Greve de ônibus está prejudicando cerca de 120 mil passageiros no Rio

segunda-feira, 12 de abril de 2010


Cerca de 120 mil passageiros foram afetados nesta segunda pela paralisação de mais de 90% da frota de oito das 11 empresas rodoviárias que operam na zona oeste do Rio. A situação foi amenizada nesta tarde quando quatro empresas - Andorinha, Campo Grande, Bangu e Viação Ocidental - colocaram cerca de 20% dos ônibus nas ruas.
De acordo com balanço inicial da Secretaria Municipal de Transportes, 1.800 ônibus ficaram parados nesta manhã. A greve atingiu 100% das frotas da Pégaso, Jabour e Transportes, que detém a maior parte dos coletivos que deixaram de circular.
O secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, classificou a paralisação como inoportuna por não existir qualquer motivo que justifique a interrupção do serviço. Há dois meses, a prefeitura concedeu reajuste das tarifas de ônibus. A direção da Rio Ônibus, o sindicato das empresas, recebeu determinação da prefeitura para recolocar os ônibus nas ruas imediatamente.

Fonte: G1
READ MORE - Greve de ônibus está prejudicando cerca de 120 mil passageiros no Rio

Curitiba: Subsídio é o caminho para transporte público acessível


Subsídio ao transporte coletivo é uma das alternativas para manter o sistema adequado às condições econômicas da população. Essa é uma das sugestões do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), de acordo com a terceira edição do Boletim Regional Urbano e Ambiental, baseado em dados de nove capitais brasileiras, incluindo Curitiba. Nos últimos 15 anos, puxada pelo aumento dos insumos, a tarifa do transporte público subiu acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Quando o preço da passagem sobe, a demanda de passageiros cai. Com isso, o sistema entra em um ciclo vicioso, ficando mais caro e transportando menos usuários.

O aumento de renda registrado no período foi a principal razão encontrada para entender como o transporte coletivo da maior parte dos municípios do Brasil não en­­trou em colapso. “Possivel­mente, o transporte público sobre pneus estaria em uma crise de demanda sem precedentes nos últimos anos não fosse essa melhora nas condições de vida da população”, afirma o documento, assinado por técnicos de Planejamento e Pesquisa do Ipea. Em São Paulo, os subsídios da prefeitura cobrem cerca de 20% dos custos do sistema. Em Curitiba, o Imposto Sobre Ser­vi­­ços (ISS) gerado pelo setor de transporte é reinvestido, o que é considerado uma espécie de incentivo.

Uma das razões para defender o apoio estatal está na comparação entre os setores rodoviário e metroferroviário. Enquanto as tarifas do ônibus cresceram 60% acima da inflação, as passagens do metrô ficaram cerca de 40% mais caras. Ao contrário dos ônibus, os metrôs recebem, em geral, auxílio dos go­­vernos estadual ou federal. “Quan­do existe transporte de massa grande e eficiente, além do investimento, o estado destina subsídio alto e elevado”, diz Orlando Pinto Ribei­ro, coordenador do curso de Arqui­te­­tura e Urbanismo da Universi­dade Positivo (UP). Os ônibus, infelizmente para o bolso da população, ainda não entram nesse bolo.

De acordo com o coordenador do Mestrado e Doutorado em Gestão Urbana da Pontifícia Uni­versidade Católica (PUCPR), Fabio Duarte, os incentivos ao transporte coletivo se refletem em outros setores para a sociedade. Houve, para o professor, inversão de valores por parte do governo federal, quando reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no ano passado, facilitando a compra de automóveis. Conforme Duarte, isenção semelhante para os insumos usados pelo transporte coletivo poderia ter auxiliado os sistemas das principais cidades do país. “Não é necessário dar dinheiro às empresas, mas é possível re­­duzir encargos trabalhistas para a indústria ligada a esse setor”, avalia.

Esse tipo de incentivo colabora, como consequência, em outros setores. “Quando você consegue ti­­rar as pessoas do transporte motorizado individual, há auxílio indireto para a saúde”, explica Duarte. “Grande parte dos investimentos nessa área diz respeito aos problemas respiratórios ou aos acidentes de trânsito. Nesse sentido, o incentivo iria beneficiar o resto da população”, acrescenta.

Com a falta de incentivos, existe tendência de que a qualidade do serviço diminua com o passar do tempo. “Para manter a margem de lucro considerada ideal, as empresas adotam milhões de estratégias com a intenção de cortar custos”, afirma. Por esse motivo, é cada vez mais comum observar nas grandes cidades, micro-ônibus em lugar dos ônibus convencionais e funcionários com dupla função, dirigindo e cobrando passagens simultaneamente. “Ao mesmo tempo em que os serviços vão ficando mais caros, a qualidade oferecida diminui. E, com as facilidades para se comprar um carro, as pessoas deixam de compartilhar o transporte”, diz Ribeiro.

  • Demanda menor
    Segundo a Urbanização de Curi­tiba (Urbs), empresa de economia mista que gere o sistema de transporte coletivo, a variação da tarifa entre 2005 (R$ 1,90) e 2009 (R$ 2,20) foi de 15,7%. Entre 2005 e 2008, contudo, o preço da passagem praticamente não variou – entre junho de 2005 a abril de 2007, o preço da tarifa foi de R$ 1,80 por determinação do então prefeito Beto Richa (PSDB) –, enquanto o custo do quilômetro rodado aumentou 24% e o óleo diesel 52%. E a variação do salário mínimo, no período, foi de 72,9%.
Apesar do “apoio”, a Urbs registrou, em 2009, grande perda de passageiros. Em setembro, a companhia registrava rombo de R$ 9,2 milhões em seu caixa, o equivalente a 12 milhões de passagens que não entraram no sistema – média de 1,3 milhão de passageiros por mês. Em dezembro do ano passado, contudo, a empresa conseguiu diminuir o prejuízo para R$ 6 mi­lhões. Os motivos alegados pela companhia foram o aumento da tarifa, no início de 2009, e o temor de contágio pela gripe H1N1, em julho e agosto.

Fonte: Gazeta do Povo
READ MORE - Curitiba: Subsídio é o caminho para transporte público acessível

BHTRANS implanta novo acesso no Complexo da Lagoinha


A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTRANS, informa que, com a liberação das pistas da Avenida Antônio Carlos e o Viaduto da Rua Rio Novo, foi implantado no Complexo da Lagoinha um novo acesso para as Avenidas Nossa Senhora de Fátima e Dom Pedro ll e o Viaduto Oeste (destino ao Barro Preto). Anteriormente realizado atravessando a alça do Viaduto Leste, agora os veículos devem utilizar o novo viaduto da Rua Rio Novo.

Com a alteração deixa de existir o entrelaçamento entre vias após a saída do Túnel da Avenida Cristiano Machado, sentido Bairro/Centro, possibilitando maior fluidez para a avenida. Veja abaixo o novo acesso implantado (veja mapa):

Veículos originados do Barro Preto, Viaduto Oeste, Avenida Dom Pedro ll e Rua Célio de Castro com destino à Avenida Nossa Senhora de Fátima, Barro Preto e retorno à Avenida Dom Pedro ll:

No Complexo da Lagoinha, os veículos devem passar sob o viaduto que dá acesso ao Túnel, manter a direta seguindo pela Avenida Presi Antônio Carlos, alça de acesso ao viaduto da Rua Rio Novo (à direita), Viaduto da Rua Rio Novo, Avenida Presidente Antônio Carlos (sentido centro), manter-se na faixa da esquerda para acessar a Avenida Nossa Senhora de Fátima e Viaduto Oeste ou manter-se na faixa da direita para acessar a Avenida Dom Pedro ll.

Com a mudança os ônibus originados da pista exclusiva (busway) do Túnel da Lagoinha, sentido Bairro/Centro, seguem em frente, tendo acesso somente para o Viaduto Leste. Já os veículos originados da pista mista do Túnel da Lagoinha, mesmo sentido, continuam com ambos os acessos, ao Viaduto Leste e ao Viaduto Oeste.

Os novos acessos estão indicados por faixas de pano e sinalização para orientar e garantir maior segurança aos condutores. Ainda estão ativas as obras na Avenida Antônio Carlos e no Complexo da Lagoinha. A empresa alerta para a importância de os motoristas redobrarem a atenção à sinalização implantada. Agentes da Unidade Integrada de Trânsito monitoram o tráfego na região. Informações sobre o Transporte Coletivo podem ser obtidas na Central de Relacionamento Telefônico da Prefeitura, número 156.

Fonte: BHTrans
READ MORE - BHTRANS implanta novo acesso no Complexo da Lagoinha

Audiência discute o transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia


O transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia é tema de audiência pública que será realizada por iniciativa do presidente da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor, deputado José Nelto (PMDB). O evento está marcado para acontecer às 9 horas desta quinta-feira, 15, no Auditório Costa Lima.

Durante a audiência serão debatidas as últimas mudanças no transporte coletivo da Capital, a possibilidade de extensão do Eixo Anhanguera aos setores Vera Cruz e Vila Mutirão e a prorrogação do contrato da Metrobus. O deputado ressaltou que as recentes alterações nas linhas de ônibus de Goiânia foram inoportunas, prejudicando os usuários do serviço. “O sentimento da população é de indignação”, enfatizou.

Segundo José Nelto, o objetivo da audiência é buscar meios que garantam uma prestação satisfatória do serviço de transporte coletivo aos usuários em geral. “O direito de ir e vir é uma garantia constitucional, sendo o direito ao transporte coletivo, na atualidade, tão necessário quanto o direito à alimentação e vestuário”, disse.

Foram convidados para participar do evento representantes da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC), da Companhia Municipal de Transportes Coletivos (CMTC), da Agência Municipal de Trânsito (AMT), do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (Setransp), e da empresa Metrobus.

As associações de moradores do Setor Vera Cruz, da Vila Mutirão e de outros setores da Capital, a Associação das Donas de Casa, a União dos Estudantes e outras associações de estudantes e entidades de classe também foram convidados para a audiência.

Fonte: Assembléia Legislativa do Estado de Goiás
READ MORE - Audiência discute o transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia

Falta de patrocínio fecha biblioteca da Estação do Metrô do Recife


Quem precisa de transporte público, sabe que usar ônibus ou metrô significa esperar. E ler livros é uma opção para se distrair. Essa era a ideia de um projeto na Estação Recife do Metrô, que oferecia livros para os passageiros e ainda ajudava a formar leitores. Mas, na semana passada, depois de três anos de funcionamento, a biblioteca fechou e deixou cinco mil pessoas sem o serviço de empréstimo de livros.

O espaço foi inaugurado em abril de 2007 numa parceria do Metrorec, Instituto Brasil Leitor e uma administradora de cartões de crédito. A primeira biblioteca deste tipo no Nordeste iria beneficiar as 230 mil pessoas que circulam pela Estação Central do Metrô, no Recife, todos os dias.

O acervo de 3.600 títulos inclui obras em Braille e audio-books, que são livros gravados em CD. Cinco mil pessoas se tornaram sócias da biblioteca do metrô. “Nós já contabilizamos mais de 50 mil empréstimos. Esse número mostra que o projeto estava dando certo, que o povo queria aprender mais. Os livros sempre eram devolvidos em bom estado”, disse a coordenadora do projeto Ler é Saber, Maria da Graças Garcia

Mas com a saída da empresa de cartões, o projeto perdeu R$ 100 mil por ano, dinheiro que garantia a compra de livros, equipamentos e o salário dos funcionários. Por causa disso, a biblioteca fechou. No entanto, o Metrorec afirma que o fechamento é por pouco tempo.

“Nós estamos em busca de um novo patrocinador. Enquanto isso a CTTU (Companhia de Transito e Transporte Urbano) está treinando dois funcionários para trabalhar com o nosso atual acervo, a partir do mês de maio”, falou o coordenador de Relações Externas do Metrorec, Marcelo Nóbrega

Fonte: PE360graus
READ MORE - Falta de patrocínio fecha biblioteca da Estação do Metrô do Recife

Campinas: Bilhete Único Escolar tem mais de 38 mil cadastrados


Até o último dia do mês de março, a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) recebeu o cadastro de 38.328 alunos interessados em renovar ou obter o Bilhete Único Escolar. Esse número ainda está longe dos 53.500 cadastros esperados para este ano, mas representou um aumento considerável em relação ao último balanço, feito no final de janeiro, que contava com pouco mais de 19 mil cadastrados.
Desde o dia 18 de janeiro os alunos de Ensino Fundamental, Médio e Técnico de Campinas que residam a mais de um quilômetro da escola onde estudam podem retirar os formulários “Atestado de Matrícula para Aquisição de Passe Escolar” na sede da Transurc; no site da associação (http://www.transurc.com.br/); nos terminais Central, Ouro Verde, Campo Grande, Metropolitano, Mercado e Barão Geraldo; no microônibus de venda itinerante “Expresso Bilhete Único”; além de no Poupatempo Centro.
Após preencher com todos os dados necessários, os interessados devem entregar o formulário na sede da Transurc; ou nos terminais Central, Ouro Verde, Barão Geraldo e Campo Grande, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.
Ao entregar o formulário preenchido, o estudante deve também anexar uma cópia do RG e de um comprovante de endereço recente (dos últimos seis meses). A Transurc realizará uma checagem dos dados e, em 15 dias, o usuário deve retornar ao local em que entregou o formulário para retirar a Caderneta de Frequência, que ele deverá apresentar, assinada pelo diretor da escola, todas as vezes em que for efetuar a compra de passes. Para estudantes menores de 14 anos e que não tenham Carteira de Identidade, pode ser anexada uma cópia da Certidão de Nascimento.
Se for a primeira vez que o estudante está se cadastrando, o interessado receberá também um protocolo para que compareça à sede da Transurc, a fim de tirar uma fotografia que será impressa no cartão Bilhete Único Escolar. Na primeira compra do ano, o usuário pagará a taxa de cadastramento, no valor de duas tarifas vigentes.
Antecipação - Para facilitar o acesso ao Bilhete Único Escolar, a Transurc recadastrou 11 mil estudantes durante visitas às escolas realizadas no final de 2009. As equipes da Transurc visitaram mais de 100 escolas, entregaram os formulários e aproveitaram a visita para tirar dúvidas dos usuários quanto ao uso do cartão e ao processo de recadastramento.

Fonte: EMDEC
READ MORE - Campinas: Bilhete Único Escolar tem mais de 38 mil cadastrados

Audiência pública sobre gratuidades do transporte público termina com poucas propostas em Caxias

A audiência pública promovida na tarde desta segunda pela Comissão de Legislação Participativa e Comunitária da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul (CLPC) para a discussão das gratuidades no transporte coletivo terminou com poucas propostas. O encontro serviu para parte do público presente marcar posição contrária ao fim das isenções.
A discussão reuniu o presidente da União das Associações de Bairro (UAB), Daltro Maciel, o secretário municipal do Trânsito, Transporte e Mobilidade, Jorge Dutra, o representante do Conselho Municipal dos Transportes, Ênio Brambatti, e o gerente administrativo e financeiro da Viação Santa Tereza (Visate), Gustavo dos Santos.
Durante a audiência todos concordaram com manutenção das gratuidades, mas discordam com a maneira como ela deve ser promovida. O presidente da UAB defende a continuidade dos benefícios aplicados hoje, sem mexer no direito adquirido de idosos, estudantes e do dia de passe livre.
Formado em sua maioria por representantes das associações de bairro, estudantes, idosos e pessoas com deficiência, o público não chegou a lotar o plenário.
Para evitar o aumento na tarifa, atualmente em R$ 2,20, a secretaria estima mudanças nas gratuidades oferecidas a idosos, estudantes e portadores de deficiência.

Fonte: Pioneiro

READ MORE - Audiência pública sobre gratuidades do transporte público termina com poucas propostas em Caxias

Segundo a Rio Ônibus greve dos rodoviários é ilegal


Depois de uma semana de transtornos por causa dos temporais, a população do Rio começou a semana com problemas na área dos transportes, por causa da greve dos motoristas e cobradores de oito empresas de ônibus. O problema afetou principalmente os que saíram da zona oeste em direção ao centro.

Com a greve, que começou às 4h de hoje (12), formaram-se enormes filas nos pontos de ônibus. A paralisação inclui profissionais das empresas: Real Auto Ônibus, Pégaso, Jabor, Oeste, Redentor, Rio Futuro, Ocidental e Campo Grande.

O presidente do Sindicato Rio Ônibus, que representa os empresários do setor, Lélis Teixeira, disse que a paralisação é ilegal, pois no mês passado a instituição e o Sindicato dos Rodoviários assinaram convenção coletiva garantindo 5% de reajuste salarial para os funcionários da região metropolitana. Os motoristas e cobradores não ficaram satisfeitos com o reajuste.

Segundo Teixeira, por esse motivo, o sindicato vai pedir que a greve seja declarada ilegal. Ele informou que também será pedida a apuração da responsabilidade dos rodoviários que estão fazendo a paralisação.Em nota oficial, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, determinou que as empresas que paralisaram os serviços voltem ao trabalho imediatamente. Paes afirmou que não há motivos plausíveis para a suspensão do serviço prestado à população.

Os funcionários da Real Auto Ônibus alegam que não foram consultados antes da conclusão do acordo. "Nosso salário foi aumentado em 4% ou 5% sem que a gente soubesse de nada", afirmou o motorista Sebastião Nunes, durante manifestação em frente à garagem da empresa, na Avenida Brasil, perto da Fundação Oswaldo Cruz.

No entanto, a insatisfação com o reajuste não é a única bandeira da greve. Eles reivindicam ainda o aumento do ticket refeição, pagamento de horas extras e abono de faltas justificadas com atestado médico. Os funcionários das empresas de ônibus afirmam que só voltarão ao trabalho quando forem ouvidos pelo Ministério Público Estadual e suas reclamações forem apuradas.Para os passageiros, as opções foram as vans e caronas.

Para amenizar o problema, a SuperVia disponibilizou cinco trens extra nas linhas de Bangu, Campo Grande e Santa Cruz. Com isso, a empresa registrou aumento de 20 mil passageiros até as 9h, em relação à previsão estimada.

Fonte: O Globo
READ MORE - Segundo a Rio Ônibus greve dos rodoviários é ilegal

São Paulo: Estações do metrô vão ganhar lounges culturais


O metrô ganhará 15 espaços culturais que podem ter biblioteca, revistaria, café, palco para apresentações musicais e de poesia, além de telão de cinema. Em estações com nomes de times de futebol, haverá também um memorial em homenagem ao clube.No ano passado, a estação Santa Cecília, da linha 3/Vermelha, foi a pioneira da iniciativa.

O espaço já chegou a receber 150 usuários em espetáculos musicais. A ação, batizada de Projeto Encontros, tem o objetivo de oferecer opções culturais e de lazer aos usuários do sistema. Devido ao interesse da população, a companhia decidiu expandir a atividade.

O chefe de Marketing Corporativo do Metrô, Aluízio Gibson, afirmou que o projeto já está em fase de licitação e será concluído até abril de de 2011: "Até dezembro, pretendemos inaugurar o espaço em ao menos quatro estações."

Fonte: Governo do Estado
READ MORE - São Paulo: Estações do metrô vão ganhar lounges culturais

BRT não substitui metrô, diz diretor da BHTrans


Pista exclusivas e livre de obstáculos, ônibus articulados, com maior capacidade de passageiros, estações de embarque e desembarque, pontualidade e rapidez são alguns atributos do Transporte Rápido por Ônibus, o BRT (sigla de Bus Rapid Transit). O sistema modal que é visto como a alternativa mais imediata para o transporte na capital está longe de representar uma solução definitiva para Belo Horizonte. O diretor de planejamento da BHTrans, empresa que administra o trânsito da capital, Célio Freitas, assume que o BRT resolve o problema no horizonte da Copa 2014, mas não é um substituto ao metrô. “O custo de implantação é de 20% em relação ao metrô.

O BRT é uma solução a curto prazo, mas é o metrô o transporte de massa de altíssima capacidade”, ressalta.O mestre em engenharia de transporte Paulo Rogério Monteiro, assessor técnico de mobilidade da Agência Metropolitana, destaca que um sistema eficiente é aquele que aproveita as características dos modos de transporte. “Não existe uma solução metropolitana que não passa pela alternativa intermodal. A mobilidade metropolitana é uma grande e complexa engrenagem composta por peças diferentes. Resta saber encaixar cada uma”, afirma. Monteiro explica que a escolha do tipo de transporte a ser adotado leva em consideração as faixas de capacidade de transporte.

Enquanto o BRT trabalha com a capacidade de 19 mil passageiros por hora por sentido, o metrô pesado é capaz de carregar 60 mil (veja quadro).Mesmo sem as esperadas linhas 2 (Calafate-Barreiro) e 3 (Savassi-Lagoinha) do metrô, a BHTrans se debruça na tentativa de interligar o BRT à linha existente. O corredor da Cristiano Machado terá interface com a Estação São Gabriel e, futuramente, com a Estação Vilarinho. Já o BRT da Antônio Carlos-Pedro I e da Pedro II-Carlos Luz terão ligação com a Estação da Lagoinha. (FA)

Fonte: UAI Notícias
READ MORE - BRT não substitui metrô, diz diretor da BHTrans

DF: Trem do Metrô sai dos trilhos em Ceilândia


Um trem do Metrô saiu dos trilhos por volta de 11h15 desta segunda-feira (12/4), entre as estações Ceilândia Norte e o terminal Ceilândia. De acordo com a assessoria de imprensa da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), o defeito foi no aparelho de mudança de rota. Na hora, o trem parou e os passageiros tiveram que descer.

Será feita manutenção no aparelho, mas não há previsão de término dos trabalhos. Enquanto isso, o embarque e desembarque é realizado até a estação Ceilândia Centro. As estações Ceilândia Norte e terminal Ceilândia estão desativadas. As demais estações (da Central à Ceilândia Centro e o trajeto para Samambaia) funcionam normalmente.

No início da manhã, outros dois trens apresentaram problemas. Isto causou atraso de meia hora no transporte. O Metrô conta, agora, com 16 trens, já que três deles precisaram ser removidos dos trilhos para manutenção.

Fonte: Correio Brasiliense
READ MORE - DF: Trem do Metrô sai dos trilhos em Ceilândia

Rio Ônibus diz que não recebeu reivindicação dos grevistas


O Rio Ônibus divulgou nota nesta segunda-feira informando que não recebeu nenhuma reivindicação do grupo organizador da greve que está afetando parte do sistema de transporte coletivo nas zonas Sul e Oeste da cidade. A entidade acredita que o movimento tem motivação política e, com base no dissídio coletivo registrado, será pedido à Justiça que declare a ilegalidade da paralisação.
Em nota, o Rio Ônibus, sindicato das empresas de passageiros do município do Rio de Janeiro, reitera que foi surpreendido pela greve parcial das atividades de algumas de suas associadas, provocada por uma pequena parcela dos rodoviários. Através de piquetes, impediram a entrada de funcionário e a saída dos ônibus das garagens. De acordo com a entidade, a Secretaria estadual de Segurança Púbica deu garantias de que a circulação dos ônibus será garantida.
O sindicato diz, ainda, que "a greve é estranha, inoportuna e extemporânea", pois há menos de um mês foi assinado o dissídio da categoria, com base em um acordo coletivo realizado não só com os rodoviários do município do Rio como os de toda a região metropolitana. Nesse acordo foram atendidas as principais reivindicações de recomposição salarial e inclusão de benefícios, como cesta básica. Pela primeira vez, o piso na região metropolitana foi unificado, atendendo ao interesse dos rodoviários.

Fonte: O Globo



Video: RJTV

READ MORE - Rio Ônibus diz que não recebeu reivindicação dos grevistas

Operação Fim de Tarde entra em vigor nesta segunda-feira em Florianópolis


A Guarda Municipal de Florianópolis realiza a partir desta segunda-feira a operação Fim de Tarde. O objetivo é aliviar os pontos de mais congestionamento no sentido Centro-Ponte Colombo Salles, no horário das 17h às 21h.

Visando justamente o retorno para casa de quem mora ou estuda no continente, a operação será realizada em quatro pontos da cidade. Entenda como o tráfego será alterado em cada um deles, segundo a prefeitura de Florianópolis.

  1. rua Antonio Pereira Oliveira Neto
    O principal objetivo neste ponto é coibir a ação de motoristas que tentam furar a fila. Como a rua tem uma bifurcação que divide a pista em três, duas pistas da esquerda ficam disponíveis para quem quer acessar o elevado sentido ponte e a da direita dá acesso à avenida Gustavo Richard. Alguns motoristas fazem o percurso toda pela direita para chegar ao elevado causando grandes transtornos aos demais motoristas.
  2. avenida Gustavo Richard cruzamento com avenida Hercílio Luz
    Neste ponto o objetivo da operação é coibir uma manobra proibida. Todo acesso da via Expressa Sul sentido Ponte Governador Colombo Salles se dá pela avenida Gustavo Richard causando congestionamento. Por isso, alguns motoristas utilizam a marginal direita da avenida Gustavo Richard para acessar metros à frente novamente a principal, acesso este proibido, permitido apenas para quem segue da avenida Hercílio luz. Além da manobra ser proibida, ela causa engarrafamento na avenida Hercílio Luz e consequentemente na Paulo Fontes.
  3. avenida Gustavo Richard
    Guardas estarão corrigindo condutores que dirigem sobre a faixa de canalização obstruindo as demais faixas, o que também causa filas. Muitos fazem isso justamente com o objetivo de furar os engarrafamentos na avenida com destino à ponte.
  4. rua Pedro Bittencourt
    O problema na rua Pedro Bittencourt é o desrespeito á faixa exclusiva para ônibus. A irregularidade prejudica a saída dos veículos de transporte coletivo do Terminal de Integração do Centro (Ticen).

Fonte: ClickRBS

READ MORE - Operação Fim de Tarde entra em vigor nesta segunda-feira em Florianópolis

BH: Desapropriação já causa polêmica na Avenida Dom Pedro I


Da Pampulha a Venda Nova, a efervescência do comércio de automóveis e materiais de construção ocupa a Avenida Dom Pedro I. Mas, repetindo a história dos galpões e lojas às margens da Avenida Antônio Carlos, em alguns meses os imóveis do lado esquerdo (bairro/Centro) irão abaixo para dar lugar ao Transporte Rápido por Ônibus, o BRT (sigla de Bus Rapid Transit). Em 16 quilômetros de extensão, a via formará junto com a Antônio Carlos um dos três corredores viários do projeto, que promete melhorar a qualidade do transporte coletivo, com pistas exclusivas para ônibus, estações de embarque, além de terminais de integração.

O custo será de R$ 700 milhões, incluindo as indenizações. Para viabilizar as centenas de desapropriações, a prefeitura usará uma alternativa que já causa desconfiança e polêmica entre os proprietários.

A partir de uma operação urbana consorciada, o Executivo pretende, sob os termos de uma lei especial, abaixar o coeficiente de aproveitamento (área construída em relação à área do terreno) da região. Com isso, um mesmo terreno terá menor potencial construtivo.

De acordo com a consultora técnica da Secretaria Municipal de Políticas Urbanas (Smurbe) Maria Caldas, a medida induz a redução do preço dos imóveis e facilita a desapropriação. “Projetos viários importantes estão sendo inviabilizados pelo altíssimo custo da desapropriação. A ideia de diminuir os coeficientes é para que a prefeitura possa adquirir os imóveis. Estamos falando num novo modo de tentar enfrentar os problemas da cidade”, afirma.

A duplicação da Pedro I preocupa o comerciante Geraldo Magela de Freitas, dono de imóveis em vários quarteirões da via. Aos 51 anos, ele dedicou metade de sua vida ao investimento em galpões e lojas da avenida e, agora, se vê diante da incerteza. “Já mandamos e-mail e ligamos para a prefeitura e até agora não fomos avisados do que vai ocorrer.

O progresso não é errado, mas está faltando clareza. Inquilinos meus já se mudaram, por causa da indecisão. Se houver uma avaliação justa dos imóveis, nós saímos. Não quero entrar na Justiça, mas também não quero algo que me prejudique. Se pagarem um preço muito barato, como vou fazer para ir para outro lugar?”, questiona.

Fonte: UAI Notícias
READ MORE - BH: Desapropriação já causa polêmica na Avenida Dom Pedro I

CTBel esclarece concessão de linhas de transporte público

O Prefeito de Belém, Duciomar Costa, determinou que técnicos da Companhia de Transportes do Município (CTBel) fizessem um estudo para viabilizar a concessão de novas linhas de transporte público de passageiros na cidade, principalmente nas áreas de expansão, com vistas a regulamentar a atividade, que vem sendo executada de forma irregular por alguns veículos.
Feito o levantamento, a CTBel elaborou um projeto que aponta as áreas da capital onde o transporte coletivo é deficitário e que necessitam serem abastecidas por novas linhas. A empresas que passarem a operar nessas áreas terão que cumprir regras, seguindo rigorosamente o que determina a Lei Orgânica do Município de Belém e o Regulamento do Serviço de Transporte Coletivo por Ônibus do Município. As novas concessões para o sistema de transporte público de passageiros de Belém estão sendo definidas e os detalhes sobre o processo serão divulgados nesta segunda-feira, dia 12, às 10h, durante coletiva na sede da CTBel.

Fonte: Wordpress

READ MORE - CTBel esclarece concessão de linhas de transporte público

Rodoviários sinalizam nova greve em Manaus


Após o sinal verde do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Manaus (Sinetram), para a greve no sistema de transporte coletivo da cidade, os rodoviários prometem paralisar todas as atividades da categoria na próxima quarta-feira (14), em protesto contra a rejeição da proposta de reajuste salarial.

Os rodoviários reivindicam reajuste salarial de 10%, o que segundo o sindicato da categoria, está previsto na convenção coletiva para 2010/2011. De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, caso o Sinetram não atenda a reivindicação até a próxima quarta-feira, o sistema de transporte coletivo será paralisado.

O Sinetram classificou o reajuste de inviável e explicou que o sistema em está com prejuízo, agravado com a redução da tarifa de ônibus de R$ 2,25 para R$ 2,10, determinada pelo prefeito Amazonino Mendes (PTB).

A redução de R$ 0,15 no valor da tarifa estaria gerando o prejuízo diário de R$ 77 mil, segundo informou o Sinetram. (FM)

Fonte: Portalamazonia
READ MORE - Rodoviários sinalizam nova greve em Manaus

BH importa modelo colombiano de transporte público


Belo Horizonte foi buscar longe a experiência para implantar o Transporte Rápido por Ônibus, o BRT (sigla de Bus Rapid Transit). Recentemente, o prefeito Marcio Lacerda (PSB) viajou com uma comitiva de técnicos a Bogotá, capital da Colômbia, para conhecer o Transmilenio, sistema modal colombiano. Com 7,5 milhões de habitantes, a cidade tem área de 380 quilômetros quadrados, próxima à de BH, que tem 2,4 milhões de moradores. Mas essa não é a única semelhança: a frota de veículos das duas cidades é quase a mesma, em torno de 1 milhão de carros. O dado evidencia uma diferença gritante: 80% da população de Bogotá é usuária do transporte coletivo, enquanto na capital mineira essa parcela não chega a 60%.

De acordo com a consultora técnica da Secretaria Municipal de Políticas Urbanas (Smurbe) Maria Caldas, a visita foi fabulosa. “Bogotá mostrou com convicção absoluta de que estamos no caminho certo, não dá para projetarmos mais a cidade pensando em carros. Andamos nas horas de pico nos ônibus e vimos que funciona exatamente como um metrô, com estações pré-pagas, ônibus articulados e biarticulados, a entrada e saída dos passageiros é em nível (sem degraus)”, afirma Maria Caldas.

O mestre em engenharia de transporte Paulo Rogério Monteiro, assessor técnico de mobilidade da Agência Metropolitana, em Bogotá, explica que o BRT foi pensado para revitalizar o centro urbano. “Bogotá é uma cidade que não foi planejada e estava muito degradada. O BRT foi o eixo de requalificação da cidade, a partir dos anos 1990.” Mas sem atravessar as fronteiras do país é possível encontrar experiências bem sucedidas do corredor rápido de transporte coletivo. O Ligeirinho da capital paranaense foi o precursor do sistema modal do BRT, implantado na década de 1970.

O projeto leva em conta dois conceitos: o transporte e uso do solo. “Quanto mais perto dos corredores de ônibus, maior a capacidade de adensamento da população, dispensando a criação de linhas radiais”, afirma Monteiro. Apesar de modelo, atualmente, o Ligeirinho de Curitiba está com a capacidade saturada. “Ele foi planejado para a cidade e não para a região metropolitana”, ressalta o especialista.

Fonte: UAI Minas
READ MORE - BH importa modelo colombiano de transporte público

Rio: Suposta greve de rodoviários prejudica passageiros de ônibus na Zona Oeste


Passageiros estão enfrentando dificuldades para encontrar ônibus, principalmente na Zona Oeste, no início da manhã desta segunda-feira. Embora não haja informações oficiais sobre uma possível paralisação dos rodoviários, os pontos de ônibus estão lotados em bairros como Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá. O movimento nos ramais do Metrô e da Supervia também já começam a apresentar aumento da fluxo de passageiros.

Funcionários da empresas de ônibus Pegaso, Jabor e Zona Oeste cruzaram os braços na madrugada deste segunda-feira. Alguns deles estão concentrados em frente às garagens das companhias, todas na zona oeste, na tentativa de impedir a circulação de coletivos. A paralisação começou por volta das 2h, prejudicando passageiros em bairros das zonas Sul e, principalmente, Oeste do município.
Nelis Marcos Teixeira, presidente da Rio Ônibus, sindicato patronal do setor, reagiu com estranheza à manifestação.
- Fui pego de surpresa, já que o dissídio (5%) foi assinado pelo sindicato dos metroviários. Tive a informação de que essa greve é uma ação política de um grupo de oposição do sindicato - afirmou.
Funcionários da Empresa Real também teriam aderido à paralisação. Segundo o presidente da Rio ônibus, cerca de 35% de cada uma dessas empresas afetadas não estão trabalhando.

Fonte: O Globo
READ MORE - Rio: Suposta greve de rodoviários prejudica passageiros de ônibus na Zona Oeste

Recife: Ônibus climatizados, horário certo e mesmo nível das paradas. Essa é a forma de atrair população para o uso de coletivos


O conceito do transporte público do futuro, aquele do corredor inteligente com ônibus no mesmo nivel das paradas, com horário certo de chegada e partida, com estações climatizadas e pagamento antecipado, a gente já conhece e aguarda a implantação, prevista nos principais corredores de tráfego Norte/Sul, Leste/Oeste e Avenida Norte até a Copa de 2014. Esse conceito, que a gente ensaia fazer aqui, já é realidade em 20 países e a ideia, que não é nova, surgiu em Curitiba na década de 1970 pelas mãos do urbanista Jaime Lerner, o mesmo que elaborou o projeto do Norte/Sul.

A preocupação com o transporte do futuro foi um dos temas debatido ontem no Congresso Internacional Cidades Sustentáveis, promovido pelo Sindicato da Arquitetura e de Engenharia (Sinaenco-PE),no Centro de Convenções, em Olinda. E traz no centro do problema o desafio de aumentar as restrições para os carros individuais e atrair esse público para o coletivo.

Há, no entanto, um consenso de que não basta apenas melhorar a qualidade do transporte nos corredores. As linhas alimentadoras são tão importantes quanto. Os caminhos que antecedem os corredores são longos e penosos e dificultam qualquer logística de deixar o carro em casa. A dona de casa Jaciara Minervina, 32 anos, não tem essa opção. Depende do ônibus. Ontem, enquanto aguardava a condução, numa espera de 40 minutos, em uma parada ao lado do Largo da Paz, no bairro de Afogados, conversava com um olho nas compras e outro na rua. O ônibus, que faz a linha Jaboatão/Centro, da empresa Santa Cruz e ligada ao Sistema Estrutural Integrado (SEI), chegou finalmente. Mas parou muito distante da parada. Não só ele.

"Vou ter que correr agora, senão perco o ônibus", contou. Conseguiu ajuda de outro passageiro e subiu em um ônibus já lotado, atravessando quase metade da pista. Não deu tempo perguntar o que ela esperava do transporte do futuro. A pergunta foi então para o aposentado José Nunes Filho, 76. A resposta veio imediata. "Colocar mais ônibus. A gente espera muitotempo e vem tudo lotado", reclamou. "Isso também, mas o que o senhor gostaria mais?

Por exemplo, paradas de ônibus climatizadas, com o ônibus parando pertinho, sem precisar correr e já saber o horário de chegada. Que tal?", insisto. Ele não tem dúvidas: "Acho que se colocar mais ônibus já fica bom", considerou o aposentado, que não tem nenhum parâmetro para exigir o contrário.

O contrário do que José Nunes conhece é possível e deve ser prioridade para não transformar em caos um trânsito já ruim. Para o engenheiro e ex-professor de trânsito da Universidade de São Paulo (USP), Wagner Colombine, as linhas alimentadoras precisam também se tornar atraentes. Com a experiência de quem ajudou a implantar o Tranporte Rápido por Ônibus (TRO) em outros países, ele explica que a multiplicação dos automóveis não comporta nas vias existentes e o fenômeno dos engarrafamentos deixou de ser dos grandes centros urbanos.

"Há carro demais e ruas de menos. É preciso investir no transporte público em toda sua dimensão, corredores e linhas alimentadoras", enfatizou. Ainda segundo ele, o transporte não motorizado, no caso o pedestre e o ciclista são complementares. "Isso significa calçadas em condições de uso e cliclovias. É isso ou esperar o caos, como já acontece nos grandes centros urbanos", ressaltou.

Fonte: Diário de Pernambuco
READ MORE - Recife: Ônibus climatizados, horário certo e mesmo nível das paradas. Essa é a forma de atrair população para o uso de coletivos

Curitiba: Linha Turismo terá novos modelos de ônibus de dois andares em 2010


A Linha Turismo de Curitiba terá novidades a partir de março de 2010. Para atender os curitibanos e turistas que pretendem conhecer a cidade com um olhar “mais elevado”, a Urbanização de Curitiba S.A (Urbs) e a prefeitura irão implantar quatro novos ônibus double deck, aqueles de dois andares e com a parte de cima aberta. A novidade, no entanto, não fica apenas no aumento da frota (atualmente são cinco ônibus de dois andares). As quatro novas unidades terão mudanças no projeto.
Segundo Elcio Luiz Karas, gestor de vistoria e cadastro da Urbs, os novos ônibus terão um toldo retrátil na parte superior e suportes para bicicletas e carrinhos de bebê na parte traseira do veículo. “Queremos atrair as pessoas que usam bicicleta a também usar o ônibus de turismo”, afirmou Karas.
O gestor afirmou que as mudanças são adequações e melhorias no sistema. “Vamos adotar o toldo em função do clima de Curitiba, em dias chuvosos a linha fica ociosa. Assim, o ônibus vai poder continuar trabalhando e oferecemos conforto para o usuário”, explicou. O ônibus de dois andares completou um ano no dia 15 de novembro de 2009.
De acordo com o Instituto Municipal de Turismo, da prefeitura de Curitiba, desde a entrada do ônibus foi registrado um crescimento de 54,5% no número de passageiros da Linha Turismo. A comparação foi feita com dados de 2008. A presidente do Instituto, Juliana Vosnika, afirmou que os meses de dezembro, janeiro e julho são os que têm a maior procura, pois coincidem com férias escolares.
“Nos meses de alta os ônibus funcionam às segundas-feiras também. No resto do ano isso não ocorre”, disse Juliana. Os dados da prefeitura mostram que o maior volume de pessoas na Linha Turismo é registrado aos sábados. Em 2009, de janeiro até novembro ocorreram 117.953 embarques aos sábados. Sexta e domingo também são dias de bastante movimento.

  1. Projetos
    A presidente do Instituto Municipal do Turismo, Juliana Vosnika, disse que o órgão está fazendo um estudo de revisão de todos os serviços oferecidos pela Linha Turismo. “Como, por exemplo, a opção de colocar um guia dentro do ônibus para dar informações sobre os locais e distribuir material informativo como panfletos”, explicou. Juliana afirmou que foram pegos exemplos de outras cidades do mundo que oferecem serviço semelhante.
    “Técnicos do instituto estão discutindo com a Urbs para ampliar e melhorar os serviços para o turista. Queremos colocar mais lugares para comprar o tíquete de embarque.” Juliana disse que as ações tomadas pela prefeitura e pela Urbs estão levando em conta o aumento de turistas na cidade, em razão da Copa do Mundo de 2014. Curitiba é uma das sedes do mundial de futebol.
  2. Transporte de bicicletas
    Nos quatro novos ônibus, as pessoas poderão levar as bicicletas nos suportes dos ônibus e deixar as pedaladas apenas para os parques. “Com o equipamento será possível transportar bicicletas. Também será possível colocar carrinhos de bebês. O suporte levará de 3 a 4 bicicletas e 3 carrinhos de bebês. Queremos melhorar o aproveitamento do veículo, possibilitar um conforto e incentivar o uso de bicicletas”, enumerou o gestor da Urbs Elcio Karas.
  3. Serviço
    A Linha Turismo circula a cada 30 minutos, percorrendo aproximadamente 45 quilômetros em cerca de 2 horas e meia. O roteiro começa na Praça Tiradentes, mas é possível iniciar o trajeto em qualquer um dos pontos de embarque. O passageiro compra uma cartela com cinco tíquetes no valor de R$ 20 e tem direito a um embarque e quatro reembarques.

Fonte: Gazeta do Povo

READ MORE - Curitiba: Linha Turismo terá novos modelos de ônibus de dois andares em 2010

Londrina: Ônibus terão faixa exclusiva na Rua João Cândido a partir desta segunda


A partir desta segunda-feira (12), ônibus e táxis com passageiros terão uma faixa exclusiva na Rua Professor João Cândido, no centro de Londrina. A medida anunciada no fim de março tem como objetivo dar maior fluidez no tráfego de veículos no quadrilátero central. Com a mudança, a via perdeu locais de estacionamento e o itinerário de alguns ônibus precisou ser mudado. No primeiro dia, a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) vai orientar os motoristas.

A faixa exclusiva funcionará das 7 às 19 horas. Diversos lojistas da região reclamaram da falta das vagas de estacionamento. A CMTU argumentou que ampliará vagas, principalmente de carga e descarga, em vias transversais. Empresários pediram que a implantação da terceira faixa fosse adiada, para que o assunto pudesse ser melhor discutido. A prefeitura não atendeu à solicitação.

O diretor de trânsito da CMTU, Wilson de Jesus, explicou que a terceira faixa será entre as Avenida Juscelino Kubitschek e Rua Benjamin Constant. “Os motoristas que quiserem fazer a conversão à direita, deverão dar seta e entrar na terceira faixa 25 metros antes da faixa de pedestres”, explicou o diretor. Segundo ele, num primeiro momento haverá permissão para embarque e desembarque na pista da esquerda. “Mas segunda é o primeiro dia e vamos ver ainda como será a sinalização dos motoristas”, afirmou.

O itinerário dos ônibus que subiam a João Cândido e realizavam a conversão na Rua Pará foi modificado. Todos seguirão diretos pela João Cândido até o Terminal Urbano de Londrina. “A única linha de ônibus que fará a conversão à direita será a 800, entrando na Rua Piauí. Os demais ônibus, que entravam na Paraná, vão subir direto a João Cândido”, informou Jesus. Desta forma, as linhas que antes paravam em pontos nas ruas Pará, Prefeito Hugo Cabral e Benjamin Constant, não mais passarão por eles.

A CMTU levará equipe técnica e de fiscalização para a João Cândido na manhã desta segunda-feira (12). O objetivo é avaliar os resultados da mudança e implantação da terceira faixa. Além disso, funcionários das empresas de transporte coletivo também ficarão monitorando. “Como é o primeiro dia, estaremos lá bem cedo para ver o desenrolar do fluxo. Vamos orientar e ver o comportamento do motorista. Certamente haverá gente com dúvida”, afirmou o diretor de trânsito.
As mudanças na Avenida Duque de Caxias estão programadas para iniciar na próxima semana, já que nesta os agentes da CMTU concentrarão as atividades na avaliação da João Cândido.

Fonte: Jornal de Londrina
READ MORE - Londrina: Ônibus terão faixa exclusiva na Rua João Cândido a partir desta segunda

Teresina sedia capacitação para 2 mil funcionários de ônibus coletivos


De 14 a 16 de abril cerca de 2 mil funcionários das empresas de ônibus participam de atividade de capacitação. A III Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho - Sipatrans, é o único evento do país que reúne colaboradores de todas as empresas de um mesmo segmento. Além da reciclagem profissional o evento proporciona uma verdadeira integração entre as empresas.

A troca de experiências se verifica no Encocipas - Encontro de Representantes das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes de Trabalho. Eles discutem questões como a padronização das ações e a responsabilidade legal das empresas nos acidentes de trabalho.

A prestação de serviços é outro destaque. Em alusão ao Dia Mundial da Saúde, comemorado em 7 de abril, serão oferecidos vários exames médicos como testes de glicemia e aferição de pressão arterial.

O evento é promovido pelo Setut em parceria com as seguintes instituições: Strans, Ministério Público do Trabalho, Sintetro, Sup Reg de Trabalho e Emprego, INSS, Sest/Senat, Fundação Municipal de saúde e Polícia Rodoviária Federal.

Fonte: Cidadeverde
READ MORE - Teresina sedia capacitação para 2 mil funcionários de ônibus coletivos

Belém: Prefeitura quer regularizar frota com 150 micro-ônibus


Com direito a carreata e buzinaço, os trabalhadores do transporte alternativo comemoraram ontem a determinação do prefeito de Belém, Duciomar Costa, que solicitou à Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel), a elaboração de um projeto que pode garantir a circulação de 150 micro-ônibus, que antes trafegavam de forma irregular.
Depois de seis anos na luta pela legalização do transporte alternativo, esse foi o primeiro passo dado pela prefeitura sinalizando a possível aprovação desse tipo de transporte na cidade. O presidente da Associação dos Trabalhadores do Transporte Alternativo, Francinaldo Barros, disse que o projeto já foi feito pela CTBel e visa liberar inicialmente 150 micro-ônibus de forma legalizada, mas, depois o número deve ser ampliado.
“Temos mais de mil veículos em Belém que fazem o transporte alternativo. O prefeito liberando esses 150, já é uma grande vitória e nos traz esperanças de que um dia poderemos conseguir liberar todos”.
Barros explicou que, se o projeto for aprovado, os primeiros micro-ônibus a circularem nas ruas da cidade serão fiscalizados e irão atuar com os mesmos padrões de uma empresa privada, formada pelas 22 cooperativas de transporte alternativo de Belém.“O importante é que mesmo se não conseguimos legalizar todos os carros, abriremos oportunidades de emprego para os cooperados, porque teremos fiscal, cobrador, motorista e todos os cargos que uma empresa de ônibus normal necessita”.
PREÇOS - Ele também informou que o preço da passagem será o mesmo de um ônibus comum: R$ 1,85. Nos micro-ônibus serão aceitos meia-passagem e oferecerão seguro para os passageiros no caso de acidente e terão como principal diferencial os horários de circulação e as linhas por onde irão trafegar. “Nossa proposta é rodar 24 horas por dia em locais mais afastados, onde o transporte público não chega. Queremos unir o útil ao agradável”.
O diretor do Sindicato dos Rodoviários de Belém, Wilson Rocha, informou que o sindicato não é contra a possível legalização do transporte alternativo na cidade, porém, acredita que a legalização não irá resolver o problema do transporte público na cidade. “Ficamos felizes porque são novas vagas de emprego que estão sendo geradas, mas nem tudo será resolvido com isso”.
Em nota, a CTBel confirmou a informação que já elaborou uma proposta que prevê a concessão para operacionalização do serviço de transporte público de passageiros a 150 micro-ônibus, no qual os operadores terão regras a serem cumpridas, seguindo o que determina a Lei Orgânica do Município de Belém e o Regulamento do Serviço de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Belém.

Fonte: Diário do Pará

READ MORE - Belém: Prefeitura quer regularizar frota com 150 micro-ônibus

É difícil andar de ônibus e metrô em Canoas


São milhares os passageiros diariamente se deslocando em Canoas, Esteio e Sapucaia do Sul. O metrô transporta por dia 168 mil passageiros. Nos horários de pico, a superlotação está sendo analisada pelos técnicos. Além disso, reclamações de descumprimentos de horários fazem parte do cotidiano dos usuários. Em Canoas, a Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade implantou várias mudanças nas linhas de ônibus.

A L1 foi desmembrada em duas: L1-Via Ideal-Centro e Nazário-Rua São João-Centro também foi criada a linha Setor1-Nova Estância-Centro. Além disso, a empresa Vicasa estuda a possibilidade de ampliar o estacionamento de embarque e desembarque de passageiros, na Estação Canoas La Salle. O secretário da Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade, Luiz Carlos Bertotto, diz que está à disposição para estudar a ampliação do estacionamento das linhas de ônibus integração.

Bertotto revela que vem realizando estudos, com o objetivo de integrar as tarifas de ônibus Sogal com as da Integração. “Estamos em fase de avaliação, mas posso adiantar que pretendemos implantar um sistema único de transporte urbano coletivo. A mudança facilitaria, ainda mais, o acesso dos usuários”.

No município de Sapucaia do Sul, a secretaria de Segurança e Trânsito analisa a possibilidade de ampliar os estacionamentos de embarque e desembarque do final da linha dos coletivos, que estão localizados junto a Estação da Trensurb Sapucaia. “Estamos em fase de estudo e de projeto, mas temos a intenção de ampliar as paradas de ônibus que estão localizadas na Estação Sapucaia”, comenta o secretário Ivan Braz.

A cidade de Esteio apresenta uma das tarifas de ônibus mais baixas da região metropolitana, que é equivalente a R$ 2,10. A passagem oferece aos usuários a possibilidade de embarcar em lotações, que transita nos bairros do município. “A nossa tradição, em Esteio, é manter a tarifa de ônibus com preço baixo.

A tarifa estava estimada em R$ 2.30, mas conseguimos manter o valor equivalente a R$ 2,10”, diz o Secretário da Secretaria de Segurança Pública e Trânsito, Arno Leonhardt. O gerente de operação da Trensurb, Rubens Pazin, explica que a superlotação seria amenizada se a Trensurb adquirisse 32 trens com seis carros, sendo que atualmente disponibiliza somente 25 trens e quatros carros.

“A nossa meta é comprar mais trens, mas precisamos de recursos financeiros para isso acontecer”, argumenta.

Fonte: Correio de Notícias

READ MORE - É difícil andar de ônibus e metrô em Canoas

Rio: Passageiros têm mais uma semana para retirar Bilhete Único


Quem ainda não retirou o Bilhete Único tem mais uma semana para fazer o pedido diretamente num dos 19 postos de atendimento do Rio e Grande Rio. A partir do dia 16 de abril, quem quiser aderir ao benefício garantido pelo Governo do Estado terá que fazer o cadastramento pelo site http://www.riobilheteunico.com.br/.

A Secretaria Estadual de Transportes preferiu manter os dois postos que registram maior movimentação abertos, o da Central do Brasil, com média diária de 720 atendimentos, e o do Terminal Rodoviário João Goulart, no Centro de Niterói, que registra mais de 150 adesões ao programa por dia.


Fonte: O Dia online
READ MORE - Rio: Passageiros têm mais uma semana para retirar Bilhete Único

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960