Fortaleza: Passageiros esperam até 45 minutos por um ônibus

terça-feira, 8 de junho de 2010


O terminal do Antônio Bezerra apresentou movimentação intensa na manhã desta terça-feira (08). A principal queixa dos usuários naquele terminal é da demora e lotação, principalmente das linhas Conjunto Ceará e Paranjana. Alguns passageiros saíram de casa mais cedo para conseguir chegar a tempo no trabalho, mas não adiantou.

No terminal de Messejana, cenário semelhante: a frota reduzida gerou longas filas. Na Parangaba, o movimento de ônibus é visivelmente menor que o de costume; os usuários afirmam que a demora - que já era esperada para este dia de greve - está sendo agravada porque alguns motoristas estão passando direto pela parada e não estão pegando os passageiros.
Algumas pessoas estão tendo que esperar, em média, entre 30 e 45 minutos. A segurança, no terminal da Parangaba foi reforçada; nove guardas municipais foram recrutados para qualquer eventualidade.
Já no terminal do Papicu, 497 ônibus de 42 linhas vão fazer parte da "operação tartaruga". Diariamente, 285 mil pessoas são transportadas naquele terminal. No local, guardas municipais foram deslocados para garantir a segurança, assim como agentes da Autarquia Municipal de Trânsito que fiscalizam as entradas do terminal para que elas não sejam bloqueadas ao longo do dia.

Fonte: Diário do Nordeste
READ MORE - Fortaleza: Passageiros esperam até 45 minutos por um ônibus

O mapa do Passe Livre no Brasil


O Passe Livre Estudantil é previsto em lei. Em 2003, o governo federal determinou que estados e municípios devem bancar o transporte de todos os estudantes da rede pública. Em algumas regiões isso já é feito e deu certo.

No estado do Rio de Janeiro, quase um 1,6 milhão de alunos dos ensinos fundamental e médio das escolas federais, estaduais e municipais são beneficiados. Para ter direito à gratuidade basta estar uniformizado.

Na Região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo, o Passe Livre Estudantil existe desde 2008. Beneficia 24 mil estudantes, que são cadastrados anualmente e recebem um cartão. A gratuidade vale apenas de segunda à sexta-feira e é restrita para alunos do ensino médio das redes estadual e federal de ensino. Quem estuda em escolas municipais ou particulares paga metade da tarifa.

Em Cuiabá, quase 60 mil alunos são beneficiados. O governo estendeu a gratuidade também para quem estuda em escolas particulares ou faz curso profissionalizante. O que corresponde a 32% dos beneficiados. Para evitar fraudes, a recarga do Cartão Viagem é feita na escola. Exemplo: o aluno só recebe a passagem do dia seguinte se tiver ido estudar no dia anterior. Isso reduziu em 19% o número de beneficiados que tinham cadastro, mas não iam para a escola.

No Distrito Federal, com a confusão recente em torno do Passe Livre alguns estudantes estão pagando o valor integral da passagem, que varia de R$ 1,50 a R$ 3,00. Assim, por mês, um aluno pode ter que desembolsar de 66 a R$ 132 para ir e voltar da escola.



Fonte: DFTV
READ MORE - O mapa do Passe Livre no Brasil

Governo do Distrito Federal ainda não sabe de onde vai tirar dinheiro para o Passe Livre


Na porta da Fácil, um novo aviso com um recado que os estudantes já estão cansados de ler. O dinheiro acabou ontem, dia 7, e os postos não estão fazendo a recarga. Um novo crédito suplementar está sendo estudado pelo governo. “Eles não colocam uma coisa concreta. O jeito é ficar esperando”, fala uma estudante.

Os R$ 6 milhões extras liberados pelo GDF acabaram em sete dias de atendimento. O suficiente para completar 65.469 cartões. Mas depois de tantas filas, nesta terça-feira, dia 8, muitos alunos procuraram os postos por outro motivo. “Meu cartão está bloqueado. Carreguei essa semana e não é possível que já tenha acabado. Eu mal usei e já foi bloqueado? E não foi só o meu. Um monte de gente do ônibus que eu vinha também”, conta a estudante Creusa dos Santos. “Todo mundo estava tentando passar na roleta do ônibus e não estava conseguindo e com crédito.

Estava dando acesso inválido”, acrescenta o estudante Mateus Almeida. A assessoria da Fácil explicou que a fiscalização foi intensificada e os estudantes que usavam linhas não cadastradas ou que tinham cartões duplicados, do metrô e de ônibus, vão ter mesmo o Passe Livre bloqueado.

Com todos esses problemas no sistema, o governo ainda estuda como vão ser as novas regras para o Passe Livre. O projeto só deve ser encaminhado amanhã, dia 9, para a Câmara Legislativa. E, de acordo com o líder do governo, já se pensa em manter o benefício novamente para todos os estudantes. “Saímos ontem (7) da casa do governador tarde da noite, e ficou o secretário de Fazenda para ver de onde vai sair esse recurso para atender todas as recargas dos estudantes. E também a possibilidade do controle da Fácil ser feita pelo próprio governo. Isso é fato, e isso vai acontecer”, afirma o líder do Governo, deputado Aguinaldo de Jesus.

O governador Rogério Rosso disse no início da tarde de hoje que o pedido de crédito extra deve ser encaminhado à Câmara Legislativa até amanhã, dia 9. Rosso informou ainda que o governo está recalculando os gastos da Fácil e deve aumentar o repasse mensal de R$ 4 milhões para R$ 12 milhões, a partir do segundo semestre.


Fonte: DFTV
READ MORE - Governo do Distrito Federal ainda não sabe de onde vai tirar dinheiro para o Passe Livre

Motoristas impedem saída de ônibus no terminal da Parangaba


Motoristas de ônibus impediram a saída de ônibus no terminal da Parangaba, de meio-dia até as 13 horas desta terça-feira, 8, primeiro dia de greve da categoria. Segundo Dimas Barreira, diretor técnico do Sindiônibus, representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Ceará (Sintro) colocaram dois veículos na entrada e saída do terminal impedindo a circulação dos veículos. Dezenas de pessoas que estavam no terminal ficaram sem se deslocar durante uma hora.

Ainda segundo Dimas, a paralisação atingiu apenas os veículos que estavam no interior do terminal. Os demais conseguiram contornar para fazer o desembarque de passageiros.

Para Dimas Barreira, a atitude desrespeitou a liminar do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que proibiu o abuso de greve. O Sindiônibus entrou com um pedido de abusividade da greve, que deve ser julgado pelo TRT.

Filas

Longas filas nos terminais de integração nesta terça-feira, 8, primeiro dia de greve de motoristas e cobradores de ônibus. Nos terminais de Antônio Bezerra, Lagoa e Parangaba, passageiros se queixavam do atraso dos coletivos e da demora em chegar ao destino final. Porém, para muitos usuários, a impacto foi maior durante as ‘paradas-surpresa’, quando o Sintro impediu a saída de ônibus das garagens, paralisando totalmente a oferta do serviço.

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou que devem funcionar 70% da frota de ônibus, em horários de pico, e 50% fora desse horário. Como prometido pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro), os ônibus estão trafegando a 40 quilômetros por hora e sem realizar ultrapassagens, o que causa a demora e grandes filas em terminais e paradas de ônibus. Apesar da demora, em algumas linhas os ônibus chegavam em comboio, diminuindo assim as filas.

Quem está sentindo maior impacto são os usuários de linhas que ligam os teminais, como Avenida Paranjana I e II. Além da demora, os ônibus estão chegando já lotados. Na empresa Vega, que cobre linhas do terminal de Messejana, muitos ônibus parados.

Com a greve, os usuários estão buscando formas alternativas de deslocamento. Nesta manhã teve um aumento no número de carros nas ruas e congestionamentos. Nos terminais, alguns passageiros desistiam de esperar pelos ônibus e seguiam o trajeto a pé.

Fonte: O Povo online
READ MORE - Motoristas impedem saída de ônibus no terminal da Parangaba

Belém: Ônibus podem ter novo acesso para cadeirante


“É uma questão de respeito ao simples direito de ir e vir de todo cidadão”. Desta forma o presidente do Conselho Estadual dos Direitos de Pessoas com Deficiência, Valdir Moura, definiu a nova exigência da lei de acessibilidade que deve ser cumprida por todos os veículos coletivos até 2014.

Segundo Valdir, os cadeirantes ainda encontram dificuldades para se locomoverem pelas ruas de Belém e o problema se dá em função do despreparo dos cobradores e motoristas que não conseguem operar as plataformas existentes nos veículos. “Já fiquei horas esperando na parada por um ônibus adaptado e quando ele apareceu, o motorista me falou que não podia me levar porque não sabia mexer na plataforma eletrônica.

”Diante de tantas reclamações, o Ministério Público reuniu com representantes do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Belém (Setrans-Bel), Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel) e do Conselho de Pessoas com Deficiência, para buscar soluções que atendam às necessidades das pessoas com deficiência.

SUBSTITUIÇÃO

Para Mário Martins, presidente da Setrans-Bel, a solução é substituir a plataforma eletrônica pela manual. Ele explica que atualmente 371 veículos estão adaptados com a plataforma eletrônica em Belém, o que representa 30% da frota existente, e que o problema não é somente a falta de operacionalidade dos motoristas e cobradores, e sim, defeitos existentes nas máquinas que já vieram com problemas. “A partir de agora, estamos testando para que os novos veículos venham com a plataforma manual que é de fácil manuseio e não dá problemas”.

Valdir Moura aprovou a plataforma manual e diz que a partir de agora os cadeirantes não ficarão mais esquecidos nas paradas de ônibus. “É mais fácil e não tem como dar problemas. Basta a boa vontade dos funcionários dos veículos”.

Mário Martins Júnior, diretor regional do Serviço Social do Transporte (Sest) e do Serviço Nacional de Aprendizagem de Transporte (Senat), informa que motoristas e cobradores passam por treinamento para lidar com os equipamentos em questão e que não entende a quantidade de reclamações em relação à constante falta de operacionalidade. “Eles são treinados e não saem nos ônibus sem o conhecimento de como utilizar o equipamento”, informa.

Fonte: Diário do Pará
READ MORE - Belém: Ônibus podem ter novo acesso para cadeirante

Acessibilidade em Salvador - Sistema de transporte é “calcanhar de Aquiles”


A arquiteta Islândia Costa disse ao ''Política Hoje'' que a maior dificuldade para deslocamento das pessoas com deficiência em Salvador está relacionada aos transportes públicos sem adequação. “Quando se fala em acessibilidade ao transporte, estamos falando desde a estação de transbordo, paradas de ônibus e todo o conjunto que viabiliza o deslocamento”, detalha. “A estação da Lapa, a maior estação de transbordo da cidade, onde circulam quase 500 mil pessoas por dia, não possui acessibilidade”, afirma.

O decreto 5.296, sancionado pelo presidente Lula em 2004, torna obrigatória a adaptação do sistema de transporte público aos critérios de acessibilidade para pessoas com deficiência, e estabelece o ano de 2014 como prazo final para a adaptação de 100% da frota de ônibus intermunicipal, interestadual e metropolitana, em todo o país. Atualmente, apenas 26,7 % dos ônibus de Salvador são adaptados. Segundo a Transalvador, órgão responsável pela fiscalização da adequação da frota, dos 2.450 ônibus que circulam pela cidade, 656 são adaptados.

Fonte: Politica Hoje
READ MORE - Acessibilidade em Salvador - Sistema de transporte é “calcanhar de Aquiles”

Greve de ônibus – Prefeitura divulga nota apelando ao bom senso


A Prefeitura de Fortaleza defende o direito de ir e vir de todas as cidadãs e cidadãos. Por isso, apela aos sindicatos de trabalhadores e empresários para que entrem em acordo e evitem a greve dos motoristas de ônibus. Diariamente, mais de um milhão de fortalezenses dependem do transporte público para se deslocar.
Desde 2005, a Prefeitura prioriza o transporte público. A tarifa de ônibus ficou congelada por mais de 4 anos. Foi criada a tarifa social, que vale todo domingo, no aniversário da cidade e no réveillon. A integração temporal deixou as viagens mais rápidas, permitindo a troca de ônibus fora dos terminais e pagando apenas uma passagem. A meia passagem ilimitada beneficia 600 mil estudantes e a gratuidade para pessoas com deficiência já atende mais de 8 mil usuários.
A Prefeitura não pode impedir o movimento grevista. Mas, caso a greve aconteça, irá tomar todas as medidas para minimizar os transtornos. Diariamente será informado à Justiça o número de ônibus nas ruas, para que seja garantida a frota mínima determinada por lei. AMC, Etufor e Guarda Municipal reforçarão suas equipes nos terminais. E, caso haja aumento no preço das tarifas em táxis e vans neste período, a denúncia deve ser feita pelo Fala Fortaleza: 0800-285-0880.

Fonte: O Povo online
READ MORE - Greve de ônibus – Prefeitura divulga nota apelando ao bom senso

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960