São Paulo: Reajustes da tarifa de ônibus ainda não foram definidos

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O prefeito Gilberto Kassab afirmou, nesta quarta-feira, que ainda não sabe como serão os reajustes da tarifa de ônibus para o ano que vem. Kassab disse ainda que há um equívoco na informação sobre o reajuste da passagem a partir de dezembro.

“Não existe ainda nenhuma decisão, podemos até abaixar a tarifa, podemos aumentar, é um equívoco essa suposição”, disse o prefeito em entrevista coletiva em Osasco.

Inicialmente, foi divulgado que a tarifa passaria de R$ 2,70 para R$ 2,90. Entretanto, o prefeito afirmou que as alterações serão incluídas no Orçamento que será enviado à Câmara Municipal, mas que esta questão só será discutida em dezembro.

Fonte: E Band
Share |
READ MORE - São Paulo: Reajustes da tarifa de ônibus ainda não foram definidos

Transcarioca deve mudar paisagem da cidade

As obras da Transcarioca - corredor expresso para ônibus, o chamado BRT, ligando a Barra ao Aeroporto Internacional Tom Jobim - deverão mudar a cara da cidade para quem chega ao Rio via Avenida Brasil ou Linha Vermelha. A proposta de trajeto do lote 2 do corredor (Penha-Aeroporto) prevê a construção de três viadutos e duas pontes. Os viadutos seriam erguidos sobre a estação de trem de Olaria, a Avenida Brasil (em Ramos) e a Estrada do Galeão (na Ilha do Governador). Já as pontes ficariam sobre o Canal do Cunha (na entrada da Ilha do Fundão) e sobre a Baía da Guanabara (ligando as ilhas do Governador e do Fundão). Esta última seria a primeira ponte estaiada (suspensa por cabos de aço presos a um grande pilar) do Rio.

O trajeto ainda é conceitual e será detalhado. Em 14 de outubro, a prefeitura licita o projeto básico da obra, orçada em R$ 1,1 milhão. O vencedor da licitação terá seis meses para fazer os estudos de viabilidade do traçado e de impacto ambiental, além de um levantamento do número de desapropriações necessárias. A previsão é que o lote 2 da Transcarioca tenha dez estações, incluindo integrações com trens da SuperVia e o futuro BRT da Avenida Brasil.
Transcarioca terá 13 quilômetros de extensão
Pela proposta, o trecho entre a Penha e o aeroporto terá 13 quilômetros de extensão, começando no Largo da Penha. De lá, a Transcarioca passaria pela Rua Monsenhor Alves Rocha (aos pés da Igreja da Penha) e cortaria parte do bairro de Ramos, passando pelas ruas Ibiapina e Uranos, até a estação de trem de Olaria. Um viaduto levará ao outro lado da linha férrea, até a Estrada Engenho da Pedra, de onde o corredor deverá seguir pela Rua Ismael Rocha até encontrar a Avenida Brasil. Um viaduto sobre a avenida deverá ligar a Transcarioca à Rua Sargento Peixoto e à Avenida Brigadeiro Trompowski, na entrada da Ilha do Fundão.
Uma ponte sobre o Canal do Cunha fará a conexão com o Fundão, de onde a Transcarioca, dividida em duas, circundará o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho. Um outro viaduto será construído sobre a Estrada do Galeão, para dar acesso à Avenida Vinte de Janeiro, na chegada ao aeroporto, ao lado do viaduto já existente no local.
A ponte estaiada é considerada a mais importante do projeto:
- A ponte terá um projeto arquitetônico arrojado. A gente prevê a execução de um único pilar em concreto, que vai segurar com cabos de aço toda a estrutura de um vão de 80 metros. Será a ponte de entrada da cidade - disse o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto.
De acordo com o secretário, todos os viadutos e pontes serão de uso exclusivo do BRT e não haverá pistas extras para carros de passeio. Nos trechos de ruas que serão usados no projeto, o corredor terá faixas exclusivas para os ônibus - sempre respeitando a quantidade de faixas de rolamento que já existem hoje para os carros.
- Vamos agregar duas faixas para os ônibus ao longo das ruas. Por isso, se a via tiver duas faixas, passará a ter quatro. Não haverá supressão de espaço - acrescentou ele.
O número de desapropriações necessárias para o lote 2 também será determinado no projeto básico. Segundo Alexandre Pinto, a maior parte das desapropriações deverá ser feita em Ramos e Olaria, uma vez que vias previstas para o traçado - como Monsenhor Alves Rocha e Uranos - são estreitas.
Prefeitura quer número menor de desapropriações
A prefeitura trabalha com a expectativa de um número menor de remoções que o previsto para o lote 1 da Transcarioca, entre a Penha e a Barra. Nesse primeiro trecho, o município vem negociando a desapropriação de cerca de 3.600 imóveis, a um custo estimado em R$ 300 milhões. Para tentar diminuir as despesas, a Procuradoria Geral do Município tem feito $ções com moradores dos imóveis atingidos.
Ainda segundo Alexandre Pinto, o traçado prevê dez estações, mas esse número poderá sofrer modificações, de acordo com o projeto básico. Uma parada será construída no viaduto sobre a estação de trem de Olaria, para garantir integração direta com o ramal da SuperVia por rampas e escadas. O viaduto sobre a Avenida Brasil também terá uma estação, já contando com a integração com o futuro BRT da via expressa. Uma terceira parada, de maiores dimensões, será construída na Estrada do Galeão, para servir de integração com o sistema de ônibus interno da Ilha do Governador. Outras estações previstas seriam Uranos, Nerval Gouveia e Drummond (ambas na Estrada Engenho da Pedra), Brigadeiro Trompowski, Hospital Universitário Clementino Fraga Filho e Ilha do Governador (na entrada).
- O BRT vai passar na frente e atrás do hospital. Com isso, queremos integrar o Fundão a um sistema de transporte de massa para estudantes e funcionários - disse o secretário.
A meta da prefeitura é, uma vez conhecido o vencedor da licitação, ter o projeto arquitetônico do trecho pronto em dois meses. Isso para que o processo de licitação da obra possa ser iniciado. Os demais estudos ficariam prontos no prazo de seis meses.
- Queremos começar a obra do lote 2 ainda no primeiro semestre de 2011 - afirmou o secretário.

Fonte: O Globo

Share |
READ MORE - Transcarioca deve mudar paisagem da cidade

Jaraguá do Sul: Trilhos para transporte coletivo

A antiga ideia de retirar a passagem de trens de carga da região central de Jaraguá do Sul e Guaramirim está saindo do papel. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) publicou uma licitação para contratar uma empresa que fará um novo projeto da linha férrea que vai contornar as cidades.

Aproveitando o novo projeto, as prefeituras das duas cidades começaram os estudos do projeto chamado veículo leve sobre trilhos (VLT) – de Jaraguá do Sul a Guaramirim, utilizando o passado para levar o futuro. A ideia é usar as linhas férreas centrais, que serão desativadas nos próximos anos, para instalar um metrô de superfície.

Atualmente, a ferrovia, que corta Jaraguá do Sul e Guaramirim passa ainda por São Bento do Sul, Corupá, Joinville e São Francisco do Sul e é de responsabilidade da América Latina Logística (ALL), transporta grãos de soja e milho.

De acordo com o projeto do Dnit, esta linha será desativada, e uma nova – que contornará as cidades – será construída. O projeto já está em andamento nas cidades de Joinville e São Francisco do Sul com prazo de dois anos para se encerrar.

Mesmo sabendo da demora da desativação dos trilhos, as prefeituras de Jaraguá e Guaramirim começaram o projeto que pretende aproveitar o percurso de 23 quilômetros de linha férrea das áreas centrais para usar como meio de transporte coletivo. Para isso, uma empresa terceirizada deverá ser contratada para a compra do veículo leve sobre trilhos, uma espécie de metrô de superfície com capacidade para 330 passageiros.

Por enquanto, a iniciativa, qu e faz parte do Fórum Permanente de Desenvolvimento – PróJaraguá – só está no papel e depende, ainda, da construção da linha férrea do contorno.

A ideia já foi apresentada há duas semanas na 16ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, em São Paulo, e, segundo o gerente de trânsito de Jaraguá do Sul, José Antônio Schimitt, duas empresas de São Paulo, que trabalham com o sistema VLT, já mostraram interesse em atuar na região.

“Vamos marcar uma visita para a segunda quinzena de outubro, para eles conhecerem a geografia das cidades e apresentar um orçamento”, conta Schimitt.

Fonte: A Notícia

Share |
READ MORE - Jaraguá do Sul: Trilhos para transporte coletivo

Campinas: Transporte público ganha duas novas estações de transferência

Campinas ganhou nesta quarta-feira (29) duas novas estações de transferência do sistema de transporte urbano. As estações PUCC 2 e Padre Anchieta foram inauguradas durante a tarde, em evento com a participação do prefeito Hélio de Oliveira Santos.
A Estação Padre Anchieta foi construída na Avenida Papa João Paulo II, na Vila Padre Anchieta e a Estação PUCC 2 fica na Avenida John Boyd Dunlop, em frente ao Campus II da PUCC.
Com as duas novas estações, Campinas, que antes contava com 20 estações de transferência, passa a ter agora 22.

Fonte: EPTV

Share |
READ MORE - Campinas: Transporte público ganha duas novas estações de transferência

Porto Velho: Prefeitura inicia implantação do “Corredor de Ônibus”

Organizar e modernizar o trânsito, agilizar, diminuir o tempo de espera e tornar mais seguro o sistema de transporte coletivo de Porto Velho. Estas são as principais metas que devem ser alcançadas com a implantação do “Corredor de Ônibus” no centro comercial. A prefeitura de Porto Velho, através da secretaria municipal de trânsito e transportes (Semtran), iniciou as primeiras alterações na Avenida Sete de Setembro, da Rogério Weber até a Avenida Nações Unidas, liberando todo o lado direito da grande avenida apenas para os coletivos. Dentro deste perímetro, que recebe 95% das linhas de ônibus, será o “Corredor de Ônibus”, da capital.

De acordo com a secretária da Semtran, Fernanda Moreira, o prefeito Roberto Sobrinho sempre se preocupou com a qualidade do sistema de transporte urbano, devido ao grande número de pessoas que são transportados diariamente, para que este sistema estivesse sempre em condições de atender a demanda, que cresceu muito nos últimos tempos.   

“Estamos realizando a implantação deste projeto que beneficiará diretamente a rotina dos usuários dos transportes coletivos, que terão mais segurança durante o embarque e desembarque, como também o trânsito no centro da cidade, indiretamente relacionado às demais paradas dos ônibus, fora do corredor, uma vez que estes coletivos estarão dentro do cronograma de tráfego em outras vias, principalmente nos horários de picos, do fluxo dos veículos e pedestres”, explicou a secretária.

Fonte: Tudo Rodônia

Share |
READ MORE - Porto Velho: Prefeitura inicia implantação do “Corredor de Ônibus”

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960