São Paulo: EMTU, Metrô e CPTM vão operar até a uma hora da manhã do horário antigo

sábado, 20 de fevereiro de 2010


À meia-noite de sábado (20), todos os relógios serão atrasados em uma hora. As composições e os ônibus prestarão serviço por mais 60 minutos em todas as linhas.

EMTU

Os ônibus das linhas intermunicipais gerenciados pela EMTU/SP nas três regiões metropolitanas do Estado (São Paulo, Campinas e Baixada Santista) prolongarão igualmente a operação por mais 60 minutos à meia-noite de sábado em virtude do fim do horário de verão. Na Grande São Paulo, os relógios dos nove terminais do Corredor Metropolitano ABD (São Mateus-Jabaquara) e mais o do Terminal Metropolitano de Cotia serão atrasados em uma hora, retornando ao horário anterior.

METRÔ

À meia-noite de sábado (20), todos os relógios serão atrasados em uma hora e as composições prestarão serviço por mais 60 minutos em todas as linhas. Na Linha 1- Azul, por exemplo, em vez de 712, estão programadas 728 viagens. A Linha 2-Verde terá um acréscimo de 12 viagens, passando de 463 para 475. Os usuários da Linha 3-Vermelha contarão com uma oferta de 873 viagens, 16 a mais do que tradicionalmente é programado para a linha aos sábados. Na Linha 5–Lilás, em vez de 322, os trens em circulação realizarão 328 viagens. No domingo, a operação comercial será iniciada no horário habitual, às 4h40.

CPTMA

CPTM também operará até a uma hora da manhã do horário antigo na madrugada do sábado (20) para o domingo (21), por conta do término do horário de verão. Excepcionalmente, a Companhia terá operação comercial durante 22h ininterruptas, diferentemente de um sábado tradicional, quando presta serviço por 21h. No domingo, o operação comercial será iniciada às 4 horas.

Nas linhas 7-Rubi (Luz-Francisco Morato) e 10-Turquesa (Luz-Rio Grande da Serra), trens partirão com intervalos de 20 minutos. Na extensão da Linha 7, entre Francisco Morato e Jundiaí, serão colocados trens em prontidão para suprir possíveis demandas.

Na Linha 8-Diamante (Júlio Prestes-Itapevi), os intervalos serão de 15 minutos. Na Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú), os trens terão intervalos especiais, adaptados para atender às viagens extras necessárias. Nas linhas 11-Coral (Luz-Estudantes) e 12-Safira (Brás-Calmon Viana), os trens partirão de 20 em 20 minutos.

Fonte: EMTU-SP
READ MORE - São Paulo: EMTU, Metrô e CPTM vão operar até a uma hora da manhã do horário antigo

Recife: Horários e tempo de intervalo do Metrô Recife

Horários do Metrô 


A Linha Centro tem intervalo de 5 mim no horário de pico e 7,5 mim no horário extra pico;
Na linha Sul o intervalo é de 8 min. no horário de pico e 12 min no horário extra pico.
As Linhas Centro e Sul funcionam das 5h às 23h, todos os dias (dias úteis, feriados, sábados e domingos).

A Linha Diesel (Cajueiro Seco / Cabo), na qual agora funciona com  VLT, o intervalo é de 42 min (pico e horário extra pico), das 5h às 21h, de segunda a sexta-feira e feriados. Aos sábados das 5h às 14h. Domingos não funciona.

Atualizado em abril/2013

READ MORE - Recife: Horários e tempo de intervalo do Metrô Recife

Curitiba: Urbs rebate críticas à licitação das linhas de ônibus


Uma semana antes do prazo final para entrega de propostas para a licitação das linhas de ônibus, a Urbanização de Curitiba (Urbs), empresa que gerencia o transporte coletivo da cidade, começa a defender-se dos pedidos de impugnação. Pelo menos dois documentos já foram protocolados na própria Urbs para pedir a paralisação do processo de concorrência. Esta é a primeira licitação da história do transporte coletivo na cidade. O edital divide a cidade em três grandes lotes e estima o valor total da concessão em R$ 8,6 bilhões num prazo de 15 anos.
Um dos pedidos de impugnação já foi respondido pela Urbs e o outro ainda espera um esclarecimento. No entanto, podem aparecer novos requerimentos nos próximos dias, já que a próxima quinta-feira, dia 25, é o último dia para a entrega dos envelopes com as propostas comercial e de habilitação, além do comprovante do depósito garantia de R$ 10 milhões.
Pelo menos 11 empresas já demonstraram interesse no edital e encaminharam pedidos de esclarecimento (leia mais nesta página). Caso os pedidos de impugnação não sejam respondidos administrativamente, a discussão pode ser levada à Justiça.
- O primeiro pedido de impugnação foi feito por dois sindicatos de funcionários das empresas de ônibus: o Sindicato dos Moto­­ristas e Cobradores nas Em­­presas de Transportes de Passa­­geiros de Curitiba e Região Me­­tropolitana (Sindimoc) e o Sin­­dicato dos Empregados em Escritórios e Manutenção nas Empresas de Transporte Coletivo de Passa­­gei­­ros de Curitiba e Região Metropo­­litana (Sindeesmat).
Os sindicatos querem que o edital obrigue as empresas vencedoras a contratar a mão de obra das atuais permissionárias com todas as garantias trabalhistas, como o anuênio de 2% pago ao salário dos atuais funcionários. A Urbs já respondeu a esse questionamento, afirmando que a obrigação existe mesmo sem constar do edital, uma vez que está prevista na Lei do Transporte Coletivo, aprovada na Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Beto Richa (PSDB).
O presidente do Sindimoc, Denílson Pires, que também é vereador pelo Democratas, disse que a reivindicação deve ser incluí­­da na Convenção Coletiva, que será negociada hoje à tarde com o Sin­­dicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp). “Estando na Convenção Coletiva de Trabalho é mais garantido. Independentemente de quem entre, terá de respeitar a convenção.”
- O segundo pedido de impugnação foi protocolado ontem na Urbs pela Sociedad Peatonal, uma organização não governamental (ONG) com foco na mobilidade urbana sustentável. Ao todo, 11 itens do edital são questionados pela entidade. Entre os prin­cipais estão a exigência de pagamento de outorga de R$ 252 milhões por parte das empresas vencedoras, o modelo contratual e um suposto favorecimento às atuais empresas que já operam o sistema.
Segundo o presidente da Sociedad Peatonal, André Caon Lima, a exigência da outorga vai refletir no preço da passagem. “Vai onerar o usuário de maneira injusta.” Para ele, é estranho ainda a Urbs aceitar que as empresas usem créditos junto à própria Urbs como forma de pagamento e não aceite Títulos do Tesouro Nacional, como possibilita a Lei de Licitações. “Um concorrente de fora (de Curitiba) vai ficar prejudicado”.
Fonte: Gazeta do Povo
READ MORE - Curitiba: Urbs rebate críticas à licitação das linhas de ônibus

DF: Secretaria de transportes inicia licitação de 300 ônibus para a Linha Verde


A criação da Linha Verde na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), não terá como benefício apenas a melhoria do trânsito na rodovia. Pretende também que os usuários de ônibus tenham mais alternativas para o percurso da entrada de Taguatinga até a Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA). Para isso, a Secretaria de Transportes (ST) lançou, nesta sexta-feira (19/2), o edital para licitação de 300 ônibus exclusivos para rodar nos corredores do novo trajeto.
Contudo, segundo informações da própria secretaria, os veículos da Linha Verde serão diferentes dos convencionais: ônibus maiores, com portas dos dois lados e capacidade para até 160 passageiros. Eles precisarão ser grandes, pois serão alimentados por outras linhas de micro-ônibus, em uma espécie de integração com os terminais dos corredores especiais, no mesmo estilo que já acontece com o Metrô. As cidades de Taguatinga, Águas Claras e Guará deverão ser as mais beneficiadas.
Basicamente, ganha a empresa que oferecer a maior oferta. Os veículos serão divididos em três lotes, com frotas iguais de 100 ônibus cada, integrando o Serviço Básico do Sistema de Transporte Público Coletivo do DF (STPC).
Quem se interessar deve depositar o valor-caução de R$ 29.289 no Fundo de Transporte Público do Banco de Brasília (BRB), e o edital com informações da licitação está no site: www.st.df.gov.br. Os envelopes de Habilitação e de Proposta(s) precisam ser protocolados e entregues às 10h, do dia 23 de março, no Auditório da ST.
Fonte: Correio Brasiliense
READ MORE - DF: Secretaria de transportes inicia licitação de 300 ônibus para a Linha Verde

Paraná: Acordo põe fim à possibilidade de greve no transporte coletivo


Os motoristas e cobradores de ônibus entraram em acordo com o sindicato patronal e suspenderam a greve da categoria. O acordo foi fechado em reunião na manhã desta sexta-feira (19), no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR).
A categoria vai receber reajuste salarial de 4,5%, sendo 0,14% de aumento real e 4,36 de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Com isso, o salário base do motorista passa de R$ 1.180 para R$ 1.233 e o do cobrador aumenta de R$ 669,20 para R$ 699,31.
Além do aumento salarial, foi fixado um aumento na cesta básica, que passou de R$ 95 para R$ 99, e no plano de saúde, que subiu de R$ 39 para R$ 40. Os trabalhadores também vão receber seguro de vida.
No encontro, os trabalhadores receberam a garantia de que, independente de que empresa ganhe a licitação do transporte coletivo, os direitos trabalhistas dos funcionários serão mantidos. O processo de licitação foi aberto pela Urbanização de Curitiba (Urbs) no fim de dezembro de 2009.
Entretanto, segundo o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região (Sindimoc), o resultado foi insatisfatório. "Não chegou exatamente ao que esperávamos, mas a questão da garantia dos benefícios depois da licitação foi um ponto positivo do acordo", afirma o presidente do Sindimoc, Denílson Pires.

Fonte: Paraná Online
READ MORE - Paraná: Acordo põe fim à possibilidade de greve no transporte coletivo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960