Sistema eletrônico em coletivos auxilia cegos na cidade de Jaú

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O município de Jaú é o primeiro do Brasil a implementar sinalização eletrônica para facilitar o uso do transporte público por deficientes visuais. Os ônibus municipais já estão equipados com o sistema que permite a comunicação entre motorista e usuário. Até o final do mês, todos os motoristas serão treinados para usar o aparelho, chamado de DPS2000. O método é simples: o deficiente visual carrega um aparelho do tamanho de um celular que emite ondas de baixa frequência -semelhantes às de rádio- a uma distância de até 100 metros.

Quando o usuário seleciona no aparelho a linha de ônibus que vai usar, o motorista recebe sinais luminosos e sonoros para parar no ponto seguinte. Para que a pessoa não embarque no ônibus errado, o receptor de sinal informa o número da linha. A Prefeitura de Jaú testou o sistema entre junho e julho passados, com três linhas de ônibus e dois cegos. Um deles é Tiago de Souza, 20, que ficou satisfeito com a acessibilidade do aparelho.

“São apenas três comandos: para cima, para baixo e enter. Eu mesmo programo a linha que preciso pegar em cada dia, não tenho do que reclamar’’, afirmou. A prefeitura vai atender gratuitamente 50 deficientes visuais com o aparelho. Os demais usuários terão de pagar R$ 250 pelo transmissor.

Segundo o gerente da Secretaria de Direitos das Pessoas com Deficiência e Idosos de Jaú, Estevam Rogério da Silva, o projeto, que custou R$ 40 mil, vai priorizar os passageiros mais pobres. O último censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2000, mostrava que 6,9% dos cerca de 120 mil habitantes de Jaú eram deficientes visuais. Além deles, os analfabetos também serão beneficiados, já que poderão ouvir qual é a linha do ônibus quando estiverem no ponto.

Fonte: JC Net
READ MORE - Sistema eletrônico em coletivos auxilia cegos na cidade de Jaú

Recife: CTTU promete contratar agentes

Carros em cima de calçadas são vistos com frequência
Um nome político para um cargo técnico. Com a diferença de que, desta vez, a indicação veio acompanhada da promessa de abrir concurso público para contratação de agentes de trânsito até o fim do ano e combater qualquer tipo de corrupção. Nesse contexto, foi anunciada, ontem (6), a engenheira elétrica Maria de Pompéia Lins Pessoa, 56 anos, como nova comandante da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), órgão responsável por gerir uma das áreas mais fragilizadas da atual gestão.
A nova presidente assumiu o cargo se dizendo consciente do sucateamento sofrido pela CTTU, que hoje tem menos de 300 agentes municipais, o mesmo efetivo de quando foi criada, em 2003, e apenas oito viaturas para a fiscalização de trânsito. Números que não condizem com a realidade de uma cidade que possui uma frota de 512 mil veículos e recebe mais 2.500 carros a cada mês.

Durante o anúncio da nova presidente, o prefeito João da Costa não quis informar a quantidade de agentes que serão contratados, mas garantiu que o objetivo é reestruturar o efetivo do órgão, adotando padrões técnicos. “Precisamos chegar ao patamar ideal tecnicamente que seria um agente para cada mil veículos. Sabemos que estamos longe e que para alcançar esses números precisamos duplicar o efetivo da CTTU. Mas é uma prioridade do governo e faremos as contratações gradativamente. Criei um grupo para organizar a formulação desse contrato e acredito que até dezembro estaremos abrindo as primeiras vagas”, afirmou. Hoje, o Recife tem um agente para mais de 1.700 carros.

O mesmo empenho foi prometido pelo prefeito para reequipar a CTTU. “Já determinei um levantamento das principais necessidades do órgão. Soube que temos mais de 500 pequenos projetos que estão parados. Quero viabilizá-los.” O sucateamento da CTTU avançou tanto nos últimos anos que, além de estar com o mesmo efetivo de agentes de trânsito de quando foi criado, o órgão necessita de funcionários em outras áreas essenciais ao planejamento da circulação. É o caso da engenharia de tráfego, que hoje tem um funcionário. No setor de projetos, são três. Já foram oito. Em 2003, eram 24 viaturas e 22 duplas de motos para a fiscalização de trânsito, quantidade que caiu para oito e seis, respectivamente.
Fonte: JC online
READ MORE - Recife: CTTU promete contratar agentes

Mobilidade Urbana: São Paulo X Tóquio, em São Paulo apenas 46% usam o Transporte público todos os dias e em Tóquio, 90% usam transporte coletivo


O melhor de percorrer Tóquio, no Japão, é não ter de se preocupar com problemas de locomoção, seja a pé, trem, metrô ou carro. E conseguir isso em uma cidade tão populosa quanto São Paulo, com 12 milhões de habitantes, só foi possível graças ao investimento em transporte público e planejamento urbano contínuo, que inclui melhoria do sistema viário. Diariamente, 90% da população utiliza o transporte coletivo.
O tema foi discutido durante reunião entre representantes do Departamento de Trânsito da capital japonesa e da Prefeitura de São Paulo, ontem de manhã. O encontro, que contou com a participação do deputado federal Walter Ioshi, faz parte da missão oficial cujo objetivo é promover o intercâmbio de experiências na área de administração pública, promovida pela Secretaria de Relações Internacionais de São Paulo, que também levou para o Japão eventos para comemorar o Centenário da Imigração Japonesa no Brasil.
Com 621 quilômetros quadrados, a área metropolitana de Tóquio corresponde a 10% da área habitacional e populacional do Japão, pela qual circulam 4,6 milhões de veículos. Depois de um histórico de investimento em transporte público sobre trilhos, a cidade, agora, investe para melhorar a malha viária e evitar congestionamentos. Outras medidas, como a pintura de faixas que indicam a proibição de estacionamentos nas principais vias, também foram adotadas. Em Tóquio, tais medidas são respeitadas pela população e se somam aos projetos de expansão, tanto de vias quanto de trens e metrô.
A experiência de Tóquio mostrou que o investimento em transporte público, ao longo de décadas, é a única solução para os congestionamentos, problema que aflige São Paulo, que possui uma frota de 6 milhões de veículos e tem apenas 61 quilômetros de metrô e 270 de trens. Para minimizar o problema, foi adotado o rodízio de caminhões.Rodízio " Segundo o diretor sênior da Divisão de Infra-Estrutura Urbana de Tóquio, Kimi Masu, a possibilidade de restringir a circulação em Tóquio só ocorreria se os planos de expansão de vias e da rede sobre trilhos, em andamento, não surtirem efeito.
De configuração mais organizada, Tóquio não tem problemas com o tráfego de caminhões, já que a carga e descarga é feita dentro dos estacionamentos das empresas, até as 22h. "Quando o estabelecimento não possui área para estacionar, a carga e descarga é feita em um estacionamento próximo, que é gratuito, durante 30 minutos", explicou o diretor.
Segundo ele, um plano de expansão viária e ferroviária iniciado na década de 80 tem prazo de conclusão em 2015. Neste período, a meta é aumentar a malha viária, atualmente de 1.809 quilômetros, para 3.215 quilômetros, número que corresponde apenas a vias de mais de 16 metros de largura.
O plano prevê aumento da velocidade média em 5 quilômetros/h para aumentar os atuais 18,8 km/h. A prioridade, segundo ele, é concluir os anéis viários e vias expressas, com projetos de avenidas subterrâneas e também investir em sistema de linhas de trens elevados, o que diminui os custos e permite espaço para a construção de mais ruas. As intervenções serão feitas com recursos da iniciativa privada, que arca com 14%, e do governo, que responde pela maior parte do bolo.
O investimento pesado na malha viária vai se equiparar ao eficiente sistema de trens e metrôs que a cidade já oferece, que soma mais de 940 quilômetros. Este ano, será concluída uma linha que ligará a província de Chiba a Tóquio. "Em uma das linhas inauguradas temos trens operados por computador. E a rede, que foi construída em nível elevado, tem em sua composição o uso de borracha, para que a movimentação dos trens não cause poluição sonora", disse Masu.
Segundo o diretor, a rede sobre trilhos é usada por 90% da população diariamente. "O tempo de viagem pela rede metroferroviária cai de 60 minutos para 20 minutos, comparado ao uso do veículo", disse Masu.
Fonte: Walter Ihoshi
Video: Bom Dia Brasil
  • O Lado de São Paulo
O Movimento Nossa São Paulo lançou em Setembro do ano passado a terceira edição da pesquisa inédita e exclusiva realizada em parceria com o Ibope sobre Mobilidade em São Paulo. A pesquisa abordou diversos aspectos relativos à locomoção na cidade em perguntas como: Quanto tempo você leva para se deslocar todos os dias para sua atividade principal? Caso houvesse uma boa oferta de transporte público, você deixaria de usar o carro? Com que frequência utiliza transporte público? E bicicleta? Os entrevistados também responderam perguntas que abordam temas polêmicos e recentes, como a opinião sobre a restrição aos fretados, a ampliação da Marginal Tietê e a liberação do serviço de mototáxi. Veja os resultados da pesquisa
Veja a repercussão na mídia Algumas conclusões de 2009, comparadas com os resultados de 2008: - Cresce 13 porcentuais, em um ano, o número de paulistanos com carros - Passou de 37% (em 2008) para 50% (em 2009) o total de entrevistados que afirmam possuir um ou mais veículos em casa. Dos que possuem carro atualmente, 37% compraram nos últimos 12 meses. - Cresce também a disposição dos paulistanos em deixar o carro e usar o transporte público – permanece em 43% o percentual dos que “com certeza” deixariam de usar o carro caso houvesse uma boa alternativa de transporte e aumentou de 24% para 35% os que “provavelmente deixariam”. - População se divide quanto à proibição dos fretados – 47% dos entrevistados são a favor da medida e 51%, contrários. - Também é dividida a opinião quanto à liberação de mototáxi na cidade – 50% são a favor e 48%, contrários. Mas, 57% afirmaram que não utilizariam o serviço, caso fosse liberado, e 37% disseram que utilizariam. - Maioria é a favor da ampliação da Marginal Tietê, mas, se pudesse escolher, optaria por investir os recursos no transporte coletivo – 89% dos entrevistados concordaram com a criação de novas pistas na Marginal Tietê. Porém, para 56% das pessoas o dinheiro utilizado na obra deveria ser utilizado para ampliar linhas de metrô e trem e em corredores de ônibus. - A Saúde continua sendo o problema mais grave de São Paulo. Educação está em segundo lugar – Passou de 53% (2008) para 65% (2009) o percentual de entrevistados que consideram a saúde como o mais grave problema da cidade. Neste ano, ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente, Educação e Trânsito. No ano passado, a ordem era: Saúde, Desemprego e Trânsito. - A população de São Paulo está totalmente insatisfeita com o trânsito – a nota média para a situação do trânsito na cidade, de 1 a 10, está em 3,0. Para 47% dos entrevistados, o trânsito é considerado “péssimo”. - A poluição na cidade é um problema muito grave ou grave para 92% dos entrevistados. - O paulistano desperdiça, em média, 2h43 todos os dias no trânsito. - Cresce o número de usuários do transporte público – aumentou o percentual dos que utilizam, todos os dias, ônibus (de 20% para 28%), metrô (6% para 13%) e trem (3% para 5%). E é praticamente o mesmo o percentual dos que usam carro todos os dias ou quase todos os dias: 29%. - A maioria ainda é a favor do rodízio de dois dias - 52% dos entrevistados são a favor do rodízio de 2 dias em São Paulo – entre os que utilizam carro, o percentual cai para 44%. - A maioria é contrária à criação do pedágio urbano – 26% são a favor. Entre os usuários diários de carro, esse percentual sobe para 29%. - Os carros, caminhões e ônibus são os principais responsáveis pelo aquecimento global (65%), seguidos pelas indústrias (64%) e pelo desmatamento (55%). - Tempo de espera nos pontos ou terminais e a lotação nos ônibus em São Paulo pioraram no último ano. Para 44% dos usuários de ônibus o tempo de espera pelos ônibus aumentou em relação há um ano e, para 50% dos usuários, os ônibus estão mais lotados. (Os indicadores estão entre os previstos na Lei 14.173, regulamentada em 2006, que determina à Prefeitura o fornecimento de indicadores de desempenho relativos à qualidade dos serviços públicos) - Para 67% do total de entrevistados na pesquisa, os investimentos feitos para melhorar a circulação na cidade deveriam priorizar “o transporte coletivo, com ampliação e modernização das linhas de metrô, trem e ônibus”. Apenas 10% dos pesquisados disseram que os investimentos deveriam priorizar o “transporte particular, com a construção e ampliação de avenidas, pontes e viadutos”. - 40% dos entrevistados que afirmam utilizar carro estão dispostos a deixá-lo em casa e usar transporte público, bicicleta ou pegar carona. E 22% já fazem isso regularmente. 25% não estão dispostos a fazê-lo. - 41% disseram estar dispostos a trocar o carro por um menos potente mas que polua menos. 8% já o fazem e 25% não estão dispostos a fazê-lo.
Fonte: Nossa São Paulo

Video: Jornal A Gazeta
READ MORE - Mobilidade Urbana: São Paulo X Tóquio, em São Paulo apenas 46% usam o Transporte público todos os dias e em Tóquio, 90% usam transporte coletivo

Nova empresa assume 45% do transporte coletivo em Mauá

A Prefeitura de Mauá anunciou a data para o início de operação da empresa que vai operar o lote 2 do Sistema de Transporte Coletivo de Mauá: será no próximo dia 6 de novembro. A empresa vai controlar as operações de linhas que servem os bairros Jardim Zaíra, Jardim Itapeva, Jardim Itapark, Jardim Canadá e Vila Sônia, entre outros.
A operação prenuncia a segunda fase de reformulação do sistema. A primeira ocorreu em duas etapas, em julho e agosto deste ano, e envolveu linhas do lote 1, que atinge bairros como as vilas Feital e Assis Brasil e o Parque São Vicente. Outras mudanças, agora para o lote 2, devem ser anunciadas ainda este ano.

Uma das prioridades da Prefeitura é garantir que a nova empresa contrate motoristas, cobradores e outros profissionais que trabalham na empresa que atualmente opera o lote. O edital de licitação para a operação destas linhas e o contrato de prestação de serviços garantem que a mão-de-obra atual seja absorvida por uma nova operadora.

Bilhetagem – O sistema de bilhetagem também será renovado, sem prejuízos para a população. “O cartão vai garantir a integração, o carregamento com os valores desejados pelo usuário, o vale-transporte, o passe escolar e outros benefícios”, disse o Secretário de Mobilidade Urbana, Renato Moreira.

Fonte: Clique ABC

Share |
READ MORE - Nova empresa assume 45% do transporte coletivo em Mauá

São Paulo: Linha 4-amarela de metrô vai operar das 9h às 15h no feriado

Quem estiver na cidade durante o feriado de Nossa Senhora Aparecida, no próximo dia 12 de outubro, e quiser circular entre a região das avenidas Paulista e Faria Lima poderá utilizar a Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo.

Assim, quem ainda não conhece a Linha 4 poderá aproveitar o feriado para andar em seus moderníssimos trens e conhecer as estações Paulista e Faria Lima.

A operação nos dias 11 (segunda) e 12 (terça) seguirá o horário atual de funcionamento, das 9h00 às 15h00. A concessionária ViaQuatro, responsável pela operação e manutenção da nova linha, reitera que nos finais de semana (sábados e domingos) as estações continuam fechadas.

Exposição Largo da Batata

Quem resolver utilizar a Linha 4-Amarela neste feriado poderá visitar a exposição “Largo da Batata: uma breve história”. Os painéis ficam expostos até 15 de outubro na Estação Faria Lima. A iniciativa é do SESC Pinheiros e da empresa Gestão Arqueológica Consultoria em Patrimônio Cultural, em parceria com a ViaQuatro.

A exposição faz parte do projeto Memórias do SESC Pinheiros e mostra alguns momentos da história do bairro, que está passando por um processo de reconversão urbana no Largo da Batata, considerado o núcleo original da região. A parceria possibilitou o levantamento de memórias do passado por meio de buscas, pesquisas, estudos, olhares apurados e lembranças, destacando a história do Largo da Batata.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Via Quatro

Share |
READ MORE - São Paulo: Linha 4-amarela de metrô vai operar das 9h às 15h no feriado

SPTrans altera itinerários para dia das crianças na Vila Carrão

Em razão da comemoração do Dia das Crianças que será na Rua Ana Balog Bakos entre as Ruas Hiran Leite e Cândido Xavier, no bairro Jardim Vila Carrão, na zona leste, a partir das 8h às 18h, a SPTrans informa a alteração nos itinerários de seis linhas de ônibus que trafegam na região.
Para informações sobre os trajetos de linhas de ônibus consulte itinerários ou ligue 156.

Linhas e itinerários:
3056/10 Jd. da Conquista – Term. São Mateus
3703/10 Jd. Nova Vitoria – Metrô Carrão
3707/10 Jd. São Francisco – Metrô Itaquera
Ida:
normal até a Rua Ana Balog Bakos, Rua Cândido Xavier, Rua João Pinho, Rua Hiran Leite de Abreu, Rua Cândido Xavier, Av. Sapopemba, prosseguindo normal.
Volta: normal até a Rua Hiran Leite de Abreu, Rua Antonio João dos Santos, Av. Mariana de Souza Guerra, prosseguindo normal.
701/10 Jd. da Conquista – Metrô Belém
Ida:
normal até a Rua Cândido Xavier, Rua João Pinho, Rua Hiran Leite de Abreu, Rua Cândido Xavier, Av. Sapopemba, prosseguindo normal.
Volta: normal até a Rua Hiran Leite de Abreu, Rua Antonio João dos Santos, Av. Mariana de Souza Guerra, Rua Ana Balog Bakos, Rua Cândido Xavier, prosseguindo normal.
3099/10 Hospital São Mateus – Jd. da Conquista
4033/10 Jd. Guairacá – Nova Conquista
Ida:
normal até a Rua Hiran Leite de Abreu, Rua Antonio João dos Santos, Av. Mariana de Souza Guerra, prosseguindo normal.
Volta: normal até a Rua Ana Balog Bakos, Rua Cândido Xavier, Rua João Pinho, Rua Hiran Leite de Abreu, Rua Cândido Xavier, Av. Sapopemba, prosseguindo normal.

Fonte: SPTrans

Share |
READ MORE - SPTrans altera itinerários para dia das crianças na Vila Carrão

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960