Transcarioca prevê outra ponte estaiada na Barra, além de mergulhões e viadutos rumo à Zona Norte

sexta-feira, 18 de março de 2011

A região da Barra deve ganhar mais uma ponte estaiada (suspensa por cabos) com a inauguração do BRT Transcarioca, o mais importante da cidade e cujas obras foram lançadas nesta quinta-feira. A exemplo da Linha 4 do metrô - que, dependendo da aprovação pelo Iphan, terá uma ponte semelhante sobre a Lagoa da Tijuca - o corredor exclusivo para ônibus articulados traz no projeto uma estrutura do mesmo estilo sobre a Lagoa de Jacarepaguá, que terá pistas usadas tanto pelo sistema BRT (Bus Rapid Transit) quanto pelos veículos que fluirão da Linha Amarela. Na manhã de quinta-feira, o prefeito Eduardo Paes iniciou oficialmente os trabalho de implantação do Transcarioca, o BRT que vai ligar a Barra ao Aeroporto Internacional Tom Jobim.

O superintendente regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan-RJ), Carlos Fernando Andrade, disse que, em ambos os casos, o órgão está analisando se há impacto na paisagem.

Segundo a prefeitura, o tempo gasto no trajeto entre a Barra e a Ilha do Governador deve ser reduzido em mais de 60% após a conclusão da obra, que será entregue em três anos como parte do pacote que prepara a cidade para os Jogos Olímpicos. Com 39km de extensão, o corredor expresso será construído em dois lotes.

Ao todo, nove pontes e dez viadutos

Projeto da Transcarioca (Foto: Divulgação)
Na quinta-feira, foi iniciado o primeiro lote da Transcarioca, que terá 28km e começa com a construção de um mergulhão exclusivo para os ônibus articulados no encontro das ruas Cândido Benício e Domingos Lopes, em Campinho, na Zona Norte do Rio. Este primeiro lote, orçado em R$ 798,4 milhões, inclui a ampliação da via (que passará pelos bairros da Barra, Jacarepaguá, Curicica, Taquara, Tanque, Praça Seca, Campinho, Madureira, Vaz Lobo, Vicente de Carvalho, Vila da Penha e Penha). Somente nesta primeira etapa serão construídas sete pontes (incluindo a estaiada), dois mergulhões na Barra, próximo à Cidade da Música, quatro viadutos, uma passagem inferior e urbanização. O segundo lote, que trata do traçado entre a Penha e o aeroporto, ainda está em fase de licitação.

- A ligação das ruas Cândido Benício e Domingo Lopes terá seis faixas de rolamento e teremos um mergulhão exclusivo para BRT que vai dar agilidade ao trânsito. Os ônibus não vão parar no sinal da Intendente Magalhães com a Cândido Benício, eles vão passar por baixo e, na saída do mergulhão, haverá uma estação de BRT - explicou o secretário municipal de Obras, Alexandre Lopes.

Ao todo, serão construídas 45 estações, três terminais para embarque e desembarque, nove pontes, três mergulhões e dez viadutos. O Transcarioca também prevê a duplicação de pistas e urbanização de áreas próximas ao BRT. O corredor também vai permitir uma integração com outros meios de transporte, como trens e metrô, beneficiando 400 mil passageiros por dia.

Meio bilhão em desapropriações

Na avaliação de Paes, o Transcarioca é uma das intervenções mais importantes para a prefeitura.
- Das obras que estamos fazendo olhando para as Olimpíadas, esta é a mais importante da cidade, porque ela não é só um corredor de transporte mudando completamente a lógica de comportamento das pessoas de todo o subúrbio carioca. Ela é uma revolução urbana. Esta região aqui é de difícil andar e ela vai abrir novas vias, melhorar o fluxo de veículos, tirar ônibus das ruas e oferecer transporte confortável. É mais importante que o Transolímpico, que o Transoeste e que a Linha Amarela - disse Paes.

Segundo Paes, um dos maiores desafios enfrentados pela prefeitura estão sendo as desapropriações de imóveis localizados ao longo do traçado da obra. O prefeito afirmou na quinta-feira que as desapropriações, iniciadas há mais de um ano, vão custar à prefeitura R$ 500 milhões. Inicialmente, a previsão de gastos era de R$ 300 milhões com indenizações, quando o projeto se limitava ao trecho Barra-Penha. A obra completa está orçada em 1,3 bilhão.

- Essa é uma intervenção muito complexa. Tivemos que desapropriar mais de três mil imóveis e ainda temos um trabalho grande pela frente. Há um conjunto grande de processos na Justiça, mas a prefeitura está tentando fazer o melhor possível - afirmou.

Segundo o secretário municipal de Obras, Alexandre Lopes, para esta primeira fase da obra já foram feitas 70 desapropriações, entre imóveis comerciais e residenciais.

Fonte: O Globo
READ MORE - Transcarioca prevê outra ponte estaiada na Barra, além de mergulhões e viadutos rumo à Zona Norte

No Recife, Suspensa abertura de propostas da 2ª e 3ª etapas da Via Mangue

O lendário embróglio que envolve a construção do sistema viário da Via Mangue, futuro corredor da Zona Sul do Recife, teve mais um capítulo na manhã desta sexta-feira, dia em que seriam abertas as propostas das empresas participantes no processo de licitação da 2ª e 3ª etapas da via. Após decisão judicial, a presidente da URB Débora Mendes, juntamente com a comissão de licitação, decidiu suspender por tempo indeterminado o processo para conhecimento das propostas.
Seis empresas estiveram presente hoje no certame. São elas: Odebrecht, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, Consórcio Constran e Egesa, Construbase e a Mendes Junior. Tudo parecia que o processo transcorreria dentro da nomarlidade, quando na primeira parte do certame, três das empresas participantes, a Camargo Corrêa, Construbase e o Consórcio Constan/Egesa foram desclassificadas do processo licitatório por apresentarem parte da documentação irregular. Após a desclassificação, a Camargo e o Consósio Constran entraram com recurso administrativos para participar da licitação.

Somente o recurso da Camargo Corrêa foi deferido. Logo em seguida, o Consórcio entrou com mandado de segurança para assegurar a participação no certame. Depois foi a vez da Queiroz Galvão também entrar com mandado de segurança para que a Camargo Corrêa não abrisse o seu envelope com a proposta.
Após a confusão, a presidente da URB, em conjunto com a comissão de licitação, decidiu suspender o processo, baseado nos inúmeros recursos administrados impetrados.   

Com a suspensão, a presidente da UBR informou que ainda não há uma nova data para a continuidade do processo. A partir de agora, as ações serão analisadas e, de acordo com Debora, o novo encontro para conhecimento das propostas deve ser realizado o mais rápido possível. Ainda segundo ela, a intenção é que o cronograma não sofra nova alteração. As obras estão mantidas para abril.

Fonte: FolhaPE

READ MORE - No Recife, Suspensa abertura de propostas da 2ª e 3ª etapas da Via Mangue

Fórum sugere valor de R$ 2,80 para tarifa de ônibus em Manaus

Após dois dias discussão, o I Fórum de Debates e Estudos Técnicos sobre Valor da Tarifa indicou R$ 2.80 como o valor da tarifa técnica para cobrir os custos com o sistema de transporte coletivo de Manaus. Representantes de 11 entidades discutem desde terça-feira (15) o preço da nova tarifa de ônibus baseado nos estudos da comissão de engenharia da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

O Fórum será encerrado nesta sexta-feira (18) com apresentação da tarifa sugerida. O valor será analisado neste fim de semana pelo prefeito Amazonino Mendes.

De acordo com o superintendente municipal de Transportes Urbanos, Marcos Cavalcante, o valor foi elaborado a partir dos custos do sistema como gastos com combustível, pessoal, equipamentos, além de valores com planos de saúde e bilhetagem. “Esse valor, no entanto, não significa que será cobrado pelas empresas que operam em Manaus. A decisão ficará com o prefeito Amazonino Mendes”, disse. Segundo ele, a tarifa definitiva só será cobrada com a chegada de ônibus novos no sistema.

Metodologias de cálculo, índices e notas fiscais de insumos foram distribuídas entre os representantes da Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas, Fundação Getúlio Vargas, Câmara Municipal de Manaus, Diretórios Centrais dos Estudantes, Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário Coletivo Urbano de Manaus, Tribunal de Contas do Estado, Ordem dos Advogados do Amazonas e Conselho Regional de Economia .  A ausência de representantes do Ministério Público foi citada durante o Fórum.

Fim da tarifa social 

Na próxima terça-feira (22) está prevista a assinatura do contrato das empresas vencedoras da atual licitação do transporte público da cidade. A partir desta data, estará extinta a "Tarifa Social", que oferece, aos domingos, tarifa especial de R$ 1,10 à população. Segundo a SMTU, o fim do serviço está previsto no edital de licitação.
O ex-prefeito de Manaus, Serafim Corrêa, que instituiu o decreto, critica a medida. “Isso é deslealdade com a população. Omitiram na licitação. O edital não informa que iriam cortar a tarifa reduzida aos domingos”, afirmou. 

O ex-prefeito negou ainda que o preço de R$1,10 tenha causado prejuízos às empresas. Segundo ele, na tarifa de R$ 2, o valor já estava compensando. “A licitação só prejudica o povo. As empresas favorecidas são as mesmas, apenas o custo para a população aumentou”, disse. (AL)
Mais Notícias do AmazonasFonte: Portal Amazônia




READ MORE - Fórum sugere valor de R$ 2,80 para tarifa de ônibus em Manaus

Integração no transporte coletivo de Manaus perde ônibus entre T1 e T2

Os ônibus Integração, responsáveis pelo transporte gratuito de passageiros entre os terminais T1 e T2, na Zona Sul, devem sair de circulação. A demanda deverá ser suprida por veículos de três linhas: 010, 115 e 116, que serão adaptadas para o trajeto.
O anúncio foi feito nesta quinta-feira (17) pelo superintendente da SMTU, Marcos Cavalcante.
A retirada de cinco ônibus que faziam a integração gratuita entre o T1 e T2 foi criticada pela presidente da União Estadual dos Estudantes, Maria Neves.
De acordo com ela, a redução dos veículos pegou os usuários de surpresa, em especial estudantes da Ufam, onde a linha 354 deixou de operar. “Outro benefício que perdemos.”
O representante da City Transportes, Carmine Furletti, alegou que há distorção em outro ponto, pois os ônibus da Integração deveriam ir apenas do minicampus para o ICHL, mas vão até a bola do Coroado.
Já o diretor técnico da SMTU, Paulo Henrique Martins, explicou que cinco ônibus foram retirados pelas empresas porque a planilha atual não prevê a compensação dessas rotas.
“Eles estavam rodando com cinco a mais. Com a mudança, as linhas 010, 115 e 116 devem fazer o trajeto T1-T2. No sentido contrário, ônibus da 116 estão operando, mas vamos adaptar a rota do 115 também”.
Dentro do campus da Ufam, continuam circulando cinco veículos.
Em protesto ao fim da tarifa social e ao “reajuste exorbitante”, Neves promete uma mobilização estudantil na segunda, 21, no Hall do ICHL, na Ufam e uma passeata pelo Centro da cidade no dia 29.


Fonte: A Critica

READ MORE - Integração no transporte coletivo de Manaus perde ônibus entre T1 e T2

Prefeitura do Rio inicia obras para construção da Transcarioca

A Prefeitura do Rio iniciou nesta quinta-feira, dia 17, as obras para a implantação do BRT (Bus Rapid Transit) Transcarioca, um corredor exclusivo para ônibus articulados que vai ligar a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, reduzindo em 60% o tempo de viagem. O novo corredor viário terá 39 quilômetros de extensão, passando por bairros como Madureira e Penha, região importante do subúrbio carioca. O início das intervenções foi anunciado hoje pelo prefeito Eduardo Paes, que esteve nas ruas Cândido Benício e Domingos Lopes, onde técnicos da Secretaria Municipal de Obras trabalham na construção do mergulhão do Campinho, em Madureira.

A Transcarioca vai melhorar a mobilidade urbana na cidade, principalmente no deslocamento entre as zonas Norte e Oeste. O tempo gasto no trajeto entre a Barra da Tijuca e a Ilha do Governador, por exemplo, será reduzido em mais de 60%, trazendo maior economia e qualidade de vida aos moradores de todos os bairros cortados pelo corredor expresso, que terá um sistema integrado com outros transportes (metrô e trens e ciclovias), atendendo cerca de 400 mil passageiros por dia.

As obras da Transcarioca foram divididas em dois lotes. O primeiro lote, já licitado, fará a ligação entre a Barra e a Penha. A Transcarioca, a Transoeste (Jardim Oceânico/Santa Cruz/Campo Grande) – já em construção – e a Transolímpica (Barra-Deodoro), fazem parte do conjunto de obras viárias da Prefeitura para preparar a cidade para as Olimpíadas de 2016, sendo importantes legados dos Jogos para todos os cariocas.

O prefeito Eduardo Paes destacou a importância desse corredor expresso para a transformação da cidade:

- Essa obra é a mais importante da cidade porque ela não é só um corredor de transporte mudando completamente a lógica de comportamento das pessoas de todo o subúrbio carioca. É uma revolução urbana. Ela vai abrir novas vias, recuperar calçadas, praças, áreas verdes, melhorar o fluxo de veículos, tirar ônibus das ruas, dar transporte confortável. Essa é uma intervenção muito complexa, tivemos que desapropriar mais de 3 mil imóveis e ainda temos um trabalho grande pela frente, mas temos que pensar que ela interfere positivamente na cidade e na qualidade de vida da população - afirmou.

- O caso do Rio será idêntico ao que aconteceu em Barcelona, em que a cidade vai se servir dos Jogos Olímpicos. E a Transcarioca será mais um legado que ficará para a cidade, assim como a revitalização do Porto, a Transoeste, a Transolímpica. Estaremos sempre pautando as olímpiadas a partir da visão e interesse da cidade - destacou.

O corredor expresso conta com um investimento total de R$ 1,3 bilhão e a construção dos dois lotes será concluída em três anos. A previsão é de que a Transcarioca esteja pronta e operando em 2014, a tempo para outro grande evento esportivo na cidade, a Copa do Mundo de Futebol. Ao todo serão 45 estações, três terminais para embarque e desembarque de passageiros, nove pontes, três mergulhões, dez viadutos, duplicação de pistas e projetos de urbanização das áreas adjacentes.

Conheça os quatro trechos de obras do primeiro lote:- O primeiro é constituído pelo Terminal Alvorada, Avenida Ayrton Senna e Avenida Embaixador Abelardo Bueno, em uma extensão aproximada de 5 km. Nesse trecho serão construídas duas passagens inferiores sob a Avenida das Américas (dois mergulhões) na Avenida Ayrton Senna e uma ponte sobre a Lagoa de Jacarepaguá. Neste trecho, além do Terminal Alvorada, haverá cinco estações (Lourenço Jorge, Via Parque, Pólo Cine Vídeo, Hospital Sarah, Autódromo).

- O trecho 2 tem extensão de 7 km e começa na Estrada Coronel Pedro Correia, seguindo até o final da Estrada dos Bandeirantes. Nesse trecho serão construídas dez estações (Pedro Correia, Curicica, Praça do Bandolim, Arroio Pavuna, Schering, Comandante Guaranys, Gusmão Lobão, Merck, André Rocha e Largo da Taquara).

- No trecho 3, de 7,5 km, o trajeto passa pela Avenida Nelson Cardoso, Rua Cândido Benício, Rua Domingos Lopes, Rua Guaxima e Viaduto Negrão de Lima, que será duplicado. Haverá, ainda, um mergulhão, para ligação da Rua Cândido Benício à Rua Domingos Lopes e dez estações (Marechal Bevilaqua, Praça Araci Cabral, Largo do Tanque, Albano, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Largo do Campinho, Madureira e Mercadão).

- O último trecho é formado pela Avenida Ministro Edgard Romero, Avenida Vicente de Carvalho e Avenida Brás de Pina. São 8,5 km até o Terminal da Penha, com onze estações (Otaviano, Vila Queiroz, Largo de Vaz Lobo, Marambaia, Vicente de Carvalho, Praça Aquidauana, Lafaiete, Pedro Taques, Praça do Carmo, Guaporé e Cajá). Será construído um viaduto sobre a Linha 2 do metrô, na altura de Vicente de Carvalho.


Fonte: Prefeitura do Rio de Janeiro



READ MORE - Prefeitura do Rio inicia obras para construção da Transcarioca

CBTU está implantando um Sistema de VLTs no Recife

Adotados em várias cidades da Europa, Ásia e Estados Unidos, como solução para o transporte de passageiros em regiões de média capacidade de demanda, os VLTs – Veículos Leves Sobre Trilhos, estão chegando às cidades brasileiras através da CBTU.

O Projeto teve início no ano de 2005 e foi motivado pela idéia da Modernização dos Sistemas Ferroviários operados pela CBTU nas cidades de Natal, Maceió e João Pessoa.

No desenvolvimento do projeto TREM PADRÃO CBTU, verificou-se a sinergia com o TREM REGIONAL DE PASSAGEIROS, estudo realizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social – BNDES e Ministério dos Transportes, com apoio da Coordenação dos Programas de Pós-graduação de Engenharia – COPPE da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Esta sinergia propiciou as condições fundamentais de demanda e escala industrial para a fabricação desses novos veículos, passando o projeto a denominar-se TREM PADRÃO NACIONAL.

O estudo das demandas por viagens; as características dos trechos operacionais e as perspectivas de expansão dos sistemas, indicaram a especificação de um VLT movido à tração diesel e biodiesel.

Atualmente a CBTU está implantando um Sistema de VLTs em Recife e auxiliando o Metrofor na implantação de VLTs na Linha Oeste de Fortaleza. Natal e Maceió encontram-se em plenas condições para serem as próximas cidades contempladas, enquanto o BNDES lança os Editais para estudos de implantação de Trens Regionais em 14 trechos brasileiros.

Caracteristicas Técnicas e Operacionais

Os VLTs possuem características técnicas e operacionais que garantem bom desempenho tanto em via férrea segregada, quanto em meio ao tráfego rodoviário urbano, tendo uma capacidade de transporte de pessoas equivalente ao de 10 ônibus.

Utilizam materiais ecologicamente amigáveis e podem ser tracionados por meio de energia elétrica ou utilizando motores à combustão e sistema de transmissão dinâmica.

Outras características:

· suspensão pneumática, que assegura baixos níveis de ruído e vibração durante a operação;
· sistema de ar condicionado;
· portas amplas e dotadas de rampas automatizadas para facilitar o acesso de pessoas em cadeira de rodas;
· sistema microprocessado para controle de tração e freio, que propicia partidas e paradas suaves e maior confiabilidade operacional;
· salão de passageiros amplos e equipados com componentes ergonometricamente desenvolvidos, com displays para veiculação de informação e mídia em tempo real, além de local específico para posicionamento e travamento de cadeira de rodas.
Por possibilitarem a incorporação de características específicas em seu projeto de fabricação modular e de identidade visual, representam a oportunidade das cidades expressarem sua cultura através da modernidade, do conforto e da tecnologia.

Conheça a Especificação Técnica do Trem Padrão Nacional desenvolvida pela CBTU.


Fonte:CBTU


READ MORE - CBTU está implantando um Sistema de VLTs no Recife

Fora dos trilhos: Metrô de Salvador ainda está sem modelo de gestão

Mais de uma década após o início da obra do metrô de Salvador,  um novo capítulo se desenrola sem grandes avanços - a discussão sobre quem vai gerir o sistema. Ontem, houve mais uma reunião do Grupo de Trabalho (GT) do metrô, na sede da Secretaria Municipal dos Transportes e Infraestrutura. A ideia é formular um documento, ao final dos encontros, para apresentar ao prefeito João Henrique e ao governador Jaques Wagner possíveis modelos de gestão.

“Temos apenas um esboço. O que há de concreto é que o sistema deverá ser completamente integrado com os outros meios de transporte”, disse o vice-prefeito Edvaldo Brito, coordenador do GT, que vem se encontrando há 60 dias. Não há data estabelecida para que o documento esteja pronto. A integração desejada já estaria prevendo o futuro Bus Rapid Transit (BRT), cuja licitação para a obra está prevista para começar em maio.

A integração, segundo Brito, também vai acontecer na gestão, em que a participação da iniciativa privada  é dada como certa. “Não há ideia de estadualizar ou municipalizar, mas sim de trabalhar em conjunto, inclusive com empresas que tenham interesse”, declarou.

Já as questões sobre quando os trens vão andar e o custo das passagens continuam sem resposta. “É um sistema muito complexo”, justificou o vice-prefeito. A respeito do processo que está no Superior Tribunal de Justiça (STJ), com supostas fraudes no metrô, Brito foi sucinto: “Meus olhos são de um jurista. Só opino conhecendo o processo”.



READ MORE - Fora dos trilhos: Metrô de Salvador ainda está sem modelo de gestão

Tarifa do transporte coletivo de Goiânia será reajustada em abril

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) deve reajustar a tarifa do transporte coletivo em Goiânia já para o próximo mês. A alteração de valor está prevista em contrato desde 2008, quando ocorreu a licitação do transporte coletivo com as empresas privadas. O presidente da CMTC, José Carlos Xavier, confirmou que o aumento está sendo estudado, e que alguns indicadores estão sendo levados em conta para que o reajuste seja feito.

“A regra que é colocada para esse reajuste prevê a variação do preço dos combustíveis, e prevê também os indicadores inflacionários, então é uma composição entre variação do preço do combustível, e variação do INPC e outros indicadores que estão previstos no contrato”, explicou José Carlos. “O resultado ainda não está dado nem está colocado ainda. Os estudos é que vão indicar qual resultado a ser apreciado em abril pela Câmara Deliberativa”, complementou.

Recentemente o governo anunciou o aumento no valor dos combustíveis, em virtude da redução de benefícios do ICMS. José Carlos Xavier reforçou que esta não é a única variável a ser considerada para o reajuste na tarifa do transporte coletivo na capital. “Essas não são as únicas variáveis incidentes, há outras variáveis que incidem sobre o processo, demanda, quilometragem”, disse.

A última vez que o preço do transporte coletivo em Goiânia foi alterado foi em 2009, quando passou para o preço atual, que é de R$ 2,25. “Passamos o ano de 2010 sem reajuste, ela foi reajustada em 2009, e agora em abril faremos um estudo muito tranquilo. As variáveis dos indicadores são muito positivas, os indicadores não são negativos, tanto os indicadores econômicos globais, quanto os regionais”, reforçou o presidente da CMTC.


Fonte: Portal 730

READ MORE - Tarifa do transporte coletivo de Goiânia será reajustada em abril

No Rio, 52 linhas de ônibus sofreram alteração no seu número no corredor exclusivo de Copacabana

O corredor preferencial para ônibus em funcionamento há um mês em Copacabana ainda está deixando muitos cariocas perdidos na cidade. Das 86 linhas de coletivos relacionadas ao Bus Rapid Service (BRS), mas que circulam em todas as regiões do Rio, 52 sofreram mudança na numeração. Desse total, 21 também tiveram o itinerário parcialmente alterado. Em vários bairros, passageiros reclamam da falta de informação e dizem que a maioria dos ônibus circula sem indicação sobre a linha antiga. Os usuários dizem ainda que outros coletivos, sem relação com a pista seletiva, estão rodando com novo número, como é o caso do 497 (Cosme Velho-Penha), que, apesar de continuar existindo com essa identificação, ganhou uma variação batizada de 504 (Cosme Velho-Bonsucesso).

“Fiquei horas parada sem saber que o 175 agora é 308”
Com a criação do BRS da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, no dia 19 de fevereiro, a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio (Fetranspor) colou adesivos nos pontos e botou agentes nas ruas do bairro para distribuir folhetos com informações sobre as linhas. A entidade alega que também fez panfletagem em terminais rodoviários da Barra da Tijuca e do Centro. No entanto, faltou divulgação no restante da cidade.

— Fui ao Centro e queria pegar o 434 (Grajaú-Leblon). Passou um 423 (Grajaú-Real Grandeza), que eu não conhecia, e perguntei ao motorista que linha era aquela. Ele disse que era uma variação do 434. No ponto havia duas senhoras perdidas, que só pegaram a condução após a minha chegada — disse Daniela Oliveira, moradora de Laranjeiras.

Segundo a Secretaria municipal de Transportes (SMTR) e a Fetranspor, as mudanças que pegaram a população de surpresa foram necessárias para organizar o sistema e ajustá-lo às regras do edital de concorrência do transporte coletivo por ônibus da cidade do Rio. As alterações ocorreram, por exemplo, em linhas que tinham “serviço” — ou seja, que tinham trajetos alternativos além do regular. A 175, que originalmente saía de São Conrado para o Centro, foi se expandindo ao longo dos anos e, agora, passou a ser 314 (Central-Recreio), 308 (Central-Barra), 501 (Barra da Tijuca-Gávea), 502 (Gávea-Recreio dos Bandeirantes). Segundo a Fetranspor, as linhas com origem na Zona Sul, por exemplo, começam pelo número 1, e essa regra não estava mais valendo para os serviços da 175.

— Fiquei horas parada sem saber que o 175 agora é 308. Só depois que um rapaz me deu um folheto, descobri a mudança — reclamou a estudante Laura Santos, que aguardava o ônibus num dos pontos da Nossa Senhora de Copacabana.

Em Copacabana, os passageiros ainda contam com algum tipo de informação. Moradora do Méier e usuária do 474 (Jacaré-Jardim de Alah), Claudia Lemos custou a perceber que poderia pegar o 475 (Méier-Prado Júnior), uma nova linha criada a partir do 474:

— Por que não botam uma placa informando o itinerário, dizendo que aquele ônibus faz o trajeto parcial do outro? Já é confuso pegar ônibus hoje em dia, já que todos têm a mesma cor, e ainda acontece esse outro problema.

Letreiros terão que exibir linhas antigas

Segundo a SMTR, a coordenação de fiscalização está entrando em contato com os consórcios para que eles mantenham nos letreiros dos veículos informações sobre as linhas antigas. A secretaria informa que, em breve, será divulgado um termo de ajuste de conduta, prevendo que o número da linha seja exibido permanentemente nos letreiros eletrônicos que costumam mostrar mensagens.

Após a assinatura do termo, deverão ser anunciadas mais mudanças nas linhas de ônibus da cidade. No entanto, segundo a SMTR, alguns consórcios se anteciparam e botaram em circulação novas linhas, como a 504, derivada da 497 (Cosme Velho-Penha). A medida só aumentou a confusão:

— Pego o 497 e, num belo dia, descobri que a linha mudou para 504. Trocar o número na moita é brincadeira — disse o passageiro Paulo Meneses.
No site da Fetranspor, os usuários encontram dados sobre as linhas de ônibus relacionadas ao BRS. Informações sobre as mudanças de itinerários e os números podem ser obtidas pelos telefones da federação (0800-8861000) e da SMTR (2599-4728).

Com a implantação do BRS, houve uma redução de 20% na frota que passava pela Avenida Nossa Senhora de Copacabana. Os ônibus retirados da avenida deram origem a 21 novas linhas que não seguem mais até Copacabana e fazem retorno em pontos como Botafogo, Gávea e Leblon. A redução do número de coletivos na Nossa Senhora de Copacabana permitiu uma diminuição no tempo de viagem dos ônibus, de 23 para 12 minutos, entre 17h30m e 18h30m. Já os carros fazem o trajeto, no mesmo horário, em 18 minutos, dois a mais que o registrado antes da criação do corredor exclusivo. No entanto, os coletivos transportam 12 mil pessoas e os veículos de passeio levam duas mil.



READ MORE - No Rio, 52 linhas de ônibus sofreram alteração no seu número no corredor exclusivo de Copacabana

Fim da Greve no Metrô DF e trens voltam a circular nesta sexta

A greve dos metroviários está suspensa a partir da zero hora desta sexta-feira (18/3). Após audiência de conciliação com o Metrô-DF, a categoria se reuniu às 20h em assembleia na Praça do Relógio e decidiu voltar às atividades. No próximo dia 30 haverá nova assembleia para definir os rumos da greve.

No encontro desta quinta-feira (17/3) no Ministério Público do Trabalho (MPT), foram discutidas cláusulas não-financeiras da pauta de reivindicações. Segundo a assessoria do Metrô-DF, já existe um acordo e restam apenas divergências de redação. Segundo Anderson Munhoz, secretário de administração e finanças do sindicato, a diretoria do órgão se comprometeu a realizar concurso público e abonar os dias de paralisação.

O sindicato pede que uma lista de 75 reivindicações seja discutida para o firmamento do novo acordo coletivo de trabalho da categoria — o anterior vence em 1º de abril. Entre as exigências dos metroviários está o aumento de 25% no salário, a criação de uma gratificação de 50% e o reajuste de outros benefícios, como auxílio-creche e vale-alimentação.



READ MORE - Fim da Greve no Metrô DF e trens voltam a circular nesta sexta

Metrô de São Paulo amplia horário de funcionamento de duas estações

O Metrô vai ampliar o funcionamento das estações Tamanduateí e Vila Prudente, da Linha 2-Verde, a partir deste sábado (19). O horário de funcionamento das duas novas estações passará a ser realizado das 4h40 às 21h. O embarque atual é das 8h às 17h. As estações também funcionarão no novo horário aos domingos e feriados.

De acordo com a assessoria de imprensa do Metrô, a medida vai atender os usuários que precisam utilizar o serviço nos horários de pico da manhã e da tarde, o que favorece principalmente os que embarcam nas estações da CPTM na região do ABC, servida pela Linha 10-Turquesa, e fazem integração gratuita na estação Tamanduateí, na Linha 2-Verde.

Ainda segundo a assessoria do Metrô, o horário de funcionamento das estações Tamanduateí e Vila Prudente não se estenderá até a 0h porque estão sendo realizados testes para a implantação de um novo sistema de sinalização, o Comunication Based Train Control (CBTC), entre as 21h e a 0h. Restam 300 horas de testes do sistema.

CBTC
Durante os testes, os técnicos reproduzem com os trens e equipamentos ações que ocorreriam na operação normal, mas as atividades devem ser executadas sem público. A rotina dos testes consiste em avaliar a velocidade de operação, distância mínima entre trens, tempos de percurso, tempo de parada nas estações, interface com as portas de plataforma e manobra (quando um trem passa de uma via para outra a fim de retornar).

As estações Vila Prudente e Tamanduateí permanecerão com o horário de funcionamento diferenciado até a avaliação de todos os itens do novo sistema de sinalização. Depois de simuladas todas as possíveis condições operacionais, o Metrô espera que o CBTC permita que o intervalo de tempo entre trens seja reduzido em 20%, ampliando a capacidade de transporte e diminuindo o tempo de espera para embarque.

Fim da Ponte Orca no trecho
Com a nova extensão do horário nas estações Tamanduateí e Vila Prudente, o serviço "Ponte Orca" (com micro-ônibus fazendo o trajeto entre as estações Tamanduateí e Sacomã) não será mais disponibilizado aos usuários, já que o funcionamento era até as 21h e esse horário agora é atendido pelo Metrô.
Fonte: G1.com.br

READ MORE - Metrô de São Paulo amplia horário de funcionamento de duas estações

No Rio, Integração do Bilhete Único Carioca entre ônibus e trens custará R$ 3,70 em Abril

A partir do próximo mês, os passageiros da SuperVia poderão usar o Bilhete Único Carioca (BUC). A prefeitura anunciou hoje que a integração entre ônibus e trens custará R$ 3,70. Os detalhes finais estão sendo fechados e a expectativa é que benefício passe a valer na primeira quinzena de abril.

Atualmente, o Bilhete Único Carioca serve apenas aos coletivos, a R$ 2,40. Já a integração tarifária com a ferrovia é parcial, firmada por acordo com a SuperVia e os empresários de ônibus e limitada a 68 linhas e a oito estações: Bangu, Campo Grande, Cascadura, Deodoro, Madureira, Marechal Hermes, Méier e Santa Cruz. Aliás, o preço desse serviço será reajustado amanhã, aumentando de R$ 3,25 para R$ 3,70.

Com o bilhete único municipal, as paradas de trem na capital estarão integradas a todo o sistema rodoviário. A única diferença é o tempo de integração. Hoje, o passageiro pode fazer a baldeação em duas horas e meia. Com o BUC, esse tempo cairá para duas horas.Já a inclusão das barcas e do metrô no Bilhete Único Carioca permanece sem definição. O problema maior é o da Metrô Rio, que ainda tem pela frente uma barreira considerada intransponível: a superlotação das composições. Hoje, a concessionária transporta 620 mil passageiros por dia — próximo do limite de sua capacidade, estimada entre 650 mil e 700 mil usuários diariamente.Para incluir o metrô no sistema, é preciso que os 19 $comprados na China cheguem ao Rio.

O primeiro deles está previso para desembarcar na cidade no fim do ano. No caso das barcas, a conexão seria com as linhas da Praça XV para as ilhas do Governador e de Paquetá.Quanto ao bilhete único estadual, nada muda. Ônibus, trens, metrô, barcas e vans continuam integrados em viagens intermunicipais a R$ 4,40. Segundo o governo, o serviço não será reajustado ao longo do ano.

Fonte: O Globo



READ MORE - No Rio, Integração do Bilhete Único Carioca entre ônibus e trens custará R$ 3,70 em Abril

Governo cria comissão para acompanhar compra de mais 60 trens para SuperVia

O governo criou uma comissão que acompanhará a compra de mais 60 trens para a SuperVia. O edital de concorrência internacional para aquisição das composições deve ser lançado até junho.
O estado já tem aprovada uma linha de financiamento de US$ 600 milhões com o Banco Mundial para aplicar na ferrovia, mas depende de uma autorização do Congresso Nacional. Com isso, o governador Sérgio Cabral conclui a compra de 90 trens para a concessionária.
O investimento faz parte do pacote de R$ 1,25 bilhão que o governo aplicará na empresa. Em troca, a SuperVia se comprometeu a aplicar o mesmo montante na ferrovia para obter a renovação da concessão por mais 25 anos, até 2048. A expectativa da SuperVia é que os novos 60 trens comecem a chegar ao Rio em 2013, a tempo de que todos estejam operando para a Copa do Mundo de 2014.
Em junho, deverá ser embarcado a primeira das 30 composições encomendadas à chinesa CNR por US$ 166 milhões. Outras quatro foram acrescentadas ao contrato. O lançamento do edital deve ser rápido. No ano passado, o Banco Mundial condecorou a Secretaria de Transportes pelo feito de ter providenciado a concorrência internacional mais rápida da história da América Latina. Os acertos finais da disputa ainda estão sendo fechados, inclusive os valores.
Uma das ideias é exigir da empresa vencedora a criação de uma fábrica no estado para produção de peças sobressalentes para manutenção. Hoje, a SuperVia transporta 550 mil passageiros por dia com 160 trens. A meta é chegar a 1,5 milhão em 2023. Para isso, a empresa reformará 73 trens de aço inoxidável e comprará 30 composições, chegando a uma frota de 231 trens — todos refrigerados.


READ MORE - Governo cria comissão para acompanhar compra de mais 60 trens para SuperVia

Passageiro também sofre desgaste e estresse devido ao trânsito

Estresse no trânsito não é exclusividade dos motoristas. Quem depende do transporte público para se locomover também é vítima do problema.
Muitas vezes, os passageiros viajam em ônibus lotados e permanecem todo o trajeto em pé, parados junto com o veículo em congestionamentos. É comum que se descontrolem e cheguem a descontar no condutor.
Erivan Silva, 54 anos e motorista de ônibus há 36, afirmou ter sido xingado diversas vezes. "A gente releva porque sabe que a culpa não é nossa, e sim do poder público, que não tem capacidade para resolver o problema", afirmou. Silva faz diariamente trajeto entre Santo André e o Jardim Clímax, bairro da Capital.
Para tentar driblar o trânsito e, consequentemente, o estresse, alguns mudam de hábitos. A professora de educação física Larissa Silva Cunha, 20, costuma sair mais cedo de casa para evitar chegar atrasada ao trabalho.
"Mesmo assim já aconteceu, e muitas vezes os chefes não entendem, acham que a gente dá desculpa", disse.
Outra profissional que enfrenta o problema é a doméstica Léia Primo Alves. "Agora que estou com o braço machucado é pior ainda: ninguém cede o lugar para eu sentar e ainda chego atrasada aos compromissos por causa dos congestionamentos constantes", lamentou.
Léia afirmou ainda algo que é possível notar percorrendo as ruas da região: não há mais horário de tráfego tranquilo. "Você corre risco de ficar preso no trânsito o dia todo", reclamou.
A dona de casa Marilda Oliveira Cardoso, 32, chegou a perder a consulta do filho Marcos Henrique por causa de congestionamentos. "Ele pesa nove quilos e é difícil carregá-lo. Imagina ficar com todo esse peso no colo, mais a bolsa, parada no congestionamento e sem ninguém ceder o lugar. Qualquer um fica estressado", desabafou.
Até mesmo o pequeno Marcos Henrique, que começou a chorar quando a mãe entrou com ele nos braços dentro do coletivo.



Fonte: Diário do Grande ABC


READ MORE - Passageiro também sofre desgaste e estresse devido ao trânsito

Embraer já discute a produção de trem-bala no Brasil

Terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo, a Embraer começou a discutir a produção de trens de alta velocidade no Brasil, informa recentemente a mídia brasileira. No início de março, a empresa convidou Iñaki Barron, diretor de alta velocidade da UIC (Organização Mundial de Ferrovias), para falar sobre o tema em sua fábrica em São José dos Campos (SP).
Os temas discutidos no encontro ficaram em torno do avanço do mercado de trens-bala sobre a aviação regional, principal mercado da Embraer, e absorção da tecnologia de produção de trens de alta velocidade pelo país. A Embraer informou que não tem estudos sobre o tema e que é normal chamar especialistas para dar palestras a seus funcionários.
Durante o encontro, não se falou em participação da empresa no leilão da primeira linha do país (Campinas-SP-RJ), previsto para abril deste ano. Por Renato Lu


Fonte: CRI Online Jornal Português

READ MORE - Embraer já discute a produção de trem-bala no Brasil

Tarifa de ônibus em Itu-SP vai passar de R$ 2,60 para R$ 2,80 em abril

A notícia de que a passagem do ônibus em Itu passará de R$ 2,60 a R$ 2,80 tem causado reclamações por parte dos moradores da cidade e de pessoas que usam o transporte coletivo diariamente no município. De acordo com as informações, divulgadas à população através de cartazes dentro dos próprios coletivos, a mudança ocorre a partir do primeiro dia do mês de abril. Em dois anos, este será o segundo aumento consecutivo da tarifa – que passou de R$ 2,40 a R$ 2,60 em 2010.
“Em Itu é tudo muito próximo e por isso não tem porque ser cobrado esse valor. Em Sorocaba, por exemplo, que é uma cidade bem mais desenvolvida, o preço da passagem é menor do que a de Itu”, destaca a moradora Eliana de Lima. “É caro e não há conforto para o povo. Moro no Pirapitingui e pego o ônibus sempre lotado. Sem contar que dificilmente os transportes passam no horário certo. Sempre há atraso”, completa a amiga Ana Maria da Cruz. De acordo com ela, os transportes chegam a demorar até 30 minutos aos finais de semana, comprometendo assim o seu horário de serviço.

Em entrevista ao Itu.com.br, o diretor de comunicação da Avante, Paulo Barddal, rebateu às críticas da população e afirmou que o aumento é um processo natural. “Também temos as nossas despesas. As pessoas reclamam, mas não levam em conta os gastos anuais da empresa. Os fabricantes e as distribuidoras de combustível elevam as taxas e nós somos obrigados a fazer o mesmo. Além disso, temos aumento das taxas de água e luz, salários dos funcionários, cestas básicas, etc”, justifica.
Além do atraso, reclamações das condições físicas dos veículos são unânimes entre os usuários. “Os ônibus estão sempre lotados e, em alguns casos, os canos para apoio das mãos estão todos frouxos. Sem contar a falta de educação de muitos motoristas, que muitas vezes gritam com os passageiros”, diz Josimara Pascoertto.
“Pra quem usa o serviço todos os dias, são mais de R$ 100. Sem dizer que às vezes viajamos em transportes com estado de conservação abaixo de um padrão confortável e, nos dias de chuva, alguns deles ficam alagados de tanta goteira”, critica Rafael Gomes.

“Os ônibus que rodam em Itu têm o mesmo padrão dos outros que rodam em todo o país. Além disso, todos os anos há renovação da frota. Acontece que alguns defeitos são detectados na manutenção preventiva; outros, menos previsíveis, somente na corretiva. No caso das goteiras, por exemplo, não dá para saber que o teto apresenta problemas antes do período de chuvas. No entanto, assim que o problema é identificado, a instrução é de que o veículo saia de circulação até que seja consertado”, explica Barddal.
Ainda de acordo com ele, nenhum esquema será alterado para os estudantes e pessoas que fazem a compra antecipada dos créditos. “Os bilhetes podem ser adquiridos pelo valor antigo normalmente, até a data-limite imposta pela empresa. As passagens compradas de forma antecipada continuarão sendo descontadas no valor antigo até o esgotamento dos créditos”, finaliza.


Fonte: itu.com.br

READ MORE - Tarifa de ônibus em Itu-SP vai passar de R$ 2,60 para R$ 2,80 em abril

Cartilha Parada Fácil facilita a rotina do usuário do sistema de transporte público em Canoas

Os cerca de 2.100 horários de ônibus que servem o sistema de transporte público de Canoas estão compilados e à disposição da população na segunda edição da Cartilha Parada Fácil. O livreto de pouco mais de 50 páginas, foi entregue na tarde desta quarta-feira, 16, pelo prefeito Jairo Jorge e pelo secretário de Transportes e Mobilidade Luiz Carlos Bertotto, à usuários do sistema na principal parada no Centro da cidade, em frente à galeria Golden Center.

Na cartilha estão disponíveis os horários dos coletivos que circulam em toda a cidade, no sentido Bairro/Centro e vice-versa, horários dos micro ônibus do transporte seletivo, conhecidos como “amarelinhos”, linhas transversais, além de orientações sobre a integração metropolitana.

FISCALIZAÇÃO

O prefeito Jairo Jorge percorreu o local entregando o livreto e explicando sua utilização aos usuários. Ele destacou que a cartilha servirá principalmente, para que a população fiscalize o correto funcionamento do serviço de transporte público. “Quando houver o descumprimento em algum horário, o usuário poderá ligar gratuitamente para o atendimento ao cidadão da prefeitura, pelo número 0800-51-1234, para fazer a reclamação, o que poderá acarretar em multa para a empresa concessionária do serviço”, falou.

HORÁRIOS DE ÔNIBUS ADAPTADOS

Uma das principais inovações é o apontamento dos horários de partida dos ônibus adaptados, para pessoas que possuem deficiência física. O símbolo de acessibilidade aparece grafado ao lado do respectivo horário, facilitando a programação de quem precisa utilizar o transporte público. Dos 109 ônibus da frota em Canoas, 36 são adaptados.

A novidade foi aprovada pela Coordenadora de Inclusão e Acessibilidade da prefeitura, Oni Pereira. “É uma conquista para a comunidade, a partir de um trabalho conjunto entre vários setores da administração municipal”, falou. O presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, Jair Silveira, lembrou a divulgação dos horários dos ônibus adaptados irá facilitar a fiscalização.

EXEMPLARES

Inicialmente foram produzidas 25 mil unidades da Cartilha, número que, conforme o secretário Luiz Carlos Bertotto, pode ser ampliado de acordo com a demanda. O canoense pode encontrar a Cartilha da Parada Fácil em qualquer subprefeitura e na Secretaria de Transportes e Mobilidade, que fica na Estação Rodoviária. De acordo com Bertotto, as associações de moradores que solicitarem exemplares também podem ser procuradas pelos usuários.


Fonte: Pref. de Canoas

READ MORE - Cartilha Parada Fácil facilita a rotina do usuário do sistema de transporte público em Canoas

DFTrans abre posto de cadastramento do Passe Livre na UnB

A partir da próxima segunda-feira (21/3), um novo posto do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) atenderá os estudantes que queiram se cadastrar no programa Passe Livre. O guichê de atendimento será instalado na Universidade de Brasília (UnB) e terá como alvo principal os alunos da instituição, que retomam as aulas na próxima semana.

O atendimento será realizado de 8h às 21h, no mezanino da entrada norte do Instituto Central de Ciências (ICC, vulgo Minhocão). No local, será feito o cadastro dos estudantes que não utilizavam o benefício em 2010. Também serão atendidos os que desejam alterar o itinerário cadastrado. A recarga e o recebimento dos cartões são realizados apenas nos postos da Fácil.

Segundo a assessoria, não se sabe por quanto tempo o posto funcionará no local. Desde fevereiro, quando o DFTrans assumiu o controle dos cadastros, quase 40 mil estudantes entraram na lista de beneficiados. Neste prazo, a Fácil-DF realizou cerca de 100 mil recargas.

Documentos necessários

O pré-cadastro pode ser realizado via internet, ou nos postos de atendimento. Em seguida, o estudante precisa apresentar:
- Termo de compromisso legal para aquisição de créditos;
- CPF (original e cópia) do estudante ou responsável, se menor de 18 anos;
- Carteira de identidade ou certidão de nascimento (original e cópia);
- Declaração da instituição de ensino, com série, turno, endereço, matrícula e dias letivos;
- Duas fotos 3x4.

Após a conclusão do cadastro, o cartão leva um prazo de 10 dias úteis para ser liberado nos postos da Fácil - onde também é feita a recarga de créditos.

READ MORE - DFTrans abre posto de cadastramento do Passe Livre na UnB

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960