Curitiba estima baratear metrô em R$ 250 milhões

quinta-feira, 17 de março de 2011

A prefeitura de Curitiba espera diminuir em R$ 250 milhões o custo do metrô, estimado em R$ 2,25 bilhões, com a isenção de impostos municipais (Imposto Sobre Serviço), estaduais (ICMS) e federais (PIS, Cofins e IPI). Após o carnaval, os prefeitos de Curitiba, Lu­­ciano Ducci, de Porto Alegre, José For­­­tunati, e de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, vão a Brasília ne­­gociar o corte de tributos. O objetivo das capitais é garantir a maior fatia possível dos R$ 6 bilhões disponíveis a fundo perdido (sem a necessidade de devolução) do PAC Mobilidade Grandes Cidades. Outras seis capitais estão na disputa: São Paulo, Rio de Janeiro, Bra­sília, Recife, Fortaleza e Salvador.

Na manhã de ontem, os três prefeitos se reuniram em Curitiba e saíram com o discurso afinado, sem detalhar o que deve acontecer na negociação que deve seguir com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o ministro das Cidades, Mário Negromonte. “Va­­mos tentar viabilizar recursos em comum do orçamento da União. Há um quantitativo que vamos buscar por meio de empréstimos”, diz Ducci. Além disso, o projeto do metrô gaúcho deve usar o mesmo tipo de bitola (largura dos trilhos) e de carros, a fim de facilitar a negociação para importação. “O projeto de Porto Alegre não está pronto e pode vir a ser igual”, afirma.

O metrô curitibano está orçado em R$ 2,25 bilhões para os 14,2 quilômetros do trecho Sul; o projeto gaúcho, com extensão entre 12,5 e 15 quilômetros, deve custar entre R$ 2,1 bilhões e R$ 2,3 bi­­lhões; enquanto a expansão do metrô de Belo Horizonte é mais ampla, com 30 quilômetros em diferentes linhas ao valor de R$ 3,5 bilhões. Somados, eles ultrapassam os R$ 6 bilhões a fundo perdido e, por esse motivo, negociam uma composição. Também há outros R$ 12 bilhões disponíveis pelo PAC para empréstimos. De acordo com os prefeitos, a esperança de garantir o recurso se deve à existência de uma linha específica de financiamento federal para projetos de alta capacidade, caso dos metrôs.

Contrapartida
Curitiba espera garantir ao menos de 80% do valor total do metrô a fundo perdido, e os 20% restantes viriam de empréstimos do governo federal com uma contrapartida municipal. “Conside­rando o custo de R$ 2 bilhões, estamos fazendo equação financeira. Ninguém sabe com clareza como será essa composição”, despista Ducci. O eixo Norte-Sul, onde deve ser implantado o metrô, responde por cerca de 20% dos deslocamentos diários da capital e está no limite de sua capacidade operacional, com a saída de um biarticulado a cada 50 segundos no horário de pico, segundo o instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).






READ MORE - Curitiba estima baratear metrô em R$ 250 milhões

Porto Alegre: Chegou o SIM Idoso, saiba mais sobre como adquirir o cartão

INÍCIO DO CADASTRAMENTO SIM IDOSO
PARA OS IDOSOS COM 65 ANOS OU MAIS.
Locais: quiosques nas estações Canoas/La Salle, Esteio, Sapucaia e São Leopoldo.
Horário: das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Documentos necessários: carteira de identidade, CPF e comprovante de residência.

PASSAGEM ANTECIPADA: O cadastramento dos usuários da passagem unitária interessados em adquirir o cartão SIM segue normalmente nos quiosques e na Central de Passagens da EPTC, na Rua Uruguai, 45, centro de Porto Alegre.
Mais informações: pelos telefones3027-9959 (EPTC) e 3363-8477 (Trensurb) ou através do site http://www.tripoa.com.br/.

PERGUNTAS E RESPOSTAS
SOBRE O CARTÃO SIM IDOSO

1) O que é o cartão SIM?
O SIM é o cartão do sistema de bilhetagem eletrônica da Trensurb. O lançamento do sistema ocorreu no dia 7 de dezembro de 2009 com o início do cadastramento para usuários da Passagem Antecipada.

2) Todo o sistema já está implantado? Todos os usuários do trem podem obter o cartão SIM?
Não. O processo está sendo realizado por etapas. A etapa que está em desenvolvimento agora é a de cadastramento de usuários idosos (acima de 65 anos). O cadastramento dos próximos perfis será realizado gradualmente.

3) Quando inicia o cadastramento dos idosos?
Inicia no dia 8 de novembro.

4) Todos os idosos poderão fazer o cadastramento no mesmo período ou haverá um escalonamento?
Haverá um escalonamento. A partir do dia 8 de novembro os idosos que nasceram entre janeiro e junho poderão realizar o cadastro. Do dia 17 de novembro em diante, poderão ser feitos, também, os cadastros dos idosos nascidos entre julho e dezembro.

5) O prazo para o cadastro de idosos que nasceram entre janeiro e junho encerra no dia 17 de novembro?
Não. O cadastro inicia a partir do dia 8 de novembro e não tem data para término.

6) Todos os idosos que utilizam o trem poderão se cadastrar?
Todos os idosos com 65 anos ou mais poderão se cadastrar. Mas, se o usuário – com mais de 65 anos – já possui um cartão TRI de idoso, não é necessário fazer o cartão SIM.

7) Por que apenas os idosos acima de 65 anos poderão obter o SIM?
Porque esta fase é destinada apenas ao cadastramento de idosos que possuem isenção no trem. De acordo com uma lei federal, apenas idosos acima de 65 anos tem direito à isenção.

8) Onde será feito o cadastramento?
O usuário acima de 65 anos, que não possui cartão TRI de idoso, deverá ir a algum dos quatro quiosques localizados nas estações Canoas, Esteio, Sapucaia e São Leopoldo.

9) Quais documentos são necessários para o cadastro?
É necessário portar identidade, CPF e comprovante de residência. A foto do idoso será feita no local.

10) O idoso recebe o cartão no momento do cadastramento?
Não. Após o cadastramento o usuário recebe um protocolo indicando a data para retirada do cartão.

11) Onde o cartão deve ser retirado?
O cartão deve ser retirado no local em que o usuário realizou o cadastro.

12) O cartão SIM do idoso terá foto?
Sim. Mas, o idoso não precisa levar a foto. A foto é feita no momento do cadastramento.

13) Como é, atualmente, o acesso do idoso ao trem?
O idoso se identifica, através da carteira de identidade, ao funcionário da estação, que libera a passagem do usuário.

14) Por que apenas os idosos poderão se cadastrar? E os demais isentos?
Os demais isentos (pessoas com deficiência, crianças menores de 6 anos, brigada militar, oficial de justiça, visitantes, etc) não terão cartão. Eles serão liberados, mediante avaliação, pelo funcionário da estação.

15) Por que os demais isentos não terão cartão?
Quanto às pessoas com deficiência é para evitar que embarquem sozinhas. Por uma questão de segurança é necessário que elas estejam acompanhadas. Quanto aos demais isentos, são casos eventuais, por isso não há necessidade de utilizar o cartão. O acesso dessas pessoas continuará da forma que ocorre hoje: eles serão liberados, mediante avaliação, pelo funcionário da estação.

16) Mais de uma pessoa pode utilizar o mesmo cartão?
Não. O cartão SIM do idoso pode ser utilizado somente pelo titular. Haverá fiscalização nas estações para que essa condição seja cumprida.

17) Como será feita essa fiscalização?
Quando o idoso utilizar o cartão será sinalizado, através de uma luz nas partes frontal e traseira dos bloqueios (catraca), que se trata de uma isenção. O funcionário da estação poderá solicitar o cartão e conferir os dados.

18) Quais são os benefícios para o idoso ao obter o cartão SIM?
- Maior autonomia e agilidade ao passar pelo bloqueio, pois não será necessário apresentar o cartão ao metroviário, exceto quando solicitado, para fins de fiscalização;
- Possibilidade de integração com os ônibus de Porto Alegre, pois o usuário do cartão SIM Idoso poderá utilizar o mesmo cartão nos ônibus da Capital. Isso significa que o usuário irá portar um único cartão para utilizar os dois sistemas. Essa é uma das grandes vantagens de se implantar um sistema integrado.

19) Quem já possui um cartão TRI para idoso precisa se cadastrar no SIM?
Não. Os usuários que têm 65 anos ou mais e possuem um cartão TRI para idoso não precisam se cadastrar no SIM.

20) Se o idoso que tem 65 anos e possui um cartão TRI chegar ao local de cadastramento para obter o SIM, o que acontecerá?
O funcionário informará ao usuário que, por possuir um cartão TRI de idoso, não é necessário realizar cadastro. O idoso poderá utilizar o cartão TRI no trem.

21) Os usuários de ônibus que tem entre 60 e 64 anos e comprovam renda de até três salários mínimos tem direito à isenção da passagem. Por que apenas os idosos acima de 65 anos têm isenção na Trensurb?
Há uma lei municipal que permite a isenção da passagem aos usuários de ônibus de Porto Alegre que possuem de 60 a 64 anos, comprovam baixa renda e têm residência na Capital. A isenção para usuários acima de 65 anos é referente a uma lei federal.

22) Quando os empregadores poderão obter o cartão SIM para seus funcionários?
A implantação do sistema SIM está sendo feita por etapas. A próxima fase será a implantação do cartão SIM Vale-Transporte. Ainda não há uma data para o lançamento desse cartão, porém já está em fase de projeto e planejamento.

23) O cartão SIM Idoso é gratuito?
Sim. A primeira via do cartão SIM para idoso é gratuita. Se for necessário adquirir uma nova via será cobrado o valor de duas tarifas e meia dos ônibus de Porto Alegre (atualmente R$ 6,12).

24) Como solicitar a segunda via?
Em caso de perda ou roubo do cartão, o usuário deve solicitar a segunda via através da Central de Atendimento do TRI/SIM (telefone 3027.9959), Loja Central (Rua Uruguai, 45 – Centro) ou nos Quiosques do SIM.

25) Como realizar o pagamento e a retirada da segunda via?
O pagamento da segunda via (duas tarifas e meia dos ônibus de Porto Alegre - atualmente R$ 6,12) poderá ser realizado na Loja Central (Rua Uruguai, 45 – Centro) ou nas bilheterias das estações Canoas, Esteio, Sapucaia e São Leopoldo, no momento da retirada do cartão. A retirada da nova via pode ser feita 3 dias úteis após a solicitação, no local onde foi realizado o cadastramento ou no local que o usuário escolher (dentro das opções oferecidas).

26) Há alguma restrição no uso do cartão SIM Idoso?
- O cartão é intransferível, ou seja, não pode ser utilizado por outra pessoa que não seja o titular.
- O cartão não pode ser utilizado mais de uma vez na mesma estação em um período de 30 minutos.

27) Qual a expectativa de cadastramento? Quantos idosos a Trensurb estima que serão cadastrados?
A expectativa é que sejam cadastrados cerca de 10 mil idosos.


SOBRE A INTEROPERABILIDADE

1) Como funcionará o processo de integração entre ônibus e trem?
Com a implantação do cartão SIM para idoso terá início a integração entre o cartão SIM e TRI. O usuário acima de 65 anos que tiver um cartão TRI para idoso poderá utilizá-lo no trem. E o usuário acima de 65 anos que tiver um cartão SIM para idoso poderá utilizá-lo nos ônibus de Porto Alegre.

2) Apenas os idosos poderão fazer essa integração?
Sim. Por enquanto, apenas os idosos com 65 anos ou mais poderão usufruir a integração.

3) Por que apenas idosos acima de 65 anos poderão fazer a integração? E os idosos que possuem o TRI, mas tem entre 60 e 64 anos?
A isenção no trem para idosos acima de 65 anos corresponde a uma lei federal. A isenção nos ônibus para idosos de baixa renda, residentes em Porto Alegre e com idade entre 60 e 64 anos corresponde a uma lei municipal. São leis diferentes. Sendo assim, somente os usuários do TRI que possuem mais de 65 anos terão isenção no trem e poderão utilizar o seu cartão TRI para embarque. Os usuários do TRI que tem entre 60 e 64 anos não terão isenção no trem e não poderão utilizar o seu cartão TRI para embarcar.

4) Nem todos os usuários do cartão TRI para idoso poderão usufruir a integração, mas todos os usuários do cartão SIM para idoso, poderão. Certo?
Sim. Todos os usuários do cartão SIM Idoso poderão utilizá-lo nos ônibus de Porto Alegre.

5) Quando os demais passageiros poderão fazer a integração também?
Ainda não há uma data definida, mas o processo de integração para os demais passageiros já está em estudo. Esse é apenas o início da integração entre o TRI e SIM. Em breve, todos os passageiros poderão utilizar um único cartão para embarcar no trem e no ônibus.

6) Se algum passageiro com outro tipo de cartão (TRI Vale-Transporte, por exemplo) tentar utilizá-lo no trem, o que acontecerá?
Ele não conseguirá embarcar. Aparecerá a mensagem “uso inválido”.

7) Como será o embarque do idoso que utilizar o cartão SIM no ônibus?
O idoso deverá apresentar o cartão ao cobrador e, autorizada a passagem, deverá aproximar o cartão do validador (equipamento que lê o cartão) e transpor a roleta.

8) Como será o embarque do idoso que utilizar o cartão TRI no trem?
O idoso deverá aproximar o TRI do leitor de cartões, localizado no bloqueio (catraca), e realizar a passagem.

9) O sistema TEU também está participando da Integração?
Não. Neste momento a integração é apenas entre os sistemas TRI e SIM.

10) Quando o Sistema TEU poderá integrar com o TRI e o SIM? Haverá esta possibilidade?
Como são tecnologias diferentes, o primeiro passo, que é a compatibilização dessas tecnologias, está sendo desenvolvido pelos fornecedores dos dois sistemas. Tão logo seja identificada uma maneira, poderá ser desenvolvido o estudo de integração


SOBRE A RECARGA DE CRÉDITOS DA PASSAGEM ANTECIPADA

1) Onde o usuário fará compra de novos créditos e recarga do seu cartão SIM?
Somente nas bilheterias da Trensurb, identificadas pela marca SIM, e na Central de Atendimento da EPTC, na Rua Uruguai 45, em Porto Alegre.

2) Qual o valor mínimo para a recarga do cartão SIM?
R$ 10,00 (dez reais).

3) Qual o valor máximo para a recarga do cartão SIM?
R$ 510,00 (quinhentos e dez reais).

4) Será fornecido algum comprovante na recarga do cartão?
Sim, cupom de caixa.

5) Haverá bilheterias específicas para a recarga do cartão SIM?
Sim, as bilheterias de recarga serão identificadas pela marca SIM.

6) O horário de funcionamento das bilheterias para a recarga será o mesmo da venda de bilhetes?
Não, o horário de recarga de cartões SIM será de segunda a sexta-feira, das 7h às 20 horas e aos sábados, das 7h às 14h; aos domingos e feriados não haverá recarga de cartões.

7) Pode haver cancelamento da operação de recarga?
Sim, mas apenas no momento da recarga.

8) Pode haver transferência de créditos entre cartões SIM?
Não.


SOBRE A OPERAÇÃO DO SIM

1) Todos os bloqueios aceitarão os cartões SIM?
Não, somente os equipados com validador. Esses bloqueios serão identificados com a marca SIM.

2) O que acontecerá se o validador identificar que o cartão do usuário está sem créditos?
O usuário não poderá acessar a área paga com este sistema, devendo adquirir créditos adicionais.

3) O que acontecerá se o validador exibir uma mensagem de erro ao ler o cartão?
O usuário não poderá acessar a área paga com este sistema, devendo entrar em contato com a Central de Atendimento da EPTC, na Rua Uruguai 45, em Porto Alegre.

4) Haverá troca de cartão SIM na estação?
Não, apenas na Central de Atendimento, na Rua Uruguai, 45, Porto Alegre.

5) O mesmo cartão poderá ser usado várias vezes seguidas no mesmo bloqueio?
Sim.


Fonte: TRENSURB

READ MORE - Porto Alegre: Chegou o SIM Idoso, saiba mais sobre como adquirir o cartão

Em São Paulo, pistas especiais (ciclovias e ciclofaixas) ajudam a vender bicicletas

A via de 30 quilômetros que liga, há cerca de um mês, quatro parques na zona sul da capital paulista está ajudando a ampliar as vendas de bicicletas e acessórios para a prática do ciclismo.

No dia 26 de janeiro, quando foi inaugurada a CicloFaixa, 40 mil ciclistas passearam na via entre os parques das Bicicletas, Ibirapuera, do Povo e Villa Lobos, segundo Walter Feldman, secretário municipal de esportes, lazer e recreação.

A diretora de marketing da Caloi, Juliana Grossi, diz que as lojas de bicicleta próximas da CicloFaixa triplicaram as vendas.

A Bike Town, loja localizada no bairro do Campo Belo, chegou à marca de 2 mil bicicletas vendidas em 2010, entre as vendas feitas pela internet e na loja física. Metade desse total é atribuída às campanhas de incentivo ao uso da bicicletas. "A CicloFaixa é fundamental para impulsionar o uso da bicicleta", diz Celso Cardoso do Amaral Filho, sócio da Bike Town, inaugurada em 2008.

O comércio não ligado diretamente ao mundo da bicicleta também fatura com o movimento. A lanchonete Açaí, na avenida Faria Lima, viu sua loja lotar no domingo que antecedeu o aniversário de 457 anos de São Paulo, em 25 de janeiro, com bicicletas estacionadas por todo lado. As vendas crescem cerca de 50% aos domingos, no horário que a ciclo faixa funciona, das 7h às 14h.

A fabricante de bicicletas Caloi vendeu 700 mil bicicletas em 2010, com aumento de 15% em relação ao ano anterior. Para 2011 o crescimento esperado é de 30%, com expectativa de ultrapassar a marca de um milhão de bicicletas.

O crescimento é mais impactante se comparado com a estabilidade na produção de bicicletas no Brasil no biênio 2009/2010, em 5,3 milhões de unidades por ano, segundo dados da Abraciclo, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares. Em 2008, a produção chegou a 5,8 milhões de unidades. Para este ano, a previsão é de um pequeno aquecimento para 5,4 milhões de bicicletas produzidas -a estimativa da Houston é maior, de 6,3 milhões para o país.

A Caloi fornece equipes de manutenção de bicicletas e empresta bicicletas para quem quer passear na CicloFaixa. Vendeu a preço de custo as 7 mil bicicletas participantes neste ano do World Bike Tour de São Paulo, no aniversário da cidade. Esse passeio ciclístico também ocorre em cidades como Lisboa, Porto e Madri. E já confirmou seu apoio para a edição de 2012 do evento em São Paulo.

A diretora da Caloi diz que o papel da empresa não é construir ciclovias, mas observa que o melhor plano de marketing que uma fabricante de bicicletas pode ter é apoiar melhorias de infraestrutura para uso desse meio de transporte.

A Bradesco Seguros seguiu mais ou menos o mesmo raciocínio. Patrocinou a CicloFaixa, a World Bike Tour, a competição ciclística Tour do Rio e um bicicletário para os visitantes da Casa Cor de 2010, em São Paulo. Enrique Adan, diretor do grupo Bradesco Seguros, se diz aberto a novos projetos de incentivo à bicicleta que contribuam para a longevidade dos brasileiros.

"Não dá para segurar o que seu tempo chegou. Chegou o tempo da bicicleta", diz Walter Feldman, que estava na inauguração da CicloFaixa há pouco mais de um ano e encabeçou a criação do projeto que já estava no papel há 20 anos e deve ser ampliado.

Feldman já propôs leis, como vereador e deputado por São Paulo, em prol do uso da bicicleta. Uma delas dizia que toda nova avenida construída em São Paulo teria que possuir uma ciclovia. Se esta lei tivesse sido cumprida, a cidade já teria uma malha de ciclovias de 100 km somente por conta das novas avenidas, estima o secretário.

Feldman informou que o site da prefeitura deverá ter neste ano um link chamado Ciclorotas, que mostrará os melhores caminhos para quem quiser usar a bicicleta como meio de transporte. Em alguns países o site de mapas do Google, além de oferecer rotas para carros, ônibus e a pé, oferece caminhos adequados para o uso de bicicleta.

O Grupo Executivo (GE) Pró-Ciclista, criado pela Prefeitura de São Paulo em 2006, é formado por um conjunto de cinco secretarias, além de técnicos da SPTrans e CET. A Secretaria Municipal de Transportes, que encabeça este GE, elaborou os projetos funcionais do Plano de Ciclovias, prevendo a implantação de mais 54,5 km de infra-estrutura cicloviária em São Paulo, a ser iniciada neste ano.

A CET está preparando licitação para implantação de ciclovias no Jardim Helena (Zona Leste da capital paulista), no Jardim Brasil (Zona Norte), e Grajaú/Cocaia (Zona Sul).

O arquiteto e urbanista Ricardo Corrêa, da TC Urbes, empresa privada com foco no planejamento de soluções de transporte não motorizado, já tem 123 quilômetros de ciclovias projetadas para Campo Belo, Santo Amaro e Campo Grande. Desses, 30 quilômetros já foram aprovados pela subprefeitura de Santo Amaro.

De acordo com dados da Abraciclo, 50% das bicicletas no Brasil são de transporte, 32% infantis, 17% de recreação e lazer e 1% competição. E 28,8 milhões de bicicletas circulam pela região Sudeste do País, 44% da frota nacional.

Na cidade de São Paulo, a maioria das bicicletas de recreação e lazer para adultos é do tipo "mountain bike", apesar de grande parte dos ciclistas pedalar sobre o asfalto. Poucos, realmente, fazem trilhas de terra.

Na loja Bike Town, 70% das bicicletas vendidas são "mountain bikes" e menos de 5% são urbanas. Apenas como comparação curiosa, em países como o Canadá os números se invertem: 70% são bicicletas urbanas, segundo o dono da Bike Town. Ricardo Corrêa, da TC Urbes, diz que o Brasil deverá aproximar-se do Canadá em menos de 25 anos.

A Caloi está voltando neste ano com a linha urbana de bicicletas, da série Mobilidade, depois de quatro anos. Essas bicicletas têm um desenho mais adequado para o uso na cidade, com rodas maiores, aro 700 (ou cerca de 28 polegadas), e deixam a postura mais confortável.

Corrêa, da TC Urbes, também pretende entrar no mercado de bicicletas para uso urbano, com pequena produção, de 50 unidades de cada vez. Ele está produzindo um protótipo da bicicleta, com o nome sugestivo de Urbana, que deve começar a ser vendida em maio.

Outros projetos de incentivo ao uso da bicicleta em São Paulo começam a aparecer: ônibus acomodam bicicletas em seu interior; vagões do Metrô abertos para transporte de bicicletas a partir das 20h30 e aos domingos; e bicicletários em estações do Metrô e nos novos terminais de ônibus da SPTrans. Já faz parte do cenário noturno da cidade, os grupos das pedaladas noturnas, ou "night bikers".

Para Thiago Benicchio, diretor geral da Ciclocidade, associação focada no estímulo ao uso da bicicleta no ambiente urbano, as faixas exclusivas para bicicletas têm lados positivos e negativos. Estimulam o uso da bicicleta na cidade, mas, no caso da CicloFaixa, foi montada do lado errado da rua.

Benicchio diz que os ciclistas estão se acostumando a pedalar do lado esquerdo da pista, dificultando o acesso às ruas transversais. E alguns motoristas estão achando que ciclistas só podem trafegar entre cones. "Quem pedala todo dia já foi 'agredido verbalmente' por motoristas que mandaram o ciclista 'ir pedalar no domingo'", diz ele.

É, basicamente, na América Latina que são usadas, segundo Benicchio, as "segregated bike lanes", onde confinam-se os ciclistas do trânsito violento das cidades, por exemplo, com cones. Na Europa e nos Estados Unidos, quase todas as ciclovias são somente pintadas nas ruas, sendo respeitadas pelos motoristas. Afinal, no código de trânsito nacional a bicicleta tem preferência de circulação frente aos transportes motorizados.

No caso da ciclovia da Marginal do rio Pinheiros, a qualidade da pista de 14 km é boa, com piso adequado, aproveitando a característica plana da várzea do rio. O problema é o isolamento do ciclista. Ele é cercado por vias de alta velocidade e conta com apenas dois acessos à ciclovia. Existe um projeto de ampliação dessa pista em seis quilômetros até o parque Villa Lobos ainda neste ano.

O arquiteto Dimitre Gallego, que deixa sua bicicleta dobrável estacionada atrás de sua escrivaninha, faz parte do grupo que pedala da casa para o trabalho. "O que me motivou a comprar uma bicicleta dobrável foi a dificuldade de estacionar a bicicleta no meu novo trabalho. Apesar de o escritório ter duas vagas de carro, o edifício, como norma, não permite o estacionamento de bicicletas. E na rua não existem bicicletários ou paraciclos próximos", diz Gallego. "Agora demoro a metade do tempo que levava de ônibus e paro a bicicleta ao lado da minha mesa de trabalho".

No banco Santander, os funcionários que optam pela bicicleta têm estacionamento especial e vestiário para tomar banho e trocar de roupa.

Cardoso, da Bike Town, diz que os usuários das faixas especiais, assim como os novos ciclistas que vão ao trabalho de bicicleta, estão na mira do setor. Ele vendeu bicicletas recentemente para três funcionários do Santander e para um casal residente no Morumbi, bairro na zona sul da cidade de São Paulo. O casal decidiu comprar bicicletas quando a CicloFaixa chegou perto de sua casa.

Cleber Ricci Anderson, da loja Anderson, aberta em 1992, afirma que estímulos como a CicloFaixa e a educação do consumidor podem ajudar a levar novos clientes para sua loja. Em 2010, as vendas na Anderson cresceram 15%, em relação a 2009.


Fonte: Valor Econômico

READ MORE - Em São Paulo, pistas especiais (ciclovias e ciclofaixas) ajudam a vender bicicletas

Ônibus e Metrô Rio têm esquema especial para discurso de Obama

Quem quiser assistir ao discurso do presidente Barack Obama, no próximo domingo (20), no centro do Rio de Janeiro, terá de chegar a pé até a Cinelândia, que vai abrigar o evento. De acordo com a prefeitura, a praça Marechal Floriano Peixoto tem capacidade para 35 mil pessoas.

Toda a região será interditada no domingo para tráfego e estacionamento e o aceso à praça será feito somente por ônibus e metrô.

A Rio Ônibus vai colocar nas ruas toda a sua frota – 2.088 veículos, divididos em 83 linhas – durante todo o fim de semana. A CET-Rio (Companhia de Engenharia de Tráfego) recomenda que os motoristas evitem a região central a partir de sábado (19). Os locais onde os ônibus vão parar, próximo ao evento estará no site da Fetranspor.

O Metrô Rio terá sua rotina alterada somente no domingo. A estação da Cinelândia ficará fechada durante toda a manhã, até as 16h30. Entre 12h30 e 15h30 não haverá circulação de trens entre as estações Carioca e Glória.

Quem sair da zona sul em direção ao centro terá de descer na Glória e caminhar até a Cinelândia. Já aqueles que deixarem a zona norte para ir ao evento terão de descer na estação Carioca e também caminhar até a praça.

Quem quiser participar não poderá chegar à praça com bolsas ou mochilas. Somente carteiras com documento com foto serão permitidas, de acordo com o Consulado dos Estados Unidos.


Fonte: R7.com

Esquema de trânsito
No domingo, as interdições no centro para o discurso de Obama começarão à 0h da sexta-feira (18). Na madrugada de sexta serão interditadas a rua Evaristo da Veiga, entre a rua Senador Dantas e a avenida Rio Branco, a avenida 13 de Maio e da rua de Serviço, junto à praça Marechal Floriano Peixoto, nome verdadeiro da Cinelândia.

No sábado (19), o tráfego e estacionamento serão proibidos a partir das 7h em parte da avenida Rio Branco, entre a avenida Almirante Barroso e avenida Santa Luzia e nas ruas do entorno da praça da Cinelândia. Guardas de trânsito farão os desvios e reboque de veículos que estiverem estacionados.

Já no domingo, dia do discurso, o comércio e os prédios no entorno da praça, que dão visão direta para o local do evento, serão fechados. Um centro de operações terá representantes do Exército brasileiro e ajudará na segurança do local, de acordo com a prefeitura.

A partir das 5h todas as transversais da avenida Rio Branco, da avenida Beira Mar até a avenida Presidente Vargas, serão interditadas. O esquema será parecido com o realizado no Carnaval para os desfiles dos blocos do Cordão do Bola Preta e Monobloco. 

READ MORE - Ônibus e Metrô Rio têm esquema especial para discurso de Obama

Inscrições para concurso da Manaustrans abrem nesta quinta

A Prefeitura de Manaus abre nesta quinta-feira (17) as inscrições ao concurso do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), para o cargo de agente de trânsito. A Secretaria Municipal de Administração (Semad), órgão que coordena o certame, informa que as inscrições serão efetuadas somente via internet por meio do site www.ceatconcursos.com.br.

Os candidatos que não tem acesso à internet poderão se dirigir ao CEAT – Centro de Estudos Avançados e Treinamento, situado à Rua 25,nº 031,Conjunto Castelo Branco – Parque Dez – Próximo a rua do Comércio e a Igreja de N.S.de Lourdes,onde o   acesso será gratuito, das 9  às 17h. As inscrições encerram no dia 17/04.

O concurso da Manaustrans oferece 500 vagas e salário de R$ 1.659,58, por 30 horas semanais de trabalho e ainda o benefício de auxílio-alimentação. Para participar os candidatos devem possuir ensino médio, ter idade mínima de 18 anos, ser brasileiro,estar em dia com as obrigações  eleitorais e militares (para o sexo masculino),não estar incompatibilizado para provimento de cargo público. Deve ainda, ter plena capacidade física e mental e ser portador da Carteira Nacional de Habilitação categoria “AB”, “AC”, “AD” e “AE”, dentro do prazo de validade.

Segundo o edital, o certame será realizado em cinco etapas, de caráter eliminatório e classificatório compreendidas por: prova escrita, de conhecimentos gerais e específicos; exames médicos; teste de capacidade física, compatível com as atribuições do cargo; teste de avaliação psicológica, compatível com as atribuições do cargo e programa de formação, mediante Curso de Formação Profissional.

O edital completo com todas as informações está disponível no site semad.manaus.am.gov.br.


READ MORE - Inscrições para concurso da Manaustrans abrem nesta quinta

Greve no Metrô DF entra no 4º dia sem previsão de acabar

O terceiro dia de greve dos metroviários teve, mais uma vez, trens abarrotados no início da manhã e no fim da tarde de ontem, quando apenas sete das 22 composições do Metrô estavam em funcionamento — o número foi reduzido a apenas quatro carros fora dos horários de pico. A categoria permanece de braços cruzados desde a última segunda-feira, dia que marcou o início da paralisação motivada pela demora nas negociações com a Companhia do Metropolitano (Metrô-DF). Com apenas 30% dos funcionários trabalhando, o tempo de espera enfrentado pelos passageiros, entre um trem e outro, varia de 40 minutos a uma hora.

Em Ceilândia e em Taguatinga, a luta não era nem por assento, mas sim por um espaço entre os passageiros que já chegavam em situação bastante desconfortável nos vagões lotados. Durante os horários mais movimentados, a saída dos trens era atrasada pelos usuários que insistiam em tentar entrar nos carros, impedindo o fechamento das portas.

Assustados com a situação, muitos desistiam de lutar por um lugar no trem, mesmo após o longo tempo de espera. O alfaiate aposentado José Soares, 67 anos, nem mesmo entrou na competição que os passageiros travavam na manhã de ontem na porta de um vagão na estação central de Ceilândia. Como nenhuma pessoa ofereceu a ele o assento preferencial a que tem direito, Soares preferiu esperar mais 40 minutos até a chegada do próximo trem para ir à farmácia de baixo custo e comprar seus remédios para a dor de coluna e a pressão alta. “Não é fácil. É até arriscado ocorrer um acidente, pois aqui é a lei do ‘eu primeiro’”, lamentou o idoso.

Empurra-empurraDevido à greve, muitos passageiros decidiram seguir viagem de ônibus ou de carro. Mas as alternativas não são viáveis para todos que dependem do transporte subterrâneo. Nos últimos dois dias, a funcionária pública Terezinha Borges, 53 anos, moradora de Taguatinga, tirou o veículo da garagem para ir trabalhar no Plano Piloto, mas ontem ela decidiu enfrentar o metrô. “Não posso ficar gastando gasolina, e ônibus é pior ainda. Vou arriscar para ver”, avaliou Terezinha.

Embora as estações estivessem mais vazias que o normal, o número reduzido de trens não é suficiente para as poucas pessoas que se aventuraram a usar o metrô durante a greve. Os vagões lotados tornaram a viagem quase insuportável. Passageiros não hesitavam em empurrar uns aos outros para abrir espaço na massa de gente. “O metrô está sempre atrasado, mas acho que ele está indo muito carregado de gente. Já era ruim, agora piorou”, reclamou o programador Élio da Costa Silva, 43 anos morador da Guariroba, em Ceilândia.

Um imprevisto ocorrido ontem prolongou ainda mais a espera na Asa Sul. Pela manhã, um dos quatro trens em funcionamento teve de ser substiuído por um novo. Por volta das 9h, o veículo sofreu uma pane e parou na estação da 108 Sul por um longo tempo. Quando o trem chegou à 112 Sul, todos os passageiros tiveram de descer e esperar pelo novo veículo.

DemoraA situação de desconforto para os usuários do metrô ainda deve se prolongar por mais algum tempo. A discórdia entre o Metrô-DF e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do Distrito Federal (Sindimetrô-DF) tem como causa a dificuldade de diálogo entre representantes dos empregados e do patronato. Na última terça-feira, o sindicato e a companhia se encontraram separadamente com a procuradora do Trabalho, Hilda Leopoldina Pinheiro Barreto Furtado, para discutir as reivindicações, mas uma conversa entre as duas partes tem sido evitada.

No mesmo dia, o Metrô-DF não recebeu os representantes do Sindmetrô para uma negociação — a companhia informou que o encontro só ocorreria se a greve não fosse deflagrada. O Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT10) indeferiu, também na terça-feira, o pedido de liminar da companhia pela ilegalidade da paralisação. A companhia requeria multa de R$ 480 mil e a manutenção de 80% da frota e do efetivo de empregados, nos horários de pico, e de 60% no restante do dia.

Os porta-vozes do sindicato e do Metrô foram ao Ministério Público do Trabalho na tarde de ontem, mas a entidade afirmou que o encontro não seria uma audiência de conciliação. A reunião não havia terminado até o fechamento desta edição, às 18h30. “O Ministério Público vai forçar a barra para que tomem providências, mas o GDF não tem nenhuma proposta. Eles disseram que não vão negociar enquanto não acabar a greve”, afirmou Anderson Ferreira, secretário de Administração e Finanças do Sindmetrô. O sindicato pede que uma lista de 75 reivindicações seja discutida para o firmamento do novo acordo coletivo de trabalho da categoria — o anterior vence em 1º de abril. Entre as exigências dos metroviários está o aumento de 25% no salário, a criação de uma gratificação de 50% e o reajuste de outros benefícios, como auxílio-creche e vale-alimentação.

O assunto também foi debatido em uma audiência pública na Câmara Legislativa no fim da tarde de ontem. A continuidade da greve será discutida hoje em uma assembleia, marcada para as 20h na Praça do Relógio, em Taguatinga.


READ MORE - Greve no Metrô DF entra no 4º dia sem previsão de acabar

Curitiba: Prefeitura reúne moradores para apresentar obras da Linha Verde Norte

A Prefeitura de Curitiba fará nesta quinta-feira (17), às 19 horas, audiência pública para apresentação dos detalhes das obras da Linha Verde Norte, no trecho de 2,3 quilômetros que vai do Jardim Botânico à Avenida Victor Ferreira do Amaral. A audiência será realizada no Santuário Nossa Senhora de Fátima, na praça Cova da Íria, 3 Tarumã.

Na audiência, moradores das Regionais Boa Vista, Cajuru e Matriz terão a oportunidade de conhecer o projeto e tirar dúvidas sobre as obras, que nesta etapa passarão pelos bairros Jardim Botânico, Jardim das Américas, Cajuru, Cristo Rei, Capão da Imbuia e Tarumã.

Para esta tapa, com financiamento de R$ 52 milhões da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), estão programadas obras de drenagem, canaletas para o ônibus, pistas marginais e locais (paralelas à canaleta), sinalização, iluminação, ciclovia e calçada, as trincheiras das ruas Roberto Cichon e Agamenon Magalhães e a Estação Jardim Botânico.

Ao todo, o financiamento da AFD terá quatro licitações para as obras do trecho norte da Linha Verde. A primeira, de R$ 52 milhões, já foi feita e vencida pelo consórcio Empo/Marc.

Os trabalhos serão executados ao longo do trecho de aproximadamente 8km, desde o bairro Jardim Botânico, sob a passarela do Centro Politécnico, até o extremo norte de Curitiba, no Atuba, passando por 11 bairros que hoje são separados pela antiga rodovia.

Os custos previstos por etapas de obras estão assim definidos:

Primeiro trecho: R$ 51.902.093,30. Liga o Centro Politécnico, no Jardim Botânico, na Linha Verde Sul, até a altura da trincheira da Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, numa extensão de 2.350m.

Segundo trecho: Viaduto da Victor Ferreira do Amaral: R$ 36.700 milhões.

Terceiro trecho: Victor Ferreira do Amaral – Solar: R$ 37.100 milhões.

Quarto trecho: Solar – Atuba: R$ 66.500 milhões.

Trecho sul - Ao sul, a Linha Verde já uniu dez bairros ao longo de um trecho de 9,4km de extensão. O trecho norte será semelhante - com canaletas exclusivas para os ônibus e, paralelas a ela, pistas marginais de passagem e vias locais (em frente ao comércio), iluminação renovada, ciclovia, calçadas, estações para o embarque e desembarque (serão oito no trecho norte) - a Linha Verde Norte terá como diferencial a construção de sete trincheiras e a ampliação de dois viadutos.

As obras consolidarão o sexto eixo de transporte da Rede Integrada e será também a maior avenida de Curitiba, construída no trecho urbano da antiga BR-116. Ao todo, a Linha Verde terá cerca de 18km e permitirá a interligação de 20 bairros de Curitiba, antes separados pela rodovia.

Três das nove estações da Linha Verde já têm a infraestrutura implantada, trabalho que foi feito durante as obras da Linha Verde Sul - estações PUC, UFPR e Avenida das Torres. As estações Jardim Botânico (cruzamento com a avenida Affonso Camargo) e Tarumã (cruzamento com a avenida Victor Ferreira do Amaral) terão integração vertical (ônibus embaixo e outro em cima) – por isso os viadutos serão alargados. A Estação Vila Olímpica não terá integração. As estações Fagundes Varela, Solar e Atuba terão operação semelhante ao trecho Sul.

Na Linha Verde Norte serão implantados três sistemas binários, formados pelas ruas Agamenon Magalhães e Roberto Cichon (entre as estações Jardim Botânico e Tarumã, mas não vinculado a estação de embarque e desembarque), Fagundes Varela e José Maldonado com a Bento Ribeiro (vinculado à Estação Fagundes Varela); Tietê e Mucuri (vinculado à Estação Solar).

Conheça o que será feito na Linha Verde Norte:

Extensão do primeiro trecho da Linha Verde Norte: 2.350m

Valor desta etapa: R$ 51.902.093,30

Obras: drenagem, canaleta, pistas marginais e locais, calçadas, ciclovia, iluminação, sinalização, as trincheiras das ruas Roberto Cichon e Agamenon Magalhães e a Estação Jardim Botânico.

Financiamento: Agência Francesa de Desenvolvimento

Bairros por onde a Linha Verde Norte passará:

- Jardim Botânico (1ª. Etapa)

- Jardim das Américas (1ª. Etapa)

- Cajuru (1ª. Etapa)

- Cristo Rei (1ª. Etapa)

- Capão da Imbuia (1ª. Etapa)

- Tarumã (1ª. Etapa)

- Jardim Social

- Bairro Alto

- Bacacheri

- Tingui

- Atuba\\

Sete trincheiras:

- Uma entre a rua Gustavo Rattman (Bacacheri) e a José Zgoda (Bairro Alto) – em obras

- Duas no binário Agamenon Magalhães/Roberto Cichon, ligando os bairros Cristo Rei e Cajuru

- Uma na Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã

- Três no Atuba

Ampliação de dois viadutos:

- Avenida Victor Ferreira do Amaral

- Avenida Affonso Camargo

Estações (9):

- Atuba

- Solar

- Fagundes Varela

- Vila Olímpica

- Tarumã

- Jardim Botânico

- Avenida das Torres

- UFPR

- PUC

Binários:

- Ruas Agamenon Magalhães e Roberto Cichon (não vinculado a estação de embarque e desembarque)


Fonte: URBS


Share |
READ MORE - Curitiba: Prefeitura reúne moradores para apresentar obras da Linha Verde Norte

Em São Paulo, Terminal Santo Amaro passa por obras visando acessibilidade

As obras do Terminal Santo Amaro estão a pleno vapor e é a maior reforma realizada no terminal em 24 anos de funcionamento. E nesses trabalhos, destacam-se as prioridades no quesito segurança e acessibilidade: serão instalados três elevadores e a implantação de piso especial para guiar os deficientes visuais nas plataformas.

Além disso, serão implantadas nas pistas de rolamento, redutores de velocidade que ligarão as plataformas de embarque e desembarques. Elas serão utilizadas por passageiros com necessidades especiais (atualmente o acesso de uma plataforma a outra é feito por um portão de acesso exclusivo, mas que gerava dificuldades para acessar o mezanino). No entanto, o acesso ao interior do Terminal, contará com elevadores que darão acesso ao mezanino e deste, para a plataforma central, também por elevador.

Os passageiros em geral também terão mais segurança porque poderão acessar a plataforma de embarque pelos redutores de velocidades (conhecidos também como "lombofaixas"), sempre monitorados por funcionários do Terminal.

Em relação ao piso, destacamos que passarão de 15 para 28 cm em todas as plataformas, para facilitar o embarque dos passageiros. Os arredores do terminal também passarão por reformas, as calçadas, jardins e os sanitários existentes no Terminal Santo Amaro serão totalmente reformados.

O valor total da obra está estimado em R$ 2.142.706,00.

Fonte: SPTrans

Share |
READ MORE - Em São Paulo, Terminal Santo Amaro passa por obras visando acessibilidade

MPF entra com duas ações na justiça contra leilão do trem-bala

O MPF (Ministério Público Federal) entrou com duas ações na Justiça pedindo a suspensão do leilão do trem-bala ligando Campinas-São Paulo-Rio de Janeiro.

De acordo com os promotores federais, antes de fazer o leilão do trem, a ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) deveria finalizar a licitação do transporte rodoviário de passageiros, já que a concessão do sistema de ônibus poderia alterar a demanda prevista nos estudos do trem-bala.

Em outro ponto, o MPF alega que um item do edital é ilegal: o que prevê que as divergências entre a ANTT e o vencedor da licitação possam ser resolvidas por arbitragem, e não pela Justiça. O leilão do trem-bala está marcado para o dia 11 de abril.

Além das ações, o MPF fez duas recomendações à ANTT pedindo mudanças no edital. A primeira, para que o leilão só aconteça após a criação da ETAV, empresa pública que será sócia do projeto --o projeto de lei que cria a empresa está parado no Congresso desde o ano passado. A segunda proíbe os concorrentes de falarem entre si durante o leilão, para evitar cartelização.
Caso a ANTT não atenda as recomendações, o MPF poderá entrar com novas ações na Justiça.

STF
Além disso, o MPF encaminhou ao procurador-geral da República pedido para que ele entre com ação de inconstitucionalidade no STF (Supremo Tribunal Federal) contra a medida provisória 511, que regula o financiamento do trem-bala.

De acordo com os promotores, a MP é inconstitucional porque "deturpou o sentido da contra-garantia. Isso porque seriam oferecidas à União ações da concessionária, as quais não teriam nenhum valor em caso de falência".

No ano passado, partidos de oposição já havia questionado a constitucionalidade dessa MP no STF em processo ainda não julgado.



Fonte: Folha.com

READ MORE - MPF entra com duas ações na justiça contra leilão do trem-bala

Em Cuiabá, Monotrilho é a 3ª opção de transporte urbano para 2014

O monotrilho é a terceira opção entre modais que a classe empresarial paulista apresenta ao Governo de Mato Grosso, visando à adequar o serviço de transporte coletivo de Cuiabá, que irá sediar jogos da Copa do Mundo de 2014.

A nova opção foi apresentada na manhã desta quarta-feira (16) pelo presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PP), e pelos representantes das empresas CR Almeida e Brascomi, respectivamente, Nicomedes Mafra Neto e Osmar Ferreira, diretor de Negócios evice-presidente de Relações Corporativas, ao governador Silval Barbosa (PMDB).

De acordo com o deputado Riva, a apresentação de mais um modal fortalece as opções que o Executivo terá para escolher as melhores tecnologias. “Mato Grosso tem que exaurir toda e qualquer possibilidade, pois não podemos fechar no BRT ou VLT sem ouvir, por exemplo, essa opção do monotrilho, que, aliás, é a melhor. Desde o início, coloquei isso, mas não tivemos a possibilidade de discutir com técnicos sobre a viabilidade”, disse Riva.

Sobre a oferta do modal para a Capital, Riva disse que o governador ouviu as ponderações dos empresários e a Assembleia teve a oportunidade de conhecer a proposta.  “Eles [empresários] ainda vão apresentar as propostas de viabilidade e custo/benefício ao Governo”, observou.

Enquanto não se define o modal a ser implantado, o deputado Riva defende que todo e qualquer modelo tem que ser viável e estar pronto para a Copa. “O nosso grande gargalo é o transporte e, para a gente sanar isso, tem que ser um modelo que chegue até lá totalmente pronto”, disse.

O monotrilho passa por cima dos cruzamentos e viadutos, não interferindo no trânsito, que já é bastante complicado, na opinião de Osmar Ferreira, diretor da Brascomi. “Fizemos uma apresentação para o governador sobre o sistema de transporte de passageiros que se encaixa dentro das necessidades de Cuiabá, tanto no que se refere ao transporte de passageiro quanto ao alívio que trará ao trânsito, pois não interfere nas vias existentes”, explicou.

Monotrilho
Conhecido como ‘monorail’, o monotrilho é um sistema de metrô suspenso, que faz sucesso em vários países. Nos parques da Disney, nos Estados Unidos, eles são usados para encurtar a distância que separa os visitantes das atrações. Em São Paulo, Rio de Janeiro e Manaus também é atração, pois se aprecia, do alto, o percurso da paisagem.

As duas opções anteriormente apresentadas e ainda em discussão são o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e o Bus Rapid Transit (BRT), ou ônibus de via rápida.

Em termos comparativos, o VLT é como se fosse um "metrô" de superfície e BRT, uma espécie de ônibus com capacidade maior que os atuais. O monotrilho corre sobre uma plataforma suspensa.


Fonte: Midia News

Share |
READ MORE - Em Cuiabá, Monotrilho é a 3ª opção de transporte urbano para 2014

No Rio, Detro tira de circulação 56 ônibus da frota intermunicipal

Fiscais do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) tiraram de circulação na manhã desta quarta-feira 56 ônibus intermunicipais da frota regular durante fiscalização realizada em diversos terminais rodoviários de todo o estado. O mau estado de conservação dos veículos foi a principal causa para a penalidade. No total, foram aplicadas 72 multas em 25 empresas, com valores que variam aproximadamente entre R$ 700 e R$ 1800.

Entre as empresas infracionadas a que apresentou maior número de irregularidades foi a Viação 1001, que teve veículos flagrados com problemas nos terminais de Macaé, Campos e Itaperuna, no Norte Fluminense; Cabo Frio, na Região dos Lagos; Nova Friburgo, na Região Serrana; e João Goulart, em Niterói, na Região Metropolitana do Estado. Somente esta empresa recebeu 18 multas e teve 13 ônibus recolhidos.

Foram também penalizadas as empreas Trans1000, Caravelle, Reginas, Tinguá, Trel, Nossa Senhora do Amparo, Rio Minho, Nilopolitana, Brasil, São Cristóvão, São João Batista, Viação Falcão, Viação Penedo, Natividade, Costa Verde, Colitur, Galo Branco, Estrela, Rio Ita, Rio Minho, Fagundes e Mauá.

Entre as irregularidades anotadas pelos 42 fiscais do Detro que participaram da operação estavam vidros trincados, pneus lisos, alteração de características (quando o banco do trocador é substituído pelo de passageiros), iluminação deficiente, faróis e lanternas quebrados e/ou queimados, além de problemas com documentação e atraso no cumprimento do quadro de horários.

"A vigilância tem que ser constante, pois, apesar dos empresários estarem cientes de que têm obrigações a cumprir junto à população, no sentido de garantir um transporte confortável e seguro, parece que, não raro, eles 'esquecem' deste dever", afirmou Rogério Onofre, presidente do Detro.

Fonte: O Dia Online

Share |
READ MORE - No Rio, Detro tira de circulação 56 ônibus da frota intermunicipal

Em São Paulo, SMS denúncia ajuda a garantir a segurança na CPTM

Os usuários da CPTM podem fazer denúncias relacionadas à segurança em trens e estações diretamente pelo telefone celular. O serviço SMS-Denúncia recebe torpedos pelo número 7150-4949.

Para maior eficiência na resposta da segurança, a CPTM orienta seus usuários a não esquecerem de teclar os seguintes dados na mensagem SMS: o tipo de infração cometida, características do autor, vagão [número ou posição 1º, 2º etc], número da linha, sentido do deslocamento do trem e próxima estação de parada.

Esse serviço se consolidou como um importante auxílio dos cidadãos à segurança no sistema da CPTM, especialmente no combate ao comércio ilegal, pregação religiosa, vandalismo e outras infrações e delitos. O Serviço de Atendimento ao Usuário [SAU] também pode ser acionado pelos usuários, por meio do Disque-Denúncia: 0800 055 0121.

O SMS-Denúncia funciona 24 horas por dia e o SAU, de segunda a sexta-feira, das 5h às 22h, e aos sábados, das 6h às 18h. Ambos os serviços garantem o anonimato de quem denuncia.

Mais Notícias de São Paulo
Fonte: CPTM

Share |
READ MORE - Em São Paulo, SMS denúncia ajuda a garantir a segurança na CPTM

Trensurb disponibiliza mais viagens nos horários de pico

A Trensurb passou a disponibilizar um trem a mais nas manhãs dos dias úteis, no sentido São Leopoldo – Mercado. A medida visa a proporcionar um número maior de viagens com intervalo mínimo de quatro minutos, melhor atendendo à intensa demanda no referido sentido, no horário de pico matutino.
Desde segunda-feira, 14, a Trensurb passou a disponibilizar um trem a mais nas manhãs dos dias úteis, no sentido São Leopoldo – Mercado. A medida visa a proporcionar um número maior de viagens com intervalo mínimo de quatro minutos, melhor atendendo à intensa demanda no referido sentido, no horário de pico matutino.
Passando de 19 para 20 trens ativos no horário, o período durante o qual o intervalo entre as partidas da Estação São Leopoldo é de quatro minutos, que hoje vai das 6h51min às 7h15min, passa a ser das 6h44min às 7h28min. Isso significa mais cinco viagens com intervalo mínimo do que atualmente. Em uma hora, são 1080 lugares disponíveis a mais. A capacidade de 15.120 passageiros por hora passa para 16.200 passageiros por hora, um acréscimo de 7,1% em relação ao número de lugares oferecidos no momento.
Para quem embarca no trem na Estação Mathias Velho, por exemplo – uma das mais movimentadas no início da manhã –, os trens com destino a Porto Alegre passam de quatro em quatro minutos entre as 7h04min e as 7h48min. Na Estação Niterói/UniRitter, as viagens à capital têm intervalo de quatro minutos das 7h11min às 7h55min.
Confira abaixo a nova grade horária para os dias úteis, que entra em vigor no dia 14:
PARTIDAS DA ESTAÇÃO MERCADO

Faixa horária - Intervalo (entre trens)
Das 5h06min às 5h34min - 14
Das 5h34min às 6h04min - 15
Das 6h04min às 6h18min - 14
Das 6h18min às 6h30min - 12
Das 6h30min às 6h47min - 9
Das 6h47min às 7h08min - 7
Das 7h08min às 7h14min - 6
Das 7h14min às 7h34min - 5
Das 7h34min às 8h21min - 8
Das 8h21min às 16h51min - 10
Das 16h51min às 17h07min - 8
Das 17h07min às 17h13min - 6
Das 17h13min às 18h03min - 5
Das 18h03min às 18h23min - 4
Das 18h23min às 18h43min - 5
Das 18h43min às 19h39min - 8
Das 19h39min às 19h48min - 9
Das 19h48min às 20h18min - 10
Das 20h18min às 20h30min - 12
Das 20h30min às 22h01min - 13
Das 22h01min às 23h01min - 10
Das 23h01min às 23h25min - 12

PARTIDAS DA ESTAÇÃO SÃO LEOPOLDO

Faixa horária - Intervalo (entre trens)
Das 5h01min às 5h16min - 15
Das 5h16min às 6h06min - 10
Das 6h06min às 6h22min - 8
Das 6h22min às 6h29min - 7
Das 6h29min às 6h44min - 5
Das 6h44min às 7h28min - 4
Das 7h28min às 8h08min - 5
Das 8h08min às 8h14min - 6
Das 8h14min às 8h22min - 8
Das 8h22min as 8h31min - 9
Das 8h31min às 17h01min - 10
Das 17h01min às 17h41min - 8
Das 17h41min às 17h47min - 6
Das 17h47min às 17h57min - 5
Das 17h57min às 18h25min - 7
Das 18h25min às 18h49min - 8
Das 18h49min às 20h19min - 10
Das 20h19min às 20h31min - 12
Das 20h31min às 21h49min - 13
Das 21h49min às 22h00min - 11
Das 22h00min às 23h00min - 10
Das 23h00min às 23h12min - 12
Das 23h12min às 23h25min - 13


Fonte: Trensurb

READ MORE - Trensurb disponibiliza mais viagens nos horários de pico

São Paulo: "Poesia na CPTM" exibe poemas de Vinícius de Moraes na estação Jundiaí

Foto: Eduardo GJF
O projeto "Poesia na CPTM" chega à estação Jundiaí, na próxima quinta-feira [17], permitindo aos usuários contemplar poemas de Vinícius de Moraes, expoente da literatura e música brasileira, fixados em vários pontos da estação, que pertence à Linha 7-Rubi [Luz-Jundiaí].

O público poderá embarcar na leitura dos poemas Soneto da Fidelidade, Soneto de Amor Total, Allegro, A Rosa de Hiroshima e Poética que estarão expostos nas paredes da estação, impressos em lonas suspensas por cabos de aço com letras grandes, que facilitam a leitura mesmo a distância.

A ação iniciada em dezembro, na estação Luz, já ocupa também paredes das estações Barra Funda, Brás, Itaim Paulista e Grajaú, abrangendo as seis linhas do sistema ferroviário.

A exposição deverá permanecer em cartaz por três meses. Após esse período, obras de outros poetas populares deverão ser selecionadas para uma nova etapa.

Idealizado pelo poeta Carlos Figueiredo, da Companhia de Poesia, o projeto adotado nas estações das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha do Metrô, desde o final de 2009, tem o objetivo de usar espaços públicos para difundir a arte e provocar nos usuários o interesse pela poesia.

Ficha técnica
Idealização do projeto: Carlos Figueiredo
Direção de Arte: Talita Marimon
Seleção de poemas: Carlos Figueiredo
Produção: Adriana Bocoli/ Talita Marimon.
Execução: Companhia de Poesia
Realização: CPTM e Governo do Estado de São Paulo
Fonte: CPTM

Share |
READ MORE - São Paulo: "Poesia na CPTM" exibe poemas de Vinícius de Moraes na estação Jundiaí

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960