é trocada a cada cinco anos aqui no estado, a expectativa é que o Rio tenha em 2016 a maioria dos ônibus flex, assim como hoje o estado tem quase toda a frota de carros leves com motor flex.
De acordo com dados da Secretaria de Transportes, o estado tem cerca de 748 mil veículos com tecnologia GNV e 421 postos de abastecimento de gás natural veicular. A Ceg, da Empresa Gas Natural Fenosa, vai investir a um custo de cerca de R$ 40 milhões em um sistema de abastecimento para suprir a demanda dessa tecnologia até 2016.
A Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio (Fetranspor) informou que não tem conhecimento do projeto e que por isso não faria comentários sobre a viabilidade de o ônibus com tecnologia flex substituir a frota atual.


READ MORE - Rio lança primeiro ônibus flex GNV e diesel do país

Florianópolis terá greve de ônibus na próxima semana

A primeira turma de funcionários do transporte publico rejeitou as propostas das empresas de ônibus durante reunião na manhã desta terça-feira em Florianópolis. Os funcionários decidiram ainda pela greve que deve ocorrer na semana que vem.
Outras duas reuniões estão marcadas para as 15h30min e 19h. Os encontros fazem parte da assembleia geral organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Urbano, Rodoviário, Turismo, Fretamento e Escolar de Passageiros da Região Metropolitana de Florianópolis (Sintraturb).
Os encontros ocorrem na praça das Nações Unidas, no Centro, e não devem atrapalhar a rotina dos ônibus, apesar dos problemas desta manhã.



READ MORE - Florianópolis terá greve de ônibus na próxima semana

Passageiros esperam até 40 min por ônibus em Fortaleza

Os usuários de ônibus de Fortaleza reclamam da demora para conseguir pegar o transporte coletivo. Em média, a espera é de 40 minutos na fila do terminal, isso sem contar com o tempo que se gasta no engarrafamento em horários de pico.
Antes da oito da manhã, o terminal do Siqueira já está lotado. Filas enormes e passageiros de olho nos próximos ônibus. Segundo os passageiros, o tempo de espera é de pelo menos meia hora. E quando o ônibus chega difícil é conseguir embarcar, muitos passageiros para poucos ônibus.
Nem idosos e passeiros com criança nos braços são respeitados. Faixas foram colocadas em pontos estratégicos para chamar a atenção, mas mesmo assim muita gente não segue a lei do bom senso. Os fiscais tentam organizar as filas, mas, no meio da multidão, até eles tem dificuldade.
Segundo a Etufor, o Terminal do Siqueira tem 39 linhas de ônibus e o intervalo de viagem das linhas de maior porte varia de três a sete minutos no horário de pico. Nesta terça-feira (10), por conta da chuva, esse tempo pode ter variado, mas todas as viagens programadas foram realizadas normalmente.



READ MORE - Passageiros esperam até 40 min por ônibus em Fortaleza

Metrô de BH chega a sua capacidade máxima com 200 mil pessoas

A companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) admitiu ontem o que os usuários vêm sentindo há algum tempo. O Metrô de Belo Horizonte chegou a seu limite e está com a sua capacidade esgotada. Com a media diária de 167 mil passageiros, em dias úteis, até o ano passado, os trens da capital bateram recorde de lotação e já operam, neste ano, no limite de 200 mil pessoas de segunda a sexta-feira.
Levantamento feito pela CBTU, a pedido de O TEMPO, mostrou que, comparados os meses de abril de 2010 e deste ano, o aumento no número de passageiros chegou a 670.241. Em janeiro de 2011, a média diária de passageiros foi de 128.976. Três meses depois, as roletas da CBTU já marcavam 156.071 usuários. No dia 23 de novembro do ano passado, quando um temporal atingiu a capital, a CBTU contabilizou 220 mil passageiros.
A empresa admite que, nos horários de pico - entre 6h30 e 7h30 e 18h30 e 19h30 -, não há mais espaço para embarques de passageiros, além do que vem sendo registrado desde janeiro deste ano.
Na comparação entre o acumulado do primeiro quadrimestre de 2010 (janeiro a abril) com o mesmo período deste ano, são 2,4 milhões a mais de passageiros circulando pelos 28,2 km que separam as estações do Eldorado (Contagem) e Vilarinho, em Venda Nova. Um crescimento médio de 16,2%. Somente entre 2009 e 2010, a empresa já havia registrado aumento de 37% na demanda.
A CBTU não tem um estudo sobre os motivos do crescimento no número de usuários, mas credita a obras, inauguração da Cidade Administrativa e qualidade precária do transporte coletivo dos ônibus a migração para os trens. "Sabemos que a implantação da Cidade Administrativa (sede do governo), as obras na Antônio Carlos e na Cristiano Machado e o trânsito lento e carregado têm trazido as pessoas para o metrô. É um crescimento natural e espontâneo, já que a qualidade do transporte por ônibus não é boa", justificou o gerente regional de operação, Fernando Pinho.
Na capital, a CBTU descumpre até mesmo uma recomendação de organizações internacionais do setor, que limitam em seis pessoas o número de passageiros por metro quadrado nos vagões. Neste ano, apenas em janeiro, período de férias escolares, a meta não foi descumprida. Em abril (dado mais recente), o índice de distribuição do espaço foi de 7,67 pessoas por metro quadrado. "É uma taxa de conforto teórica, mas temos que cumpri-la".
Nesse cenário, o que não faltam são reclamações. "Às vezes, evito pegar o metrô de tão lotado que está", disse o funcionário público Nilson Silva, 34, usuário do transporte há dez anos. Para ele, a qualidade não é mais a mesma.
Faltam vagões e sinalização
Na mesma proporção em que o número de passageiros aumenta, o atraso da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) na gestão do metrô da capital fica mais evidente. A falta de vagões e a precariedade na sinalização tornaram ainda mais complicada a situação do transporte, o que a própria empresa reconhece. "Precisamos de mais trens e de ampliação na sinalização", disse o gerente regional, Fernando Pinho.
A empresa afirma não ter verba para investir mais e reduzir o atual intervalo entre as viagens de quatro para dois minutos, nos horários de pico, medida tida como ideal para diminuir o caos no metrô. "Faltam investimentos".
Para o diretor-presidente da ONG Rua Viva e ex-presidente da CBTU, João Luiz da Silva Dias, o metrô da capital está ultrapassado. "Faltam novas estações e trens. Desde 2007, pedimos verba, mas ainda não veio". (RRo)
Fonte: O Tempo
READ MORE - Metrô de BH chega a sua capacidade máxima com 200 mil pessoas

Em Salvador, BRT e metrô são opções favoritas para ligação com Lauro de Freitas

Não é impossível, mas muito difícil que o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) vença a disputa com o BRT (Bus Rapid Transit - Trânsito Rápido em Ônibus, em português) e o metrô para ser implantado no acesso norte de Salvador (interligando a avenida Paralela e o município de Lauro de Freitas). Foi isso que disse ontem Alberto Valença, coordenador do Grupo de Trabalho Executivo (GTE), formado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), Casa Civil estadual e as secretarias de Desenvolvimento Urbano (Sedur) e da Fazenda (Sefaz).
O GTE é responsável por analisar as propostas de mobilidade urbana apresentadas por sete empresas e consórcios na semana passada. “Se dos sete, nenhum deles escolheu o VLT, com certeza não foi porque eles esqueceram. Acredito que analisaram e não acharam vantajoso”, afirmou Valença, após palestra sobre o assunto dada pelo secretário Zezéu Ribeiro na sede do Conselho Estadual de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea).
Ao ser questionado se a disputa estaria agora entre o BRT e o metrô, Valença reforçou: “É o que parece”. A decisão final, porém, não tem prazo para sair. Apenas os estudos preliminares foram apresentados até o momento, e as análises finais serão entregues pelas empresas até o próximo dia 30.
A primeira reunião do GTE acontece hoje e, apesar de Zezéu insistir que “BRT e VLT não é Ba-Vi” e que “o tipo de tecnologia é o que menos importa, desde que tenha o melhor custo-benefício”, os grupos defensores de um e de outro modelo  prometem levar a discussão adiante.
“O VLT é caro e demorado. A população que anda de ônibus precisa de uma solução rápida”, defende Afonso Celso, coordenador do movimento Mobilidade Urbana, a favor do BRT. Ele estima que com os R$ 2,5 bilhões liberados pelo Ministério das Cidades, daria para construir 80 quilômetros de BRT, contra 21 quilômetros de VLT.


Já Antônio Luiz, que coordena o movimento Eu Quero VLT, argumenta que o veículo sobre trilhos transporta mais gente, é mais durável e menos poluente. “Temos que pensar a longo prazo”, diz.


READ MORE - Em Salvador, BRT e metrô são opções favoritas para ligação com Lauro de Freitas

Em Cuiabá, Começa primeira obra de mobilidade para Copa de 2014

Foi assinada ontem (9) a ordem de serviço para o início da primeira obra de mobilidade urbana de Cuiabá para a Copa de 2014. A duplicação da ponte Mário Andreazza, que ligará a capital do Mato Grosso a Várzea Grande (região metropolitana), está orçada em R$ 11,5 milhões e deve ser concluída em um ano.

Com 228 metros de extensão e 11 de largura, a também permitirá a ligação de Cuiabá com a região norte do estado sem a necessidade de atravessar a cidade. 

Além do início dos trabalhos na ponte, o governo autorizou a licitação para a duplicação da rodovia Mário Andreazza (MT-444) num trecho de 10 quilômetros que começa na avenida Miguel Sutil, em Cuiabá, e vai até o Trevo do Lagarto, em Várzea Grande.

O edital para a duplicação da rodovia, estimada em R$ 22 milhões, de ser publicado no Diário Oficial do Estado nos próximos dias.


Fonte: Portal 2014

READ MORE - Em Cuiabá, Começa primeira obra de mobilidade para Copa de 2014

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960