Em Natal, Transportes opcionais não vão aumentar preço das passagens

domingo, 23 de janeiro de 2011

No dia em que a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana de Natal confirma o aumento na tarifa dos transportes públicos da cidade de R$ 2,00 para R$ 2,20, o Sindicato dos Transportes Opcionais do Rio Grande do Norte (Sitoparn) garante que não vai majorar a tarifa. A confirmação foi do presidente do Sitoparn, Nivaldo Andrade.

De acordo com o sindicalista, não há motivos para o aumento na tarifa e os 120 veículos que atualmente fazem o transporte opcional em aproximadamente 20 linhas vão manter o preço de R$ 2,00. "Não vimos motivo para o aumento e vamos manter o preço. Isso já está definido", garantiu Nivaldo Andrade.

O secretário da Semob, Marco Antônio dos Santos, disse nesta sexta-feira que achava improvável que a vontade de todos os permissionários do transporte opcional seja manter a tarifa em R$ 2,00, mas que, caso seja confirmado, será melhor para o município. "O secretário sabe do pensamento do pessoal da Semob, mas nós sabemos o que pensam os permissionários", rebateu o presidente do Sitoparn.

Os permissionários do transporte opcional afirmam que o principal objetivo dos profissionais segue sendo a integração dos dois sistemas, o que supostamente não vem sendo tratado com atenção pelo Executivo. Nivaldo Andrade garante que o acordo firmado entre o Sitoparn e a Prefeitura não vem sendo cumprido.

O Sitoparn afirma que não está ferindo nenhuma norma legal com a manutenção da tarifa. "Não tememos nenhum tipo de represália porque estamos fazendo isso dentro dos parâmetros legais. Acho juridicamente improvável que venha a acontecer algo que seja contra nossa decisão", garantiu.

Fonte: Tribuna do Norte
READ MORE - Em Natal, Transportes opcionais não vão aumentar preço das passagens

Curitiba: Motoristas pedem aumento e já cogitam greve

Em reunião realizada ontem na Delegacia Regional do Trabalho (DRT), representantes do Sindicato dos Motoristas e Cobradores das Empresas de Transporte de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) apresentaram a pauta de reivindicações da categoria, com mais de 40 itens. O principal pedido da categoria é um reajuste salarial de 38%.

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) vai apresentar uma contraproposta na próxima quarta-feira, às 11h, também na DRT. O valor de 38% seria referente à defasagem salarial nos últimos anos, mas o Sindimoc está na expectativa de que o Setransp negocie um reajuste acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que fechou o ano passado em 6,47%. Por enquanto, o Sindimoc ainda não descarta a possibilidade de greve.


Multas

De acordo com o vice-presidente do Sindimoc, Dino César Morais de Mattos, outros assuntos como a questão das multas aplicadas aos motoristas, bem como as condições de trabalho, foram pautados. Essas multas não são as de trânsito, mas sim aquelas que o funcionário recebe em casos de falhas, como chegar atrasado, por exemplo.

“Não achamos justo o funcionário pagar por isso, então é preciso rever”, afirmou Mattos. Outro problema levantado na pauta de reivindicações é o excesso de trabalho. “Muitos motoristas ultrapassam a carga horária de seis horas por causa da falta de mão de obra. Isso também não pode acontecer”, disse.

O Sindimoc também reivindica que a cesta básica seja substituída por um cartão-alimentação, e com reajuste de 50% no valor de hoje, que é de R$ 99. A data-base dos trabalhadores do transporte coletivo é 1.º de fevereiro. O Sindimoc representa cerca de 14 mil funcionários em Curitiba e Região Metropolitana.

READ MORE - Curitiba: Motoristas pedem aumento e já cogitam greve

Em Uberlândia, Nova tarifa de ônibus já está em vigor


Entra em vigor hoje o reajuste no transporte urbano coletivo de Uberlândia. A alta é de 6,7%, passando a tarifa para R$ 2,40.
Os usuários do transporte coletivo urbano de Uberlândia que tiverem vales-transporte acumulados adquiridos por R$ 2,25 poderão utilizá-los normalmente até que acabem. “O nosso sistema de bilhetagem eletrônica vai computar o uso de uma passagem, sendo assim não importa o preço que o usuário pagou.

Um levantamento mostra que o usuário que utiliza duas passagens diárias, considerando uma média de 24 dias úteis por mês, vai gastar R$ 7,20 a mais no orçamento mensal, o que no fim do mês representa R$ 86,40.

Secretário justifica aumento
Na sexta, em entrevista ao CORREIO de Uberlândia, o secretário municipal de Trânsito, Paulo Sérgio Ferreira, explicou que o reajuste foi determinado por meio da avaliação das planilhas de custos das empresas. Os fatores levados em conta foram os gastos com mão de obra, combustível e manutenção e impostos. “Analisamos a variação de cada um destes itens e chegamos ao valor. No nosso entendimento, a tarifa é justa e consegue manter o equilíbrio do contrato com as empresas”, disse Ferreira.

READ MORE - Em Uberlândia, Nova tarifa de ônibus já está em vigor

Mais seis rotas cicloviárias em Belo Horizonte

Teve início, no último 17 de janeiro, as obras para implantação de seis rotas cicloviárias em Belo Horizonte. A primeira será a Rota Nordeste, na Av. Risoleta Neves entre a Estação BHBUS São Gabriel e a Av. Saramenha.
A seguir serão iniciadas as obras da Rota Barreiro, na Av. do Canal, rua Pastor Francisco Pessoa, Av. Afonso Vaz de Melo (entre Av. Antônio Eustáquio Piazza e R. José Gonçalves, até a Estação BHBUS Barreiro); a Rota Américo Vespúcio, entre as avenidas Antônio Carlos e Catalão; a Rota Norte na Av. Álvaro Carmargos, ruas Martinica, Teles de Menezes, Monte Cassino e Marcos Lopes de Almeida; a Rota Leste, na Av. dos Andradas, Rua Itaituba e Av. Elísio de Brito, entre Av. do Contorno e Rua Lassance; e a Rota Savassi na Rua Prof. Moraes, Av. Bernardo Monteiro, Av. Carnadaí e Rua Piauí.

Fonte: Jogo Rápido

READ MORE - Mais seis rotas cicloviárias em Belo Horizonte

Em Guarulhos, STT coloca dois pontos de venda móveis do Bilhete Único

A STT (Secretaria de Transportes e Trânsito) de Guarulhos colocou pontos móveis de venda do Bilhete Único de Guarulhos nas estações de transferência Pimentas e São João. Elesa estão instalados em micro-ônibus adaptado para aquisição e recarga do cartão. O atendimento é realizado diariamente, das 6 às 22 horas.
Com esses postos, a STT soma 47 pontos de venda e a relação completa pode ser conferida no site www.guarulhos.sp.gov.br/bilheteunico.
Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Guarulhos, desde a implantação do Bilhete Único, foram retiradas 50 mil unidades. Uma nova leva, de 35 mil, passou a ser distribuída no dia 11 desse mês.
Serviço:
O posto móvel da Estação de Transferência Pimentas fica na esquina da avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira com a estrada do Caminho Velho. O posto móvel da Estação de Transferência São João está situado entre a Estrada Guarulhos-Nazaré e a avenida Marcial Lourenço Seródio.  
Mais informações sobre postos de venda do bilhete podem ser obtidas na Central do Bilhete Único (0800 559499). O telefone para obter informações sobre os itinerários dos ônibus e micro-ônibus é 2475-6996.

READ MORE - Em Guarulhos, STT coloca dois pontos de venda móveis do Bilhete Único

O metrô está mais perto do Grande ABC, mas continua difícil chegar à estação mais próxima da região, a Tamanduateí

O metrô está mais perto do Grande ABC, porém o percurso de ônibus dura, em média, 35 minutos. O problema é que, dependendo do horário, a espera pelo coletivo pode ser em vão.
Para chegar à estação, integrante da Linha-2 Verde, os moradores do Grande ABC têm três opções: a Linha 018 Santo André (Príncipe de Gales) - São Paulo (Tamanduateí), a 047 Santo André (Vila Palmares) - São Paulo (Tamanduateí) e a 562 São Caetano (Jardim São Caetano) - São Paulo (Tamanduateí).
Segundo informações da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), que gerencia as linhas de ônibus intermunicipais, a 018 opera com intervalos de 60 minutos, a 047 a cada 15 minutos e a 562, 35 minutos.
A equipe do Diário esteve no ponto final da linha 018 - Príncipe de Gales-Tamanduatei - e tentou embarcar em um carro com destino à estação do metrô por volta das 14h. No entanto, um fiscal da Vipe (Viação Padre Eustáquio), empresa que opera a linha, informou que o próximo carro só sairia às 16h40. O funcionário contou que nesse trajeto há apenas um carro, que circula das 5h às 9h e das 16h40 às 21h. "O movimento caiu pelo menos 50% no início deste ano, até porque estamos em época de férias", explicou.
A única das três linhas que está operando normalmente é a 047, da Viação Tucuruvi, que sai da Praça Áurea, na região da Rua Afonsina, em Santo André. O carro sai de 20 em 20 minutos e costuma chegar ao seu destino em 35 minutos.
Já na Estação Tamanduateí do Metrô, um fiscal da EMTU que não quis se identificar informou que a Linha 562 está operando apenas pela manhã. O funcionário, que fica na estação das 10h às 16h, disse que a última partida da linha no dia de ontem tinha sido por volta das 11h. "A Linha 047 já existia, mas ia até São Caetano. Agora faz até a Estação Tamanduateí. Essas linhas que estão em implantação, muitas vezes vão e voltam sem pegar nenhum passageiro", explicou o fiscal, que fez fiscalização também das catracas desses ônibus.

Moradores preferem ir para a Estação Sacomã do Metrô 
Por conta da semelhança entre os itinerários das linhas 018 e algumas que vão à Estação Sacomã do Metrô, muitos usuários estão preferindo ir até um pouco mais longe para não ter de ficar plantados nos pontos de ônibus. A Linha 047 não é uma opção para quem vai à Avenida Goiás, já que o coletivo vai à Capital pela Rua Visconde de Inhaúma.
A equipe do Diário esteve na Estação Tamanduateí durante duas horas e somente carros da Linha 047 foram vistos. Às 17h15, um ônibus da 018 encostou. "Até a Goiás, não pego praticamente ninguém. O movimento de lá em diante depende do (ônibus) Sacomã. Se passar antes de mim, o pessoal já pega, porque passa mais", disse o motorista.
A esteticista Eloá Carrasco, 32 anos, pega ônibus na Goiás e usa da tática. "O que passar primeiro, eu pego."
O fiscal da EMTU explicou que, como a integração Metrô-CPTM é gratuita na Estação Tamanduateí, muitas pessoas vão de metrô até o Sacomã e, de lá, utilizam o serviço da Ponte Orca, que os transporta gratuitamente. "Depois das 17h, o movimento é intenso. Já contei 500 pessoas na fila."
O metrô informou que a estação está em fase de testes e que não há previsão para o fim da operação assistida. As empresas de ônibus não responderam sobre o assunto.

Fonte: Diário do Grande ABC
READ MORE - O metrô está mais perto do Grande ABC, mas continua difícil chegar à estação mais próxima da região, a Tamanduateí

Em Natal, Usuários reclamam do aumento da tarifa nos ônibus

O aumento de 10% nas tarifas do transporte público municipal de Natal, aprovado pelo prefeito em exercício Paulinho Freire, geraram protestos dos natalenses. Na manhã de ontem – primeiro dia em que as novas tarifas começaram a vigorar - estudantes e sindicalistas fizeram uma manifestação na praça Gentil Ferreira, no Alecrim. A garoa que caiu no início da manhã, intimidou os manifestantes e poucas pessoas compareceram ao local. Mas nas paradas de ônibus, usuários do sistema reclamaram da nova tarifa, R$ 2,20.

“Essa é uma atitude da sociedade para mostrar à prefeita Micarla de Sousa que somos contra esse aumento abusivo nas passagens. O transporte já era caro, não era necessário esse aumento”, disse Juary Chagas, integrante do Sindicato dos Bancários e partidário do PSTU. “Esse aumento é a prova da relação promíscua que existe entre a prefeitura e os empresários do setor de transporte”, acrescentou.

Além do Sindicato dos Bancários, representantes do  Conlutas e diretórios centrais dos estudantes  da UFRN e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) participaram da movimentação. “A prefeita pensou que os estudantes iriam ficar calados porque estamos vivendo o períodos das férias escolares. Não vamos parar por aqui. Durante essa semana, vamos realizar mais protestos em toda cidade”, avisou Bárbara Figueiredo, da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (ANEL).

Enquanto aguardava o ônibus que a levaria para casa, a costureira Maria Fernandes reclamava do aumento. “Fui pega de surpresa, não sabia que ia aumentar isso tudo. Acho muito errado esse aumento, pois o serviço prestado não é bom. Precisa de mais segurança nos ônibus. Vivo com medo de ser assaltada”, disse. O eletromecânico Manoel Nascimento também se mostrava insatisfeito. “É um absurdo isso. O salário mínimo não aumentou 10%. Acho que o aumento da tarifa é abusivo. A população precisa mesmo reclamar”, colocou.

Fonte: Tribuna do Norte
READ MORE - Em Natal, Usuários reclamam do aumento da tarifa nos ônibus

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960