Ritmo de crescimento do Metrô de São Paulo dobrou nos últimos cinco anos

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O ritmo de expansão do Metrô de São Paulo cresceu 50% nos últimos cinco anos em relação à média histórica. O aumento ocorreu após o índice diminuir década a década desde a inauguração do primeiro trecho da companhia, em 1974. Ainda assim, o crescimento que o transporte sobre trilhos vem registrando desde 2007 está longe de garantir uma malha compatível com o tamanho e a população da cidade de São Paulo, dizem especialistas.
Entre a inauguração do metrô, em 1974, e 1984, 24,7 km de linhas passaram a operar, uma média de construção de 2,47 km por ano. Na década seguinte, entretanto, o ritmo diminuiu: foram 18,7 km de novas linhas entre 1984 e 1994, média de 1,87 km por ano. Apesar de a demanda por transporte aumentar e o trânsito na cidade se tornar cada vez mais caótico, o ritmo de ampliação da malha seguiu em queda entre 1994 e 2004. Foram apenas 1,42 km de metrô por ano no período.

Na média histórica, foi construído 1,88 km de metrô por ano, de 1974 a 2006. Nos últimos cinco anos, essa média aumentou para 2,82 km por ano (crescimento no ritmo de expansão de 50%) com a inauguração da linha 4-Amarela, e de novas estações na linha 2-Verde.

Promessas

Em setembro, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que, até o final do seu governo (2014), terá entregue 30 km de novas linhas de metrô e deixará outros 95 km em construção, incluindo monotrilho (um trem mais estreito que roda por cima da terra em vias elevadas). O diretor-presidente do Metrô, Sergio Avelleda, diz que a companhia receberá investimentos de R$ 30 bilhões nos próximos quatro anos.

Entre as principais promessas do Metrô para os próximos anos estão o prolongamento da linha 2-Verde, entre a Vila Prudente e o Hospital Cidade Tiradentes, por meio de monotrilho; a inauguração de novas estações da linha 4-Amarela e sua expansão até a Vila Sônia; a inauguração de 11 novas estações da linha 5-Lilás, entre Adolfo Pinheiro e Chácara Klabin; e a criação da linha 17-Ouro, ligando Jabaquara ao estádio do Morumbi, também por meio de monotrilho.

Metrô de SP tem poucas conexões

Se concluídas no prazo, essas obras devem deixar São Paulo com uma malha metroviária 54,3 km maior até 2016. Isso representaria um aumento anual cinco vezes maior que o da média histórica até 2006 e três vezes maior que o verificado nos últimos cinco anos.

Crescimento insuficiente

Entretanto, de acordo com especialistas ouvidos pelo R7, mesmo esse ritmo inédito de expansão, caso se concretize, não vai proporcionar a São Paulo, em curto ou médio prazo, uma malha de metrô adequada. Além disso, dizem eles, esse crescimento até 2016 tem que ser relativizado por se basear, sobretudo, em linhas de monotrilho, que têm capacidade de transporte menor do que o metrô.

Para o consultor de engenharia de tráfego Horácio Figueira, mestre em engenharia de transportes pela USP (Universidade de São Paulo), é uma ilusão achar que o metrô pode resolver o problema do trânsito na capital paulista.

- A conclusão é cruel. É caro, é demorado, não dá para esperar ficar pronto para essa encarnação. Talvez daqui a cem anos vamos ter um transporte de trilhos adequado, mas aí talvez a gente nem vá mais precisar de nada disso. Não podemos nem devemos nos iludir que Metrô e CPTM vão resolver o problema de mobilidade.

Doutor em engenharia de transportes também pela USP, Cláudio Barbieri da Cunha reforça a afirmação feita por Figueira de que o ritmo de expansão atual não é suficiente. Ele diz ainda que não dá para colocar o monotrilho ao lado de metrô quando se fala na expansão da rede.

- Quando a gente fala em monotrilho, a gente está falando de sistema de transporte ferroviário, mas não é exatamente um metrô. Investimento é menor, capacidade é menor, complexidade é menor. Tem regiões que a demanda é tão alta que isso nem vai dar conta.



Fonte: R7.com



READ MORE - Ritmo de crescimento do Metrô de São Paulo dobrou nos últimos cinco anos

No Dist. Federal, Governo implantará VLT em toda Avenida W3

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, decidiu que tentará levar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT)  a toda extensão da Avenida W3 Sul antes da Copa do Mundo de 2014, segundo informações do colunista do Jornal de Brasília Cláudio Humberto.

Seu governo já teria os recursos (mais de US$ 300 milhões) para a primeira fase, que liga o aeroporto da Capital ao final da W3 Sul, mas tão logo se inicie, vai viabilizar o restante do trecho. O VLT é considerado essencial à mobilidade urbana de Brasília.


Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br

READ MORE - No Dist. Federal, Governo implantará VLT em toda Avenida W3

Em Foz do Iguaçu, Reajuste na tarifa do transporte coletivo passa a valer a partir de hoje

Andar de ônibus em Foz do Iguaçu está mais caro desde a meia-noite desta segunda-feira. Por conta de decreto publicado no Diário Oficial do Município, a tarifa do transporte coletivo foi reajustada dos anteriores R$ 2,40 para R$ 2,65, acréscimo de 10,4%.
O reajuste foi menor, entretanto, para os cerca de 50% dos passageiros que utilizam o sistema de bilhetagem eletrônica. Para quem paga com cartão, a passagem sobe de R$ 2,20 para R$ 2,32. Estudantes que utilizam o mesmo sistema passam a pagar R$ 1,16.


Informações da CBN Foz

READ MORE - Em Foz do Iguaçu, Reajuste na tarifa do transporte coletivo passa a valer a partir de hoje

São Paulo testa ponto de ônibus climatizado e com internet

A espera pelo ônibus num ponto da cidade de São Paulo é um teste capaz de provocar um turbilhão de reações: da resignação pela demora excessiva à raiva por acenar pela parada e ser ignorado pelo motorista.

Agora os passageiros serão alvo de novos experimentos por meio de um projeto que será montado a partir de quinta-feira, dia 3, na rua da Consolação, na esquina com a avenida Paulista.

Quando a umidade do ar estiver baixa, um climatizador tentará aliviar a sensação de desconforto no ponto.

Quem não souber seu itinerário não precisará perguntar na banca de jornal mais próxima; poderá utilizar um painel interativo, com tela sensível ("touch screen"), que permite a consulta das linhas de ônibus, como na internet.

Lixeira com sinal sonoro que aplaude quando alguém joga lixo no lugar correto, iluminação inteligente (que controla a luz conforme a presença de pessoas) e conexão Wi-Fi (sem fio) para celular também estarão por lá, no sentido bairro-centro.

O acesso à internet ainda estará restrito às informações do próprio ponto de ônibus, mas a SPTrans (empresa municipal que cuida do transporte coletivo na capital) ainda pretende abrir a consulta aos outros sites.

Energia dos veículos

O novo modelo, batizado de e-ponto, prevê que a parada (que terá também uma televisão para mostrar os horários dos próximos ônibus) funcione de forma independente da rede de energia da Eletropaulo.

Além de painéis solares, um dispositivo no asfalto captará a energia do movimento dos veículos, que será armazenada e utilizada na iluminação noturna do ponto de ônibus.


Informações da Folha de S.Paulo

READ MORE - São Paulo testa ponto de ônibus climatizado e com internet

Região Portuária do Rio terá novo esquema de trânsito a partir do dia 05/11

A partir da semana que vem, a Região Portuária passará por novas mudanças de tráfego complementares a partir das 8h do dia 05 de novembro de 2011, para dar continuidade às obras do Projeto Porto Maravilha. As alterações incluem interdições totais e/ou parciais, além da implantação de mão dupla e inversão de sentido em algumas vias.

A CET-Rio, a Secretaria Municipal de Obras e a Concessionária Porto Novo montaram esquema especial para criar rota alternativa para os ônibus e carros que vêm da Avenida Brasil e de Niterói e minimizar os transtornos gerados   pelas intervenções complementares. O objetivo é garantir o andamento das obras de requalificação e  da construção do túnel da futura Avenida Binário do Porto, que integra o conjunto de obras viárias para ampliação da capacidade de tráfego em 50%.

Sinalização e apoio - O planejamento mobilizará 100 operadores de tráfego da concessionária e da CET-Rio, devidamente treinados, posicionados em pontos estratégicos para reforçar a sinalização e dar apoio aos motoristas e pedestres na escolha das melhores rotas. As vias modificadas já estão sinalizadas com faixas informativas, Além disso, 9  Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs) da CET Rio e outros 7 painéis móveis darão suporte indicando os melhores caminhos aos usuários.

Acesso e estacionamento  - Durante a execução das obras, nas vias interditadas, o acesso só será permitido aos moradores e comerciantes. O estacionamento será proibido em algumas ruas, o que vai reduzir a oferta de vagas na região. Motoristas que trafegam na região devem seguir a sinalização. Reboques vão atuar na área para garantir a fluidez do tráfego nas rotas alternativas e a liberação das vias.

Obras Viárias - A Avenida Binário do Porto é uma via de 3,5 Km que será construída para distribuir o trânsito na Região Portuária. Paralela à Avenida Rodrigues Alves, será concluída em dezembro do ano que vem para dar início à demolição do Elevado da Perimetral. O conjunto de obras viárias vai ampliar a capacidade de tráfego em 50% a partir de 2015 e ainda prevê a construção da Via Expressa – a nova Rodrigues Alves, um longo corredor expresso que mudará a configuração do trânsito na região e absorverá o movimento da Perimetral.

READ MORE - Região Portuária do Rio terá novo esquema de trânsito a partir do dia 05/11

Paraná estuda cobrar pedágio por km

Dentro de três a quatro anos, o Paraná poderá contar com um sistema de cobrança eletrônica de pedágio por quilômetro rodado que já funciona em mais de 20 países. Chamado de “free flow” (fluxo livre, em inglês), o modelo combina uso de radiofrequência e gravação de imagem para registrar a passagem de veículos pela estrada. As atuais praças de pedágio seriam substituídas por pórticos, de passagem livre, instalados a poucos quilômetros um do outro.
Hugo Harada/Gazeta do Povo
A Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) considera esse sistema mais justo porque o pagamento é proporcional ao uso da rodovia e também ocorreria a inclusão de motoristas que hoje não passam por nenhuma praça. “Quem usa dois quilômetros e quem usa 50 vai pagar valores bem diferentes”, argumenta o diretor regional da ABCR, João Chiminazzo Neto. Moacyr Duarte, presidente da entidade, acredita que o preço das tarifas no país pode cair até pela metade com o “free flow”. Hoje, a distância entre as praças é de 40 a 70 quilômetros.

O secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, José Richa Filho, conta que a intenção é utilizar o monitoramento eletrônico para muito além do pedágio. “A ideia é planejar o trânsito, acompanhar o transporte de carga e verificar a regularização dos veículos também”, explica. No Paraná, um modelo de instalação de chip eletrônico em veículos está sendo planejado pelo Depar­­tamento de Trânsito (Detran).

Mário Rodrigues Júnior, da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), responsável pela regulação das concessões federais de rodovias, avalia que o sistema de fluxo livre representa uma nova fase do sistema de cobrança, que superaria o modelo baseado em praças.

Como não existe legislação que obrigue o motorista a aderir ao sistema, a mudança só acontece se o governo adotar o modelo. E a adoção exigiria alterações nos contratos de pedágio. Governo estadual e concessionárias estão em negociação atualmente para alterar as bases dos contratos.

Os primeiros sistemas de “free flow” começaram a ser implantados no mundo na década de 90. Na Alemanha, Suécia e Eslo­­váquia, um aparelho GPS instalado em caminhões monitora por quais rodovias o veículo passou e cobra proporcionalmente pelo trajeto percorrido. Em Portugal, o aparelho usado para controlar o fluxo do veículo na rodovia já é usado para a cobrança em postos de combustíveis e em drive in de redes de lanches. A forma mais comum de cobrança do pedágio pelo sistema fluxo livre é feita por meio de uma fatura semelhante à do cartão de crédito enviada ao motorista pelo correio ou por e-mail.

Quem transita na RMC passará a pagar tarifa

Milhares de veículos que circulam por rodovias concedidas na região metropolitana de Curitiba (RMC) não pagam pedágio. Elvio Torres, gestor de atendimento da concessionária Rodonorte, acredita que o “free flow” pode ser uma ferramenta para garantir que todos os motoristas que usem a estrada paguem a tarifa. “Atualmente, quem paga custeia os benefícios para quem não paga”, diz. Hoje, 22 mil veículos passam pela praça de pedágio em São Luiz do Purunã e 40 mil circulam no trecho entre Campo Largo e Curitiba.

Evandro Vianna, diretor-executivo da concessionária Ecovia, destaca que a maior parte dos acidentes acontece no trecho urbano da BR 277, entre Curitiba e São José dos Pinhais. “Muitos dos atendimentos operacionais, mecânicos, médicos, são recebidos por motoristas que não chegam à praça de pedágio”, conta. Aproximadamente 12,5 mil veículos pagam a tarifa diariamente, mas entre 55 mil e 60 mil circulam no trecho de 24 quilômetros entre o início da concessão e a praça de pedágio.

Nas rodovias brasileiras, de 40% a 90% dos veículos que circulam em trechos concedidos não pa­­gam tarifa.

São Paulo testa sistema desde 2008

Em São Paulo, existe um pórtico em teste na rodovia Anhanguera há três anos. O objetivo era apenas avaliar a viabilidade técnica do sistema, que se mostrou eficiente, segundo Pedro Donda, responsável no Brasil pelos sistemas Via Fácil e Sem Parar, já utilizados em praças de pedágio e estacionamentos. Segundo ele, metade dos veículos que trafegam pelas rodovias pedagiadas brasileiras utiliza o sistema de cobrança automática.

Placa eletrônica

Desde 2006, o Brasil ensaia exigir que todos os veículos tenham um chip de monitoramento. O Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav) foi determinado por resolução do Departamento Nacional de Trânsito e várias datas já foram divulgadas para o início do sistema. A previsão agora é de que comece em 2014. Os veículos deverão ter chip na placa ou na parabrisa. A responsabilidade pela implantação é dos órgãos estaduais de trânsito. O monitoramento obrigatório previsto pelo Siniav é visto pelas concessionárias como uma forma de garantir as condições técnicas ideais para a implantação do “free flow”.



READ MORE - Paraná estuda cobrar pedágio por km

Pavimentação nos corredores de ônibus seguem acelerada em Campo Grande

As obras de pavimentação e drenagem dos corredores do transporte coletivo em 28 bairros continuam em ritmo acelerado. Os projetos foram aprovados pelo Pró-Transporte do Ministério das Cidades, voltados exclusivamente para as vias que funcionam com linhas de ônibus.

A expectativa da Prefeitura é de, até o final de 2012, entregar quase 100% das linhas de ônibus asfaltadas na Capital. Para a execução das obras nos corredores do transporte coletivo, o Pró-Transporte utiliza recursos federais provenientes do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), com contrapartida do Município.

Antes de dar início às obras, o prefeito Nelson Trad Filho esteve, pessoalmente, em cada região contemplada pelo projeto e relatou as finalidades do Pró-Transporte. “Assim como a maioria das cidades do País insiste na obtenção dos recursos federais para obras desta magnitude, estamos atentos a todas as possibilidades e caminhos que devemos percorrer para termos os projetos aprovados. O governo aprova as melhores ideias e, felizmente, temos conseguido atingir o propósito. Quando ficamos sabendo dessa linha de crédito, corremos atrás e agora é fato para a cidade. Depois dos corredores entregues com os tubos de drenagem instalados, já que o programa é voltado exclusivamente para essa finalidade, fica mais fácil executar as obras para asfaltar o restante do bairro”, explicou o prefeito.

“A maioria das vias que vão receber a pavimentação será contemplada também com a drenagem, que é necessária junto do asfalto. Cada empreiteira foi orientada a deixar os tubos de drenagem instalados, de maneira que fiquem estrategicamente adequados e prontos para receber o restante do asfalto, quando os projetos posteriores chegarem a estes locais”, informou o prefeito.

Confira as regiões contempladas com obras de pavimentação e drenagem nos corredores do transporte coletivo:

1. CTC – Jardim Noroeste
2. CTC – Vivendas do Parque
3. CTC – Inápolis (Indubrasil)
4. CTC – Jardim das Nações
5. CTC – Nova Serrana /Serraville
6. CTC – São Conrado
7. CTC – Nova Campo Grande
8. CTC – Parque Dallas
9. CTC – São Caetano
10. CTC – Jardim Beija Flor / Sírio Libanês
11. CTC – Rancho Alegre II
12. CTC – Jardim Cerejeiras (margem direita)
13. CTC – Jardim Cerejeiras (margem esquerda)
14. CTC – Avenida Oceania
15. CTC – Jardim Ouro Preto
16. CTC – Danúbio Azul
17. CTC – Jardim Indianápolis
18. CTC – Portal do Panamá
19. CTC – Vila Futurista
20. CTC – Morada do Sol
21. CTC – Nova Jerusalém
22. CTC – Jardim Manaíra
23. CTC – Residencial Barra da Tijuca
24. CTC – Vila Oeste
25. CTC – Jardim Vilas Boas
26. CTC – Jardim São Pedro
27. CTC – Dona Dedé
28. CTC – Izabel Garden


Fonte: A Critíca

Share |
READ MORE - Pavimentação nos corredores de ônibus seguem acelerada em Campo Grande

Em Sorocaba, 41 novos ônibus entram em operação nesta segunda

Os primeiros 41 novos ônibus integrantes do Consórcio Sorocaba, vencedor do processo licitatório do lote 1 do transporte coletivo, entram em circulação a partir desta segunda-feira em Sorocaba e vão atender 15 linhas da Zona Norte e do Parque Industrial. No total, esse consórcio será responsável por 44 linhas, sendo que a transição dessa frota, segundo a Urbes - Trânsito e Transportes, ocorrerá de forma gradativa. Já na próxima sexta-feira, dia 7, outras 16 linhas também recebem novos veículos. O Consórcio Sorocaba assume o chamado lote 1 após vários embates judiciais que marcaram todo o processo licitatório, cujo contrato chegou a ser suspenso por liminar, derrubada pelo Tribunal de Justiça há exatos dois meses.

Desde 2009, esse sistema era operado por quatro empresas - Auto Ônibus São João, Rosa Reunidas e Jundiá -, em caráter emergencial, a partir da intervenção na Transporte Coletivo Sorocaba (TCS), que enfrentava problemas financeiros e trabalhistas. O Consórcio Sorocaba, que é formado pelas empresas CS Brasil e Rodoviária Metropolitana, terá um contrato com a administração municipal de oito anos de duração, no valor de R$ 60 milhões.

Ao todo, a empresa responsável pelo sistema entregará 179 ônibus zero quilômetro, com tecnologia convencional, padron e especial (15 metros). De acordo com a Urbes - Trânsito e Transportes, os ônibus são todos adaptados com elevador para acesso de pessoas com deficiência física. A carroceria dos coletivos terá três portas de serviço, com rampa e elevador na porta central, itinerário digital superior, inferior e lateral, iluminação interna e externa em leds, sistema de ventilação forçada para renovação de ar e lixeiras no anteparo das portas. A frota também contará com câmeras de vigilância para controlar o serviço e aumentar a segurança aos usuários; além de GPS para permitir o monitoramento dos ônibus e, futuramente, facilitar a comunicação com os usuários.

Já para o Serviço de Transporte Especial a empresa irá dispor de 9 novos micro-ônibus, dois a mais do que a atual frota do lote 1 emergencial. Esses novos veículos, ainda segundo a Urbes, foram dimensionados para uma maior acomodação, ampliando a quantidade do "box" para cadeiras de rodas embarcadas de 17 para 29, proporcionando melhor atendimento no setor de transporte especial. A nova contratação também vai alterar a forma de remuneração, já que a empresa não vai mais receber por quilômetro rodado, com o pagamento efetuado pela Urbes por passageiro transportado.

Veja abaixo as primeiras linhas atendidas com os novos ônibus

02 - Brasilândia
16 - Angélica/Botucatu
20 - Carol
23 - Industrial/Dois Corações
24 - Guadalupe
25 - Itavuvu
39 - Aldeia dos Laranjais
39/1 Sta. Esmeralda/Portal do Itavuvu
45 - Retiro São João
46 - Paineiras
50 - Hungarês
54 - Paes de Linhares
58/1 - Vitória Régia/Sorocaba Park
61 - Iporanga
70 - Nova Sorocaba/Nova Horizonte



Fonte: Urbes - Trânsito e Transportes

READ MORE - Em Sorocaba, 41 novos ônibus entram em operação nesta segunda

Em Jaboatão e Recife, Estrada da Batalha terá uma pista liberada para caminhões e ônibus

O trânsito em uma das pistas da Estrada da Batalha, no sentido Prazeres/Recife, na Estrada da Batalha, será liberado a partir das 5 h desta segunda-feira. O trecho será liberado para mão dupla.

A medida, no entanto, só é válida para o tráfego de ônibus e caminhões. Os demais tipos de veículos devem continuar utilizando rotas alternativas para seguir caminho.  

A decisão foi tomada pela Secretaria de Transportes de Pernambuco, após reunião com os técnicos da construtora Camargo Corrêa, responsável pelas obras de duplicação e requalificação da Estrada da Batalha e dos órgãos de trânsito de Jaboatão dos Guararapes e do Recife.

Para informar a população, estão sendo produzidos 200 mil panfletos com sugestões de rotas. Além dessa iniciativa, uma equipe de técnicos e arte-educadores permanecerá na região para orientar os motoristas sobre os desvios.

O trecho na altura da avenida Maria Irene, no Jordão, cedeu na última quinta, provocando o surgimento de uma cratera de 13 metros de profundidade. A Compesa explicou que o afundamento do asfalto é decorrente do rompimento de uma tubulação de 1.200 mm, que havia sido consertada pela Camargo Corrêa para corrigir danos provocados durante a execução das obras.

A obra de requalificação da Estrada da Batalha tem custo total de R$ 100 milhões, metade (R$ 50 milhões) apenas para o túnel, construído próximo ao local onde o piso cedeu. "Nossa intenção é diminuir ao máximo os transtornos para a população. Pedimos que procurem se informar sobre caminhos diferentes, evitando o trecho que está interditado", pediu o secretário de Transportes, Isaltino Nascimento. Segundo o secretário, a ocorrência não vai alterar o valor da obra, pois os custos serão assumidos pela construtora.



Share |
READ MORE - Em Jaboatão e Recife, Estrada da Batalha terá uma pista liberada para caminhões e ônibus

Corredor de ônibus na PE-05 que liga Recife a São Lourenço continua com buracos

domingo, 30 de outubro de 2011

O corredor de ônibus da PE-05 que liga as cidades de Recife e São Lourenço da Mata ainda não foi totalmente recapeado, pois ainda existem buracos e rachaduras na via, motoristas dos ônibus dizem que os buracos existentes ainda prejudicam tanto o trabalho deles como aos próprios usuários, pois o ônibus tem que reduzir e muito a velocidade prejudicando o tempo da viagem, pois além de reduzirem a velocidade, os ônibus são obrigados a saírem do corredor para fugirem dos buracos ainda existentes.
Ainda no corredor, as faixas de pedestres estão apagadas deixando os pedestres confusos e vulneráveis a acidentes, pois também a fiscalização praticamente inexiste e as motos e os carros trafegam pelo corredor sem nenhuma fiscalização.
Lembrando que trafegar na pista exclusiva para ônibus comete infração grave e leva 05 pontos na CNH e multa de R$ 127,69.
E para piorar a situação, além das faixas de pedestres estarem sem pintura, as grades divisórias do corredor estão enferrujadas.

READ MORE - Corredor de ônibus na PE-05 que liga Recife a São Lourenço continua com buracos

Em João Pessoa, atualmente circulam 176 ônibus adaptados

Em cada olhar uma esperança. Nos lentos movimentos a força de viver. Para um cadeirante - portador de deficiência motora, obrigado ao uso de cadeira de rodas -, cada obstáculo superado revela o quanto a vida ainda pode surpreendê-lo mostrando novos desafios.

'Apesar das limitações que possuímos, não reclamamos. Cada dia é um recomeço', revela Cláudio Severiano Ramos, de 35 anos, pessoense que há 5 anos perdeu os movimentos dos membros inferiores após um acidente de motocicleta.
Segundo o censo realizado no ano de 2010, existem 720 mil pessoas com algum tipo de deficiência na Paraíba, ou seja, 18% da população do Estado.

Uma das grandes conquistas para a ressocialização dos cadeirantes foi obtida por meio da lei municipal de nº 7.170, que garante o transporte público adaptado, permitindo o embarque de usuários de cadeiras de rodas. Esse tipo de transpote é conhecido como ‘transporte eficiente'.

Atualmente, 540 ônibus trafegam pelas principais ruas de João Pessoa, destes 176 são adaptados para a acessibilidade dos deficientes físicos, em especial os cadeirantes.

Um dos usuários do transporte eficiente é o menino Leonardo José, de 9 anos de idade. Ele reside no Bairro dos Estados em João Pessoa e sempre está acompanhado da mãe, Ana Gilma, quando utiliza um ônibus adaptado. Ele nasceu com deficiência motara em função de complicações no parto.
Mesmo diante das dificuldades, quando vamos à praia, ao shopping ou fazer alguma atividade de lazer com o Léo, o transporte eficiente nos ajuda’, declarou Ana.

De acordo com Francisco Alcântara - gerente da Divisão de Transportes Coletivos da STTRANS (DICOL) – a expectativa do órgão é de que até o ano de 2014 toda a frota de transporte público na Capital paraibana seja adaptada para o usuário com necessidades especiais.

‘Já temos em João Pessoa linhas com quase 100% dos veículos adaptados, como do Bairro dos Estados, significando grande importância para os portadores de deficiência física. Nesse caso, o trajeto do ônibus incluiu o tráfego nas proximidades da Funad, facilitando o deslocamento dos cadeirantes’, afirmou Francisco Alcântara.

Segundo o gerente da vistoria da STTRANS, Edvaldo Loureiro, o ‘transporte eficiente’ está cada vez mais ocupando lugar nas garagens das empresas de coletivos. Cada veículo adaptado custa em média R$ 238 mil, podendo chegar a R$ 264 mil, dependendo da marca da e da quantidade de portas de acesso especial.

Em João Pessoa, atualmente circulam 176 ônibus adaptados

Como funciona um ônibus adaptado?
O transporte denominado ‘eficiente’ possui uma plataforma móvel no ônibus, que funciona como um elevador. Ela promove a subida e a descida do deficiente físico, principalmente de usuários de cadeiras de rodas.

O ônibus adaptado pode ter duas ou três portas, sendo estas localizadas na traseira, dianteira ou na parte central do veículo.
 

Share |
READ MORE - Em João Pessoa, atualmente circulam 176 ônibus adaptados

Manaus: Novos ônibus articulados devem chegar em 20 dias

A empresa NeoBus, construtora de grandes veículos de transporte de passageiros, informou à Prefeitura de Manaus que, na próxima semana, os primeiros 11 ônibus articulados saem da sede da empresa, em Caxias do Sul (RS), devendo chegar à capital amazonense dentro de 20 dias. O superintendente da SMTU, Marcos Cavalcante, informou que estes veículos são do modelo Mega BRT, um dos melhores produtos que a NeoBus fabrica.

Segundo Cavalcante, estes veículos são ainda maiores do que os articulados que já rodam em Manaus. São veículos com 21 metros de comprimento e capacidade pra 280 passageiros. As onze unidades foram adquiridas pela empresa Global, uma das vencedoras da licitação. Ao todo, a Global vai adquirir 70 ônibus deste modelo. Outras três empresas (Rondônia, Nova Integração e Transtol) vão trazer para a cidade mais 96 ônibus articulados, mas elas optaram pelo modelo similar fabricado pela empresa Marcopolo. No total Manaus terá pelo menos 166 novos ônibus articulados.

No site da empresa, é possível ter mais detalhes do interior do modelo Mega BRT. Na foto de divulgação, o modelo que vem pra Manaus já está pintado com o padrão determinado pela Prefeitura de Manaus.


Fonte: D24 AM

READ MORE - Manaus: Novos ônibus articulados devem chegar em 20 dias

Sistema BRT em Fortaleza promete mais velocidade em horários de pico

Durante o VI encontro de Qualidade e Tecnologia do Transporte Urbano, realizado até ontem (28) no Marina Park Hotel, foram apresentadas as tecnologias que serão utilizadas nos projetos de mobilidade urbana previstos para começarem no início de 2012.

Dentre eles está o sistema BRT (Bus Rapid Transit), que são ônibus articulados ou biarticulados com capacidade para levar de 180 a 270 passageiros em corredores exclusivos. O evento foi uma parceria entre a Prefeitura de Fortaleza e o Governo do Estado.

Segundo Otávio Cunha, presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), o trânsito nos horários de pico em Fortaleza pode passar de 13km/h para 30km/h, gerando uma redução de mais de 100% na média de tempo.

“Vai ser possível dar o dobro de viagens com o mesmo ônibus”, disse. O sistema BRT já existe em algumas cidades como Curitiba, São Paulo e Goiânia e, até a Copa do Mundo serão implantados 26 corredores exclusivos para ônibus em todo o Brasil.

O prazo para finalização do projeto é de dois anos e os custos variam, pois, segundo o presidente, “quando há necessidade de desapropriação, o valor é de cerca de 10 milhões de dólares por quilômetro, mas quando não há, os custos ficam entre 3 e 5 milhões”, disse. O projeto inclui vias, passarelas e centros de controle operacional.

De acordo com a prefeita Luizianne Lins, as obras de alargamento das vias vão começar no entorno do Castelão e se estenderão pelas principais avenidas da Capital. Segundo ela, serão 45 quilômetros de corredores exclusivos para ônibus e a ideia é que haja integração entre ônibus e linhas do metrô, através dos terminais.

Sobre a passagem da integração ônibus/metrô, a prefeita disse que os valores vão ser de responsabilidade do Estado, não podendo garantir o preço baixo como o da passagem de ônibus.

Luizianne afirmou que, com a integração temporal e a tarifa social, 20% a mais passou a andar de ônibus. Em relação aos veículos lotados, a prefeita disse que “isso tem em todos os lugares do mundo, não é só em Fortaleza”. Segundo ela, “com a melhoria do transporte coletivo, o transporte individual vai perder a força”, melhorando o trânsito.

Na ocasião, Luizianne Lins recebeu uma placa-homenagem da NTU. A condecoração foi devido aos trabalhos desenvolvidos no sistema de transporte de Fortaleza, em especial, a “política de desoneração tarifária”, que manteve a passagem de ônibus como uma das mais baratas do País.


Reportagem (Danilo Castro)
Fonte: O Povo Online


Share |
READ MORE - Sistema BRT em Fortaleza promete mais velocidade em horários de pico

Em Campo Grande, Ônibus das linhas vermelhas não irão mais aceitar dinheiro

A partir do dia 1º de novembro (próxima terça-feira), 19 itinerários da linha vermelha do transporte coletivo da Capital não irão mais aceitar dinheiro no pagamento da passagem. A medida faz parte da operação “caixa limpo”, que foi anunciada em audiência pública por vereadores, prefeitura, empresas do transporte coletivo e representantes do Ministério Público Estadual (MPE).

Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado
As linhas vermelhas são responsáveis por ligar os terminais de embarque ao centro da cidade. Segundo o diretor de departamento operacional da Agetran, Luiz Alencar, essa mudança vai atingir 60% de toda a demanda municipal, que atualmente é de 300 mil passageiros por dia.

A medida começou no dia 26 de agosto, quando os 45 ônibus articulados da Capital passaram a aceitar apenas o cartão como forma de pagamento. O diretor da Agetran, Rudel Trindade, avaliou positivamente a mudança. “Fizemos o monitoramento em 3 articulados e o resultado foi positivo”, explica, dizendo que dos 120 passageiros que usaram esses três coletivos, apenas 9 não tinham o cartão.

De acordo com a Agetran, desde que houve a mudança nos ônibus articulados, o número de pessoas que utilizam dinheiro como forma de pagamento caiu 13% em um mês. “Em agosto tínhamos um percentual de 30% de usuários que utilizavam dinheiro. Em setembro esse número caiu para 17%. A previsão é de que esse índice fique em 10% em novembro”, afirma Alencar.

A próxima etapa da media será realizada no dia 1º de janeiro, quando todos os demais ônibus da cidade deixarem de aceitar dinheiro como pagamento. “A mudança está sendo feita por etapas para não prejudicar a população. Até o começo do ano que vem, o sistema vai funcionar totalmente sem dinheiro”, declara Rudel.

Segurança
Em entrevista ao Portal Correio do Estado, o comandante da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto David dos Santos, disse que a medida irá reduzir drasticamente o número de assaltos à coletivos na Capital.

A preocupação das pessoas, é que com a falta de dinheiro no caixa dos ônibus, os passageiros se tornem alvos do criminosos, “A possibilidade dos passageiros serem assaltados é pequena. O que leva os bandidos a praticarem o assalto, é o fato do dinheiro estar concentrado com o motorista, é uma ação muito rápida”, finaliza Coronel David.  


READ MORE - Em Campo Grande, Ônibus das linhas vermelhas não irão mais aceitar dinheiro

Em Manaus, Tarifa abusiva de R$ 5,50 é imposta pela prefeitura aos operadores

Denúncias de que alguns ônibus "executivos" não estariam cobrando a tarifa de R$ 5,50, estabelecida pela Prefeitura de Manaus, farão com que a Superintendência Municipal de Transporte Urbano (SMTU) aumente a fiscalização nos veículos. Segundo o superintendente da SMTU, Marcos Cavalcante, as punições aos coletivos que descumprirem a determinação judicial serão graves.
Foto: Fábio Melo/TV Amazonas
Diante as denúncias de que alguns "executivos" estariam cobrando a tarifa antiga, no valor de R$ 3,00, Cavalcante afirmou que os motoristas flagrados descumprindo a medida terão veículo apreendido. "O carro será ainda descaracterizado: depois de pagar multa, o dono do veículo terá que emplacá-lo como carro de uso pessoal e este não poderá mais ser utilizado para nenhum tipo de sistema de transporte pago", completou.

Os motoristas dos ônibus "executivos" protestam contra o aumento da tarifa. O presidente da Federação das Cooperativas de Transporte Executivo do Amazonas (Fecootram), Equias Sobrinho, informou que com o aumento do valor houve uma queda de 90% no faturamento dos coletivos.

Em entrevista ao G1, Sobrinho declarou que "o aumento é uma jogada para acabar com este transporte. Se continuar assim, vamos precisar parar e eles não vão dizer que eles que acabaram, mas sim que nós desistimos de trabalhar com o transporte executivo".

Negociação da tarifa
Uma solicitação de reunião entre o prefeito de Manaus, Amazonino Mendes, a SMTU e representantes da Fecootram será protocolada, na próxima quinta-feira (3), no Ministério Público do Estado (MPE/AM). A data precisou ser adiada devido ao ponto facultativo decretado para órgãos estaduais na segunda-feira (31).

De acordo com o superintendente da SMTU, Marcos Cavalcante, a Prefeitura debaterá com os representantes do transporte executivo a diminuição da tarifa do sistema para o valor de R$ 4,00, sugerido pela Fecootram.

Cavalcante informou que Amazonino Mendes só participará de reuniões com os motoristas dos "executivos" com a presença do MPE/AM. O encontro, que segundo a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) poderia ter acontecido na sexta-feira (28),  não tem data prevista para ser realizado.

O presidente da Fecootram disse que aguarda a reunião para debater o assunto. "Vamos apresentar dados que mostram a queda no nosso faturamento na audiência com o MPE. Nós mostraremos que o valor que a Prefeitura quer aplicar é aleatório, sem cálculo técnico", destacou.



READ MORE - Em Manaus, Tarifa abusiva de R$ 5,50 é imposta pela prefeitura aos operadores

Urbs altera trajeto de duas linhas de ônibus de Curitiba

Duas linhas de ônibus convencionais – Fanny e Parque Industrial – terão parte de seus percursos alterados pela Urbs – Urbanização de Curitiba S/A, a partir deste sábado (29), para um melhor atendimento à população usuária e moradora em regiões densamente habitadas. Como os coletivos circularão em novos trechos de algumas ruas, os pontos de parada também foram relocados, para que os passageiros embarquem e desembarquem a apenas poucos metros dos pontos antigos.

Ônibus da linha Fanny vindos pela rua Coronel Izaltino Pinto e que seguiam pela rua Castro, nos dois sentidos, agora seguem pela Coronel Izaltino Pinto e por mais uma quadra, com circulação pela rua Omílio Monteiro e Roberto Faria, voltando ao caminho normal.

A população usuária da linha Parque Industrial também é beneficiada. No sentido terminal / bairro, o itinerário será alterado par a rua Amilcare Bientinezi. Com a relocação dos pontos de parda, moradores de ruas mais distantes agora reduzem o tempo de caminhadas até o local de embarque / desembarque, graças à mudança do traçado.

Já no sentido bairro / terminal, o roteiro muda par as ruas Jaime Rodrigues da Rocha e José Silva de Lima, com pontos de parada de forma circular na rua Amilcare Bientinezi.

Informações da URBS

READ MORE - Urbs altera trajeto de duas linhas de ônibus de Curitiba

Licitação do transporte coletivo é suspensa em Jaú

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo suspendeu a licitação para a concessão do transporte coletivo de passageiros na cidade de Jaú.

A corte acatou uma representação do advogado Ivan Henrique Moraes Lima, que apontou supostas irregularidades no edital de licitação.
São três os itens citados pelo advogado: a não permissão de participar do certame as companhias que fazem fretamento, a falta de previsão sobre a soma de atestados na comprovação mínima de 90 meses, com frota mínima de 25 veículos e execução de no mínimo 1.679.850 viagens e o descumprimento da lei federal 8.987/95 sobre a realização de todos os levantamentos de valores não amortizados à atual concessionária.

Em sua decisão, a conselheira do Tribunal de Contas, Silvia Cristina Monteiro Moraes disse que “as questões suscitadas estão a demonstrar indícios suficientes de confronto com a legislação de regência e jurisprudência deste Tribunal”.

Defesa / Foi ela quem determinou a suspensão do processo, até que o assunto possa ser melhor analisado.

Foto: Galazzini
“Tendo em conta que a sessão de recebimentos dos envelopes está marcada para a data de 08 de novembro próximo, com fundamento no § 2º, do artigo 113, da Lei nº 8.666/93, bem como no artigo 221, parágrafo único, do Regimento Interno deste Tribunal, determino a paralisação do certame, até a ulterior deliberação por esta Corte, devendo a Comissão de Licitação abster-se da realização ou prosseguimento de qualquer ato a ele relacionado”, sentenciou.

READ MORE - Licitação do transporte coletivo é suspensa em Jaú

Transporte público em Angra dos Reis é alvo de reclamação dos usuários

A qualidade do serviço de transporte coletivo em Angra dos Reis tem sido questionada pelos usuários no município. O excesso de passageiros, de velocidade e a presença de baratas nos ônibus vêm preocupando a população.
- Já tive hematomas no corpo por ter me machucado no ônibus. A Rodovia Rio-Santos (BR-101) possui curvas muito acentuadas e alguns motoristas não reduzem ao trafegar por estes pontos da via. Assistimos com frequência cenas em que as pessoas quase caem do banco, imagine as que viajam em pé. Isso é um absurdo - reclamou a professora Lucia Silva.
- Ficamos enojados em utilizar um serviço de transporte público que possui baratas no interior - reclamou a esteticista Ana Cardoso.
A Polícia Rodoviária Federal realiza a fiscalização da rodovia tendo como base o Código de Trânsito Brasileiro. Porém, para o agente Edson Carneiro, são identificados dois problemas crônicos no trecho correspondente à cidade de Angra dos Reis. O primeiro seria o excesso de velocidade com que os ônibus urbanos circulam pela BR-101, além da quantidade de passageiros dentro de um mesmo coletivo.
- Quando recebemos uma reclamação de passageiros ou presenciamos este tipo de ação, interceptamos o condutor para orientações e executamos as medidas previstas pela legislação - disse.
A situação, segundo Carneiro, poderia ser resolvida de forma mais eficiente se houvesse uma parceria entre o município e a PRF.
- Eu desconheço que haja uma regulamentação municipal em Angra sobre o transporte coletivo. O Código de Trânsito permite que as cidades criem normatizações de acordo com as necessidades da localidade. Falta um trabalho em cooperação entre as duas instâncias - destacou.
Outra questão ressaltada pelo policial é a situação dos veículos terceirizados que realizam o transporte dos trabalhadores das empresas da cidade.
- Este tipo de transporte também deveria ser fiscalizado pela prefeitura. Algumas empresas que prestam este serviço utilizam veículos de outras firmas que não faziam parte do contrato de prestação de serviço. Desta forma, temos o problema de veículos piratas que circulam pelas vias. A PRF autua estas irregularidades, mas cabe ao município zelar pela população - ressaltou.

Empresa diz não receber reclamações

Apesar da reclamação de populares, a empresa Senhor do Bonfim - responsável pelo transporte público urbano de passageiros em Angra dos Reis - informou que realiza a fiscalização dos ônibus para que estes problemas críticos sejam resolvidos. Segundo o gerente geral da empresa, Flaviano Ferreira, a Senhor do Bonfim não tem registro de reclamações sobre estas questões no telefone gratuito disponibilizado pela viação.
- Não temos o registro de reclamações. Inclusive é importante que a população comunique as dificuldades vivenciadas para que possamos tomar as devidas providências. O telefone é o 0800-286-1500 - destacou.
De acordo com Ferreira, os ônibus são obrigados por lei a serem equipados com tacógrafos - que, segundo ele, são vistoriados diariamente.
- Não temos registros de ônibus que tenham excedido o limite de velocidade (80 quilômetros por hora) - disse.
Questionado sobre a reclamação de que os ônibus trafegam de maneira insegura pela Rio-Santos, o gerente explicou que há pontos da rodovia em que o condutor deve diminuir a velocidade, ainda que esteja dirigindo dentro dos limites estabelecidos.
- Sabemos deste problema. Em curvas acentuadas, por exemplo, o motorista deve reduzir a velocidade. Os fiscais de rua são responsáveis por verificar se o coletivo está cometendo esta irregularidade - disse.
Para solucionar o problema das baratas nos coletivos, uma firma de dedetização licenciada pelo Inea (Instituto Estadual do Meio Ambiente) foi contratada para realizar o serviço.
- Pedimos aos passageiros que não deixem lixo jogado nos coletivos. Vamos resolver este problema - afirmou.

Mais onze ônibus são retirados de circulação

A operação de fiscalização da Superintendência de Transporte e Trânsito de Angra dos Reis completou uma semana de autuação e, segundo o responsável pela superintendência, Robson Oliveira, foram entregues 30 notificações, uma multa por descumprimento de notificação e a retirada de 11 veículos de circulação. A iniciativa tem como objetivo verificar a situação do serviço de transporte público no município.
Cerca de 500 pessoas responderam ao questionário e apontaram como problemas críticos do serviço oferecido o descumprimento dos horários em que os coletivos deveriam passar e o excesso de passageiros dentro dos veículos. Outros itens avaliados foram cordialidade no atendimento, conforto, limpeza, serviço de atendimento ao consumidor, estado de conservação e segurança na condução do ônibus.
- Os usuários respondem a um formulário com perguntas relativas ao destino, frequência e razão da viagem. A pesquisa está sendo aplicada no Centro por 12 agentes da superintendência. A previsão é que a verificação seja implementada também nos demais bairros - ressaltou.
Oliveira declarou que serão instalados GPS em todos os veículos que realizam o transporte público. A iniciativa será mais uma forma de verificar a velocidade com que os coletivos estão realizando o percurso.
De acordo com o gerente geral da empresa Senhor do Bonfim, a partir da terça-feira 20 novos ônibus estarão em circulação.


READ MORE - Transporte público em Angra dos Reis é alvo de reclamação dos usuários

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960