DF: Ônibus devem circular normalmente nesta quarta-feira, mesmo sem acordo entre rodoviários e empresários

terça-feira, 15 de junho de 2010


Terminou sem acordo a reunião entre o Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal e Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do DF, na tarde desta terça-feira (15/6). A categoria não aceitou a proposta dos empresários, que não negociaram reajuste salarial. Entretanto, de acordo com a assessoria, os ônibus devem circular nesta quarta-feira (16/6).

De acordo com a assessoria do sindicato dos rodoviários, a categoria considerou "inaceitável" a proposta que apenas mantém o acordo coletivo, desde que os rodoviários se comprometessem a não realizar nenhum tipo de protesto. S

egundo a assessoria, sem o acordo coletivo - com cláusulas que garantem benefícios que não estão presentes na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) - os rodoviários perderiam tíquete cesta básica e a jornada de trabalho poderia mudar.Nesta quarta-feira (16), a direção do sindicato vai se reunir para decidir quais atitudes serão tomadas pela categoria.

Reivindicações - Os rodoviários pedem um reajuste de 20%, além de aumento igual no tíquete cesta básica. Eles querem ainda plano de saúde, licença maternidade de seis meses, fim da obrigatoriedade da jornada extra e renovação da frota de ônibus com motor traseiro.



Fonte: Correio Braziliense
READ MORE - DF: Ônibus devem circular normalmente nesta quarta-feira, mesmo sem acordo entre rodoviários e empresários

BH investe em Corredores para ônibus, Alargamento da Antônio Carlos e reformulação do Complexo viário da Lagoinha são exemplos de projetos prioritário


A Gerência de Implantação de Corredores (GECOR) foi criada em fevereiro de 2005 com a missão de coordenar o desenvolvimento e a implantação de projetos relativos ao tratamento prioritário para o transporte coletivo, sobretudo em corredores de transporte e estações de integração em Belo Horizonte. Para isto, a equipe da área analisa e aprova os projetos do sistema viário interno e externo das estações e dos corredores de transporte e participa de estudos visando à obtenção de financiamentos para o sistema de transporte, no que se refere ao tratamento de corredores e estações de integração.

Para as estações de integração são desenvolvidos estudos de viabilidade econômico-financeira, com a participação da área na elaboração do edital de operação urbana dos projetos. Já relativamente ao sistema de transporte coletivo, a GECOR desenvolve políticas e medidas para a priorização da circulação do transporte coletivo nos corredores. Além disto, esta gerência participa da concepção e desenvolvimento de projetos relativos ao tratamento de áreas de circulação de pedestres em pontos de embarque e desembarque do transporte coletivo ao longo dos corredores de transporte.

No ano de 2008, a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTRANS) contemplou a capital mineira com a implementação de vários projetos realizados pela Gerência de Implantação de Corredores. Dentre os principais, pode-se destacar o alargamento da avenida Antônio Carlos, a reformulação do Complexo viário da Lagoinha, a implantação da área de integração de ônibus na Rua Aarão Reis, a atualização do projeto arquitetônico da Estação de Integração Diamante, bem como o Licenciamento Ambiental do Pátio de Estocagem para ônibus anexo a esta estação BHBus.

Também foram desenvolvidos, pela GECOR, projetos que ainda serão implementados no município, tais como a estação de integração Pampulha (Av. Pedro I com Av. Portugal), as intervenções viárias no projeto Rota Sul (avenidas Senhora do Carmo, Cristóvão Colombo e João Pinheiro), a elaboração de projeto básico para um trecho da avenida Pedro II e a Estação Alípio de Melo.

Fonte: GECOR, BHTRANS.
READ MORE - BH investe em Corredores para ônibus, Alargamento da Antônio Carlos e reformulação do Complexo viário da Lagoinha são exemplos de projetos prioritário

Porto Alegre: Prefeito diz que o principal objetivo é o aprimoramento do transporte coletivo


Porto Alegre é hoje uma grande cidade. Grande em sua história, grande em seu tamanho e, como toda metrópole, conta com grandes problemas. Governar uma cidade assim é conviver diariamente com questões que dizem respeito e preocupam a maioria da população. A mobilidade urbana é um dos temas que mais envolvem cidadãos.

Por isso, a prefeitura trabalha de modo efetivo na orientação, controle e na busca de soluções para o trânsito. O principal objetivo é o aprimoramento do transporte coletivo. Atualmente a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) está trabalhando para a qualificação do transporte coletivo na Zona Sul, Assis Brasil e Lomba do Pinheiro.Mesmo contando com um dos melhores sistemas de transporte público do país, conforme a ANTP, estamos implementando o projeto Portais da Cidade, que vai transformar o trânsito da cidade, com menos poluição, mais rapidez, segurança e eficiência.

A prefeitura também está em tratativas com o governo federal para a construção do metrô da Zona Norte.É importante destacar que Porto Alegre tem mais de 700 mil veículos registrados – um para cada dois habitantes e, por ano, mais de 30 mil novos automóveis passam a trafegar. Isso tem um grande impacto na mobilidade da cidade, pois as obras de ampliação de vias, por mais eficientes que sejam, não têm como acompanhar esse ritmo.

Fonte: Intelog
READ MORE - Porto Alegre: Prefeito diz que o principal objetivo é o aprimoramento do transporte coletivo

Goiânia: Terminais do Eixo Anhanguera serão ampliados e percurso prolongado


Sérios problemas como superlotação, atraso e falta de mais ônibus nas linhas que ainda atormentam os usuários do transporte coletivo de Goiânia forçaram a prefeitura e o governo de Goiás a elaborarem um pacote de melhorias que poderá ser anunciado na semana que vem. Desde o início do ano, uma série de medidas para a melhoria do transporte público da Capital foi anunciada, mas poucas ações deram certo na prática.

O mesmo ocorre com o Eixo Anhanguera, de responsabilidade do governo estadual, por meio da Metrobus. O próprio eixo recebeu pinturas novas, mas os velhos problemas ainda continuam. Os cinco terminais do Eixo Anhanguera estão sempre superlotados, principalmente em horários de pico, devido ao espaço compacto e à falta de reformas estruturais para a ampliação desses pontos. O drama é ainda maior para quem mora nas cidades vizinhas da Capital, que compõem a Grande Goiânia, que fazem o uso cotidiano das linhas alimentadoras.

Esses coletivos estão sempre atrasando e quando chegam, saem com superlotação. A desorganização fica mais evidente quando o ônibus estaciona na plataforma. Na falta de espaços específicos para embarque e desembarque, os usuários são forçados a descer e entrar no coletivo ao mesmo tempo. O empurra-empurra é inevitável. Crianças, mulheres e idosos se espremem para ter acesso ao ônibus, sendo vítimas de uma situação vexatória e humilhante.

O DM foi até o terminal Padre Pelágio, o de maior fluxo de usuários em Goiânia, e colheu alguns depoimentos de usuários insatisfeitos com as linhas alimentadoras. O passageiro, além de pagar R$ 1,15 para entrar no terminal, tem que desembolsar mais R$ 1,10 para ter acesso aos ônibus alimentadores.

Segundo o armador Francisley Ribeiro Castro, 31 anos, o coletivo da linha 139, que sai do Padre Pelágio até Goianira, está sempre cheio e atrasado. “Todos os dias é esse sufoco, o ônibus só anda cheio e sempre chego atrasado no meu serviço”, afirma. O garçom Daniel Lopes Damasceno, 27, reclama que a linha 142, que vai até Trindade, não deveria parar no terminal Vera Cruz. “Tem que ter mais ônibus nas linhas e o 142 não deveria parar em outro terminal, pois o ônibus já sai cheio do Padre Pelágio e fica superlotado depois que passa pelo Vera Cruz”, afirma.

Prefeitura planeja corredores exclusivos
Segundo o secretário estadual de Cidades, Paulo Gonçalves, o governo estadual pretende apresentar, nos próximos dias, uma série de medidas que visam melhorar o Eixo Anhanguera.

De acordo com ele, está em pauta a substituição da frota, além do prolongamento do eixo até a Vila Mutirão, na saída para Goianira. A extensão até o Jardim das Oliveiras em Senador Canedo também está prevista. “O governo pretende ampliar os cinco terminais já existentes e criar outros novos. O plano ainda se encontra em fase de estudo, mas será uma parceria entre o governo estadual, municipal e federal”, adianta.

Outra medida que poderá causar um impacto positivo para a melhoria do transporte coletivo são as chamadas “linhas expressas”, que vão ligar os terminais até um destino específico, sem ter a necessidade de paradas em pontos e outros terminais. “É um projeto da prefeitura, mas nós tivemos acesso. As linhas expressas seriam úteis aos destinos em que a demanda de passageiros é muito grande, como universidades, hospitais e empresas com muitos funcionários”, revela.

Já a assessoria de imprensa do prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, declara que até a próxima semana haverá uma reunião com o governador Alcides Rodrigues, que dará o seu parecer sobre o plano emergencial elaborado pela prefeitura. Ainda segundo a assessoria do prefeito, Paulo Garcia está ciente das deficiências do transporte coletivo da Capital, mas que a criação dos corredores exclusivos e a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) poderão dar mais agilidade e conforto aos usuários.

Segundo a assessoria do prefeito, esses projetos poderão ser executados até o final do ano. O presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC), Marcos Massad, afirma que não fará nenhuma declaração até que o pacote de melhoria seja divulgado pelo prefeito e o governador Alcides Rodrigues. “Não vou comentar sobre o pacote, mas posso dizer que melhorias virão”, diz.

Mudanças e alterações previstas no pacote
Extensão do Eixo Anhanguera até a Vila Mutirão, na saída para Trindade
Extensão do Eixo até o Jardim das Oliveiras
Criação das “linhas expressas”, que vão ligar os terminais a lugares específicos
Prefeitura estuda a implantação de corredores exclusivos
Substituição da frota do Eixo Anhanguera

Fonte: Diário da Manhã
READ MORE - Goiânia: Terminais do Eixo Anhanguera serão ampliados e percurso prolongado

São Paulo: Corredor Metropolitano Diadema-Brooklin sai em julho


O Corredor Metropolitano Diadema Săo Paulo (antigo Diadema-Brooklin), uma das obras mais antigas e inacabadas pelo Estado, pode começar a funcionar no fim de julho. Foram mais de 20 anos de espera. O corredor de ônibus que liga Diadema a Zona Sul de Săo Paulo é intervençăo mais antiga que o Rodoanel Mário Covas.

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) informou que as obras terminam em meados do męs que vem. Em fase final, estăo sendo instalados os 36 pontos de paradas e estaçőes de transferęncia. Um dos pontos quase concluídos fica próximo ŕ divisa entre a Capital e Diadema, no Jardim Miriam. O investimento ultrapassa R$ 24 milhőes.

O corredor começou a ser construído em 1986 e năo prevę desapropriaçőes. Sinalização vertical e horizontal estăo sendo colocadas na faixa viária. Até o final do próximo mês, os semáforos já devem entrar em funcionamento. A expectativa do superintendente da empresa, José Jacques Namur Yazbek, é de que năo haja atraso nos trabalhos. "Vamos conseguir cumprir a planilha de obras. Assim, cabe apenas ao governo anunciar oficialmente a inauguraçăo", disse Yazbek.

Ônibus a diesel vão atender mais de 70 mil passageiros por dia. A tarifa que o usuário deve pagar ao embarcar em um ponto de Diadema, por exemplo, é de R$ 2,60. A promessa é de agilidade no trajeto, já que os veículos văo trafegar por faixa preferencial. As empresas que vão operar o sistema são a própria EMTU e a SPTrans.

Na estação Morumbi, haverá integração com a linha 9-Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Futuramente, outra interligação será estendida: quando concluída, a estação Campo Belo vai permitir o acesso integrado com o Metrô (linha 5- Lilás). O usuário que precisar acessar a linha de trem pode pagar uma taxa de R$ 5 ao embarcar nos ônibus do corredor. É um desconto de R$ 0,30 sobre a passagem.

O ex-governador José Serra (PSDB) havia prometido em 2008, durante solenidade na Cidade Ademar, divisa com Diadema, que os veículos do corredor seriam elétricos. Contudo, o superintendente da EMTU afirmou que trata-se de um projeto. "Primeiro vamos iniciar as viagens com veículos a diesel. Mas o Estado tem planos para instalar o sistema elétrico", afirmou Yazbek. Além das intervençőes ao longo do trecho, nas próximas semanas a EMTU deve tratar dos carros estacionados no corredor, em Diadema.

Os motoristas se acostumaram com o espaço aberto, transformado em estacionamento gratuito. Lojistas também colocam carros novos e semi-novos à exposiçăo na via inacabada. "Em breve vamos instalar sinalizaçăo indicando que o local é faixa exclusiva. Se for necessário, vamos contatar os empreendedores que transgredirem as normas", pontuou o superintendente.

Surpresa - Por causa da demora na entrega do corredor, muitos passageiros se esqueceram da finalidade da via exclusiva. Mas a rapidez nas viagens atrai a atenção dos usuários. "Tenho de pegar todos os dias ônibus para a Zona Sul. Se realmente for diminuir o tempo de viagem, vou economizar tempo", disse o motorista Marcos Martiliano, morador de Diadema. O técnico em eletrônica Luiz Carlos Silva se preocupa com a integraçăo com Metrô e CPTM. "Tenho de vir para Diadema várias vezes por semana", disse.

O ponto de parada que está sendo construído no Jardim Miriam deve atender a uma demanda de passageiros residentes do Condomínio Residencial Cupecę, com mais de 5 mil moradores. O sub-síndico Durval Marques dos Santos disse que a maioria dos moradores utiliza as linhas de ônibus da avenida Cupecę, por onde corta o corredor: "Vai facilitar nossa vida".”Para o professor da FEI e especialista em trânsito, Creso de Franco Peixoto, o corredor exclusivo de coletivos pode melhorar o tráfego da Regiăo Metropolitana. Mas ressalva que a solução mais viável é a instalaçăo de VLTs (veículos leves sobre trilhos). "É um sistema com resultados muitos positivos na Europa. Mas năo basta. É preciso que o Estado integre todo o transporte público", salientou.

Fonte: Renan Fonseca - Jornal ABCD Maior
READ MORE - São Paulo: Corredor Metropolitano Diadema-Brooklin sai em julho

DF: Governador e distritais debatem novo projeto do Passe Livre Estudantil


Em reunião com 13 deputados distritais na manhã desta segunda-feira (14), no Salão Verde da Residência Oficial de Águas Claras, o governador Rogério Rosso discutiu detalhes da nova lei do Passe Livre estudantil, entre outros assuntos também relevantes e emergenciais. “Estamos fazendo uma apresentação orçamentária financeira do DF e discutindo em conjunto as novas regras do Passe Livre”, afirmou Rosso. “O crédito que tem que ser aprovado na Câmara Legislativa do Distrito Federal para que estudantes não tenham problemas com o transporte”, completou.
O governador acredita que o projeto de lei e o orçamento extra do Passe Livre estudantil serão aprovados na Câmara Legislativa ainda nesta semana. “Os deputados distritais estão conscientes de que o assunto é relevante para o GDF, para a Câmara e para a sociedade”, lembrou. “Eles sabem que não foi previsto orçamento para o passe livre estudantil. Os recursos acabaram e teremos que criar um orçamento extra”, reforçou o governador Rosso.
Rosso esclareceu ainda que os 24 parlamentares foram convidados para o encontro e os que não compareceram justificaram a ausência. O governador também explicou que os parlamentares mantêm opiniões divergentes sobre o projeto do Passe Livre e que as soluções estão em discussão. “Vamos criar recursos nas mesmas regras atuais ou vamos criar novas regras para que o governo tenha não só o controle sobre os gastos como também critérios mais justos”, concluiu.

Fonte: Clicabrasília

READ MORE - DF: Governador e distritais debatem novo projeto do Passe Livre Estudantil

Metrôs, VLT e trem vão ajudar a resolver gargalo no tranporte do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte


O setor ferroviário de carga e de passageiros entrou numa promissora onda de expansão. Só em São Paulo, Rio e Minas Gerais o volume de investimentos beira R$ 15 bilhões, com quase R$ 8 bilhões previstos para este ano. O valor inclui projetos de metrôs, veículos leves sobre trilhos (VLT), trens urbanos e aumento da frota de trens de carga. Isso sem considerar o Trem de Alta Velocidade (TAV), de R$ 34,6 bilhões, ainda não licitado.
O movimento brasileiro, guardadas as proporções, segue uma tendência mundial de reerguer o setor ferroviário, como tem ocorrido nos Estados Unidos, China, Índia e alguns países da Europa, que incluíram o transporte sobre trilhos na agenda de investimentos para atenuar os efeitos da crise mundial, iniciada em 2008. Por aqui, um dos principais objetivos é preparar o País para a Copa do Mundo, de 2014, e os Jogos Olímpicos, de 2016.
Além do metrô, governadores e prefeitos elegeram o VLT e o monotrilho como opções para o transporte urbano. A vantagem é que, além de emitir menos dióxido de carbono (CO2) que os ônibus, custam 1/3 do investimento no metrô. Em São Paulo, há três projetos de monotrilho. Os investimentos de maior volume, porém, estão comprometidos com a expansão do metrô.
Outra aposta do governo paulista é dar às linhas da CPTM qualidade de metrô, com intervalos menores entre os trens e uma frota nova, diz o presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), Vicente Abate. O projeto é quadruplicar a rede com qualidade de metrô, de 60 km para 240 km.
No Rio, o governo do Estado está em estágio avançado para iniciar as obras das linhas 3 e 4 do metrô, com R$ 3,9 bilhões de investimentos. Juntas, vão elevar em 36 km a rede de metrô do Rio, diz a Secretaria de Transportes.
Para o professor da Fundação Dom Cabral, Paulo Resende, os recursos para o setor ferroviário são de extrema importância para a economia e bem-estar da população. Mas, na avaliação dele, o País precisa acelerar ainda mais os investimentos. No caso do transporte de passageiros, a carência por expansão é grande.
No transporte de cargas, a ampliação da malha está diretamente ligada à melhoria de competitividade. No Sudeste, um dos principais projetos é o Ferroanel de São Paulo, que há anos está em estudo pelo governo de São Paulo e pelo governo federal.

Fonte: O Estadão
READ MORE - Metrôs, VLT e trem vão ajudar a resolver gargalo no tranporte do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte

Metrô BH: Biblioteca registra mais de 8 mil empréstimos de Livros


Mais de oito mil empréstimos e cerca de 1500 associados são os números registrados pela biblioteca Estação Leitura em nove meses de funcionamento. Localizada na Estação Central do Metrô de Belo Horizonte, o espaço conta com um acervo de mais de dois mil livros e, apenas em maio, emprestou 740 exemplares. O espaço é uma iniciativa do Instituto Brasil Leitor, com apoio da CBTU-METRÔ BH e com patrocínio da Fosfertil.

Aberta de segunda à sexta, de 11h às 20h, a biblioteca reúne associados de todas as idades. A maioria tem de 21 a 30 anos, somando 35% do total, seguida dos usuários entre 31 e 40 anos, que representam cerca de 27% dos sócios. As mulheres aproveitam bem o acervo disponível na estação do Metrô, sendo 68% do público cadastrado. Já em relação à escolaridade, 50% dos associados têm o ensino médio completo.

A literatura é o gênero mais procurado, somando quase quatro mil empréstimos, desde a inauguração. No topo do ranking, estão “A menina que roubava livros”, retirado 58 vezes, e “O caçador de pipas”, lido por 52 pessoas.

O cadastro da biblioteca é gratuito e para se associar é preciso apresentar original e cópia dos documentos de identidade, CPF e comprovante de residência, além de uma foto 3x4. Menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis.

Fonte: Metrô BH
READ MORE - Metrô BH: Biblioteca registra mais de 8 mil empréstimos de Livros

DF: Greve de ônibus suspensa, Ônibus circulam normalmente nesta terça


Em reunião na noite desta segunda-feira (14/6), o Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal decidiu dar uma trégua na greve iniciada esta manhã. O presidente do sindicato, João Ozório, garantiu que não haverá catraca livre ou qualquer paralisação na terça-feira (15/6). Segundo ele, a decisão se deve ao prejuízo causado à população e a uma sinalização de avanço nas negociações.

O vice-presidente do do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do DF, vitor Foreste, chamou a categoria para uma reunião às 16h de terça-feira. Até lá, o movimento grevista está supenso. Só após esse encontro, os rodoviários vão se reunir novamente para definir a estratégia do dia seguinte. Segundo Ozório, o fim do movimento dependerá da proposta apresentada pelos patrões.

Ozório lamentou a confusão na Rodoviária do Plano Piloto, quando passageiros irritados com a demora dos ônibus usaram o lixo do terminal para atear fogo e bloquear o Eixo Monumental. "As empresas acabaram transformando o nosso movimento em problema para os usuários", disse o presidente do sindicato.

Fonte: Correio Braziliense
READ MORE - DF: Greve de ônibus suspensa, Ônibus circulam normalmente nesta terça

Fortaleza: Sem acordo para fim da greve, Justiça aumenta horário de pico de circulação dos ônibus


A Justiça ampliou os horários de pico para circulação de ônibus durante a greve dos trabalhadores do transporte rodoviário de Fortaleza.
A mudança ameniza os problemas dos usuários do serviço, que enfrentam problemas para se deslocar na Capital. Por enquanto, não há sinalização de acordo entre trabalhadores e empresariado.
O sétimo dia de greve não resultou em nenhum avanço nas negociações. Em assembleia realizada durante a tarde desta segunda-feira (14), o reajuste salarial foi firmado em 33%, mas o Sindionibus só oferece 5,5%.

Porém, uma ordem judical alterou o contingente de ônibus que deve circular nos horários de pico. Agora, 70% da frota deve funcionar das 5h às 9h e das 17h às 21h.
Durante o dia não houve paralisação surpresa nas empresas, como as realizadas na semana passada. Mas a movimentação normal não amenizou os problemas de quem precisou do serviço.

Luizianne Lins comenta a greve
A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, fez, nesta segunda-feira (14), duras críticas à greve dos motoristas, cobradores e fiscais de ônibus. Ela disse que o movimento é político e não vai ceder à pressões para aumentar o preço das passagens dos coletivos.

Fonte: Portal Verdesmares
READ MORE - Fortaleza: Sem acordo para fim da greve, Justiça aumenta horário de pico de circulação dos ônibus

Prefeitura de Praia Grande PG propõe alterações no projeto do VLT


A Prefeitura Municipal de Praia Grande realizou Audiência Pública, na terça-feira (8) para esclarecer algumas dúvidas ou lacunas existentes no edital da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que faz parte do Sistema Integrado Metropolitano (SIM), na Baixada Santista. Nesta primeira etapa, que tem previsão de assinatura de contrato com a concessionária ganhadora da licitação para novembro, contemplará somente as Cidades de São Vicente e Santos. Segundo o Prefeito de Praia Grande, Roberto Francisco dos Santos, a Administração Municipal insistirá para que as linhas atuais de ônibus intermunicipais continuem funcionando. “Vamos insistir também para que o Estado reveja o projeto e o VLT siga até Praia Grande, não prejudicando assim os moradores de todo Litoral Sul”, afirmou.

No evento estavam presentes representantes da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), vereadores, membros da sociedade civil e representantes do poder executivo das Cidades de Peruíbe, Itanhaém e Mongaguá.

Segundo o Roberto Francisco, as dúvidas não foram sanadas. “A nossa preocupação continua sendo a extinção de seis das sete linhas intermunicipais que levam moradores do Litoral Sul para Santos. Queremos manter, pelo menos, o ônibus 931 e não só o 934 como o edital propõe. Além disso, precisamos ter a certeza de que os usuários não terão de desembolsar um valor ainda maior para arcar com mais tarifas”, explicou.

Durante as discussões iniciais da implantação, a Prefeitura seria contemplada com o VLT através da via, ainda não existente, chamada Ramo 700, que ligaria a Rodovia Padre Manoel da Nóbrega ao Bairro Quietude. “Descobrimos somente depois da publicação do edital que Praia Grande estaria fora desta etapa de implantação”, afirmou Roberto Francisco.

Segundo o IBGE, Praia Grande é uma das cidades com maior índice de crescimento populacional do País. Hoje, são transportados mensalmente para Santos cerca de 1,5 milhão de pessoas através das linhas intermunicipais. “A previsão é que daqui a cinco anos levaremos cerca de 6 milhões, sem contar as linhas que vem das outras cidades do Litoral Sul. Para que ninguém seja prejudicado, continuaremos insistindo para que o VLT venha para Praia Grande”, afirmou Roberto Francisco.

O coordenador do SIM na Baixada Santista, Silvio Rosa, explicou que o número de ônibus acontecerá dentro da necessidade de demanda. “Avaliaremos a solicitação da Prefeitura quanto à continuidade de algumas linhas intermunicipais, assim como é provável haver o aumento da frota. Com o VLT, apesar da necessidade de baldeação, os usuários terão um tempo de percurso menor e maior conforto durante a viagem”.

Sobre a dúvida levantada quanto às tarifas que serão cobradas dos passageiros, Silvio Rosa explicou que nenhum valor será alterado. “Todas as integrações serão mantidas. A premissa do Estado é que o projeto não pode aumentar o preço gasto hoje pelo usuário para chegar ao seu destino. Mesmo ele mudando para uma tecnologia melhor quando ele fizer a integração ele não pagará nenhum valor a mais do que ele paga hoje”, explicou. Durante dois anos, previstos para a implantação da primeira fase do VLT, nenhuma linha será alterada.

O SIM é uma rede de transporte coletivo de média capacidade, que será operado com veículos leves sobre trilhos, e terá 11 km de extensão na sua primeira fase. Contará também com um corredor de linhas de ônibus alimentadoras. O custo estimado do projeto é de R$ 640 milhões, dos quais R$ 430 milhões correspondente à infra-estrutura e R$ 210 milhões à operação do sistema. Esses recursos virão dos municípios afetados pelo sistema, além do Estado e da União, dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Cada VLT terá capacidade para 356 passageiros e contará com ar condicionado e piso rebaixado, desenvolvendo velocidade de 60 km/h em via segregada e 30 km/h nas travessias de ruas e avenidas. Sua primeira etapa abrangerá a extensão do terminal Barreiro até o terminal do Porto, passando por São Vicente, José Menino, Av. Francisco Glicério até a Av. Senador Dantas. Na segunda fase o VLT subirá pela Av. Conselheiro Nébias até o Terminal de Passageiros do Valongo.

A previsão da EMTU é que o trajeto completo terá a duração de cerca de 30 minutos, com 13 paradas, transportando cerca de 220 mil passageiros em dias úteis.

Fonte: Jornal Vicentino
READ MORE - Prefeitura de Praia Grande PG propõe alterações no projeto do VLT

Greve dos rodoviários é considerada abusiva e ilegal em Volta Redonda


O Ministério Público do Trabalho em Volta Redonda obteve liminar contra o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários da Região Sul Fluminense em virtude da greve ocorrida em 27 de abril do corrente ano. A decisão judicial considerou ilegal e abusiva a paralisação, pois o representante sindical da categoria não observou os requisitos legais para deflagrar o movimento paredista.

Diante da ilegalidade praticada, o procurador do Trabalho Rodrigo Barbosa de Castilho ajuizou ação civil pública com o objetivo de obrigar o sindicato a comunicar previamente a população e as empresas de transporte coletivo urbano eventual paralisação sob pena de multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Segundo lembrou, na ocasião, a paralisação durou 24 horas. Alguns trabalhadores que não quiseram aderir ao movimento foram ameaçados e coagidos. Também foram registrados piquetes violentos durante a paralisação. “Os próprios usuários que já se encontravam nos veículos foram obrigados a sair dos ônibus”, relembra Castilho. De acordo com a Lei de Greve, o sindicato da categoria deve informar, com 72 horas de antecedência, a deflagração do movimento paredista, bem como assegurar percentual mínimo para a continuidade da prestação do serviço.

Na petição inicial, o procurador requereu à Justiça que o sindicato seja obrigado a informar com antecedência novo movimento paredista sob pena de multa diária; que garanta a prestação mínima do serviço ao usuário; e que seja proibido de realizar manifestações agressivas e violentas, assim como constranger e ameaçar aqueles que não queiram aderir ao movimento. Além disso, o MPT pediu a condenação do sindicato ao pagamento de dano moral coletivo na ordem de R$ 250 mil.

Fonte: Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro
READ MORE - Greve dos rodoviários é considerada abusiva e ilegal em Volta Redonda

MP lança projeto para conscientizar motoristas e cobradores quanto à necessidade de respeitar idosos


O projeto “Transporte Urbano e População Idosa: Construindo uma nova relação”, idealizado pela Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso com o objetivo de fortalecer a formação cidadã de motoristas, cobradores e permissionários do serviço de transporte coletivo urbano de Natal, terá sua primeira ação iniciada hoje (14) com a capacitação de 400 funcionários da empresa de ônibus Guanabara.

“A intenção é sensibilizar e conscientizar os funcionários sobre a situação do idoso. Para que eles possam enxergar essa relação do ponto de vista do idoso, serão adotadas metodologias lúdicas que vão colocar os motoristas e cobradores no papel do idoso que, por exemplo, pede parada e não é atendido”, esclarece a Promotora de Justiça Iadya Gama Maio.

As oficinas serão ministradas de 14 a 30 de junho, a partir das 9h, na empresa de Empresa de Transportes Guanabara (Av. Capitão Mor Gouveia, 125, Quintas). A data de início da capacitação foi escolhida para marcar o Dia Mundial de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa, 15 de junho.As questões envolvendo idosos e o transporte público têm gerado um grande número de reclamações na Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso.

“São muitos casos relatados toda semana noticiando desde motorista que ignoram o pedido de parada a quedas e desrespeito”, afirma Iadya Gama, lembrando que para o ano de 2010 o Conselho Nacional do Idoso elegeu o tema “violência e transporte” como principal foco a ser trabalhado.

Fonte: Tribuna do Norte
READ MORE - MP lança projeto para conscientizar motoristas e cobradores quanto à necessidade de respeitar idosos

Novo sistema de transporte em Águas Lindas

Os moradores de Águas Lindas de Goiás acabam de ganhar um novo sistema de transporte coletivo. Nos próximos dias, a população terá a oportunidade de constatar se o serviço oferecido melhorou ou não. As antigas e problemáticas vans que ajudavam no deslocamento dos moradores foram substituídas por microônibus, equipados com rampas para acesso de pessoas portadoras de deficiência e idosos, câmeras de vídeo para aumentar a segurança e sistema de bilhetagem eletrônica para evitar fraudes.
Segundo informações da prefeitura da cidade, apesar dos investimentos, o preço da passagem será mantido nos atuais R$ 1,70. A apresentação dos novos veículos ocorreu ontem, no estacionamento da prefeitura do município. Foram entregues 30 novos veículos à comunidade, que substituíram 50 vans que atuavam no sistema. Até o final do ano, 20 novos micro-ônibus passarão a integrar a frota, o que deverá elevar para 14 mil o número de pessoas transportadas diariamente.

Fonte: Jornal de Brasília
READ MORE - Novo sistema de transporte em Águas Lindas

Estudantes realizam protesto contra o transporte público de Teresina


Há quase um mês a população de Teresina foi surpreendida com o reajuste da passagem de ônibus que subiu de R$1,75 para R$1,90. A Prefeitura juntamente com os empresários do SETUT lançaram o valor justamente num sábado, o que dificultaria qualquer mobilização contrária. De lá para cá a própria Justiça entrou com uma liminar suspendendo o aumento deslegitimando os argumentos do SETUT. Não demorou muito e o Desembargador do Estado Luís Gonzaga Brandão cassou a liminar e o aumento permaneceu.

Na última terça-feira (08/06) algumas entidades estudantis e sindicais se reuniram na sede do DCE da UFPI para discutir uma ação unificada contra o aumento das passagens, a reunião havia sido convocada em um CEB (Conselho de Entidades de Base da UFPI). Estavam presentes na reunião representantes do DCE/UFPI, Centros Acadêmicos da UFPI (História, Enfermagem, Economia e Direito), Centros Acadêmicos da UESPI (História/Torquato Neto e História/Clóvis Moura) além da ANEL (Assembléia Nacional de Estudantes-Livre) e das entidades sindicais ADUFPI e CTB.

Ficou então definido a realização de um ato unificado marcado para a próxima terça-feira (15/06) às 08:00 h com concentração na praça da Liberdade ao lado do IFPI (antigo CEFET). Além do pedido de revogação do aumento das passagem, o ato irá defender o passe-livre irrestrito para estudantes e desempregados e a municipalização do transporte coletivo em Teresina por entendermos que só a luta contra aumento não garantirá à população o direito de ter acesso a um transporte público de qualidade.

Fonte: Acessepiauí
READ MORE - Estudantes realizam protesto contra o transporte público de Teresina

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960