São Paulo terá ônibus movidos a diesel de cana-de-açúcar

quinta-feira, 22 de julho de 2010


A cidade de São Paulo passa a contar, a partir de hoje, com três ônibus municipais movidos a diesel produzido a partir de cana-de-açúcar, combustível renovável produzido pela Amyris Brasil em parceria com o Grupo São Martinho. De acordo com Fernando Reinach, membro do Conselho de Administração da Amyris, os ônibus serão movidos por um combustível que terá 10% de diesel de cana em sua composição.
"O diesel de cana é o primeiro diesel totalmente renovável, assim como o etanol", disse Reinach, que participou do evento de abastecimento do primeiro ônibus com o combustível que também contou com a presença do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Os motores dos ônibus - que funcionarão em caráter de teste pelos próximos seis meses - foram desenvolvidos pela Mercedes-Benz do Brasil.
O diesel de cana é um dos produtos químicos que a Amyris está produzindo a partir de cana-de-açúcar. Outros produtos, de maior valor agregado, já possuem acordos de venda fechados com empresas como a Procter & Gamble. "Os produtos produzidos a partir da cana possuem múltiplos usos, como bens de consumo e aplicações industriais que hoje dependem de componentes petroquímicos, entre eles lubrificantes, polímeros, preservantes e cosméticos", disse.
Em 2011, uma planta da empresa construída ao lado da Usina São Martinho, em Pradópolis (SP), começará a produzir os produtos químicos a partir da cana em escala comercial.
O acordo entre a São Martinho e a Amyris prevê investimentos de US$ 35 milhões na construção da unidade de produção de produtos químicos, batizada de SMA Indústria Química S.A., que deverá utilizar 1 milhão de toneladas de cana-de-açúcar fornecidas pela Usina São Martinho. A Amyris também possui acordos com a Cosan, Açúcar Guarani e Bunge que devem ser celebrados a partir de 2012.

Fonte: O Estadão
READ MORE - São Paulo terá ônibus movidos a diesel de cana-de-açúcar

DF: ônibus voltam a circular após paralisação relâmpago


Os ônibus das viações Planeta e Planalto (Viplan) voltaram a circular normalmente às 9h desta quinta-feira (22/7). Motoristas e cobradores das empresas iniciaram mais uma paralisação às 5h, e paradas de ônibus ficaram lotadas em diversos pontos do Distrito Federal. A situação foi mais crítica na Estrutural, no Guará e no Núcleo Bandeirante.

A categoria protesta pela falta do pagamento do adiantamento salarial de 40% e da cesta básica, de R$ 112. Os valores deveriam ter sido depositados desde a terça-feira (20/7) pelas empresas e estão previstos na convenção coletiva da categoria. Desde terça, os funcionários dessas viações têm feito paralisações relâmpago para pressionar o cumprimento do acordo.

Segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários do DF, João Osório, os funcionários de outras empresas receberam o pagamento parcial dos valores combinados e, por isso, não aderiram à paralisação. De acordo com Osório, isso pode implicar em uma greve dividida.

Não há previsão, por parte do sindicato, de novas paralisações ao longo do dia. Haverá uma assembleia no próximo domingo (25/7) e, caso o acordo não seja cumprido ou a categoria não receba uma nova proposta até lá, haverá greve geral.

Greves

O transporte público do DF tem sofrido com seguidas paralisações relâmpago desde junho. Os rodoviários conseguiram aprovar o acordo coletivo da categoria após três dias e meio de greve, entre 14/6 e 17/6.

Conversas entre o Sindicato dos Rodoviários, dos Empresários e o governo do DF terminaram com o acordo de que os motoristas e cobradores receberiam reajuste de 9%. Os empresários aceitaram a proposta com a condição de que o governador Rogério Rosso analisasse, em 30 dias, a planilha de custos das empresas com a manutenção do serviço público.

De acordo com a assessoria de imprensa do governador, Rosso está finalizando a análise e deve entregar um parecer sobre o aumento de passagens até este sábado (24/7), quando termina o prazo estabelecido na época.

READ MORE - DF: ônibus voltam a circular após paralisação relâmpago

Cuiabá: Passagem de ônibus deve subir de R$ 2,30 para R$ 2,50


O Conselho Municipal de Transporte (CMT) aprovou o aumento da tarifa de ônibus e microônibus, em Cuiabá, de R$ 2,30 para R$ 2,51, elevação de 9,1%. O reajuste depende, agora, da sanção do prefeito Chico Galindo, que deve receber hoje o documento aprovado.
O novo preço foi definido durante em reunião, na última sexta-feira (23), com representantes do conselho. É praxe que, mesmo aprovando, o prefeito arredonde o valor para baixo. Assim, é possível que, se a elevação for confirmada, o preço do passe fique em R$ 2,50.
O último reajuste no valor das passagens aconteceu em maio do ano passado. Todos os dias, mais de 150 mil pessoas utilizam o transporte coletivo na capital.
O pedido de reajuste das tarifas foi feito em maio ao Conselho Municipal de Transporte pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano do Estado de Mato Grosso (STU). O pedido foi encaminhado para técnicos da Secretaria de Trânsito e Transporte Urbano, que fizeram o cálculo do reajuste por meio de uma planilha elaborada pelo Ministério do Transporte.
O cálculo foi então encaminhado para análise do Conselho Municipal de Transporte, que decidiu pela aprovação do aumento da tarifa.
"O próximo passo é aguardar a decisão do prefeito. A sanção depende dele", disse o presidente do Conselho e secretário de Trânsito e Transporte Edivá Alves. Chico Galindo chega nesta quarta-feira de viagem.
O Sindicato das Empresas de Transporte justificou o pedido de aumento no valor das passagens de ônibus considerando que o preço atual está defasado "em decorrência de variações nos parâmetros do cálculo da tarifa". Também foram considerados o reajuste salarial dos motoristas de ônibus e a queda do número de passageiros verificada nos últimos anos.
O cálculo do reajuste da tarifa leva em conta o número de passageiros que usam o transporte público em Cuiabá, a folha de pagamento de motoristas, cobradores e fiscais despachantes, preço do combustível, manutenção dos ônibus, despesas administrativas, uniformes, entre outros.
O conselho é formado por representantes da Câmara Municipal de Cuiabá, Secretarias Municipais de Meio Ambiente, Assistência Social e Infra-estrutura, Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, Associação Mato-grossense dos Transportadores Urbanos, Sindicato das Empresas de Transportes Coletivo Urbano de Mato Grosso e outras entidades e associações.
Cuiabá - Várzea Grande
A tarifa do transporte entre Cuiabá e Várzea Grande poderá sofrer aumento nos próximos dias. A sessão regulatória que definirá o reajuste tarifário será realizada hoje na Ager.
A única empresa concessionária do serviço é a União Transporte e Turismo. O diretor Rômulo Botelho declarou que não há estimativa de quanto será o aumento. "Não há aumento desde o final de 2008", disse.

Fonte: Diário de Cuiabá
READ MORE - Cuiabá: Passagem de ônibus deve subir de R$ 2,30 para R$ 2,50

Recife: Metrô investe na informação de seus usuários


A CBTU-METROREC deu início no dia 19 de julho a uma ação que tem como objetivo orientar os usuários do sistema a trafegar nas estações, plataformas e composições. A ação foi planejada dentro das normas estabelecidas pela empresa, que visam a segurança e o conforto dos passageiros.

A empresa contratou 86 empregados terceirizados para a realização deste serviço. Formou-se então dois grupos de orientadores: 43 deles atendem a linha Sul do metrô e os outros 43 a linha Centro.

Devidamente uniformizados com coletes de cor laranja, os orientadores atuam durante todo o horário de funcionamento das linhas, esclarecendo dúvidas sobre destinos, uso de elevadores e escadas rolantes, a não ultrapassagem da faixa amarela, os assentos preferenciais,entre outras.
Para assumir suas funções, os empregados passaram por treinamentos de primeiros socorros e segurança do trabalho, e aprenderam também diretrizes básicas do sistema metroferroviário. A iniciativa deve durar 1 ano.

Fonte: Metrorec
READ MORE - Recife: Metrô investe na informação de seus usuários

Licitação de ônibus do Rio atrai empresas do exterior


A licitação para a concessão das linhas ônibus do Rio, marcada para a próxima semana pela Secretaria municipal de Transportes, deverá ter a participação de grupos privados internacionais da França e da Argentina. A hipótese ganhou força nesta segunda-feira com a divulgação no Diário Oficial do município da lista de empresas e consórcios que, a partir desta terça, participarão de uma espécie de seminário organizado pela prefeitura em que serão apresentados oficialmente os quatro lotes oferecidos em concessão.
O negócio também atraiu o interesse de empresas de ônibus paulistas. O Consórcio Metropolitano de Transportes, composto por 45 empresas de ônibus que operam em 39 municípios de São Paulo, também é candidato a operar o sistema no Rio de Janeiro. O grupo, que transporta cerca de 1,4 milhão de passageiros por dia, foi fundado em 2004 e tem um patrimônio em frota e instalações estimado em R$ 600 milhões, de acordo com informações do site da empresa. O prazo para entrega de envelopes será no dia 29
A entrega dos envelopes está marcada para o próximo dia 29. Mas na segunda-feira da semana que vem já será possível confirmar quem são as candidatas oficiais a disputar a concessão das linhas pelo prazo de 20 anos, prorrogáveis por igual período uma única vez. Esse é o prazo para que as empresa entreguem uma carta-finança no valor correspondente a 1% do contrato de exploração. Para a Secretaria municipal de Transportes, essa é a garantia de que os interessados têm condições financeiras de participar da concorrência.
A licitação dividiu a cidade em quatro Redes de Transportes Regionais. A RTR 2 (compreende os bairros da Zona Sul e Grande Tijuca) atraiu 43 grupos interessados. Um deles é a empresa francesa RATP Development e sua subsidiária brasileira RATP do Brasil - esta última integra o consórcio responsável pela construção e exploração da Linha 4 do Metrô de São Paulo. Em Paris, a RATP é responsável pela operação da Linha 1 do metrô que transporta cerca de 750 mil passageiros por dia. A empresa também opera ônibus de turismo em Paris. Entre outros negócios, a multinacional integra, em Roma, um consórcio de empresas que desenvolve uma nova linha de metrô que circulará no centro histórico da capital. Em Modena, também na Itália, o grupo participa da concessionária que opera as linhas de ônibus da cidade.
A RATP também manifestou interesse pela concessão nas zonas Norte, Oeste, e na Barra da Tijuca e em Jacarepaguá. A prefeitura não fez concessão para o Centro do Rio porque, no novo modelo de licitação, a área funcionará como destino final de várias linhas.

Outro interessado é o Grupo Plaza de Inversion da Argentina, fundado em 2000, a partir de uma empresa responsável por operar várias linhas de ônibus de Buenos Aires. O grupo se expandiu a partir de então e passou a atender a linhas de outras cidades da Argentina. A Supervia - que tem a concessão dos trens do Rio - também se interessou em disputar a concorrência para as linhas nas zonas Sul e Oeste.
No processo de concorrência, as empresas terão que comprovar experiência no transporte de 1 milhão de passageiros por dia. A licitação proposta pela prefeitura prevê que o sistema será implantado junto com o bilhete único, cujo valor deverá ser de R$ 2,40.

Fonte: O Globo
READ MORE - Licitação de ônibus do Rio atrai empresas do exterior

BH: Bilhete integrado de papel só será aceito até 31 de Julho no Metrô


Com a implantação do Cartão Ótimo, o bilhete integrado de papel só será aceito até 31 de Julho, seja nas estações do Metrô ou nas 173 linhas metropolitanas integradas ao sistema.

A comercialização termina nesta quarta 30 de junho, mas os bilhetes de papel poderão ser utilizados até o final do mês ou trocados por créditos eletrônicos, entre 1º e 31 de agosto.

O cartão Ótimo Cidadão não Identificado pode ser adquirido em qualquer uma das 19 estações do Metrô pelo preço de R$ 5. No primeiro Mês de operação, mais de 300 mil usuários utilizaram o Cartão Ótimo nas roletas do Metrô.

Com o beneficio da integração tarifária, o usuário tem uma economia diária que varia de 24% a 34%, dependendo da linha integrada. Além das estações, o Ótimo é vendido em outros 13 postos disponibilizados pelo Sintran. Nove deles, espalhados por municípios da RMBH.

Fonte: Metrô BH
READ MORE - BH: Bilhete integrado de papel só será aceito até 31 de Julho no Metrô

DF: A partir de domingo, ônibus interestaduais passam a desembarcar na nova Rodoviária


A partir deste domingo (25/7), os ônibus que vêm de outros estados não desembarcarão mais na Rodoferroviária. Os veículos que chegarem a Brasília vindos de qualquer distância superior a 75 quilômetros terão a nova Rodoviária Interestadual como destino. A obra em formato de asa delta está localizada na Estrada Parque Industrial (Epia), ao lado da estação Shopping do Metrô. A estimativa é de que aproximadamente 4,6 mil pessoas passem por lá todos os dias.

Com um atraso de mais de três meses na inauguração, a obra, que estava prevista para ser concluída antes da festa dos 50 anos de Brasília (21/4), ganhou um comitê especial, dirigido pela vice-governadora Ivelise Longhi, que definiu o fim da construção como uma das prioridades.

Segundo a assessoria da Secretaria de Transportes, ainda estão sendo estudadas as propostas para a destinação do espaço da Rodoferroviária. A maior parte dos ônibus do Entorno desembarca na Rodoviária do Plano Piloto. Outros veículos, que também paravam no centro de Brasília, passarão a desembarcar na Rodoviária Interestadual, como os vindos de Caldas Novas, Cristalina e algumas cidades de Minas Gerais.

Fonte: Correio Braziliense
READ MORE - DF: A partir de domingo, ônibus interestaduais passam a desembarcar na nova Rodoviária

Campinas ganha a 19ª Estação de Transferência: Campos Salles


Depois de quase quatro meses de obras, a Estação de Transferência Campos Salles está pronta. Num trecho de cerca de 900 metros, entre as avenidas Andrade Neves e Francisco Glicério, as quadras do lado direito da Campos Salles sofreram intervenções nos pontos de embarque e desembarque de ônibus.
Os trabalhos começaram no dia 24 de março e o cronograma de obras foi elaborado pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC). As intervenções na via foram realizadas “quadra a quadra”, para minimizar o impacto na fluidez do trânsito e na rotina do comércio.
Sete quadras da Avenida foram beneficiadas: Álvares Machado e Ernesto Kuhlmann; Senador Saraiva e Álvares Machado; José Paulino e Ernesto Kuhlmann; José Paulino e Francisco Glicério; Andrade Neves e Onze de Agosto; Saldanha Marinho e Visconde do Rio Branco; e Visconde do Rio Branco e Avenida Senador Saraiva.
Os pontos receberam novos abrigos, lixeiras, iluminação específica, piso podotátil e comunicação visual com informações importantes aos usuários do transporte público. Além disto, o entorno das quadras recebeu rampas acessíveis, para ampliar a acessibilidade de pessoas com baixa mobilidade e deficiência física; e as sinalizações da Avenida foram reforçadas e recuperadas.
“As estações de transferência fazem parte do processo de revitalização e requalificação urbana, pelo qual Campinas está passando. São estações de cidadania, que deixam a cidade mais saudável e segura”, afirmou o prefeito Dr. Hélio de Oliveira Santos, durante o discurso de inauguração.
Para o secretário de Transportes e presidente da (EMDEC), Sérgio Torrecillas, “todas as mudanças no Centro melhoram o trânsito, mas o objetivo principal é o de melhorar a qualidade do transporte público coletivo, levando mais segurança, conforto e rapidez para a população”.
Campos Salles revitalizada
A Avenida Campos também deve passar por um importante processo de revitalização. Com a implantação da Estação de Transferência, as calçadas do lado direito da Avenida serão reformadas; e, ao invés do antigo mosaico português preto e branco, receberão piso em módulos de concreto e detalhe em mosaico com fundo branco e o desenho de uma andorinha, símbolo da cidade, em preto.
Além do novo calçamento, as fachadas dos comércios serão remodeladas, a publicidade adequada e as bancas ganharão padronização.
Os investimentos para implantação da Estação Campos Salles foram custeados pelo Consórcio Concicamp e estão orçados em cerca de R$ 1 milhão. A implantação da Estação Campos Salles garante muito mais conforto e segurança aos 50 mil usuários que utilizam diariamente o transporte público coletivo no local.
Estações de transferência
As estações de transferência começaram a ser implantadas, em Campinas, em julho de 2009. Elas fazem parte do processo de modernização e ampliação da qualidade do serviço de transporte público no município; que começou em maio de 2006, com o Sistema InterCamp e o Bilhete Único.
De lá para cá, 19 estações já foram inauguradas: Campos Salles, DIC I, Parque Itajaí, Parque dos Eucaliptos, Campina Grande/São Luiz, João Jorge, Parque Industrial, Vila Georgina, Parque Vista Alegre, Adhemar de Barros, Sousas, Icaraí, Senador Saraiva, Moraes Salles, Dona Libânia, Irmã Serafina, Anchieta, Amarais e Expedicionários.
A Estação de Transferência Parque Prado está em fase de finalização. O espaço terá 12 abrigos, com seis pontos de embarque e desembarque, sendo três no sentido Centro x bairro; e os outros três no sentido inverso (bairro x Centro). Eles serão implantados no canteiro central da junção da Avenida Washington Luís com a Rua Lux Aeterna, em frente ao Shopping Prado.

Fonte: EMDEC
READ MORE - Campinas ganha a 19ª Estação de Transferência: Campos Salles

Campinas: Entrega de 102 novos ônibus acessíveis


Campinas vai receber mais 102 ônibus novos e acessíveis. Deste total, 62 são para renovação da frota em circulação; e 40 para ampliação do serviço. O evento de entrega da nova frota faz parte da programação de aniversário da cidade, garantindo, também, bons motivos para os usuários do transporte público comemorar.
Dos 102 veículos, 49 serão apresentados nessa quinta, dia 22 de julho, na Praça Arautos da Paz, pelo prefeito Dr. Hélio de Oliveira Santos; pelo secretário de Transportes, Sérgio Torrecillas; e representantes das empresas concessionárias e da Transurc. Os demais veículos acessíveis serão incorporados ao Sistema InterCamp, em agosto desse ano.
Com a chegada de mais esses 102 veículos acessíveis, Campinas atingirá a marca de 78% de renovação da frota do transporte público.
Serviço: Apresentação de frota acessível para o transporte público – 49 veículos de 102, até agosto; com a participação do prefeito Dr. Hélio de Oliveira Santos; do secretário de Transportes, Sérgio Torrecillas; e de representantes das empresas concessionárias e Transurc.

Fonte: EMDEC
READ MORE - Campinas: Entrega de 102 novos ônibus acessíveis

Manaus: Tarifa de ônibus volta para R$ 2,25 nesta Sexta


O desembargador Aristóteles Thury concedeu liminar em favor das empresas de ônibus, reajustando a tarifa em Manaus para R$ 2,25. O valor deve ser cobrado a partir da próxima sexta-feira. Segundo a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), até a noite desta quarta-feira (21), a Prefeitura Municipal de Manaus ainda não foi notificada sobre a decisão judicial que reajusta a tarifa de ônibus.
A tarifa foi reduzida para R$ 2,10 no final do mês de junho pela prefeitura de Manaus, da juíza Ida Maria, da 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal, que atendeu representação do Ministério Público Estadual.
Na ocasião, as empresas informaram que o valor estava abaixo dos custos e que, por conta disso, teriam dificuldades em pagar os seus funcionários. As empresas, então, foram à Justiça para solicitar o retorno ao valor antigo da tarifa.
O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Manaus (Sinetram) declarou, por meio de sua assessoria que já está ciente da decisão e que a partir desta quinta-feira vai começar a informar a população nos ônibus. Segundo o assessor jurídico da Transmanaus, Fernando Borges, a cobrança do valor de R$ 2,25 começa na sexta-feira. Eles alegaram que precisam de um dia para modificar o sistema remoto de bilhetagem eletrônica.

Fonte: D24 am
READ MORE - Manaus: Tarifa de ônibus volta para R$ 2,25 nesta Sexta

Metrô-SP: Usuários podem embarcar com bicicletas nos trens em horários específicos


Para integrar o uso da bicicleta com o transporte metropolitano sobre trilhos, o Metrô e a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) liberam o último vagão dos trens para embarque das bikes.

Aos sábados, o transporte de bicicletas é permitido das 14h até 1h do domingo. Aos domingos e feriados, é liberado o dia inteiro.

No caso do Metrô, os ciclistas também podem embarcar com as bikes de segunda a sexta-feira a partir das 20h30. Cada vagão pode transportar, no máximo, quatro bicicletas por viagem. Menores de 12 anos devem estar acompanhados pelos pais ou responsáveis.

Fonte: Metrô - SP
READ MORE - Metrô-SP: Usuários podem embarcar com bicicletas nos trens em horários específicos

SPTrans substitui 3 linhas de trólebus por veículos a diesel nesta sexta-feira


A SPTrans vai substituir 3 linhas de trólebus por veículos movidos a diesel, das 23h de sexta-feira (23/7) às 5h de sábado (24/7), em virtude de realização de serviços de manutenção da rede de trólebus no Terminal Vila Carrão.

Para informações sobre os trajetos e linhas de ônibus consulte itinerários ou ligue 156.

Linhas:
2100/10 Term. Vila Carrão – Praça da Sé
2290/10 Term. São Mateus – Term. Pq. D. Pedro II
342M/10 Term. São Mateus – Term. Penha

Fonte: SPTrans
READ MORE - SPTrans substitui 3 linhas de trólebus por veículos a diesel nesta sexta-feira

Brasília é a capital dos carros: ''Falta investimentos no transporte público''


A cidade sonhada por Lucio Costa tem avenidas amplas que se perdem no horizonte. Tem pilotis livres e espaços preenchidos por muito verde que, depois de surrados pelo ir e vir dos pedestres, transformam-se em caminhos calçados, não onde o administrador acha que convém, mas onde os pés do povo escolhem pisar. Imaginou-se para Brasília o convívio harmônico entre automóveis e pedestres. Mas passados 50 anos da construção da capital, não é isso que se vê.

A falta de investimento em transporte público, o inchaço populacional das cidades ao redor de Brasília, a concentração de empregos no Plano Piloto e a renda do brasiliense têm relação direta com o crescimento da frota. Resultado: as avenidas já não conseguem dar vazão a tantos carros.

Até junho deste ano, o Departamento de Trânsito (Detran) tinha registrado 1.182.368 veículos. O crescimento médio da frota gira em torno de 8% ao ano.

A violência no trânsito fez 424 vítimas ano passado. Dessas, 27,1% ou 115 pessoas estavam a pé quando perderam a vida e outras 42 (9,9%) eram ciclistas. Boa parte deles dividia o espaço com os carros porque, apesar da topografia quase plana — altamente favorável ao transporte por meio de bicicleta, Brasília tem apenas 42km de ciclovia concluídos.

Para o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no DF (Iphan), Alfredo Gastal, “a paisagem da cidade está sendo destruída pelo excesso de carros”. Ele critica a falta de investimentos no transporte público.

“Temos 2,2 pessoas para cada carro em circulação, um índice muito elevado”, destaca Gastal. “As ciclovias são um transporte limpo, democrático, adotadas no mundo inteiro. É inaceitável que o GDF não invista corretamente para construir vias para os ciclistas. Seria uma forma excelente de tirar os carros da rua e reduzir o trânsito”, diz a promotora de Defesa da Ordem Urbanística Luciana Medeiros, do Ministério Público do DF. Para o governo, o Programa de Transporte Urbano do DF — Brasília Integrada é o único capaz de dar a mobilidade que o DF precisa.

A Brasília de Lucio Costa
"Fixada a rede geral do tráfego de automóvel, estabeleceram-se tanto nos setores centrais como nos residenciais tramas autônomas para o trânsito local dos pedestres a fim de garantir-lhes o uso livre do chão, sem, contudo, levar tal separação a extremos sistemáticos e antinaturais, pois não se deve esquecer que o automóvel, hoje em dia, deixou de ser o inimigo inconciliável do homem, domesticou-se, já faz, por assim dizer, parte da família. Ele só se 'desumaniza, readquirindo vis-à-vis do pedestre, feição ameaçadora e hostil, quando incorporado à massa anônima do tráfego"Memorial do Plano Piloto de BrasíliaA solução para a cidade

"Brasília precisa reformar 100% do sistema de transporte coletivo adotando uma frota moderna, bonita para compor paisagem e eficiente. Só assim as pessoas vão se sentir incentivadas a deixar o carro em casa. É preciso investir no transporte limpo. A cidade é plana, muito propícia ao uso da bicicleta mas, mesmo quem tem interesse não encontra as condições favoráveis. Não há ciclovias ou ciclofaixas, nem local para deixar bicicleta ou tomar banho e trocar de roupa. E por fim, como não há como eliminar os veículos existentes, há que se investir em estacionamentos verticais para eliminar as ocupações de áreas irregulares (calçadas e espaços verdes)"José Lelis de Souza, doutor em Engenharia de Transportes pela Universidade de São Paulo.

Programa de Transporte Urbano do DF — Brasília Integrada

O projeto Brasília Integrada é apontado pelo governo como a solução para resolver os problemas de trânsito e transporte. Dentro do programa existem muitas vertentes, como a integração entre itinerários de ônibus e metrô, a ampliação das vias, a expansão do metrô e a construção do Veículo Leve sobre Trilho (VLT), além do incentivo aos meios de transporte alternativos, como bicicletas.

Ampliação da Estrada Parque Taguatinga (EPTG-DF-085)

O fluxo que era de 150 mil veículos deve dobrar a capacidade quando a obra for concluída. Estão sendo feitas algumas passarelas, quatro complexos de viadutos, vias marginais com duas faixas cada, quatro pistas de cada lado na via principal (sendo uma delas exclusiva para ônibus, feita de concreto) e uma ciclovia. São 26km de extensão (ida e volta) a um custo de R$ 245 milhões. O Banco Mundial financia 70% da obra e os 30% restantes são a contrapartida do GDF.

Programa Cicloviário do Distrito Federal

Do projeto inicial, que previa a construção de 600km de ciclovias/ciclofaixas, o governo entregou apenas 42km. Atualmente, 125km estão em obras. Nas próximas semanas, dois dos quatro trechos que vão interligar as cinco estações do metrô de Ceilândia começarão a ser construídos e vão custar R$ 3,8 milhões. Em Santa Maria, há um trecho de 15km que está sendo reformado e, no Recanto das Emas, outros 33km. Rodovias como a Estrada Parque Vicente Pires e a EPTG terão ciclovias. O programa chegou a ter uma gerência para cuidar exclusivamente dos estudos e planejamento das ciclovias, mas ela foi extinta recentemente.

Veículo Leve sobre Trilhos (VLT)

O governo dividiu as obras em três trechos. O trecho 1 tem 6,5km e vai do aeroporto até o Terminal Sul. Recebeu recursos de R$ 361 milhões do governo federal por meio do Programa de Infraestrutura e Transporte e Mobilidade Urbana, o Pró-Transporte. A verba também será aplicada na duplicação da DF 047 — que liga o aeroporto ao Eixão Sul. As obras devem começar ainda este ano e a previsão é que sejam concluídas em novembro de 2012. O trecho 2 é o maior, com 8,7km. Compreende o percurso entre o Terminal Sul e a 502 Norte.

O viaduto em frente ao Setor Policial Sul e o Centro de Manutenção já começou a ser construído, mas a obra está parada porque o governo ficou devendo documentação que está sendo analisada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O terceiro e último trecho vai da 502 Norte ao Terminal Norte (7,4km), mas ainda não há previsão para ser iniciado.

Estacionamento subterrâneo

O GDF está ajustando o orçamento para licitar a construção, a implantação, a sinalização, a operação e a manutenção de estacionamentos em áreas públicas. Serão criadas 10.574 vagas subterrâneas e de superfície nos setores Comercial Sul, Bancário Norte, Bancário Sul, Autarquias Sul, Hospitalar Norte e na Esplanada. As obras estão estimadas em R$ 300 milhões.

Fonte: Comitê de Obras do Governo do Distrito Federal e Codeplan.
READ MORE - Brasília é a capital dos carros: ''Falta investimentos no transporte público''

Curitiba: Terminal do Cachoeira está em situação crítica


Goteiras, paredes pichadas, cachorros, lixo do chão e banheiro sujo. Essa é a realidade que os frequentadores do Terminal do Cachoeira, em Almirante Tamandaré, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), enfrentam todos os dias quando transitam pelo local. Para a população, o local foi deixado à própria sorte.

O zelador João Chande, que passa no terminal todos os dias, conta que nunca viu alguém fazendo a limpeza do espaço na hora em que pega o ônibus. “É sempre esta sujeira. O banheiro não tem como usar e quando chove tem muita goteira. Eu me sinto péssimo em ter que usar este terminal, mas sou obrigado a usá-lo”, afirma.

Para o auxiliar de produção Jorge Aparecido de Oliveira, o ponto mais crítico do local é o banheiro masculino. “Precisa de muita coragem ou necessidade para usar o banheiro daqui. O cheiro lá dentro é insuportável e ele está sempre entupido. Eu só utilizaria aquilo se realmente precisasse, pois do contrário, nem chegaria perto”, admite.

De acordo com o pedreiro Emílio Horácio Maciel, o Terminal do Cachoeira é um dos mais sujos em que ele circula. “Infelizmente temos que conviver com isso. Fico com a sensação de abandono, pois tudo aqui deixa a desejar e não vejo melhorias para a população. O povo também não ajuda muito, pois costuma colaborar para que o local fique ainda pior, jogando lixo no chão e sujando o banheiro”, avalia.

O diretor administrativo da Secretaria de Administração de Almirante Tamandaré, Luiz Carlos Teixeira, conta que em breve serão contratadas pessoas para fazer a limpeza do terminal, assim como melhorar a vigilância. Há um projeto para reformar o telhado do local, que deve acontecer em 30 dias. Ele disse ainda que deve acontecer uma ampla reforma no espaço no início de 2011, para revitalizar a região. Contudo, o diretor chama a atenção quanto ao banheiro. “Foi feita uma reforma há aproximadamente 30 dias. Porém, os próprios usuários trataram de estragar. Vamos ver o que iremos fazer ali”, conta.

Fonte: Paraná-Online
READ MORE - Curitiba: Terminal do Cachoeira está em situação crítica

Mauá inicia reformulação do transporte neste sábado


A prefeitura de Mauá dará início à reformulação do transporte público na cidade neste sábado, com a interligação de nove linhas de ônibus que cortam o município. A expectativa é que essas mudanças reduzam o tempo de espera nos pontos.
Segundo o secretário de mobilidade urbana, Renato Moreira dos Santos, a ideia é transformar o modelo atual, que concentra todos as linhas no Terminal Central, em um sistema tronco alimentado, com pequenos pontos terminais nos bairros da cidade.
Outros dois grandes terminais serão construídos no Zaíra e no Jardim Itapeva. Já os bairros Vila Nova Mauá, Jardim Itapark, Guapituba e Alto da Boa Vista terão pontos terminais. O terminal do Jardim Independência será totalmente remodelado e estão previstas obras viárias no seu entorno.
O secretário também afirmou que o problema de iluminação no Terminal Central será resolvido em 30 dias. "Já fizemos algumas obras, como a colocação de telhas translúcidas e circuladores de ar, e uma estação primária deve aumentar a capacidade de energia no local", afirmou Santos.
Outras seis linhas devem ser interligadas até o dia 7 de agosto.(Com informações de Deborah Moreira)

Confira as linhas que mudam a partir deste sábado (24):
- 073 Oratório/Centro e 103 Bogus/Centro vão virar a linha B1071 Bogus/Oratório via Centro
- Falchi/Centro e Aracy/Centro vão virar a linha C0110 Centro/Aracy vai Falchi
- Parque das Américas e Itapark vão virar a linha B1091 Itapark/Parque das Américas via Centro
- Feital/Centro via Hélida e Hélida/Centro via Feital vão virar as linhas R1111 Feital Central e R1112 Hélida/Centro
- São Lúcido vai virar a linha AL111 Circular São Lúcido/Feital

Fonte: Diário do Grande ABC
READ MORE - Mauá inicia reformulação do transporte neste sábado

Paulistanos já pagaram mais de R$ 3 bilhões em pedágio neste ano


Como se não bastasse já ter pago mais de R$ 55,8 bilhões em imposto, o paulista já gastou quase R$ 3 bilhões com pedágio nas rodovias do Estado. Às 13h desta quarta-feira, o pedagiômetro contabilizava R$ 2,927 bilhões. No ano passado inteiro, as concessionárias das estradas arrecadaram R$ 4,5 bilhões. A média de crescimento apresentada de um ano para o outro é de 25%.

O número de postos também cresceu nos últimos anos. De 1997 para 2010, São Paulo ganhou 187 praças. De dois anos para cá, as rodovias do estado recebeu mais 71 postos de cobrança aumentou, de acordo com a Artesp (Agência Reguladora de Serviços de Transportes do Estado de São Paulo).

Embora o Estado tenha as dez melhores rodovias do Brasil, também tem as tarifas de pedágio mais caras, de acordo com um levantamento da Confederação Nacional dos Transportes. Os altos valores cobrados encarecem o frete e até impedem o tráfego dos motoristas de uma cidade para outra. Um caminhão de seis eixos paga 74% mais em imposto em terras paulistas do que em outro Estado, apontou uma pesquisa do IPEA (Instituto de Pesquisas de Economias Aplicadas).

Por segundo, os pedágios paulistas contabilizam R$ 168,09. Por hora são mais de R$ 605 mil. Por dia são mais de R$ 14 milhões e por mês o valor ultrapassa os R$ 435 milhões. O motorista pode acompanhar a quantas anda a arrecadação de pedágios no site do pedagiômetro.

Fonte: eBand
READ MORE - Paulistanos já pagaram mais de R$ 3 bilhões em pedágio neste ano

Curitiba: Primeira ciclofaixa da cidade, na Marechal Floriano, terá 4 km


A Prefeitura de Curitiba assinou nesta segunda-feira (19) convênio de cooperação técnica para implantar a primeira ciclofaixa da avenida Marechal Floriano Peixoto. O projeto faz parte da proposta de Curitiba para o STAQ (Sustainable Transport and Air Quality), projeto regional financiado com recursos do Banco Mundial e do Global Environment Facility (GEF) e coordenado pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP).
O presidente da Associação, Ailton Brasiliense, veio a Curitiba para formalizar o convênio, que foi feito apenas com mais duas cidades brasileiras, São Paulo e Belo Horizonte. Para Curitiba, serão doados US$ 2,1 milhões. O objetivo do projeto é reduzir as emissões de gases de efeito estufa por meio de intervenções em meios de transporte sustentáveis e mais eficientes. A ANTP acompanhará a utilização dos recursos nos projetos solicitados pela cidade.
"Sozinha, Curitiba já é uma referência. Queremos mostrar para as demais cidades como é possível fazer. Queremos estimular que outras cidades possam promover mudanças necessárias para a busca de meios de transporte não motorizados e com a valorização do transporte coletivo", disse Brasiliense ao informar que entre 2005 e 2009, a frota de automóveis no Brasil cresceu 50%.
O presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), Cléver Almeida, informou que a ciclofaixa será implantada, numa primeira etapa, do viaduto da Linha Verde até o Terminal do Carmo, numa extensão de aproximadamente 4km. Mas antes das obras necessárias à implantação da primeira ciclofaixa de Curitiba, as pistas lentas da avenida Marechal Floriano Peixoto serão totalmente revitalizadas.
Esta obra será licitada e paga pela Prefeitura de Curitiba. Só depois disso, em 2011, será implantada a ciclofaixa, que será feita com recursos da doação do GEF. Numa segunda fase, a Marechal Floriano terá infraestrutura cicloviária do Terminal do Carmo até a divisa com São José dos Pinhais, numa extensão de 3,7km. Além da ciclofaixa, os recursos serão investidos na contratação de consultoria para o Plano Diretor Cicloviário de Curitiba.
Como será - A ciclofaixa deverá retirar da canaleta de ônibus os ciclistas que a utilizam em seus deslocamentos. Paralela à canaleta da Marechal Floriano Peixoto, do lado esquerdo da pista, ela oferecerá mais segurança no trânsito, já que serão evitados os conflitos causados pelas conversões à esquerda (que serão proibidas) e pelas guias rebaixadas, que estão do lado direito.
Com a ocupação do lado esquerdo, o estacionamento existente hoje ficará do lado direito, junto ao alinhamento predial. Feita com emulsão asfáltica de alta resistência na cor vermelha, motoristas, pedestres e ciclistas facilmente reconhecerão o espaço reservado aos ciclistas. A ciclofaixa também terá tachões, pictogramas no asfalto e placas indicativas.
A implantação da primeira ciclofaixa na Marechal Floriano Peixoto se deve às características da via e à proximidade com outros trechos da infraestrutura cicloviária existente - a ciclovia da Linha Verde e a da Aluízio Finzetto, formando uma rede, conceito que será aplicado na cidade sempre que uma nova facilidade para incentivar o uso da bicicleta for adotada.
"A partir desta experiência, outras ciclofaixas poderão ser implantadas", disse o presidente do Instituto. Atualmente, a infraestrutura cicloviária da cidade possui 100km de ciclovias e calçadas compartilhadas. "Nossa meta para médio prazo é saltar dos atuais 100km para 300km de infraestrutura cicloviária, o que abrangerá várias facilidades, e não apenas ciclovias", disse Almeida. Ele informou que o Plano Diretor Cicloviário, que estava previsto no Plano de Mobilidade, estuda ainda a localização de para-ciclos e bicicletários.

READ MORE - Curitiba: Primeira ciclofaixa da cidade, na Marechal Floriano, terá 4 km

Etufor define programação especial para Fortal 2010


De 22 a 25 de julho, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) fará uma programação especial de ônibus para a 19ª edição do Fortal. A fim de facilitar o deslocamento do público até o local do evento, os horários de 12 linhas de ônibus serão prolongados, todos os dias, até o término da festa. A linha (840) Papicu/Fortal, que visa atender exclusivamente aos foliões, ligando o Terminal Papicu à Cidade Fortal, também estará operando.

Além dessas medidas, a Etufor prolongará o itinerário de três linhas que passam próximo ao evento e disponibilizará 75 veículos extras, que deverão estar a serviço da população a partir das 14 horas.

Linhas de ônibus com horário prolongado durante o Fortal:

027 - Siqueira/Papicu/Aeroporto
028 - Antônio Bezerra/Papicu
030 - Siqueira/Papicu/13 de Maio
041 - Av. Paranjana I
042 - Av. Paranjana II
044 - Parangaba/Papicu/Montese
045 - Cj Ceará/Papicu/Montese;
051 - Grande Circular I
052 - Grande Circular II
069 - Lagoa/Papicu/Via Expressa
076 - Cj Ceará/Aldeota
804 – Aldeota

Linhas de ônibus com itinerário prolongado durante o Fortal:

831 – Papicu/Hospital Geral/Cidade 2000
832 – Papicu/Cidade 2000
833 – Cidade 2000/Centro

Fonte: ETUFOR
READ MORE - Etufor define programação especial para Fortal 2010

Revitalização urbana irá extinguir problemas com transporte público em Uberaba

Modelo de Curitiba

Uma vez implantado, o projeto de revitalização urbana assinado pelo arquiteto urbanista Jaime Lerner deverá cessar de vez com problemas no transporte público em Uberaba. A afirmação é do vereador Almir Silva, ressaltando que, juntamente com o vereador Samuel Pereira, irá fazer o acompanhamento da execução do projeto relativo ao trânsito na cidade.

Os vereadores observam que o projeto partiu de um trabalho desenvolvido pelos parlamentares, quando se empenharam no estudo dos terminais de mais alto gabarito no país. "Curitiba, que teve o projeto assinado pelo arquiteto urbanista, certamente se destaca. Foi quando enviamos nossa análise e proposta ao prefeito, que abraçou o projeto", afirmou Almir.

Samuel salienta que a cidade está em fase de crescimento e precisa ser estruturada para comportar o desenvolvimento. O vereador Almir também destaca a importância de melhorias para o setor, tendo em vista a demanda por parte da população para que, segundo ele, em número cada vez maior, tenda a ser usuária do serviço de transporte público. "A implantação dos terminais, modernos e arquitetonicamente funcionais, trará mais segurança aos usuários, comodidade, qualidade e agilidade ao serviço", disse Almir.

Ele também ressalta que a tendência, ao longo dos anos, assim como acontece em cidades maiores, é que em Uberaba mais pessoas passem a usar o transporte coletivo. "A modernidade e conforto que esse projeto irá trazer também deve contribuir para aumentar o número de usuários do serviço. Consequentemente, as empresas de ônibus deverão ofertar melhorias e qualidade a seus clientes. Ou seja, o principal beneficiado com isso tudo será o uberabense.

"Pela proposta serão implantados dois terminais, um Leste e outro Oeste na avenida Leopoldino, intermediados por dez tubos ao longo da via. "O tempo previsto para construção dos terminais é de dois anos, haja vista que outras obras serão feitas antes, mas iremos acompanhar este processo passo a passo para garantir sua execução", garantiu Almir.

Fonte: Jornal de Uberaba
READ MORE - Revitalização urbana irá extinguir problemas com transporte público em Uberaba

Paralisação de ônibus em Brasília deixa população mais uma vez prejudicada


Motoristas e cobradores realizaram nova paralisação relâmpago na manhã desta quinta-feira (22/7). Os ônibus que fazem as linhas da Estrutural, Guará, P Sul, Núcleo Bandeirante, Octogonal e Cruzeiro ficaram parados entre as 5h e 8h. Os veículos da Viação Planeta, da garagem do Pistão Sul, e os da garagem central da Viação Planalto (Viplan) não rodaram nesta manhã. O sindicato dos Rodoviários já anunciou: haverá uma greve geral caso o acordo não seja cumprido ou uma nova proposta seja apresentada até este domingo (25/7).

De acordo com o presidente do Sindicato dos Rodoviários, João Osório, as paralisações servem para conversar com as categorias sobre a assembleia para a votação de greve geral, que está marcada para o próximo domingo.

Segundo um dos diretores do sindicato, Messias dos Reis, as empresas ainda não pagaram o adiantamento salarial e o valor da cesta básica, que deveriam entrar na conta dos funcionários todo dia 20. "Nós estamos fazendo essas paralisações relâmpago para conscientizar os empresários a cumprirem o acordo. Nós também não queremos fazer uma greve geral, mas é o que vai acontecer se uma nova proposta não for apresentada até domingo", ameaça o diretor.

A reportagem do Correio Braziliense passou por várias paradas de ônibus nas regiões afetadas e constatou que as paradas do Guará, P Sul e Núcleo Bandeirante foram as que ficaram mais cheias de passageiros a espera de ônibus.



READ MORE - Paralisação de ônibus em Brasília deixa população mais uma vez prejudicada

DF: Recarga automática do Passe Livre pode ser aprovada até a próxima sexta-feira


O governador do DF, Rogério Rosso, tem até sexta-feira (23/7) para decidir se veta ou sanciona o Projeto de Lei que torna a recarga automática dos cartões.

A assessoria de imprensa do governador confirma que Rosso deve tomar posição sobre o assunto até sexta-feira, no entanto, não adianta nada sobre a decisão que será tomada. O projeto de lei vai facilitar a vida dos usuários, extinguindo a necessidade de ir até um posto para efetuar a recarga do cartão.

O projeto substitutivo foi aprovado no dia 30 de junho, pelos deputados distritais, junto com o crédito extra de R$ 20 milhões ao Passe Livre. Segundo o texto, o governo vai arcar com um terço do valor das passagens, e resto ficará sob a responsabilidade do sistema de transporte coletivo do DF.

Movimento

A procura de usuários nos postos de recarga ainda é grande. De acordo com a assessoria de imprensa da Fácil, só na segunda-feira (19/7), dos 132 mil usuários sem repasse, 6.922 foram atendidos.

Dos R$ 3 milhões liberados para o abastecimento dos cartões, R$ 618 mil foram gastos.De acordo com a empresa, os postos estão bastante lotados esta manhã. No Setor Comercial Sul, por exemplo, a fila está extensa.

A Fácil explica que o atendimento é feito sem problemas, no entanto, é preciso um pouco de paciência porque há uma certa demora recorrente da quantidade de pessoas à espera da recarga.

Postos de recarga da Fácil

Setor Comercial Sul: Ed. Palácio do Comércio, Quadra 2, Bloco B – Térreo, salas 1 e 2

Taguatinga: C10, Lote 15, Loja 1, Taguatinga Centro (em frente à entrada do Colégio EIT)

Sobradinho: Quadra Central (Bloco K, Ed. Varandas Shopping, Lojas 18 a 21, próximo à Feira Modelo)

Gama: Terminal Rodoviário do Setor Central do Gama, lojas 22 a 25Samambaia: QN 318, Conjunto 2, Lote 1

Fonte: Correio Braziliense
READ MORE - DF: Recarga automática do Passe Livre pode ser aprovada até a próxima sexta-feira

Fundos de pensão entrarão no trem-bala


Peças estratégicas no financiamento das grandes obras de infraestrutura do governo, os fundos de pensão das estatais participarão do trem de alta velocidade (TAV) que ligará o Rio a São Paulo e Campinas. Segundo uma fonte do governo, representantes de Funcef (Caixa Econômica Federal), Petros (Petrobras) e Previ (Banco do Brasil) vêm se reunindo com o governo e comunicaram que articulam a formação de um fundo de investimento para se associar ao vencedor após o leilão.
Com o fundo, essas entidades visam a entrar com participação na sociedade de propósito específico (SPE) que vai construir e operar a ferrovia, cujo orçamento é de R$ 33,1 bilhões. Depois do leilão, a Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade (ETAV) vai se incorporar ao grupo, com 33% do capital.
A participação dos fundos é tradição nos grandes investimentos nacionais. Este ano, a Funcef comprou 5% de participação no consórcio Energia Sustentável do Brasil (ESDB), que constrói a hidrelétrica de Jirau, em Rondônia. Os fundos de pensão participam, direta e indiretamente, com 27,5% no projeto de Belo Monte, no Pará.
Enquanto isso, o governo acompanha e estimula as conversas nos bastidores entre investidores nacionais e estrangeiros. Trata-se de uma estratégia comum em grandes projetos no país. O objetivo declarado é monitorar o movimento dos interessados, mas a estratégia real é evitar que não haja concorrência suficiente no leilão. O governo adotou política semelhante nos últimos leilões de hidrelétricas.
- Estimulamos a maior participação possível e a concorrência, mas não estamos forjando grandes grupos. Não acreditamos que o leilão ficará vazio (sem interessados) - diz a fonte do governo.
Representantes de sete países estão interessados no TAV - China, Japão, Coreia do Sul, França, Alemanha, Itália e Canadá. Apenas os chineses não manifestaram interesse em ter um sócio nacional na empreitada. Os interessados têm conversado com o Ministério dos Transportes e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). De acordo com a fonte, apenas os coreanos sinalizaram que participarão mesmo da licitação. Para isso, contam com o apoio de dez empresas locais, como Hyundai e Samsung.
- Já temos a garantia de que um consórcio irá entrar no leilão, e outros grupos estão sendo formados - diz a fonte.

Fonte: O Globo
READ MORE - Fundos de pensão entrarão no trem-bala

Ipatinga vai adotar sistema de integração no transporte público


A administração municipal deverá aprovar, no mês que vem, o projeto de sistema de integração do transporte coletivo. O mecanismo será implantado nas principais avenidas e trechos urbanos das duas rodovias que cortam a cidade (BR-381 e BR-458), onde será possível fazer a integração para os diversos bairros da cidade.
Por exemplo, quem mora no bairro Bethânia e quiser se deslocar para o Horto terá que descer no bairro Cidade Nobre (onde haverá um ponto de integração) e pegar outro ônibus até o destino desejado. Para fazer todo esse trajeto o usuário pagará tarifa única, pois a partir da primeira viagem ficará registrado que o usuário irá fazer a integração em outro ponto. “Desta forma, vamos propiciar ao munícipe maior flexibilidade de horário, mais ruas contempladas pelo transporte coletivo e menor tempo de espera nos pontos”, explica o secretário de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Rodrigo Resende.
O novo sistema só permite bilhetagem eletrônica. Caso o usuário queira usar o dinheiro para pagar a tarifa não vai poder utilizar a integração. Ainda de acordo com o secretário, depois da aprovação do sistema será feito um projeto-piloto em alguns bairros para os ajustes necessários à efetiva implantação do serviço. A expectativa é que os testes comecem no final do ano e durem no máximo três meses. “À medida que isso for se ajustando e começar a operacionalização de maneira contínua, a gente vai estender para os demais bairros”, disse. O projeto prevê ainda adequação dos pontos de ônibus. TarifaçãoO secretário considera que, apesar de o transporte público ter 75% de aceitação da população, existe um deficit de utilização do serviço devido a outros meios de transportes que o usuário utiliza, como carros próprios e mototáxi. “Queremos trazer as pessoas de volta aos ônibus. É muito mais seguro e, mostrando eficiência, vai possibilitar pontualidade e até o meio ambiente vai agradecer, pois serão mais pessoas rodando em um veículo único”, compara.
Rodrigo reconhece que o atual sistema às vezes força o passageiro a usar ônibus de até três linhas para fazer o trajeto desejado entre a origem e o destino. “Isto desestimula o uso. Funcionando de forma integrada, a tarifação consegue ter uma constância maior e o sistema fica mais enxuto. E a nossa proposta é aumentar o número de horários”, conclui.
Reclamações e dificuldades de acesso a alguns bairros
Há mais de quatro anos o transporte público do município não passa por uma readequação de itinerários e horários. Da mesma forma, não houve alterações desde que a atual concessionária assumiu o serviço.
As principais reclamações eram: falta de ônibus para bairros “escondidos”, como Veneza II, Parque das Águas (Planalto I e II), Alto do Iguaçu e Alto do Bethânia. O que ocorre nestas localidades é que as poucas linhas existentes dão acesso somente ao Centro e ao Hospital Márcio Cunha, mesmo assim com horários considerados restritos, especialmente nos finais de semana, principalmente aos domingos, quando não há linhas para alguns bairros.
A auxiliar administrativa Eliziane Moreira, 31, mora no bairro Veneza II e espera com ansiedade o sistema de integração. Segundo ela, os horários do ônibus que vão para o Centro são restritos e não há coletivos suficientes com acesso ao bairro Horto. Para ir a bairros como Iguaçu, Cidade Nobre e Bethânia, o jeito é pegar dois ônibus. “Eu trabalho no Horto e começo no serviço às 7h20, justamente na hora que o ônibus Veneza/Bom Retiro passa próximo à minha casa. O jeito é sair bem mais cedo e ir até a avenida Macapá, no bairro Veneza, para pegar um outro circular que demora quase uma hora para chegar ao Horto”, reclama.
Pesquisa orientou sistema integrado
A mudança no sistema de transporte coletivo foi considerada depois de uma pesquisa feita junto aos passageiros que utilizam os ônibus. O levantamento, realizado entre os dias 30 de setembro e 22 de outubro do ano passado, entrevistou cerca de 20 mil usuários. De acordo com o trabalho, feito pela empresa Tecnotran Engenheiros e Consultores, 20,4% da necessidade de deslocamento originam-se ou destinam-se à área central.
O estudo seguiu duas metodologias: na primeira, o usuário era questionado de onde ele vinha e para onde ia. Na segunda modalidade, o pesquisador anotava em uma cédula o momento em que o usuário entrava no ônibus. Ao sair, outro pesquisador anotava o local de desembarque.
Os usuários que não passavam pela roleta e entravam pela porta da frente também foram pesquisados. Este levantamento apontou que, mensalmente, 27,9% dos 60 mil usuários de transporte coletivo não pagam passagem, totalizando mais de 12 mil passageiros. Este dado é considerado elevado. O estudo apontou que a linha de ônibus mais utilizada tem como destinação o bairro Bethânia. Já os bairros Cidade Nobre, Iguaçu, Bethânia e Centro totalizam 44,6% de todos os deslocamentos.
A conclusão do estudo aponta que o sistema viário reflete a concentração de linhas e passageiros nos principais corredores da cidade, principalmente nos locais de acesso às zonas de maior geração de viagem (origem e destino), ocasionando uma superposição de itinerários.

READ MORE - Ipatinga vai adotar sistema de integração no transporte público

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960