No dia do aniversário, Curitiba ganha o ônibus Ligeirão

quinta-feira, 25 de março de 2010


No dia do aniversário de 317 anos, na segunda-feira, 29 de março, Curitiba ganhará o ônibus Ligeirão, a primeira Linha Direta Expressa que fará a ligação Boqueirão-Centro. O Ligeirão começará a circular às 5h41, saindo do Terminal Boqueirão em direção à estação praça Carlos Gomes.

A linha vai encurtar em pelo menos 15 minutos o tempo de deslocamento entre o bairro e o centro, passando direto por 16 das 17 estações-tubo da avenida Marechal Floriano Peixoto. O Ligeirão só terá paradas nos terminais Hauer e Carmo, e na estação Cefet. Contando os pontos de chegada e saída, o Ligeirão fará cinco paradas, enquanto a linha Boqueirão convencional faz 19 paradas."São avanços significativos no sistema de transporte.

Mais do que uma nova linha de ônibus, o Ligeirão representa um aumento na capacidade e eficiência do sistema, que começa pelo Boqueirão e que, futuramente, poderá ser levado a outros eixos de transporte", afirma o prefeito Beto Richa. O Eixo Boqueirão, formado pela Marechal Floriano, opera com uma frota de 22 ônibus biarticulados e transporta, por dia útil, 70 mil passageiros em média. A estimativa é que em torno de 30 mil passageiros migrem para o Ligeirão ao longo do ano.

O número de passageiros do Ligeirão pode chegar a 40 mil por dia útil, porque a linha será também uma excelente opção para quem se desloca neste trajeto pelos ligeirinhos Sítio Cercado e Boqueirão-Centro Cívico. É que os ligeirinhos compartilham seus trajetos - paralelos aos eixos - com o trânsito em geral, enquanto o Expresso, que é o caso do Ligeirão, segue pelas canaletas.

O Ligeirão faz parte de um grande conjunto de obras e melhorias do transporte que vêm sendo feitas desde 2005, aí incluídos o eixo de transporte da Linha Verde Sul com o ônibus Pinheirinho-Carlos Gomes; a reforma de 19 dos 21 terminais de transporte, a reforma e ampliação de todas as estações-tubo do Inter 2; a renovação em quase 60% da frota de ônibus; e a licitação da operação do sistema de transporte coletivo urbano de Curitiba.

Fonte: Bem Paraná
READ MORE - No dia do aniversário, Curitiba ganha o ônibus Ligeirão

DF: greve de funcionários deixa metrô totalmente paralisado


O SindMetrô recorreu na tarde de hoje da decisão do Tribunal Regional do Trabalho, que determinou que o Metrô deveria operar com 80% dos funcionários entre as 16h e as 19h, horário considerado de pico. Na quarta-feira esta determinação foi cumprida, mas nesta quinta o sindicato "resolveu paralisar 100% das atividades", afirmou o secretário de assuntos jurídicos, Renato Marcos Mourão Barbosa.
Ainda de acordo com Mourão, na tarde de hoje foi entregue ao governador interino do DF, Wilson Lima (PR), a pauta com as reivindicações dos funcionários. O sindicalista ainda disse que o governador teria se comprometido a oferecer novas propostas para o sindicato, as 20h desta quinta.
"Se tivermos boas propostas, que atendam aos nossos pedidos, vamos retomar o trabalho amanhã. Senão, iremos manter a greve com 100% de paralisação", afirmou Mourão.
No último dia 15 o Metrô também ficou totalmente parado, quando os funcionários anunciaram pela primeira vez a greve, e ofereceram trabalhar com 30% do contingente, oferta que na ocasião foi recusada pela Companhia.

Fonte: Terra
READ MORE - DF: greve de funcionários deixa metrô totalmente paralisado

Fiscalização direcionada retira três ônibus de circulação da empresa Campo Grande


Três ônibus das linhas 370 (Padre Miguel - Praça XV), 393 (Castelo - Bangu) e S-13 ( Lavradio - Bangu), todos da empresa Transportes Campo Grande, a segunda colocada no ranking das reclamações da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), foram retirados de circulação, nesta quinta-feira, por falta de documentação e mau estado de conservação, entre outros itens.

As operações de Fiscalização Direcionada à cargo da Subsecretaria de Fiscalização de Transportes (Subf) foram realizadas em três locais: Terminal da Misericórdia, na Praça XV, onde opera a 370; Av. Graça Aranha, ponto final da 393 e Avenida Chile, ponto da S-013. Bancos soltos, CRLV vencido, pneus carecas, portas danificadas e falta de certificado Anual de Vistoria foram as principais irregularidades verificadas pelos fiscais.

As ações foram baseadas no Código Disciplinar de Transportes do Municipio do Rio de Janeiro e Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A Transportes Campo Grande obteve uma pontuação negativa ( 30,24) no ranking das cinco empresas com maior número de reclamações feitas à Ouvidoria da SMTR.

Fonte: O Dia Online
READ MORE - Fiscalização direcionada retira três ônibus de circulação da empresa Campo Grande

Passageiros reclamam de falta de ônibus durante à noite em Belo Horizonte


Andar de ônibus em Belo Horizonte, durante o dia, não é fácil, principalmente nas horas de pico. À noite, o número de passageiros diminui, mas o de ônibus, também. Resultado: depois de um dia inteiro de trabalho, muita gente ainda tem de enfrentar longas filas e viagens demoradas pra voltar pra casa.

Segundo os órgãos que gerenciam as linhas, o número de ônibus é reduzido à noite e durante a madrugada porque a demanda de passageiros é bem menor. E, segundo o DER, os ônibus que funcionam neste horário têm o itinerário estendido para atender a uma área maior.

A BHtrans informou que algumas linhas deixam de circular de madrugada também por falta de segurança. E que as solicitações de viagens noturnas são avaliadas e podem ser atendidas. O contato deve ser feito pelo telefone 156.




Fonte: Globominas
READ MORE - Passageiros reclamam de falta de ônibus durante à noite em Belo Horizonte

Natal terá linha de ônibus percorrendo pontos turísticos

Linha Turismo em Curitiba atrai muitos visitantes aos pontos turísticos da cidade
Natal finalmente terá em seu transporte público uma linha percorrendo 17 pontos turísticos. A informação foi dada na manhã desta quinta-feira (25) pela Prefeitura do Natal em solenidade realizada no auditório do Hotel Pestana. O projeto foi apresentado aos empresários do “trade” turístico da capital pelas secretarias municipais de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Seturde) e de Mobilidade Urbana (Semob).

A “Linha Turismo” foi lançada hoje, porém somente em 40 dias a Semob deverá publicar no Diário Oficial do Municipal um edital de concessão para as empresas interessadas em operá-la. “Acredito que, após o lançamento do edital, em mais 60 dias a empresa vencedora será escolhida e até o início da próxima alta estação, em meados de novembro deste ano, a linha já deverá estar funcionando”, informou o secretário de Turismo, Soares Júnior.

De acordo com o titular da Seturde ainda, o projeto integra o plano de governo da atual gestão da Prefeitura, em atendimento a uma reivindicação dos empresários do setor. “Apresentamos o projeto da linha à Secretaria de Mobilidade Urbana, que passou seis meses analisando o possível trajeto. A apresentação da ‘Linha Turismo’ representa hoje mais uma importante ferramenta para o turismo da capital. Além dos turistas, os próprios natalenses irão usufruir”, destacou.

  • Linha Turismo
O objetivo da é dar oportunidade aos visitantes de conhecer os principais pontos de turísticos e históricos de Natal. A linha será operada por ônibus especiais, de dois andares, tipo jardineiras, adaptados com amplas janelas, bancos confortáveis, equipados com sistema de som para fornecer informações sobre os locais visitados em três idiomas: português, inglês e espanhol, além de possuírem sistema de câmeras em circuito interno, que garantirão a segurança.

O trajeto é de 42 quilômetros e percorrerá 17 pontos turísticos de Natal. São eles: Farol de Mãe Luiza; Artesanato Praia do Meio; Centro de Turismo; Praça das Flores; Canto do Mangue; Mercado da Redinha; Fortaleza dos Reis Magos; Teatro Alberto Maranhão; Catedral Nova; Centro Histórico; Horto Florestal; Parque das Dunas; Shopping Midway Mall; Estádio Machadão; Natal Shopping; Praia Shopping e Artesanato de Ponta Negra.

Fonte: Nominuto.com
READ MORE - Natal terá linha de ônibus percorrendo pontos turísticos

Ribeirão Preto precisa de mais 50 ônibus adaptados, diz Conselho


A quantidade de ônibus coletivos adaptados para portadores de necessidades especiais é insuficiente em Ribeirão Preto, segundo o Conselho Municipal de Promoção e Integração das Pessoas Portadoras de Deficiência (COMPPID).
“Acredito que (são necessários) mais uns 50 ônibus e mais 30 vans. Temos uma lista de espera de 92 pessoas aguardando pela vaga da van, são pessoas que não têm condições de pegar um ônibus adaptado”, afirma a presidente do Sheila Aparecida Simões.
Segundo estimativa do COMPPID, em Ribeirão Preto existem 68 mil pessoas com algum tipo de necessidade especial. Essa população é atendida por 57 ônibus e 16 vans adaptados, de acordo com a Transerp, empresa que gerencia o trânsito da cidade.
Além da falta de ônibus, os portadores de deficiência convivem com dificuldades dentro dos próprios veículos. Na maioria, há apenas uma vaga com cinto de segurança para cadeirantes que, quando ocupada, não deixa espaço para abrir o assento destinado a cegos. Em alguns veículos, o botão de parada não está funcionando.

Fonte: EPTV
READ MORE - Ribeirão Preto precisa de mais 50 ônibus adaptados, diz Conselho

Promotoria e Comissão vão fiscalizar abrigos de ônibus de João Pessoa


A Promotoria do Cidadão de João Pessoa e a Comissão de Acessibilidade vão fiscalizar os 80 abrigos de ônibus já instalados na Capital para verificar se estão dentro dos padrões estabelecidos pela Lei de Acessibilidade (Lei 10.098/2000) e pela NBR 9050-2004, que tratam do assunto de acessibilidade nos abrigos/paradas de ônibus.
De acordo com o promotor de Justiça Valberto Lira, já está na Promotoria a relação dos 80 abrigos encaminhada pela Superintendência de Transportes e Trânsito de João Pessoa (STTrans), como também o o levantamento dos locais de colocação e construção dos novos 150 abrigos. “Se algum ou quando forem considerados em desacordo, vamos, através de um Termo de Ajustamento Conduta (TAC) conceder prazo para sua adequação. Caso haja resistência, será ajuizada uma ação civil pública, no caso contra a AETC/JP, responsável pela confecção dos abrigos”, explicou o promotor.
Os abrigos estão distribuídos da seguinte forma: 27 na Avenida Epitácio Pessoa; uma no Altiplano, em frente da Estação Ciência; nove na Avenida Ruy Carneiro; oito no Cabo Branco; seis em Tambaú; 18 em Manaíra; nove no Centro; e uma em Jaguaribe, no Bessa, no Aeroclube, em Tambiá, no Jardim Luna e na Torre.

Fonte: Paraíba.com
READ MORE - Promotoria e Comissão vão fiscalizar abrigos de ônibus de João Pessoa

São Paulo: Passageiros sofrem em corredor ''Reportagem do Diário de São Paulo''


O DIÁRIO embarcou num ônibus que passa pelo caótico trânsito da Estrada M'Boi Mirim, na Zona Sul de São Paulo, na manhã desta quarta (17), enfrentando o congestionamento que vai das 6h às 9h. O trecho é usado por cerca de 350 mil pessoas.

Nas manhãs de segunda e de terça-feira, centenas de pessoas realizaram manifestação e interditaram a estrada, aumentando ainda mais o transtorno. Na quarta, a Polícia Militar e a CET monitoraram toda a via.

A equipe de reportagem chegou em frente ao Terminal Jardim Ângela, ponto inicial de boa parte das linhas que cruzam a M’Boi, às 5h30. O horário, porém, foi considerado tarde pelos passageiros. Para conseguir sentar no ônibus, ou mesmo ir em pé com menos “aperto”, o ideal é chegar às 5h. “Fico uma hora e meia na fila do Terminal Ângela esperando para embarcar e ir sentado”, disse o limpador Fábio Gomes da Silva, que trabalha no Paraíso, Zona Sul.

Cada ponto de ônibus do terminal tem várias filas. Muita gente faz como Fábio e enfrenta até sete delas para conseguir sentar. O sacrifício tem uma explicação: a viagem de M’Boi Mirim até o Centro, por exemplo, dura, no mínimo, duas horas, tempo demais para ficar em pé.A reportagem pegou apenas uma fila e embarcou às 6h13. Viajou em pé na linha 5391 (Largo São Francisco). A lentidão se prolongou por toda a M’Boi Mirim. Muitos coletivos ficam em fila parados na faixa exclusiva. Passageiros pedem ao motorista para sair do corredor.

Além do grande número de carros, há uma obra de ampliação do metrô no Largo Treze, que ocupa a via. A via vira um funil. Impacientes, muitos desistem de esperar e descem em qualquer ponto para seguir o resto do caminho andando. No corredor, o trânsito parou e a reportagem ficou por uma hora ali. Passageiros dizem que, sem congestionamento, o trajeto é feito em 25 minutos. O resto da viagem durou uma hora, e às 8h15 o coletivo chegou ao seu destino final, no Centro.

Segundo passageiros, na manhã de quarta a viagem foi feita em “apenas” duas horas. “Por sorte”, o ônibus não estava tão cheio.As manifestações do início da semana repetem outras ocorridas no início do ano eleitoral de 2008. Na época, a Prefeitura prometeu criar um sistema de metrô leve (monotrilho) na estrada do M’Boi Mirim, o que vai permitir levar o transporte coletivo para a via elevada, aumentando o espaço para o trânsito de carros embaixo. A obra está em fase de projeto. Para melhorar o problema de curto prazo, a Prefeitura agora anuncia a adoção de faixas reversíveis, para aumentar a vazão do trânsito nas horas de pico.

Fonte: Diário de São Paulo
READ MORE - São Paulo: Passageiros sofrem em corredor ''Reportagem do Diário de São Paulo''

Londrina: começam obras para faixa exclusiva de ônibus


Duas ruas do centro de Londrina terão faixas exclusivas para ônibus, segundo anúncio do prefeito Barbosa Neto (PDT) na entrevista coletiva semanal desta quinta-feira (25). As obras na Rua Professor João Cândido, entre a Avenida J.K. e a Rua Benjamin Constant, começaram nesta quarta-feira (24). A previsão é finalizá-las até 12 de abril, se não chover. A outra via na qual será implantada faixa exclusiva para ônibus é a Duque de Caxias, entre as avenidas J.K. e Arcebispo Dom Geraldo Fernandes (Leste-Oeste), cujas obras serão iniciadas logo após a conclusão da primeira fase.

O primeiro trecho tem a extensão de 1,2 mil metros e o segundo, de 1,3 mil metros. O objetivo é dar mais condições de trafegabilidade aos ônibus, reduzindo o tempo de viagem, e incentivar o uso dos coletivos. Isto poderiam baratear os custos do transporte coletivo em Londrina, cuja tarifa hoje é de R$ 2,25. Para permitir a faixa exclusiva, uma terceira faixa será criada, suprimindo-se as vagas de estacionamento nas vias. Nos dois trechos não será mais permitido parar. Carga e descarga de mercadorias só poderão ser feitas quando a faixa exclusiva estiver desativada – ou seja – entre 19 e 7 horas. Nos sábados, a faixa para ônibus funcionará das 7 às 14 horas. No domingos, todas as vias são livres para qualquer veículo.

O diretor de Trânsito e Transporte da Companhia de Trânsito e Urbanização (CMTU), Wilson de Jesus, disse que o principal impacto negativo da medida será a supressão de aproximadamente 350 vagas de estacionamento nos dois trechos. "Mas os outros efeitos serão todos positivos para cidade, que passará a utilizar mais o transporte coletivo, diminuindo os congestionamentos, a poluição ambiental e o custo do serviço", afirmou em entrevista ao Bonde.

Estudo da CMTU estima que a viagens de ônibus terão redução de sete minutos nos horários de pico e de 10 minutos nos demais horários, com a implantação da faixa exclusiva. Esta faixa receberá pintura viária e será "isolada" com prismas (olhos de gato). A implantação das faixas custará cerca de R$ 150 mil, sendo que os custos de divulgação – R$ 90 mil – foram doados pelo sindicato das empresas de transporte coletivo, o Metrolon.

"Queremos dar prioridade ao transporte coletivo, que é o que todas as grandes cidades de destaque no trânsito já fizeram", afirmou Wilson de Jesus. Conversões Nas duas vias as conversões à direita continuarão sendo permitidas, mesmo com a terceira faixa exclusiva para os ônibus. "Haverá um trecho sinalizado na via indicando que naquele ponto o motorista poderá utilizar a faixa exclusiva para convergir à direita", explicou o diretor. Até a implantação definitiva da campanha, ninguém será multado se for flagrado trafegando pela faixa dos ônibus. "Primeiramente, haverá orientação".

Fonte: BondeNews
READ MORE - Londrina: começam obras para faixa exclusiva de ônibus

Atenção para as mudanças nos cartões de transporte coletivo na cidade de Tapajós


Santarém - Os estudantes poderão utilizar o cartão antigo até o mês de Abril.

De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros o prazo para a utilização do antigo cartão, que seria encerrado no ultimo dia 20, foi prorrogado por causa da troca de fornecedor.“Esse ano nós resolvemos mudar de cartão e contratamos uma outra empresa. Essa empresa, a fabrica é Manaus, mas infelizmente nós estamos aqui do lado e nós não podemos receber o material aqui. O material tem que ir para São Paulo para depois voltar até nós”. Explica Washington do Vale, presidente do SETRANS.

Com isso os estudantes ganham mais um tempo para solicitar a emissão de um novo documento.“A partir desta quinta-feira, o estudante já pode procurar o UES para ter acesso a essa carteira 2010, mas como houve esse atraso que foi explicado, nós estamos com a carteira de 2009 com validade até 15 de abril deste ano.

Nós negociamos junto ao sindicato essa prorrogação de prazo.” Explica Ib Sales Tapajós, coordenador do UES.Outra mudança visa combater a venda ilegal dos créditos. O SETRANS tomou algumas providencias, como a liberação de apenas seis passagens por dia.

Fonte: Notapajos.com

READ MORE - Atenção para as mudanças nos cartões de transporte coletivo na cidade de Tapajós

Cadeirante reclama de descaso no atendimento do transporte coletivo em Rondonópolis


O cadeirante Antônio Carlos Ataíde de Jesus, de 39 anos, viveu mas um drama que pessoas em sua condição vivem todos os duas. Ele participou de sessão da Câmara Municipal de Vereadores, e denunciou o descaso ao reclamar de uma situação pela qual passou ao precisar entrar em um ônibus de transporte coletivo em Rondonópolis. Segundo ele, às 13h12 de quarta-feira aguardava um ônibus próximo ao Jardim Atlântico, em frente ao Instituto Médico Legal (IML).

No momento chovia um pouco, de acordo com Paulo, e o motorista do ônibus da linha 176 (Coophalis/Jd. Atlântico) o avisou que a plataforma para a cadeira de rodas estava danificada. O motorista teria se recusado a descer do ônibus e ajudar Paulo a entrar no coletivo.

O cadeirante contou que teve que aguardar na chuva um outro veículo, que só chegou às 13h44. O ônibus da linha 175 também estava com a plataforma estragada, mas o motorista ajudou Paulo a entrar. De acordo com ele, quando precisou retornar de seu destino, próximo à Prefeitura, na Rua D. Pedro II, utilizou o veículo da situação anterior, o 176. Desta vez, a plataforma não estava mais danificada e Paulo pode entrar normalmente.

Ele reclama do descaso do profissional que não quis ajudá-lo e relata que ele e outros colegas cadeirantes já passaram por situações semelhantes ao precisar do transporte coletivo urbano.

O gerente administrativo da empresa responsável pelo transporte coletivo na cidade, Paulo César da Silva, declarou ao Olhar Direto que as plataformas são peças sensíveis e que diariamente apresentam problemas. Ele afirmou que o veículo da linha 176 recebeu a manutenção na plataforma nesta tarde e que conversou com o motorista envolvido na questão rapidamente.“Eu falei rapidamente com ele porque ele estava dirigindo, mas vou conversar amanhã.

O procedimento de um serve para todos”, disse o gerente sobre o treinamento recebido pelos motoristas, onde são orientados a ajudar os cadeirantes quando necessário e ainda pedir a eles se aceitam a ajuda de mais uma pessoa para entrar nos coletivos. Paulo contou a versão do motorista que teria avisado ao cadeirante sobre o problemas e perguntado se gostaria de aguardar outro veículo que chegaria rápido, ao que o cadeirante teria respondido que sim.

Paulo explicou ainda que por lei a empresa deve ter 20% da frota com plataformas para cadeiras de rodas, mas que mantém 70% de veículos com esse equipamento. “Precisaria ter 12 a cada 60 ônibus, mas hoje temos 40 veículos com plataforma na frota de 65 e queremos chegar a 100%. Acho que isso demonstra o quanto é significante nossa preocupação em atender bem”, ressalta.

Fonte: Olhar Direto

READ MORE - Cadeirante reclama de descaso no atendimento do transporte coletivo em Rondonópolis

Transporte Público no Rio: O desafio diário de ir e vir


Se quiser ganhar a corrida para resolver os seus problemas de transporte, o Rio precisa tirar o pé do freio. Numa perspectiva geral do que acontece em outros países da América Latina e do Caribe, saltam aos olhos que as soluções apontam para a integração viária e a criação de modelos alternativos de deslocamento. Ninguém parece discutir a direção. Mas, enquanto os outros se apressam, o Rio segue em ritmo lento ou, em alguns casos, desacelera.

  • Os corredores expressos para ônibus e o metrô são a prova disso. Ao passo que a Cidade Maravilhosa ainda planeja sua primeira via exclusiva para ônibus e contabiliza 34 estações de metrô, Bogotá já opera um sistema de bus rapid transit com 114 estações, que transportou, em janeiro último, 2,7 bilhões de passageiros. Já Santiago do Chile, que também inaugurou seu sistema subterrâneo na década de 70, se orgulha de ter 101 estações de metrô.
A velocidade é um diferencial importante diante do crescimento da demanda de passageiros. Santiago inaugurou 26 novas estações de metrô em cinco anos - quase 5,2 a cada ano. No mesmo período, o Rio ganhou apenas duas, Cantagalo, em Copacabana, e General Osório, em Ipanema. São dois milhões de chilenos transportados por dia contra 550 mil pelo metrô no Rio. Metrô, alvo de queixas
O tempo pesou para o metrô fluminense, que perdeu excelência. De rápido, eficiente e confortável, tornou-se alvo de reclamações constantes, de superlotação a falhas operacionais. Para Ronaldo Balassiano, professor de Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ, o Rio sofre com a falta de continuidade e planejamento.
  • - Hoje, o metrô está vivendo um caos. Um planejamento inteligente e interessante começou a ser feito, mas descarrilou no meio do caminho. É preciso aumentar a frequência de trens ou, eventualmente, inaugurar uma estação, como Ipanema. O segundo problema foi o projeto fracassado da Linha 1A (ligação direta Pavuna-Botafogo). Como um novo serviço foi implantado sem informação, sem preparar os funcionários? - pergunta Balassiano.
Na comparação, o metrô do Rio leva menos gente, é menor e mais caro do que os sistemas em funcionamento em Buenos Aires, Caracas e Cidade do México. Bogotá ainda projeta sua rede, mas a cidade está lá na frente numa modalidade de transporte com DNA brasileiro: o bus rapid transit. Há tempos o Rio namora o sistema de corredores expressos de ônibus de Curitiba, obra do arquiteto Jaime Lerner, mas foram os colombianos que o implantaram antes. E mais: em 2008, a Colômbia deu início à construção de mais três troncos de corredores do TransMilenio, com previsão de conclusão ainda este ano.
  • A presidente da ONG Rio Como Vamos, Rosiska Darcy de Oliveira, observa que, além de racionalização, o sistema de transporte carece de informações para a realização de um diagnóstico preciso.- Cidades grandes, como o Rio, precisam de um transporte de massa eficiente e integrado. Os ônibus deveriam alimentar e complementar os ramais metroviário e ferroviário, o que reduziria os engarrafamentos. Infelizmente, estamos longe disso - afirma.

Segundo a ONG, a rede como um todo é desconhecida. O Plano Diretor da cidade previa que, em 2005, havia 5,274 milhões de deslocamentos diários na Região Metropolitana do Rio, 74% deles realizados por meio de transporte público. Os dados atualizados sobre como se dividem os passageiros são fornecidos por setor ou concessionária. São eles: ônibus, 2,511 milhões de pessoas por dia; trens, 500 mil por dia; metrô, 550 mil por dia; barcas, 90 a cem mil por dia, totalizando 3,6 milhões de pessoas.

  • Investimento insuficiente
    Em razão dos parcos investimentos do passado, o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, reconhece que, faltando seis anos para as Olimpíadas de 2016, o Rio corre atrás do prejuízo:
    - A verdade é que a frota do metrô, de 30 anos, é antiga e com grau de intensidade de uso tremendo. O acordo da renovação (da concessão) envolve a melhora de sistemas abandonados há anos. Os investimentos em infraestrutura, de passivos trabalhistas a obras de ventilação dos trens, são de R$ 1,2 bilhão.
Enquanto isso, Buenos Aires, além de sete novas estações de metrô, investe numa rede múltipla: um corredor exclusivo de ônibus entre Palermo e Liniers e 50 quilômetros de ciclovias. O México aposta em linhas de metrobus - ônibus expressos que circulam numa pista exclusiva - para aumentar a capacidade de seu metrô. E San José, na Costa Rica, discute aplicar US$ 345 milhões num trem elétrico para ligar a capital à província de Heredia, distante apenas 12 quilômetros.

Fonte: O Globo

READ MORE - Transporte Público no Rio: O desafio diário de ir e vir

Estudantes protestam pelo meio-passe no transporte em Belo Horizonte


Estudantes fizeram manifestação pelo meio-passe no transporte público nesta quarta-feira na Praça Afonso Arinos, na região central de Belo Horizonte. De acordo com a Companhia de Trânsito da Capital (Cptran), que acompanhou o protesto, cerca de 600 pessoas participaram do movimento.

Os manifestantes fecharam parte da Avenida Augusto de Lima durante a manhã, o que deixou o trânsito lento no local. Outro motivo do encontro foi a discussão sobre o fundo social do pré-sal. Os estudantes querem que 50% do fundo seja destinado para a educação. Os estudantes se concentraram por volta das 8h30 e saíram em passeata.

Eles percorreram várias ruas do centro e pararam na porta da Prefeitura de Belo Horizonte. Um trecho da Avenida Afonso Pena foi interditado. O trânsito ficou lento e teve que ser desviado para a Rua da Bahia. A prefeitura informou que vai estudar a reivindicação dos alunos.

Fonte: Globominas

READ MORE - Estudantes protestam pelo meio-passe no transporte em Belo Horizonte

Em Porto Alegre, Linha T-10 volta para a Carris dia 29


A linha T-10 volta segunda-feira, 29, para a Companhia Carris Porto-alegrense. Criada em 2000 e operada pela empresa do município, em 2009 passou para o consórcio de empresas Unibus como um período de compensação (ajuste entre os consórcios que busca o equilíbrio dos custos operacionais de cada um em função da receita na Câmara de Compensação Tarifária). A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) é o gestor desse ajuste.
O terminal leste da T-10 é no campus da Ufrgs da Agronomia, com itinerário pela Bento, Antônio de Carvalho, Protásio, Manoel Elias, Baltazar e tem terminal norte no terminal Triângulo da Assis Brasil.

Fonte: EPTC
READ MORE - Em Porto Alegre, Linha T-10 volta para a Carris dia 29

Cartão Escolar 2009 é válido até 31 de março em Rio Grande

A Central de Atendimento Mais Rio Grande informou que o Cartão Escolar 2009 poderá ser utilizado somente até o dia 31 de março. Após essa data, os estudantes já deverão ter realizado a revalidação do Cartão para o ano letivo de 2010.
Revalidação do Cartão
Para a revalidação do Cartão Escolar, as escolas públicas municipais e estaduais devem apresentar a listagem completa dos alunos devidamente matriculados, constando o nome do aluno, turno de estudo e carga horária, para a Secretaria Municipal da Segurança, dos Transportes e do Trânsito (SMSTT). A Secretaria, por sua vez, encaminhará a documentação para a Central de Atendimento Mais Rio Grande, situada na rua Marechal Floriano, 521, para que os alunos possam revalidar o documento.
Os estudantes dos ensinos Fundamental e Médio devem apresentar o respectivo Cartão e um documento de identidade na Central de Atendimento Mais Rio Grande para revalidar o cartão. Já o procedimento para os estudantes universitários será realizado mediante a apresentação do Cartão Escolar, documento de identidade e a confirmação de matrícula. A revalidação é gratuita e realizada no ato. Assim, o usuário pode adquirir seus créditos junto com o recadastramento. A Central recomenda aos estudantes que efetuem a revalidação do Cartão o mais breve possível para evitar maiores transtornos.

Fonte: Jornal Agora

READ MORE - Cartão Escolar 2009 é válido até 31 de março em Rio Grande

Em São Carlos, 29% da População anda a pé


São Carlos acaba de ganhar a primeira pesquisa de mobilidade urbana “Origem-Destino” que mapeou os principais tipos de deslocamentos da população da cidade. O universo da pesquisa foi de 5 mil pessoas e apontou que 29% das pessoas se deslocam a pé, 26% andam de automóvel como motorista e 11% andam de automóvel como passageiros, 19% utilizam ônibus, 11% outros meios e 3% se deslocam utilizando bicicleta.

“Eu desconheço cidades do porte de São Carlos no país que tenham um estudo de mobilidade urbana aprofundado como este, por isso a Prefeitura tem agora um banco de dados estratégico que deve ser trabalhado e orientado para aquilo que ela entender como prioridade”, disse o professor Antonio Nelson Rodrigues da Silva, vice-chefe do Departamento de Transportes da Escola de Engenharia/USP de São Carlos ao apresentar os números da pesquisa ao prefeito Oswaldo Barba, vice-prefeito Emerson Leal, autoridades das áreas de Transporte e Trânsito, Habitação e Desenvolvimento Urbano, membros do Conselho de Usuários de Transporte de Passageiros no município de São Carlos (CONUTRANSP) e a imprensa.

Sobre o dado da pesquisa que identifica 3% da população utilizando bicicleta, o prefeito anunciou que a Prefeitura já está licitando a primeira parte da Ciclovia dos Estudantes, interligando o campus I da USP a UFSCar, outra etapa na região do antigo kartódromo até a Estação Rodoviária, além de ter previsto também 7 km de ciclovia na duplicação da rodovia Guilherme Scatena e a implantação de ciclofaixa na avenida Trabalhador-sãocarlense.

O prefeito também destacou a construção de ciclovia na estrada que será pavimentada entre os bairros Antenor Garcia e Botafogo. “Queremos construir estruturas adequadas para o deslocamento dos trabalhadores e estudantes e para viabilizar as obras estamos pleiteando recursos no PAC 2 do governo federal”, frisou Barba.

Motivos de deslocamento e transporte coletivo: A pesquisa apontou também que entre os motivos de deslocamentos realizados pela cidade, 39% são a trabalho, 31% para estudo, 9% para assuntos pessoais e 4% para a realização de atividades de saúde e lazer.

O secretário municipal de Transporte e Trânsito, Nilson Carneiro, entende que o estudo é um importante passo para a elaboração do Plano de Mobilidade de São Carlos para os próximos 20 anos. “Com este banco de dados poderemos desenvolver projetos de mobilidade da cidade a médio e curto prazo”, ressaltou Carneiro.

Fonte: São Carlos em Rede
READ MORE - Em São Carlos, 29% da População anda a pé

População enfrenta transtornos com a greve do metrô no DF

Os funcionários do Metrô do Distrito Federal decidiram manter a paralisação e a frota de trens circulando continua reduzida nesta quarta-feira (24). Apenas 30% estão operando, ou seja, seis dos 19 trens. No início da manhã, o movimento foi tranquilo na Estação da Praça do Relógio, em Taguatinga, cidade próxima a Brasília, com as catracas e as bilheterias funcionando normalmente. Os trens estão passando num intervalo de 40 minutos.
Nessa terça-feira (23), com a garantia de apenas 30% do serviço, os usuários encontraram filas e tiveram dificuldades, principalmente na Rodoviária do Plano Piloto. Alguns passageiros tentaram recorrer aos ônibus para fugir das filas no metrô. “Uma bagunça, desorganização e atrapalha a vida do brasiliense”, diz a operadora de telemarketing Ana Paula Lanes. O vigilante Amarildo de Castro costuma voltar de metrô para Ceilândia. Mas mudou os planos. “Hoje, o ar livre está melhor que no metrô. Estou muito grato por estar aqui, e o importante é chegar com segurança”, afirma o vigilante Amarildo de Castro.
Mesmo quem não utiliza o serviço, sofreu com a greve. “Hoje eu vim em pé e vou voltar em pé, e ainda vou ter que pagar os R$ 2 do mesmo jeito”, reclama um rapaz. Nas estações, o tumulto era menor. Mesmo assim, houve reclamação. “Levei duas horas para chegar ao trabalho, num percurso que demoraria, no máximo, 30 minutos. Sai às 7h15 e cheguei às 9h30 no centro”, conta o funcionário público Edson Biluk. “Como faço curso, o metrô facilita para chegar mais rápido por causa do trânsito. Só que com essa greve estou chegando quase duas horas atrasada”, afirma a estudante Keite Espíndola.
O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) mandou o metrô funcionar com 80% do efetivo das 16h às 19h. Com mais vagões disponíveis, o passageiro sofreu menos na volta pra casa. “À noite, melhorou um pouco, mas os vagões continuam muito cheios”, informa um servidor público Getúlio Gonçalves da Silva. “Eu pego depois das 19h, então, ele vem mais vazio. Mas hoje, por causa dos atrasos, está mais cheio”, diz um senhor. Mas a operação chegou a contar, no máximo, com 12 trens – 60% da capacidade.
O sindicato afirmou que não recebeu nenhuma notificação oficial da Justiça. Por isso, em assembleia, na noite de segunda-feira (23), decidiu manter a greve com apenas 30% dos funcionários trabalhando. “A gente passou toda à tarde na sede do sindicato, até às 18h, e não foi nenhum oficial de Justiça lá. Então, vamos continuar mantendo 30% da frota até que a gente seja notificado de fato. Até porque a gente precisa recorrer, porque consideramos que 80% não é greve. E como nós vamos recorrer sem o documento?”, indaga o coordenador geral do SindMetrô Solano Theodoro.
O DFTrans mantém o reforço de ônibus. Ao todo, foram colocados à disposição 350 ônibus extras. Em Águas Claras, passou de 15 para 40. No Guará, de 70 para 120. Taguatinga roda normalmente com 140, ganhou mais 95 ônibus. Ceilândia passa de 170 ônibus para 260. Samambaia que tem 350 está com 90 extras.
Fonte: G1
READ MORE - População enfrenta transtornos com a greve do metrô no DF

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960