Recife: Empresários de ônibus vão controlar compra e venda do Vale-transporte

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Depois de 13 anos de luta judicial, os empresários de ônibus ganharam o direito na Justiça de gerir a comercialização e o recolhimento dos recursos do vale-transporte, que historicamente era gerido pelo Grande Recife Consórcio de Transporte, desde que era EMTU. Havia uma parceria para que o Grande Recife e o setor empresarial vendessem os créditos, mas o controle da gestão era do Governo do Estado, como previsto no Decreto Estadual 13.136 de 1988. O decreto, entretanto, desconhecia a Lei Federal 7.418 de 85, conhecida como a Lei do Vale Transporte.

Por discordar do decreto, entendendo que uma decisão estadual não poderia prevalecer sobre uma lei federal, o Sindicato das Empresas Operadoras do STPP/RMR entrou na Justiça requerendo o direito de gerir diretamente, sob a fiscalização do órgão gestor, a receita obtida através da comercialização do vale-transporte. Ganhou em 2007, mas o Estado recorreu. Mas, no último mês de setembro, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região manteve a decisão favorável ao sindicato.

Portanto, a gestão terá que ser entregue aos empresários e isso acontecerá nos próximos dias. Na maior parte do País, inclusive, quem controla o recolhimento e a comercialização do VT são os operadores, como obriga a Lei 13.136/88. As únicas exceções são São Paulo, onde as empresas de ônibus recebem por passageiros transportados e, assim, o poder público tem subsidiado o sistema, e Curitiba (PR), que tem um modelo idêntico ao da Região Metropolitana do Recife.

''É estranho o setor privado gerir recursos provenientes de um serviço público, como o transporte por ônibus.''

Poder público e empresários garantem que, na prática, a mudança de controle de gestão dos recursos do VT não vai alterar a vida do passageiro. Ele continuará comprando os créditos eletrônicos do mesmo jeito de antes e nenhuma taxa será criada. Mas a verdade é que não pega bem. É estranho o setor privado gerir recursos provenientes de um serviço público, como o transporte por ônibus.

Por trás desse processo há, ainda, o controle de um resíduo financeiro relativo à sobra dos créditos eletrônicos que não foram utilizados pelos passageiros e que hoje representa aproximadamente R$ 10 milhões. Na verdade, esse dinheiro é protegido por regras estaduais e só pode ser utilizado no próprio sistema de transporte. O resíduo foi se acumulando ainda no início do governo Eduardo Campos, quando o presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Dilson Peixoto (hoje também secretário das Cidades), extinguiu o prazo de validade para os créditos eletrônicos do VT. Mas, numa leitura nua e crua, quem manda agora nesse recurso são os empresários e ponto final.

Como explicou à coluna o próprio Dilson Peixoto, ao Grande Recife não coube muita coisa a não ser cumprir o que manda a Justiça. Graças à boa relação existente entre empresários de ônibus e poder público, ficou acertado que o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) será o titular da conta corrente para onde serão enviados todos os recursos arrecadados com a venda do VT, e o Grande Recife terá acesso a todos os extratos quando quiser. Além disso, o pagamento das empresas continuará sendo feito de acordo com as regras da Câmara de Compensação Tarifária (CCT), o caixa único do sistema. Tomara que seja assim mesmo.

Fonte: JC Online
READ MORE - Recife: Empresários de ônibus vão controlar compra e venda do Vale-transporte

Ônibus é o principal tipo de transporte utilizado, diz IPEA

Estudo divulgado hoje (1º) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indica que os ônibus urbanos continuam com principal modal de mobilidade urbana do país em todas as faixas de renda. O estudo mostra que, entre os 25% mais pobres e os 5% mais ricos, houve uma frequência de 23,1% e de 28,4%, respectivamente.

Os dados indicam ainda que é alta a participação dos gastos com transporte público na despesa das famílias mais pobres. Usado por 38,5% do universo de 25% da população mais pobre, o transporte público, segundo o Ipea consumia 8,7% da renda dessas famílias; enquanto que dos 5% mais ricos, 40,7% utilizavam transporte público, mas as despesas representavam apenas 0,8% de suas renda.

“O levantamento aponta um aumento de demanda pelo transporte público, entre 2002 e 2009, com a população mais pobre usando mais o ônibus por causa do emprego e da necessidade de deslocamento diário”, disse o técnico de planejamento e pesquisa do Ipea Pedro Humberto Carvalho. Segundo ele, a pesquisa revela que a população mais rica tem utilizado mais o transporte individual.

O estudo do Ipea mostra também que os 25% mais pobres tiveram frequência maior no uso do transporte pirata (vans, lotadas, moto-táxis, e kombis). A análise do Ipea comparou os dados de 2002/2003 com os de 2008/2009.

Fonte: DCI
READ MORE - Ônibus é o principal tipo de transporte utilizado, diz IPEA

Bilhete Único começa a funcionar em São Bernardo

"Agora, poderei pegar dois ônibus pagando apenas uma tarifa para chegar à faculdade. É um benefício que veio na hora certa e possibilitará que as pessoas se locomovam de forma mais fácil e gastando menos", disse a estudante Claudiane de Matos, moradora do Jardim das Orquídeas.

Essas são as principais vantagens do Bilhete Único de São Bernardo do Campo, sistema de integração tarifária lançado pelo prefeito do município, Luiz Marinho, nesta quarta-feira, no Terminal Rodoviário João Setti.

Na ocasião, também foi iniciada a comercialização do Cartão Cidadão, destinado às pessoas que não se enquadram em outras categorias do Cartão Legal, e que dará direito à integração e ao uso de créditos eletrônicos em vez de dinheiro.

Com o sistema, os usuários com os cartões Vale-Transporte, Cidadão e Empresarial, poderão descer do ônibus e embarcar em até três veículos durante um período de até 90 minutos nos dias úteis e até duas horas aos sábados e domingos, pagando apenas uma tarifa - atualmente de R$ 2,50. No sentido inverso, será cobrada uma nova passagem.
Para possibilitar a integração, foram instalados validadores eletrônicos nos 377 ônibus da SBCTrans (concessionária do sistema de transporte coletivo no município), que agilizam o embarque de passageiros.

Além disso, todos os veículos contam com equipamentos para identificação digital dos usuários com gratuidade e moedeiros eletrônicos, que facilitam o pagamento em dinheiro. O investimento da concessionária foi de R$ 12 milhões.
De acordo com o secretário de Transportes e Vias Públicas, Oscar Silveira Campos, a integração tarifária significa uma melhoria no sistema de transporte e permitirá ainda que os usuários escolham o percurso mais curto para chegaram ao seu destino, com economia.

"A partir da distribuição destes usuários nas linhas, poderemos verificar posteriormente quais estão recebendo mais passageiros para depois realizar os remanejamentos dos veículos, conforme a necessidade do usuário", disse. A estimativa é beneficiar cerca de 190 mil pessoas que utilizam diariamente 58 linhas do transporte público do município.
Campos também anunciou para o próximo ano melhorias em corredores importantes da cidade, como na Avenida João Firmino, proibindo o estacionamento de veículos nos horários de pico e transformando estas faixas prioritárias para o transporte coletivo.

Fonte: Rede Bom Dia
READ MORE - Bilhete Único começa a funcionar em São Bernardo

Curitiba: Conversão de cartões nos terminais só até dia 20

Passageiros do transporte coletivo têm até o próximo dia 20 para fazer a conversão dos cartões nos equipamentos instalados desde setembro em todos os terminais de ônibus da cidade. A partir desta data, a conversão somente poderá ser feita na Urbs, Urbanização de Curitiba S/A ou nos postos da empresa nas Regionais da Prefeitura.
Quem não fizer a conversão poderá usar o cartão - desde que tenha crédito - para embarcar nos ônibus e estações-tubo ou passar nas catracas nos terminais, mas não terá como carregar créditos no cartão transporte, uma vez que os antigos carregadores estão saindo de circulação.
A conversão é necessária para adaptação do cartão ao novo sistema de bilhetagem eletrônica que traz uma série de benefícios aos usuários, como a carga automática de créditos no mesmo equipamento que valida a passagem e libera a catraca em estações-tubo, terminais e ônibus na hora do embarque.
O gestor de fiscalização do transporte da Urbs, Edson Berleze, alerta principalmente trabalhadores que recebem vale transporte em créditos no cartão. "É importante que eles façam a conversão o mais rápido possível, para não ter problemas para carregar os créditos no próximo mês", afirma. Os créditos pagos estarão disponíveis no sistema, mas não poderão ser carregados nos cartões não convertidos.
Ele conta, por exemplo, que há empresas em que menos de um terço dos funcionários converteu o cartão. "Usar os equipamentos ainda disponíveis nos terminais vai evitar filas e contratempos para liberar créditos no mês que vem", orienta Berleze.
Quem não precisa - Quem fez cartão transporte a partir de 16 de agosto não precisa fazer a conversão. Os novos cartões já estão liberados de acordo com o novo sistema.
Idosos e pessoas com deficiência que têm gratuidade garantida por lei também não precisam fazer a conversão agora. Como eles comparecem à Urbs uma vez por ano a conversão do cartão será feita junto com a revalidação da gratuidade.
No caso de estudantes que recebem o passe escolar (desconto de 50% na tarifa) a conversão poderá ser feita no cadastramento para obtenção do benefício para 2011, que vai começar nas Administrações Regionais em 31 de janeiro.
Como fazer - O processo de conversão é rápido e até o dia 20 de dezembro poderá ser feito a qualquer hora do dia ou da noite, em qualquer terminal. Basta inserir o cartão na máquina conversora e aguardar menos de um minuto até receber a mensagem "Conversão concluída com sucesso". Em caso de dúvida basta procurar um fiscal do transporte no terminal para receber ajuda.

READ MORE - Curitiba: Conversão de cartões nos terminais só até dia 20

Licitação para transporte sai nos próximos dias em Marília

A Prefeitura de Marília publica, nos próximos dias, o edital de licitação que contratará as duas empresas que farão o transporte coletivo em Marília. Não há data prevista para que o serviço seja iniciado.
O município publicou nesta quarta-feira, no DOM (Diário Oficial do Município), a comissão que ficará responsável pelo processo de licitação. O núcleo é composto pelo secretário da Administração, José Carlos da Silva (presidente), Affonso Celso Silva e Mello e Cyro Siriani Filho (membros).
De acordo com a assessoria da prefeitura, o projeto dos transportes passa atualmente por uma revisão técnico-jurídica que está avaliando tanto o serviço quanto os aspectos legais do texto.
Ainda segundo o município, algumas das sugestões feitas pelos usuários do transporte foram integradas ao projeto. Apesar disso, as mudanças não foram divulgadas.

READ MORE - Licitação para transporte sai nos próximos dias em Marília

Investimentos em Transporte Público no Rio vão chegar a R$12,5 Bilhões nos próximos 6 anos

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, disse nesta segunda-feira que o Rio precisa correr contra o tempo para deixar a cidade e o estado pronto para as Olimpíadas de 2016. Durante o seminário "Rio Cidade Sede - Infraestrutura, desafios e oportunidades" promovido pelo GLOBO nesta segunda-feira no Hotel Marriot, em Copacabana, o governador afirmou que o estado precisa fazer 30 anos em seis. Já o ministro das Cidades, Márcio Fortes, previu queos investimentos previstos para a realização da Copa e das Olimpíadas na cidade poderão chegar a R$ 16 bilhões.
- Temos o desafio de fazer em seis anos o equivalente a mais de 30 anos de desenvolvimento. Estamos em busca do tempo perdido, isso exige disciplina fiscal e esforço - destacou o governador.
Márcio Fortes informou que dos R$ 16 bilhões previstos, R$ 12,5 bilhões seriam destinados a transportes e R$ 3,5 bilhões a projetos de saneamento.
" Estamos discutindo parcerias, em uma relação nunca vista antes entre a União, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes "

- Tudo já está na mesa e, estar na mesa, significa vontade de fazer. Estamos discutindo parcerias, em uma relação nunca vista antes entre a União, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes - afirmou o ministro.
Fortes disse que as negociações já estão ocorrendo e que há diversos casos de parcerias e liberações de recursos que estão sendo liberados. O ministro lembrou, ainda, que na área de transportes uma das principais questões é a intermodalidade dos meios e a efetivação de melhorias no transporte:
- Não adianta ter um metrô, um trem, um ônibus ótimo se ele não for efetivo, se o intervalo entre eles for de 10 minutos. Precisamos de efetividade para convencer a população a deixar os carros em casa.
O subsecretario municipal de Transportes, Rômulo Orrico, destacou os investimentos que o Rio já vem fazendo em função dos grandes eventos dos próximos anos. Ele citou a reorganização do sistema de ônibus, em que 47 operadores foram substituídos por quatro, num recente processo de licitação de linhas, e também a adoção do bilhete único. Orrico destacou ainda o sistema de ônibus BRT que o Rio ganhará até as Olimpíadas de 2016.
- Costumo dizer que BRT são ônibus trabalhando que nem metrô, articulados, largos, com maior conforto e maior velocidade - disse o subsecretário, afirmando que o Rio terá os BRTs TransCarioca, TransOeste, TransOlímpica e Avenida Brasil.
- Essa infraestrutura nos cria um novo desafio: a melhor mobilidade. Precisamos no Rio de Janeiro de um choque de eficiência para evitar que as camadas de maior poder aquisitivo deixem o transporte público e corram para o automóvel e que as camadas de menor poder aquisitivo busquem as motocicletas - explicou.

Fonte: O Globo
READ MORE - Investimentos em Transporte Público no Rio vão chegar a R$12,5 Bilhões nos próximos 6 anos

Recife: CBTU-Metrorec amplia horário da Linha Sul

A partir de amanhã, a Linha Sul do Metrô (Recife / Cajueiro Seco) passa a operae diariamente. De acordo com a CBTU-Metrorec , a operação comercial será ampliada para os domingos e estendida até às 23h, como já ocorre na Linha Centro (Recife / Jaboatão / Camaragibe), possibilitando uma maior integração entre as linhas.
O intervalo entre as composições na Linha Sul passa de 17min para 13min de espera, no horário de pico. Os números de viagens diárias, que antes eram 119, passarão a ser de 148, proporcionando uma viagem mais rápida, segura e confortável aos passageiros.
Também a partir desta quarta, o trem diesel que operava apenas no trecho Curado/Cabo, passa a fazer o percurso Cabo/Cajueiro Seco e Curado/Cajueiro Seco. Os usuários da Linha Sul da CBTU-Metrorec que antes tinham a opção de se deslocar de Recife a Cajueiro Seco, poderão ir até a cidade do Cabo ou Curado com apenas um bilhete.
O novo percurso vai reduzir o tempo total da viagem, entre o Cabo e Recife, em 20 minutos. O horário também foi ampliado, iniciando às 5h e o último trem saindo de Cajueiro Seco com destino ao Cabo às 20h40, de segunda a sexta. Aos sábados funcionará até às 13h. A Linha Curado/Cabo vai continuar funcionando normalmente nos horários de pico, atendendo a demanda das estações Jorge Lins e Marcos Freire.

Blog Meu Transporte


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

READ MORE - Recife: CBTU-Metrorec amplia horário da Linha Sul

Termina Greve de ônibus na Grande Vitória

Apesar da decisão de assembleia de parar 100% da frota a partir de zero hora desta quarta-feira, os motoristas e trocadores voltaram atrás e os ônibus estão nas ruas da Grande Vitória. Apesar de reclamações de demora por parte de alguns passageiros, nos terminais os ônibus saem normalmente. Até às 12 horas, o transporte deve ficar totalmente normalizado. Nas ruas o que se vê são ônibus lotados, como de costume, mas sem avisos de greve colados nos vidros. O trânsito é intenso nas principais avenidas da capital e há engarrafamento nos acessos da Segunda e da Terceira Ponte.

O clima também tranquilo no Terminal de Itaparica em Vila Velha, na manhã desta quarta-feira (01). A maioria dos passageiros relata ter conseguido embarcar em ônibus nos bairros sem a demora dos sete dias de greve dos rodoviários.

Ainda há pessoas reclamando de transtornos pontuais, em bairros como Balneário Ponta da Fruta, em que passageiros esperaram até uma hora pelos coletivos. No Terminal de Itaparica há linhas que ainda não tem hora para sair como, por exemplo, a 656 com destino ao Terminal de Vila Velha.

De acordo com um fiscal da Ceturb os atrasos e indefinições ocorrem pela falta de funcionários e pelas condições do trânsito na Grande Vitória.  No Terminal de Vila Velha, fiscais informaram que alguns motoristas faltaram ao trabalho, mas que toda a frota estará em atividade até o meio-dia.

Fonte: Gazeta Online
READ MORE - Termina Greve de ônibus na Grande Vitória

Tensão na greve de ônibus na Grande Vitória, motoristas prometem parar tudo hoje

Ao invés dos desejados 30% de reajuste salarial, a justiça determinou 10% para os rodoviários capixabas. Para os tíquetes-alimentação, 5,39% de aumento. Essas e outras 50 cláusulas foram julgadas nesta terça-feira (30) no Tribunal Regional do Trabalho. Em virtude da decisão, antes mesmo do fim da sessão, os rodoviários iniciaram protestos pelas ruas do Centro de Vitória e ruas da Grande Vitória. A promessa é de greve generalizada a partir desta quarta (01).
No entanto, na noite desta terça todos os coletivos já circulavam som cobradores. O julgamento do dissídio coletivo começou às 14 horas no TRT. Mas a confusão do lado de fora da justiça do Trabalho começou pouco mais de uma hora depois. O relator do processo, desembargador Jaílson Pereira da Silva, acompanhado pela maioria dos 11 desembargadores que integram o pleno do TRT, votou pelo reajuste de 10%. Com o percentual, bem abaixo do exigido pela categoria, a revolta foi total quando ouviram do relator que não era necessário o reajuste dos tíquetes-alimentação.
Com gritos e palavras de ordem, como "Vamos! Vamos parar tudo!" e "Categoria unida jamais será vencida", os protestantes fecharam as avenidas Princesa Isabel e Beira-Mar, no centro da capital, pararam um ônibus articulado que passava e ordenaram que os passageiros saíssem. Um passageiro que se recusou a atender a determinação afirmou ter sido agredido e teve de ser escoltado pela polícia para não sofrer represálias de motoristas, fiscais e cobradores.
Revoltado, o motorista Vilson Balbino, 54 anos, contestou. "Há 11 anos estou nessa categoria e nunca vi nada igual. Antes as coisas se resolviam entre sindicado, empregado e patrão, hoje em dia TRT se mete na história. Por que? Com esse salário de merreca... Descontam tudo e não temos nada. Sobra em torno do que depois dos descontos? Uns R$ 400,00. Dá para viver com isso como?".
"Por que acontece isso se o transporte é importantíssimo para a economia e para a sociedade? Ao invés de dar 17% de aumento para juiz, qual a razão de não legalizar a nossa profissão com salário digno, com plano de saúde e tudo que queremos? Se acontecesse isso, essa greve acabaria", acrescentou o motorista Rafael Costa.
Na última parte do dissídio, quatro horas após o início do julgamento, a presidente do TRT foi comunicada pela Polícia Militar que os motoristas já estavam recolhendo os ônibus às suas garagens e deixando de atender a população. Ao mesmo tempo o relator fazia a leitura do pedido de que ao fim da decisão voltasse 100% da frota. E que, a cada dia não cumprido, fosse cobrado R$ 30 mil de multa do sindicato.
Dos sete votantes, cinco foram favoráveis e foi acrescida a decisão da responsabilidade solidária dos diretores do sindicato para que também sejam penalizados pela greve, que a partir deste momento configura como abandono de emprego, segundo a desembargadora. Ela completou que, em caso de descumprimento, entrará contra o Sindirodoviários para que hajam represálias tais quais a demissão dos diretores por justa causa e penhora dos bens para arcar com as multas.
Ao fim da sessão os diretores do sindicato demonstraram perplexidade da decisão, pois alegavam que 50% dos trabalhadores estavam em casa e não tinham como ir imediatamente de volta aos seus postos. Todos os presentes dirigiram-se à Praça Getúlio Vargas onde houve uma assembléia na qual, em discordância ao Sindirodoviários, os trabalhadores mantiveram a greve de 50% por hoje e, a partir da meia-noite, está prevista uma greve geral.

Fonte: ES Hoje
READ MORE - Tensão na greve de ônibus na Grande Vitória, motoristas prometem parar tudo hoje

Taubaté: Usuários questionam redução de linhas aos finais de semana

Os problemas do transporte coletivo em Taubaté são maiores do que a lotação dos ônibus nos horários de pico. Por isso, os usuários do transporte público cobram da prefeitura um maior detalhamento a respeito do projeto que prevê a readequação de todo o sistema a partir de janeiro de 2011.
A população questiona se a ação vai contemplar a ampliação do atendimento das linhas aos finais de semana, fiscalização eficaz ao cumprimento dos horários e a integração dos sistemas regular e complementar, operados pela ABC Transportes e Tctau (Transporte Complementar de Taubaté).
"Como vai ficar o atendimento no final de semana? Assim não pode continuar. Quem tem compromisso como eu, que trabalho aos finais de semana, tem que sair  antes de casa", disse a comerciante Mirian Feliciano, 40 anos, moradora do Jardim Mourisco.
Bilhetagem /
As falhas apontadas pelos usuários se estendem à falta de integração entre as linhas e a ausência de compartilhamento do sistema de bilhete eletrônico pelos ônibus e vans. A bilhetagem eletrônica chegou a ser implementada em algumas vans, mas não avançou, o que provocou o cancelamento do serviço.
A situação é pior para quem precisa pegar dois ônibus para ir e voltar do trabalho todos os dias. "Não  apenas o sistema de bilhete eletrônico, mas os próprios ônibus deveriam ser integrados e a gente pagar apenas uma passagem para se deslocar", afirmou a estagiária Gabriele Pelegrina, 22 anos. Ela mora no Jardim América e trabalha no  Piracangaguá.
Tem gente que questiona  a redução de linhas nas férias escolares . "O trabalhador acaba  penalizado", disse a dona de casa Maria Tereza dos Santos Ferreira, 38 anos.

Fonte: Rede Bon Dia
READ MORE - Taubaté: Usuários questionam redução de linhas aos finais de semana

Termina a greve do transporte coletivo de Blumenau

Cobradores e motoristas de Blumenau aprovaram na noite desta terça-feira as últimas propostas das empresas do Consórcio Siga e do Ministério Público do Trabalho. Com a aceitação da maioria dos trabalhadores, a greve do transporte coletivo chega ao fim. Todas as linhas de ônibus voltam a operar normalmente a partir das 4h desta quarta-feira.

A assembleia da categoria terminou às 22h50min, no Terminal da Fonte, no bairro Garcia. Eles acataram o reajuste de 7% oferecido pelas empresas e o aumento para R$ 250 do vale alimentação, além de auxílio-creche e do arquivamento do processo movido pelo Seterb na Justiça, que cobrava multa diária de R$ 20 mil ao Sindetranscol devido à paralisação total do serviço.

READ MORE - Termina a greve do transporte coletivo de Blumenau

Avenidas da zona norte de Maringá terão faixas para ônibus

O novo formato pensado para o transporte coletivo de Maringá, que está sendo elaborado pela empresa de consultoria Logitrans, de Curitiba, pode contar com uma proposta de criação de pistas exclusivas para ônibus nas principais avenidas que ligam o Centro da cidade aos bairros situados na zona norte.
Segundo a Secretaria de Transportes de Maringá (Setran), o assunto vem sendo debatido esta semana entre a Logitrans, prefeitura e técnicos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
Até então, só se discutia a implantação de vias exclusivas para ônibus nas avenidas Brasil e Mauá.
Segundo o gerente de Transporte Coletivo da Setran, Mauro Menegazzo, o principal objetivo dos trabalhos é priorizar o transporte coletivo sobre o individual, o que justificaria a implantação de corredores exclusivos em avenidas movimentadas, como a Morangueira e a Pedro Taques – pelas quais transitam via circulares, segundo a Setran, mais de mil passageiros por hora. "Curitiba serve de modelo porque o transporte coletivo começou a ser priorizado por lá desde 196. Maringá vai fazer isso a partir de agora e o prefeito (Silvio Barros) autorizou a Logitrans a começar os trabalhos do zero", comenta Menegazzo.
Além das avenidas Morangueira e Pedro Taques, as avenidas Mandacaru e Tuiuti também seriam contempladas com corredores exclusivos para ônibus, táxi e viaturas (polícia, bombeiros).
Em todas elas, a medida ocuparia a área reservada a estacionamento e seria aplicada apenas no início da manhã e no final da tarde. "No horário das 5h às 8h30, os ônibus circulariam no sentido norte-Centro, onde hoje é o estacionamento." O mesmo valeria para o sentido Centro-norte a partir das 16h30. "Ficaria proibido estacionar no sentido oposto até o término do horário de rush."
O secretário de Transportes, Walter Guerlles, esclarece que nada será definido – nem mesmo os binários das avenidas Brasil e Mauá – antes da audiência pública marcada para 13 de dezembro, na qual a população poderá se manifestar sobre as propostas formuladas pela Logitrans e dar sugestões. "O que podemos dizer é esse trabalho todo é para colocar o carro em segundo plano", diz o secretário.

Rapidez
Outra novidade antecipada em relação à audiência do próximo dia 13 é que o tempo limite de espera nos dias úteis, em qualquer ponto de ônibus de Maringá, será de 20 minutos.
Esse será um atrativo para que a população anda mais de ônibus e menos de carro. "Linhas coletoras com ônibus melhores percorrerão os bairros mais afastados, trazendo o maringaense até linhas expressas percorridas por veículos maiores nas principais avenidas", diz Menegazzo.

READ MORE - Avenidas da zona norte de Maringá terão faixas para ônibus

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960