DF: Mais 20 ônibus circularam de Planaltina ao Plano Piloto

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Mais 20 ônibus das empresas Planeta e Pioneira começaram a circular nas linhas que fazem o trajeto Planaltina - Plano Piloto na manhã desta quarta-feira (6/10). Destes, 12 circulam no Vale do Amanhecer. De acordo com a assessoria de imprensa do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), até esta terça (5/10), apenas 60 veículos faziam o reforço.

Segundo o Sindicato dos Rodoviários, não havia transporte de passageiros do Vale do Amanhecer até o Plano. O DFTrans informou que 8 ônibus circulavam, mas não eram suficientes e, por isso, foram colocados mais 12 carros na cidade.

Negociação
Uma audiência marcada para as 14h30 desta quarta no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), pode mudar os rumos da greve dos funcionários da Cooperativa dos Profissionais de Transporte de Samambaia (Coopatram), que fazem o trajeto Planaltina-Plano Piloto, há mais de uma semana em greve - eles paralisaram as atividades na última terça-feira (28/9).

O diretor do Sindicato dos Rodoviários, José Carlos da Fonsceca, acredita que, na reunião, seja liberado um recurso à cooperativa que permitirá o pagamento do salário dos motoristas e cobradores da empresa. O tribunal confirmou a sessão, no entanto, não soube informar o que será decidido na ocasião.

Protesto
Cerca de 200 moradores do Vale do Amanhecer fizeram uma manifestação, nesta terça (5/10), devido a paralisação dos rodoviários da Cooperativa dos Profissionais de Transporte de Samambaia (Coopatram), que realizam o trajeto Planaltina - Plano Piloto. Eles interditaram a pista com pneus e em seguida atearam fogo neles.

Fonte: Correio Braziliense

Share |
READ MORE - DF: Mais 20 ônibus circularam de Planaltina ao Plano Piloto

Curitiba: Novos cartões transporte são carregados diretamente nos ônibus depois da compra dos créditos feita pela internet

Passageiros do transporte coletivo de Curitiba que usam cartão transporte contam com novidade no sistema. Uma nova tecnologia implantada pela Urbs - Urbanização de Curitiba S.A, amplia de 100 para cerca de 2.000 os postos de carga de créditos de passagens. Agora, além das estações tubo e terminais, todos os ônibus da frota que circula pela cidade e que fazem parte do sistema da RIT – Rede Integrada de Transporte de Curitiba e Região Metropolitana contam com carregadores de créditos. "A modernização do sistema de bilhetagem veio para facilitar e melhorar a vida da população que usa transporte coletivo", destaca o presidente da Urbs, Marcos Isfer.
A primeira e principal etapa do sistema começou a funcionar em 16 de agosto último. Os novos cartões transporte, ou segundas vias feitas depois dessa data, bem como cartões que passaram pelo atendimento da Urbs são carregados diretamente nos ônibus depois da compra dos créditos feita pela internet, no site www.urbs.curitiba.pr.gov.br, ou depositados como vales transporte pelas empresas. Os créditos são carregados automaticamente quando o passageiro encosta o cartão no equipamento de embarque do ônibus.
Os cartões feitos antes do dia 16 de agosto devem ser convertidos para a nova tecnologia. As conversões são feitas nos postos de venda e atendimento da Urbs, na Rodoferroviária e nas Ruas da Cidadania Carmo, Pinheirinho, Fazendinha, Boa Vista e Matriz.
A Urbs está instalando nesta semana 40 conversores nos terminais da RIT – Rede Integrada de Transporte de Curitiba e Região Metropolitana. Nestes equipamentos, a conversão é automática, basta inserir o cartão transporte no equipamento e aguardar o término do processo, que dura em torno de um minuto. Perto dos conversores, a Urbs colocou cartazes explicativos com os passos a serem seguidos para a conversão do cartão.
Nos postos de atendimento da Urbs: na Rodoferroviária e nas Ruas da Cidadania Carmo, Pinheirinho, Fazendinha, Boa Vista e Matriz, estão sendo feitos atendimentos com equipamentos portáteis (POS) para conversão dos cartões de passageiros dentro do novo sistema de bilhetagem. Nos dias úteis, os fiscais do transporte coletivo estão nos principais terminais com os conversores fazendo atendimento aos usuários.
Os cartões não convertidos funcionam normalmente. Depois de comprar os créditos pela internet, o cidadão carrega num dos 94 equipamentos instalados na cidade (a lista dos locais está no site da Urbs). Quando todos os cartões forem convertidos, a Urbs vai desativar os antigos carregadores. Cartões novos, segundas vias ou os já convertidos, não funcionam nos antigos carregadores.
A carga dos cartões é validada cerca de 48 horas depois dos bancos confirmarem o pagamento dos créditos. As compras de créditos pela internet representam 72% das transações da Urbs para cartões transporte. Até agora, cerca de 103 mil cartões foram emitidos ou convertidos dentro do novo sistema, dos quais 40 mil são novos e 63 mil, convertidos.
O gestor de Fiscalização de Transporte, Edson Luiz Berleze, lembra que a nova tecnologia implantada pela Urbs agiliza o bloqueio de cartões roubados ou perdidos. O procedimento, que originalmente levava 48 horas, com a nova tecnologia leva no máximo 24 horas. Basta o passageiro telefonar para 156 e pedir o bloqueio, ou se dirigir a um dos postos da Urbs, na Rodoferroviária e nas Ruas da Cidadania Carmo, Pinheirinho, Fazendinha, Boa Vista e Matriz.
A RIT transporta 2,4 milhões de passageiros por dia, dos quais 50% se deslocam com cartão transporte. Essa frota, segundo números da Urbs, faz cerca de 21 mil viagens por dia, o que corresponde em torno de 490 mil quilômetros diários. A RIT, além de Curitiba, atende outros 13 municípios da Região Metropolitana, onde 73% dos deslocamentos são feitos pela Rede Integrada.
Fonte: Bem Paraná Share |
READ MORE - Curitiba: Novos cartões transporte são carregados diretamente nos ônibus depois da compra dos créditos feita pela internet

Sistema de transporte coletivo de Marília só muda em meados de 2011

Não será em 2010 que o usuário do transporte coletivo de Marília verá as mudanças prometidas pela nova lei aprovada em agosto na Câmara. Isso porque, só de prazos legais, da publicação do edital de licitação para seleção das duas empresas, até o início das operações, são quase oito meses.
Até dia 20 população pode apresentar sugestões no site da prefeitura – http://www.marilia.sp.gov.br/ Edital deve ser publicado até dia 25 e até 9 de dezembro as empresas tem prazo para manifestar interesse no certame. Após a concorrência, mais três meses são aberto para apresentação de recursos e assinatura dos contratos e só então, com mais três meses de prazo, as operações são iniciadas.
Os prazos aproximados foram passados pela assessoria de imprensa da prefeitura, que informou também que todas as sugestões levantadas durante a audiência pública realizada em 22 de setembro, e também via internet, serão encaminhadas à uma empresa de consultoria especializada no setor de transporte coletivo, contratada pela prefeitura, para estudos de viabilidade.


Fonte: Diário de Marília

Share |
READ MORE - Sistema de transporte coletivo de Marília só muda em meados de 2011

Piracicaba: Cegos ganham dispositivo que facilita o deslocamento no transporte coletivo

O dispositivo ainda é um protótipo, que já foi testato e promete facilitar a vida dos deficientes visuais quando forem utilizar o transporte coletivo. O equipamento ajuda o deficiente a localizar a condução na hora de embarcar no terminal, assim como, identificar a parada que ele deseja descer.
A idéia já chamou a atenção da administração municipal de Piracicaba, que agora estuda a utilização do dispositivo no transporte coletivo da cidade.
O dispositivo é o resultado das aulas de ciências aplicadas para adolescentes de 12 a 12 anos do Sesi e Senai de Piracicaba. Os meninos são estimilados por meio da disciplina a entender melhor como a ciência pode ser aplicada no cotidiano e dessa forma, incentivar que eles busquem uma formação na área da pesquisa, como mostra a repórter Aline Ortolan, na reportagem feita para a seção "A Ciência no Dia a Dia", que é apresentada toda terça-feira no Tvb Notícias 1ª Edição.


Fonte: TVB

Share |
READ MORE - Piracicaba: Cegos ganham dispositivo que facilita o deslocamento no transporte coletivo

Falta de fiscalização permite carros em faixas exclusivas para ônibus

Em muitas cidades do Brasil existe uma faixa exclusiva só para ônibus que deveria ajudar a fluir o trânsito. Deveria.

Carros, motos, pedestres. Nas avenidas de São Paulo o desrespeito pelo espaço exclusivo dos ônibus foi o motivo de 193 mil multas no ano passado, data do último levantamento.
Em Belo Horizonte, a invasão da faixa destinada aos coletivos também é comum. A infração pode render multa de até R$ 127 e perda de cinco pontos na carteira.
Em Salvador, as placas são ignoradas na mais movimentada avenida da capital. E o problema se repete em outras regiões da cidade. A faixa reservada aos ônibus vira corredor para quem quer ganhar tempo.
O mal exemplo de um motorista de um carro de passeio que utilizou a faixa exclusiva, acabou sendo seguido por outros. Táxis com passageiros podem utilizar o espaço, no entanto, muitos motoristas circulam vazios.
Quatrocentas multas foram aplicadas este ano, mas os infratores sempre têm uma explicação.
“Fui fechado. Não é desculpa, não. Eu realmente fui entrar e fui fechado”, conta um motorista infrator.
“Eu vou encostar mais à frente para pegar um pessoal ali”, desculpa-se outro motorista.
Em Salvador não existe fiscalização eletrônica para coibir a invasão das faixas de ônibus. Esse trabalho é feito pelos agentes da Superintendência Municipal de Trânsito. A Transsalvador diz que o número de fiscais – 600 para todo a cidade – não é suficiente.
A previsão da Superintendência é de que os equipamentos eletrônicos sejam instalados dentro de um ano. Até lá, quem mais precisa da faixa exclusiva vai continuar enfrentando a concorrênca de milhares de infratores.


Fonte: G1.com
READ MORE - Falta de fiscalização permite carros em faixas exclusivas para ônibus

Recife: Os problemas de quem precisa pega ônibus na região metropolitana

O NETV desta terça-feira (4) trouxe uma matéria especial sobre transporte público. A equipe de reportagem pegou um ônibus para mostrar como é a rotina de 1,8 milhão de passageiros da Região Metropolitana. A maioria deles precisa pegar dois ou mais ônibus para chegar ao trabalho ou em casa.

Para isso, eles têm que passar, pelo menos, por um dos 13 terminais de integração. Terminais onde reclamações de longas filas e os ônibus lotados são comuns. O repórter Sérgio Borges fez o percurso de uma das linhas que transportam mais passageiros: a PE-15/Afogados.

Ele pegou o ônibus no Terminal de Integração da PE-15, em Olinda, no começo da manhã e foi até o Terminal de Afogados, no Recife. Depois, fez o caminho de volta bem no horário de grande movimentação, às 18h30.

O primeiro passo, logo no início da manhã, foi ir para o final da fila, já bastante extensa. "Sempre tem briga, confusão, tudo. É um inferno", reclamou a camareira Lindinalva Soares. "Eu passei só 20 minutos para chegar no ponto de embarque. Aqui tem três empresas atendendo, mas a gente sofre com a falta de ônibus", contou a auxiliar de serviços gerais Abel de Oliveira

O ônibus, lotado, tem trabalhadores que voltam para casa e estudantes que vão para as faculdades depois do trabalho. "A dificuldade é sempre grande para a gente aguentar a viagem", disse a manicure Débora Dias.

A capacidade do coletivo é de 80 - sendo 40 sentadas e 40 em pé, mas o número de passageiros ultrapassa. "É fora da realidade usar um ônibus lotado assim", reclamou o enfermeiro Wellington Virgílio. "Eu pago um preço caro de passagem, mas não tenho segurança, viajo em pé", contou a empregada doméstica Maria José Gomes.

 A viagem estava prevista para durar 50 minutos, mas o horário não foi respeitado. "É impossível alguém chegar bem arrumado no trabalho", reclamou a recepcionista Lenice Lira.

Na volta, a reclamação é a mesma. Para muitos, a jornada nem terminou. No fim do dia, muitos estudantes ainda vão para a faculdade. Às 18h35, o primeiro passo é ir lá pro final da fila - uma fila que já está bastante extensa a essa hora, até porque muita gente acaba de sair da estação do metrô.

O ônibus lotado tem trabalhadores que voltam pra casa e estudantes que vão para as faculdades depois do trabalho. “Pego na faculdade às 19h, mas saio de casa às 16h, senão não chego na aula”, disse o estudante Deivson Ferreira.

Os passageiros seguiram reclamando do número de pessoas dentro do ônibus. “A pessoa larga do emprego, sai. Entra no ônibus quase sendo pisoteada”, contou a técnica judiciária Ione Paixão. “Tem dia que a gente fica lá na frente, que não aguenta passar”, contou o cabeleireiro Glauber dos Santos.

Como se não bastassem o aperto e o calor, o barulho dos freios do ônibus também incomoda. É preciso ter muita paciência com o trânsito congestionado. Tem gente que não resiste ao cansaço e dorme no ônibus, e, quem sabe, sonha com a ideia de um caminho livre para o transporte coletivo.

De acordo com os passageiros, neste dia tivemos sorte porque a lotação costuma ser bem maior. “Acho que não cabe nem pensamento. Você paga uma passagem caríssima e fica lotado o ônibus”, reclamou o auxiliar de atendimento Brener Lima.

A garçonete Luciene Brito, com um olhar que revela o cansaço, contou que passou o dia no trabalho e espera o segundo ônibus para chegar até sua casa. “A espera, ainda, é cansativa”, concluiu.

De acordo com a diretora de Operações do Grande Recife, Taciana Ferreira, a linha PE-15/Afogados funciona com 35 veículos, sendo oito estendidos, conhecidos como sanfona. “O intervalo estimado é de cinco minutos, a partir das 5h. No entanto, é preciso verificar, ao longo da viagem, os congestionamentos. Não há nenhum trecho com faixa exclusiva para veículos públicos. A capacidade do veiculo são de 80 lugares, sendo 40 sentados e 40 em pé. A super lotação se dá devido à irregularidade do horário. Para melhorar, três corredores são previstos. Até 2012, é esperado que todos estejam concluídos”, falou.


Fonte: NETV

READ MORE - Recife: Os problemas de quem precisa pega ônibus na região metropolitana

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960