Metrô de São Paulo ameaça greve

segunda-feira, 31 de maio de 2010


O Sindicato dos Metroviários de São Paulo informou na segunda-feira (31) que pretende realizar uma greve na terça-feira (1º).
De acordo com o sindicato, a intenção é efetivar uma paralisação que atinja pelo menos quatro linhas do Metrô de São Paulo (1,2,3,5). Uma assembleia na noite de segunda-feira iria definir se a greve será aderida pela maioria dos trabalhadores.
As principais reivindicações do metroviários dizem respeito aos salários. O sindicato pede um reajuste de 5,8%. Já houve uma contraproposta patronal, na qual sugerem um aumento de 5,01% nos salários. O sindicato não aceitou a primeira proposta do Metrô.
O Sindicato dos Metroviários ainda pede reestruturação do plano de carreiras para os trabalhadores e aumento na participação dos lucros. Os representantes dos trabalhadores ainda deu ultimato para o Metro fazer uma nova proposta para os trabalhadores até a noite de segunda-feira.

READ MORE - Metrô de São Paulo ameaça greve

Metrô do Cariri começa cobrar passagem


Depois de seis meses em fase experimental, o metrô do Cariri começou a cobrar a passagem. Os dois trens estão circulando em intervalos de 35 minutos.
A primeira viagem parte às 6 horas da manhã e a última às 19h. Isso de segunda a sexta-feira. No sábado, o horário vai das 6h seis da manhã às 14h. O usuário pode embarbar e desembarcar em sete estações: Juazeiro do Norte, Teatro, Antônio Vieira, São José, Muriti, Padre Cícero e Crato. O percurso entre o bairro dos Franciscanos, onde fica o ponto final em Juazeiro, e o centro do Crato dura, em média, 30 minutos.
O metrô do Cariri começou a rodar comercialmente depois de seis meses de uma operação experimental que marcou a volta do transporte ferroviário à região. O sistema conta com dois veículos leves sobre trilhos, que são movidos a diesel. O investimento exigiu mudanças no trânsito de Juazeiro e do Crato. Algumas ruas que cruzavam a via férrea foram fechadas, mas a sinalização precária e a falta de costume de alguns motoristas levaram à acidentes.

Fonte; VerdesMares
READ MORE - Metrô do Cariri começa cobrar passagem

Operação do Detro multa quatro empresas de ônibus em Niterói


Uma megaoperação em terminais da Região Metropolitana do Rio, na manhã desta segunda-feira (31), multou onze ônibus de quatro empresas de Niterói por descumprir o horário de circulação previsto para os veículos. Cada empresa terá que pagar R$ 625,39 de multa.
No total, foram flagrados vinte veículos em situação irregular, sendo que onze não cumpriam os horários de circulação. Os outros, segundo o Detro, não apresentavam condições de circulação.
Agentes do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) percorreram os terminais de Alcântara, em São Gonçalo; João Goulart, em Niterói; além do Menezes Cortes, na Praça XV, e Mariano Procópio e Passeio, no Centro do Rio.
A ação teve como foco as linhas intermunicipais que atendem a população de São Gonçalo por causa do grande número de reclamações dos passageiros. As empresas estariam substituindo os veículos convencionais por rodoviários como forma de driblar o pagamento com o bilhete único, que custa R$ 4,40. De acordo com o Detro, por lei, os ônibus têm que aceitar o pagamento com bilhete único.
Ao tomar conhecimento da denúncia, o governador Sérgio Cabral determinou ao Detro uma ação imediata para reprimir esta prática.
"Notamos que alguns moradores de São Gonçalo ainda não utilizam o Bilhete Único. Isso pode ser atribuído ao descumprimento do quadro de horários por parte das empresas de ônibus. Mediante à denúncias de usuários, montamos esta grande operação a fim de regularizar o sistema e proporcionar à população todos os benefícios atribuídos ao bilhete único", explica o secretário de Transportes, Sebastião Rodrigues.
O secretário frisa que com o bilhete único, o passageiro paga R$ 4,40 por viagem. Sem o bilhete, o passageiro tem que desembolsar R$ 5,50 nos ônibus convencionais, e R$ 6 nos rodoviários. Para validar os vales convenionais no sistema basta acessar o site http://www.riobilheteunico.com.br/.

Fonte: G1
READ MORE - Operação do Detro multa quatro empresas de ônibus em Niterói

São Luís: Novo prazo de cadastro e recadastro para cartões estudantis vai até dia 12


A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) deu último prazo para que as escolas forneçam a relação atualizada de alunos para a emissão de cartões estudantis e de meia-passagem. O prazo foi prorrogado até o dia 12 de junho. Das 678 escolas e instituições de ensino cadastradas, 22% ainda estão com pendência de envio da lista de alunos para o cadastro no sistema de transporte coletivo.

Segundo a superintendente de Transportes, Liana Ramalho, com a nova prorrogação, a Secretaria visa abranger o maior número de escolas e alunos, garantido a todos os estudantes, devidamente matriculados, o direito à meia-passagem. A partir do fim da data da nova prorrogação, o banco de dados de 2009 será fechado. Com isso, só serão considerados os dados de 2010. Em consequência disso, o aluno que não foi informado pela escola não poderá comprar novos créditos, podendo utilizar apenas os créditos restantes no seu cartão comprados antes do fechamento do banco de dados.

O objetivo do fechamento do banco de dados do ano anterior (2009) para utilização apenas no novo ano letivo (2010) é garantir que apenas os alunos, devidamente matriculados no ano letivo em curso, sejam beneficiados com a meia-passagem. Os beneficiários contam com dois tipos de identificação estudantil para fazer uso do direito à meia-passagem: o cartão de meia-passagem e o cartão estudantil. O primeiro é emitido gratuitamente pela Prefeitura de São Luís e deve ser utilizado exclusivamente para a concessão desse benefício.

A emissão do cartão estudantil é de responsabilidade das entidades estudantis e agrega o direito à meia-passagem e à meia entrada.

Fonte: 45 Graus
READ MORE - São Luís: Novo prazo de cadastro e recadastro para cartões estudantis vai até dia 12

Audiência pública discutirá implantação do VLT em Santos


Santos recebe na próxima terça-feira, às 14h30, uma audiência pública para acompanhar detalhes do projeto de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A reunião foi convocada pela Comissão Especial dos Vereadores (CEV), criada pelo vereador Adilson Júnior (PT).

Segundo explicou Adilson Júnior, a audiência é aberta a toda população e foi especialmente convocada para esclarecer aos próprios vereadores sobre o convênio de cooperação técnica e apoio recíproco que a Prefeitura pretende celebrar com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo S.A. (EMTU), visando implantar o Sistema Integrado Metropolitano (SIM), da Região Metropolitana da Baixada Santista.


Mais de 190 mil passageiros utilizam o serviço de transporte coletivo metropolitano da região, diariamente. São 487 veículos distribuídos em 59 linhas de ônibus (comum e seletivo). Com o VLT, o sistema será integrado aos ônibus, o que resultará na supressão de 20% das linhas existentes. O intervalo entre os trens não passará de 4 minutos, com 15 partidas por hora.

O trajeto dessa linha terá 11,2 km, com três terminais e 13 paradas. A frota inicial será de 10 veículos, sendo que cada um terá capacidade para transportar cerca de 400 pessoas. Atualmente, uma viagem de ônibus entre o Barreiros e o Valongo leva, em média, 50 minutos. Quando o VLT estiver em operação, o tempo gasto no deslocamento cairá para 33 minutos.

O Metrô Leve também terá piso baixo, facilitando o acesso de idosos e deficientes. O impacto energético será 2,6 vezes menor que o dos ônibus e 5,4 vezes inferior ao provocado pelos automóveis. Além de contribuir para a redução da poluição sonora e do ar, o VLT vai ajudar a diminuir os congestionamentos e o tempo de viagem. Outra vantagem é a durabilidade da frota: 30 anos, prazo bem superior aos 8 anos de vida útil dos ônibus articulados e biarticulados.

Fonte: Jornal a Tribuna
READ MORE - Audiência pública discutirá implantação do VLT em Santos

Ônibus fretados são alívio para o trânsito


O fretamento é uma das soluções possíveis para ajudar a diminuir os problemas de congestionamento nas grandes cidades. É o que mostra uma pesquisa da Associação Nacional de Trans­­porte Público (ANTP) e da Fede­­ração das Empresas de Trans­­por­­tes de Passageiros por Fret­­amento do Estado de São Paulo (Fresp). De acordo com o estudo, o fretamento é uma modalidade que encontra mais aceitação que metrô e ônibus de transporte público – modais comumente apontados como opção para o carro, considerado vilão do problema de trânsito nos grandes centros.
É consenso entre os especialistas que só uma alternativa com algumas características semelhantes às do transporte individual poderá convencer os motoristas a deixar o carro na garagem. Segundo o levantamento sobre a imagem dos modais, 97% dos usuários de fretamento consideram o serviço bom ou excelente, deixando-o atrás apenas do transporte individual, que tem 98% de aceitação. O metrô vem em terceiro lugar, com 96%.
O principal motivo alegado pelos usuários para a utilização do fretamento é a qualidade do serviço, a pontualidade, segurança e comodidade. Outras vantagens para quem viaja de ônibus por fretamento, dizem, é pode ler, ouvir música, ver tevê, ou simplesmente dormir durante o trajeto. A modalidade só pode transportar passageiros sentados. Limpeza, higiene e ordem dentro do veículo também foram atributos positivos apontados pelos entrevistados.
Em Curitiba e região metropolitana o sistema já é responsável por 38 milhões de deslocamentos todos os anos. Cada usuário custa cerca de R$ 185 para a empresa que contrata o serviço – valor que pode ser repassado ou não para o funcionário e que costuma ser inferior aos gastos com automóvel particular. A economia também pode beneficiar a cidade. Estima-se que Curitiba perca cerca de R$ 2,55 milhões anuais com congestionamentos. Cada ônibus fretado, de acordo com a Fresp, é capaz de reduzir R$ 405 destes prejuízos por dia.
De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Pas­­sageiros de Curitiba (Sinfre­­tiba), há 41 empresas filiadas e cerca de 1.129 veículos em uso em Curi­­tiba e região. Calcula-se que cada ônibus equivale a quinze carros retirados de circulação, o que significa dizer que a frota de fretados em Curitiba e região metropolitana é responsável por retirar todos os dias quase 17 mil carros das ruas. Dados da Fresp mostram que, no estado de São Paulo, os fretados retiram das ruas cerca de 225 mil carros diariamente, o equivalente a um quinto da frota curitibana.
“Quanto mais você expande o fretamento contínuo, mais você retira carros das ruas. O funcionário, ainda, chega mais descansado a empresa e rende mais”, afirma o diretor executivo do Sinfretiba, José Vicente Calobrizi Ferreira. De acordo com Ferreira, hoje o fretamento não é realidade só de grandes empresas. “Há empresas com 5, com 50 ou 500 funcionários que contratam o fretamento”, explica.
Segundo ele, contratos personalizados e diferentes tamanhos de ônibus facilitam esse tipo de negociação. “Pode-se fazer um esquema de pegar o funcionário porta a porta ou não”, exemplifica. Na hora de se montar os itinerários, segundo Ferreira, há o cuidado de se pensar em formas que o usuário não acabe perdendo tempo demais no percurso. “Não adianta deixar o passageiro duas horas em trânsito. Costu­­ma-se pensar um trajeto de cerca de 45 minutos”, diz.
A diretora executiva da Fresp, Regina Roch, frisa ainda que o fretamento não compete com o transporte coletivo. “Ele atrai o usuário do automóvel e pode também trabalhar como complemento do transporte público”, diz.

Fonte: Gazeta do Povo
READ MORE - Ônibus fretados são alívio para o trânsito

Cuiabá: Novo sistema integrará apenas com cartão


A partir do próximo dia 4, os passageiros do transporte intermunicipal entre Cuiabá e Várzea Grande poderão se deslocar para qualquer ponto das duas cidades e pagar somente uma passagem (R$ 1,75), desde que tenham o cartão transporte. Quem usar dinheiro deverá pagar duas tarifas, caso queira ir até o ponto final, sem integrar os sistemas.

A informação foi fornecida ontem pelo superintendente de Transportes Urbanos de Várzea Grande, Tarciso Bassan, depois da assinatura do acordo prevendo a integração tarifária entre a Agência de Regulação dos Serviços Públicos (Ager) e as Secretarias Municipais de Trânsito e Transportes Urbanos de Cuiabá e de Várzea Grande. “É necessário comprar o cartão. Quem usa dinheiro, geralmente é para percursos mais curtos.

Temos sete pontos de recarga de cartão em Várzea Grande e outros 20 em Cuiabá, além dos postos da STU e da associação dos empresários”, destacou. Bassan ressaltou que a estação de transbordo é uma opção e não uma obrigação de parada. Esses e outros pontos foram esclarecidos na tarde de ontem, durante a solenidade de assinatura da Câmara de Compensação Tarifária, na sede da Ager.

A câmara, fórum operacional entre as entidades do transporte, evitará que alguma delas tenha eventual prejuízo. A compensação ocorrerá mensalmente. O total de 54 mil passageiros utiliza o sistema intermunicipal. Desse montante, 17% precisam trocar de ônibus para chegar até o destino final. Como as tarifas são diferentes, a presidente da Ager, Márcia Vandoni, explica que a integração acontecerá no preço pago. “Vai integrar no preço da passagem que o usuário pagou. A tendência é unificar as tarifas, mas isso na próxima elaboração tarifária”, disse.

A partir do dia 4, a passagem será reajustada de R$ 1,60 para R$ 1,75. Para Vandoni o novo sistema de transporte coletivo intermunicipal vai proporcionar os usuários melhorias significativas na qualidade do serviço. Ela lembra que a nova empresa, a União Transporte, irá operar em novos itinerários com uma frota de 82 ônibus zero quilômetro. “Um dos objetivos é acabar com a sobreposição de linhas do intermunicipal no sistema de Cuiabá”, disse.

Além disso, 50% dos carros terão ar condicionado e 20% adaptados (elevadores) para portadores de deficiências físicas. O deputado estadual Carlos Brito, que defende há 13 anos a implementação do projeto de integração intermunicipal, afirmou que esse é um passo fundamental para a população das duas cidades. “O cidadão vai gastar menos com transporte coletivo. Ele poderá locomover-se de uma ponta a outra pagando só uma passagem”, disse.

O sistema contará com seis linhas troncais, que serão curtas e de retorno mais rápido ao ponto de origem. Elas sairão de Várzea Grande e irão até as estações de transbordos, que serão pontos de dimensões maiores e sem as quais o sistema intermunicipal não funciona. Serão construídas nove estações em avenidas estratégicas.

Na Capital serão na XV de Novembro (próximo à Igreja São Gonçalo), Tenente Coronel Duarte, Historiador Rubens de Mendonça (próximo ao Shopping Pantanal, nos dois sentidos), Coronel Escolástico (praça dos Bandeirantes) e Fernando Corrêa. Em Várzea Grande, serão nos bairros Unipark, Asa Bela e Cristo Rei. Outra alteração prevista é a criação da linha trans-universitária, que irá atender estudantes de universidades públicas e particulares localizadas nas duas cidades.

Fonte: Diário de Cuiabá
READ MORE - Cuiabá: Novo sistema integrará apenas com cartão

Rodoviários decidem não paralisar serviços em Natal


A categoria dos rodoviários estão montando uma estratégia de trazer a opinião pública para o seu lado. Por isso, na assembléia geral desta segunda-feira (31), eles decidiram não paralisar a prestação do serviço de transporte coletivo em Natal, como forma de pressionar o sindicato patronal a voltar à mesa das negociações sobre o novo acordo coletivo de trabalho, que foram suspensas na quinta-feira da semana passada.

“A greve será o nosso último instrumento de luta”, disse o presidente do Sintro-RN, Nastagnan Batista, que à noite se reuniria com os outros diretores do Sindicato para definir uma estratégia de pressão contra os patrões.Batista disse, ainda, que “em respeito aos usuários” do transporte coletivo, a categoria decidiu não paralisar o sistema no horário do “rush”, justamente quando os usuários desse serviço estão indo para o trabalho, ou voltando para as suas casas. “O usuário não é responsável por essa divergência dos patrões e não pode pagar por isso”, completou ele.

Os rodoviários realizaram uma manifestação pela manhã parando os coletivos em toda região do centro da cidade. Em pontos como o terminal rodoviário da Ribeira e a avenida do Contorno, próximo ao Passo da Pátria, os ônibus estacionaram, formando longas filas e obrigando os passageiros a descerem, ou aguardarem pelo fim do protesto, que durou quase duas horas. O tráfego dos demais veículos, embora prejudicado, não foi impedido pelos manifestantes.

“Iremos realizar os protestos que forem necessários para conseguirmos avançar nas negociações e obter o reajuste merecido para os rodoviários”, deixou claro o presidente do Sintro-RN.

Fonte: Tribuna do Norte
READ MORE - Rodoviários decidem não paralisar serviços em Natal

STTP apresenta plano de ação para transporte público no são joão 2010


Na manhã desta segunda-feira (31), a Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos,a STTP, através da gerência de operação e fiscalização de transportes, apresentou o plano de ação de transporte público para o período do São João 2010.

De 4 de junho a 4 de julho a gerência, juntamente com toda a equipe de fiscalização e de apoio, garantirá o atendimento de transportes públicos ônibus, táxi e mototaxi, em locais devidamente sinalizados, e a operação de fiscalização para coibir o transporte clandestino de passageiros.Este ano além das atividades na área do Parque do Povo, a equipe atuará no Distrito de Galante conforme programação estabelecida pela Coordenadoria de Turismo e de Eventos, da Prefeitura Municipal.

A programação de atendimento dos transportes coletivos foi elaborada com base na programação de shows pulgada pela Prefeitura e calendário de shows e viagens no trem do forró no Distrito de Galante, podendo sofrer alterações caso haja necessidade, já que há possibilidade do Maior São João do Mundo se estender até o dia 11 de julho, caso a seleção Brasileira participe dos jogos das fases semifinal e final da Copa do Mundo de Futebol.

Operação de Transporte Coletivo

Com a implantação do sistema integrado desde setembro de 2008, e a introdução de 100% das linhas urbanas em 2009, a operação por ônibus apresenta modificações que estão sendo pulgadas para a comunidade, através da mídia local e sistema de TV do Terminal de Integração. Com o intuito de operacionalizar de forma mais adequada o atendimento por ônibus nos horários extras, as linhas atenderão em intervalos de 30 minutos a partir das 0h.

Fonte: JusBrasil
READ MORE - STTP apresenta plano de ação para transporte público no são joão 2010

Trensurb: Novo Sistema Integrado de Transporte é apresentado a secretários


A Trensurb apresentou, na sexta-feira, dia 28 de maio, o andamento do projeto do Novo Sistema Integrado de Transporte no Eixo Norte/Nordeste aos secretários de Transporte e Mobilidade Urbana das cidades de Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Cachoeirinha e Gravataí.
Segundo o coordenador Institucional do Projeto e Secretário de Transporte e Mobilidade Urbana de Canoas, Luiz Carlos Bertotto, o objetivo do encontro é apresentar os avanços do trabalho, além de fortalecer a idéia principal, que é a integração dos municípios. “Temos que formar um grupo mais político, que discuta as relações entre as prefeituras para que possamos levar o projeto adiante”, disse Bertotto.
Os representantes de cada prefeitura receberam relatório preliminar para o acompanhamento dos estudos técnicos realizados pelo Grupo de Trabalho da Trensurb, abordando assuntos como os benefícios da integração no transporte para municípios e população, andamento do estudo de implantação, diagnósticos, prognósticos e pesquisas.
Os principais benefícios do Sistema Integrado são: amento da quantidade de passageiros transportados pelo trem, eliminação da concorrência e da sobreposição de oferta nos corredores, melhor aproveitamento da oferta de transporte coletivo, redução dos custos de operação, redução dos tempos de viagem dos usuários, redução dos custos tarifários.

Mobilidade urbana integrando municípios
Para o diretor-presidente da Trensurb, Marco Arildo Cunha, “a expectativa é que as prefeituras possam ter uma única licitação para o sistema ao invés de cada prefeitura ter a sua”, dando agilidade ao processo e garanta uma implantação a médio prazo.
O diretor de Mobilidade Urbana de São Leopoldo, Sandro Della Mea Lima, ressaltou, na mesma linha de pensamento dos demais presentes, a importância do trabalho que está sendo desenvolvido.
“Creio que nunca se conseguiu fazer um estudo dessa amplitude. Esse trabalho possui o diferencial de nos ajudar a formular o desenho estrutural da mobilidade urbana. É importante que os municípios se unam na busca da execução deste projeto”, disse Sandro.
Para os próximos meses, foram previstas mais reuniões entre a Trensurb e os municípios, com a finalidade de que todos os envolvidos acompanhem o desenvolvimento do projeto, que tem previsão de conclusão dos estudos técnicos em novembro deste ano.
Também estiveram presentes, pela Trensurb, o superintendente de Desenvolvimento e Expansão, Humberto Kasper; o diretor de Administração e Finanças, Ney Michelucci; o diretor de Operações, Paulo Renato Amaral; o superintendente de Desenvolvimento Comercial, Ernani da Silva Fagundes e o gerente de Mobilidade Urbana, Sidemar Francisco da Silva, além dos membros do Grupo de Trabalho da Trensurb responsáveis pela coordenação do projeto, Aldir Seifried e Rita de Cássia Zignani.

Fonte: Comunicação Trensurb S/A
READ MORE - Trensurb: Novo Sistema Integrado de Transporte é apresentado a secretários

Integração no transporte público reduz gasto em até 34% na Grande BH


Usuários do transporte coletivo da Grande BH terão dois novos modelos de integração de tarifas que vão possibilitar economia de 24% a 34%, dependendo do trajeto. A primeira mudança ocorrerá no final deste mês, entre ônibus e metrô da estação Vilarinho, em Venda Nova. Já a outra, para quem se descola entre municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), será a partir de agosto. A medida atinge 18,5 milhões de passageiros. Os concessionários do sistema de transporte aderiram à mudança contando com a redução de custos e por acreditar no aumento da demanda de usuários.

A bilhetagem eletrônica, já totalmente implantada, é que permitirá a implantação do novo sistema. A integração tarifária faz parte de um conjunto de ações de mobilidade urbana, estipuladas pela Agência Metropolitana. O governador Antonio Anastasia assinou, nesta quarta-feira (26), o documento que autoriza a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) a tomar as providências para implantar o serviço.

O sistema permitirá que o passageiro continue utilizando as mesmas linhas, mas pagando menos pelas passagens. Para obter o desconto, o usuário terá que respeitar o intervalo máximo de 90 minutos, entre o embarque na primeira linha e o na segunda. A integração poderá ocorrer em qualquer ponto da rede de transporte público metropolitano, e não apenas nos terminais.

A integração tarifária do ônibus com o metrô começa a valer no próximo sábado (29), a exemplo do que já acontece nas estações Eldorado e São Gabriel. A medida vai beneficiar cerca de 8 mil usuários que, diariamente, utilizam as 28 linhas metropolitanas de ônibus, entre a capital e os municípios de Ribeirão das Neves, Santa Luzia, Vespasiano e São José da Lapa.

A viagem entre Pedra Branca, em Ribeirão das Neves, e BH, pela linha 5650 e estação Vilarinho, ficará 34,25% mais barata com a integração - de R$ 3,65 para R$ 2,40. Além disso, os passageiros passarão a desembarcar dos ônibus dentro da Estação Vilarinho. Hoje, eles têm que descer em pontos de paradas convencionais e caminhar até a estação.

Quem precisa usar dois ônibus para ir de uma cidade da RMBH a outra terá desconto de 50% sobre o valor da menor tarifa entre as linhas usadas. Com passagens a R$ 3,55 cada, hoje o passageiro tem um gasto de R$ 7,10. Com a integração tarifária, essa mesma viagem sairá por R$ 5,32. A mudança começa a vigorar em agosto.

Mesmo com a redução de custo para os passageiros, as empresas de transporte não terão ressarcimento por parte do Governo estadual. De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram), Rubens Lessa, no caso da integração com o metrô, como as empresas não irão mais até o Centro de BH, haverá redução de custos.

Já com relação à integração de dois ônibus metropolitanos, a expectativa é de aumento na demanda. Lessa acredita que não haverá prejuízo para as empresas. Porém, ele reforça que as concessionárias irão analisar, ao final do ano, um relatório com as receitas obtidas em 2010. Se houver queda no faturamento, algumas medidas poderão ser tomadas, mas ele não quis adiantar as possíveis mudanças.

A integração atende passageiros que usam o ônibus para ir de uma cidade da Grande BH a outra. No entanto, aqueles que descem em BH e seguem para algum bairro da capital ainda terão que esperar por uma possível redução na tarifa. Hoje, uma pessoa que vem de Santa Luzia, pela linha 4105, paga R$ 3,20 até o Centro de BH. Se precisar ir até o Bairro Mangabeiras, por exemplo, tem que desembolsar mais R$ 2,30 (linha 2004). A Setop informou que estão sendo feito estudos, junto com a BHTrans, para atender a este público.

Outro desafio para a Agência Metropolitana é a tentativa de desafogar o trânsito no Centro da capital, retirando parte da frota de ônibus metropolitanos. O objetivo é implantar terminais em pontos estratégicos da RMBH. De acordo com o diretor-geral do Departamento de Obras Públicas (Deop), João Fleury, estações regionais serão criadas para servir como ponto de encontro entre as linhas que têm a capital como destino.

Fonte: Hoje em Dia
READ MORE - Integração no transporte público reduz gasto em até 34% na Grande BH

Horários dos ônibus que circulam na Grande Vitória


Confira aqui os horários e intervalos dos ônibus da grande vitória, esse é um dos pontos fundamentais para evolução do transporte público nas principais cidades do País, pois deixa o usuário bem informado fazendo com que ele possa se planejar referente ao tempo de intervalo entre outros, isso serve de lição a muitas cidades grandes que ainda não disponibilizam os horários via internet a seus clientes, basta o passageiro clicar no link abaixo e escolher sua linha.


Fonte: CETURB-GV
READ MORE - Horários dos ônibus que circulam na Grande Vitória

Em Sorocaba e Votorantim, Transporte Público entra em estado de Greve


Os trabalhadores do transporte coletivo urbano de Sorocaba e Votorantim, após assembléia realizada nesta segunda-feira (31), rejeitaram, por unanimidade, a proposta patronal de 5,05% de reajuste no salário, tíquete-refeição e na Participação nos Lucros e Resultados (PLR), e aprovaram greve.
Conforme o Sindicato dos Rodovíários, os trabalhadores reivindicam a reposição da inflação do período de 1º de maio de 2009 a 30 de abril de 2010, medida pelo IPC-FIPE (Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), que está em 5,05%, mais aumento real.
Atualmente, o salário do motorista está em R$ 1.827,50 (hum mil oitocentos e vinte e sete reais e cinqüenta centavos), o do agente de bordo em R$ 645,00 (seiscentos e quarenta e cinco reais) e os pisos das demais funções variam.

Estado de greve
Em nota à imprensa, o Sindicato indica que já protocolou as notificações de greve nas empresas do sistema de transporte urbano de Sorocaba (STU, Reunidas Paulista, Jundiá Transportes, Empresa de Ônibus Rosa e Auto-Ônibus São João) e de Votorantim (Votur).
Em respeito à legislação de greve na prestação de serviços públicos essenciais, o Sindicato terá que aguardar 72 horas para iniciar a paralisação e, quando a greve for deflagrada, manterá em circulação 30% da frota para atender à população. Durante esse período, os trabalhadores permanecerão em estado de greve.
Uma nova assembleia já está agendada para sexta-feira (04) às 10h e 18h, para definir as estratégias e o início da greve.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul
READ MORE - Em Sorocaba e Votorantim, Transporte Público entra em estado de Greve

Confira a mudança no transporte coletivo de Cascavel


Com o objetivo de melhorar o atendimento aos passageiros do transporte coletivo na região oeste de Cascavel, a Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito) informa que, a partir do dia 1º de junho (terça-feira), haverá alteração em alguns itinerários e horários e incluindo a implantação de uma nova linha.
Linha Paulo Godoy – Terminal Oeste. O ônibus deixará de trafegar na Rua Pernambuco e Avenida da FAG (Faculdade Assis Gurgacz), passando a operar na Rua das Palmeiras, no sentido Terminal Oeste-Bairro e na Av. Brasil, no sentido Bairro-Terminal Oeste. A Rua Pernambuco será atendida pela linha Parque Verde – Terminal Oeste (via Rua Pernambuco) e pela nova linha FAG – Terminal Oeste.
Outro itinerário que entrará em vigor a partir do mês de junho será da linha de Santa Cruz - Terminal Oeste. O ônibus deixará de trafegar pela Rua Pernambuco e irá operar na Rua das Palmeiras, no sentido Terminal Oeste-Bairro e na Av. Brasil, no sentido Bairro-Terminal Oeste.
Também a partir do mês de junho, haverá mudança na linha Parque Verde – Terminal Oeste (via Lince). O ônibus deixará de trafegar pela Rua das Palmeiras e Av. Brasil, passando a operar na Rua Pernambuco. Devido à mudança, o nome da linha será Parque Verde - Terminal Oeste (via Rua Pernambuco), a qual irá atender o Loteamento Vale do Sol.
Além das mudanças nos itinerários e horários, o Departamento de Transporte da Cettrans anuncia, para a mesma data, a implantação de uma nova linha de ônibus denominada FAG - Terminal Oeste, que atenderá a Rua Pernambuco, no bairro Coqueiral, o Jardim Aclimação, a FAG e o Loteamento FAG.

Fonte: Rádio Coméia
READ MORE - Confira a mudança no transporte coletivo de Cascavel

Curitiba: Tensão no transporte coletivo


O ano de 2010 soma 1.071 assaltos a linhas e estações-tubo da capital paranaense e um rombo de R$ 136 mil no transporte coletivo, segundo dados do Sindicato dos Motoristas e Cobradores nas Empresas de Transportes de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), uma média de 8,6 assaltos por dia. É a mesma do ano passado, quando ocorreram 3.144 assaltos e um furo de R$ 339 mil, e maior que as de 2008 e 2007, que tiveram média diária de 7,07 e 6,92 assaltos/dia, respectivamente. Casos de pula-catracas e intimidação também fazem parte da rotina de medo com que os passageiros têm de conviver em alguns dos 1.910 ônibus e 364 estações-tubo da cidade, como a linha Alferes Poli, que vai do Centro da cidade à estação Fanny.
Em 2002, antes do início do levantamento e do trabalho do Grupo Tático Velado (GTV), do Comando de Policiamento da Capital, que atua na segurança do transporte coletivo da capital paranaense e região, o número era ainda maior, mais de 6 mil assaltos por ano.

A maioria das ocorrências está relacionada ao tráfico de drogas. “Cerca de 90% dos bandidos são usuários que veem nos ônibus a oportunidade do dinheiro fácil para comprar crack e outras substâncias”, diz um dos diretores do Sindimoc, responsável pelo levantamento, José Carlos Mesquita. A introdução do cartão-transporte em 2002 não ajudou. “A maioria dos passageiros ainda usa dinheiro, o que faz dos ônibus verdadeiros bancos 24 horas de bandido.”

O comandante do GTV, o tenente Lucas Guimarães, explica que as informações dos assaltos e outras ocorrências são passadas diariamente pelas empresas de ônibus e sindicatos, com as características dos criminosos, tipo de armamento, etc. Em 2009, 402 pessoas foram detidas nas operações do grupo e 71 armas de fogo foram apreendidas dentro de ônibus e terminais de Curitiba e região. Maconha (2,6 quilos) e cocaína (875,5 gramas) foram confiscadas, mas a droga que mais aparece é o crack: 686,22 gramas e mais 1.654 pedras. Neste ano, de janeiro ao início de maio, 11 pedras, 126 pessoas detidas e 12 armas recolhidas (uma branca).

A Linha do Trabalhador, da Viação Campo Largo, está no ranking das mais assaltadas. O encarregado do tráfego da em­­presa, Nelson José Ribas, conta que a maior parte dos incidentes ocorre à noite e próximo de bolsões de pobreza, como a Vila Verde, que faz parte do trajeto do ônibus. “É um problema que não acaba. A polícia tira um bandido de circulação hoje, aparece outro amanhã.” Segundo Ribas, os assaltos, normalmente, não são motivo para motoristas e cobradores evitarem a linha. “Isso só ocorre quando um deles é ameaçado ou faz o reconhecimento de um bandido a pedido da polícia.”

O tenente Guimarães reconhece que muitas das operações do GTV têm efeito temporário e acredita que a violência no transporte coletivo de Curitiba não terá fim enquanto locais com péssimas condições de sobrevivência existirem. “Não é um trabalho só da polícia, mas das secretarias de Saúde, do restante do poder público e da sociedade como um todo.

Pula-catracas
Boa parte de quem fura a catraca é de estudantes, adolescentes que se juntam no fim da aula para invadir uma estação-tubo ou terminal e pegar o ônibus “de graça”. Em uma das últimas operações do Grupo Tático Velado, em abril, 61 jovens, estudantes das escolas estaduais Maria Aguiar Teixeira e República do Uruguai, no Jardim Botânico, foram flagrados em um tubo da Avenida Presidente Affonso Camargo e encaminhados à Delegacia do Adolescente. Os “comandantes” da algazarra terão de pagar cestas básicas e os demais prestarão serviços comunitários.
De acordo com o tenente Lucas Guimarães, que comanda o GTV, multas e prestação de serviços à comunidade são as punições mais frequentes para os crimes de menor potencial ofensivo, como vandalismo e o não pagamento da passagem.

Prejuízo
A Urbs estima que cerca de mil passagens deixam de ser pagas por dia – uma falha de cerca de R$ 48 mil na arrecadação que poderia ser usada na melhoria do transporte coletivo. Já a conta do vandalismo, de vidros quebrados a bancos danificados, chega a R$ 300 mil por ano, segundo o Sindicato das Empre­­sas de Ônibus de Curitiba e Re­­­gião Metropolitana. Durante o ano passado, quando foi feita uma campanha antivandalismo, o número baixou cerca de 80%, mas voltou a aumentar logo depois.

RMC
Embora Curitiba concentre a maior parte dos assaltos, segundo o GTV, alguns municípios da região metropolitana têm se mostrado locais recorrentes de violência no transporte coletivo. O tenente Guimarães aponta São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Piraquara, Almirante Tamandaré e Colombo.

Fonte: Gazeta do Povo
READ MORE - Curitiba: Tensão no transporte coletivo

Fortaleza: Motoristas fazem nova paralisação, mesmo com ameaça de multa


Motoristas e cobradores voltaram a realizar paralisação na manhã desta segunda-feira, 31, mesmo com ameaça de multa, prevista em liminar deferida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) no último sábado, 29. Desta vez, a categoria realizou uma assembleia na empresa São José, bairro Parangaba, das 6 às 7 da manhã.

De acordo com Geraldo Lucena, um dos diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Ceará (Sintro), 100% dos trabalhadores da empresa. Neste período, a saída de ônibus da garagem foi suspensa. No último sábado, O TRT determinou que caso o Sintro impedisse o acesso dos trabalhadores ao serviço, estaria sujeito a pena de pagamento de multa diária de R$ 30 mil.

Fonte: O Povo online
READ MORE - Fortaleza: Motoristas fazem nova paralisação, mesmo com ameaça de multa

Rio Grande: Obra gera atrasos nas linhas do transporte coletivo

A Viação Noiva do Mar está informando aos usuários do transporte coletivo que as linhas de ônibus: Cassino, Cassino/Cidade Nova, Cassino/Parque Marinha/Castelo Branco, Cassino/Profilurb, Parque Marinha via Socoowski, Parque São Pedro/Barra, Quinta, Palma, Torotama, Leonídio, Parque Marinha/ Jardim do Sol/Trevo estão tendo atrasos, de 15 a 20 minutos em seus trajetos.
O motivo dessa alteração deve-se à interdição em meia pista, no viaduto da ERS-734, sobre a BR-392.Segundo o gerente de Tráfego da Empresa, Mário Terra, com a interrupção do viaduto, os ônibus precisam utilizar um trajeto alternativo, saindo da ERS-734 em direção à BR-392.
Assim, os coletivos realizam um contorno e voltam para a ERS-734. “Essa mudança altera em oito quilômetros o itinerário percorrido”, explica Terra. Ele também disse que os problemas de atrasos estão mais acentuados na linha Cassino/Centro.
O departamento de Tráfego da Empresa recomenda aos usuários das referidas linhas que se programem e saiam mais cedo de casa a fim de diminuir os transtornos que estão ocorrendo.

Fonte: Jornal Agora
READ MORE - Rio Grande: Obra gera atrasos nas linhas do transporte coletivo

São Paulo: Metrô aumenta nº de trens em novo horário de rush: entre 21h e meia-noite


Depois de pegar o metrô cheio de manhã para ir trabalhar e de tarde para chegar à faculdade, a estudante de Direito Nayara Araújo Arruda Vinhal, de 22 anos, também encara trens lotados na volta para casa, no fim da noite. "O metrô vai lotado. Às vezes, espero três trens para embarcar." A jovem faz parte do grupo de 290 mil passageiros que usa o sistema no novo horário de rush da capital paulista: entre 21 horas e meia-noite.
Desde 2009, apenas neste horário, mais 12 mil pessoas passaram a frequentar as estações do Metrô. Por isso, a partir desta semana, o número das composições subirá das atuais 79 para 86. As linhas contempladas, 1-Azul e 3-Vermelha, foram escolhidas por serem as mais movimentadas no horário. A primeira circula com 32 composições e terá 35. Na segunda, o Metrô aumentará de 29 para 33.
O congestionamento das linhas à noite, segundo o Metrô, é provocado principalmente pelos estudantes. O horário mais crítico coincide com a saída das universidades localizadas perto das estações: entre 22h30 e 23h. As quatro estações mais movimentadas ? Palmeiras-Barra Funda, Bresser, São Joaquim e Liberdade ? concentram em suas proximidades 20 instituições de ensino.
"Do ponto de vista da competitividade, é quase uma necessidade as escolas estarem perto do metrô", diz o gerente de Operações da companhia, Wilmar Fratini. Ainda segundo ele, o aumento de passageiros foi provocado por três fatores: estabilidade econômica, construção de universidades perto das estações e o Bilhete Único.
O engenheiro Sérgio Rogério Cesário Costa, do Instituto de Engenharia, concorda em parte com as explicações do Metrô. "Houve uma série de investimentos no centro. As universidades chegaram e o metrô tem de aumentar a frota para evitar sobrecarga." E o Metrô acredita que o volume de passageiros crescerá. "Há uma tendência de as pessoas conseguirem o primeiro emprego. Com isso, podem estudar à noite."
Mais viagens. Após 21h, o número de passageiros transportados é 20% inferior em relação aos horários de pico da manhã (entre 7h e 8h) e da tarde (entre 17h30 e 18h30). Nesses períodos, circulam pelas estações perto de 700 mil pessoas. O problema do fim da noite é a menor oferta de trens.
Com mais vagões, a expectativa de Fratini é de melhora: "O intervalo entre os trens será reduzido e vamos realizar 30 viagens a mais." O Metrô deve, ainda, colocar quatro trens vazios a cada 15 minutos na Linha 1.

Fonte: Estadão
READ MORE - São Paulo: Metrô aumenta nº de trens em novo horário de rush: entre 21h e meia-noite

Fortaleza: Motoristas de ônibus decidem entrar em estado de greve por 72 horas


Os motoristas de ônibus da Capital decidiram, em assembleia geral que reuniu quase dois mil profissionais no final da tarde desta sexta-feira (28), que vão entrar em estado de greve a partir de segunda-feira (31).


Começando na segunda, eles terão 72 horas para paralisar totalmente as atividades. Isso quer dizer que, na quinta-feira, os profissionais do transporte coletivo municipal farão nova assembleia para decidir se entrarão ou não em greve.
Eles recusaram a proposta que receberam do Sindiônibus de reajuste de 5,5,%. A categoria quer um aumento de 45%. O prenúncio de greve será dado neste sábado (29), em uma nova reunião às 9 horas da manhã.

Fonte: Jangadeiro Online


READ MORE - Fortaleza: Motoristas de ônibus decidem entrar em estado de greve por 72 horas

Multas por invasão de corredor de ônibus aumentam 150% em SP


O número de multas aplicadas em veículos em São Paulo aumentou entre 2008 e 2009. Apenas no último ano foram mais de 6 milhões. A infração que teve maior crescimento foi a invasão de corredores de ônibus – de 72.194 multas em 2008 passou para 192.745 em 2009 –, um aumento de cerca de 150%.
Lombadas eletrônicas, radares fixos e móveis aplicaram mais da metade das multas no ano passado – 54%. Outras 35% foram aplicadas por agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e 11% por policiais.
Outra infração que cresceu entre os dois anos foi o excesso de velocidade – de 901.604 multas para 1.538.294 –, um aumento de 70%.
O número de recursos também aumentou. De janeiro a março deste ano, foi registrado um crescimento de 50%. As pessoas podem recorrer da multa quando se sentirem prejudicadas.
Para quem não cometeu a infração, a orientação é juntar documentos pessoais, do veículo, a notificação da multa e a justificativa de forma clara e objetiva por escrito e encaminhar para uma das duas sedes do Detran (Rua Boa Vista, 209 ou Avenida do Estado, 900). O prazo é de 30 dias após a emissão da notificação.

Fonte: SPTV
READ MORE - Multas por invasão de corredor de ônibus aumentam 150% em SP

Cidades Sedes terão corredores de ônibus como os de Curitiba


O ministro das Cidades, Marcio Fortes, confirmou que as 12 cidades-sede da Copa do Mundo 2014 vão ganhar corredores exclusivos para ônibus e terão bondinhos, os chamados Veículos Leves sobre Trilhos (VLTS)) circulando nos trajetos entre os estádios, hotéis, rodoviárias, portos e aeroportos para agilizar o deslocamento de torcedores e equipes de futebol que participarão do evento.

Segundo ele, a construção de metrô para a Copa foi descartada para “que as cidades não sejam esburacadas e depois não dê tempo de concluir as obras”.Fortes assegurou que as obras viárias a serem feitas nas cidades-sede da Copa (Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo) vão melhorar a qualidade de vida da população por um longo tempo. Ele citou o caso específico de Fortaleza e Recife, onde atualmente a infraestrutura urbana não atende às necessidades da população.

Ao todo serão desenvolvidos 47 projetos de transporte público nas capitais do Mundial. As obras estão orçadas em R$ 11,4 bilhões, sendo que deste montante, R$ 7,7 bilhões virão do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS)), por meio do Programa Pró-transporte, e o restante será a contrapartida das prefeituras e dos governos estaduais.

O ministro explicou que o Conselho Monetário Nacional (CMN) já permitiu a uso desse dinheiro para o PAC da Mobilidade Urbana, e que agora basta a aprovação das licenças ambientais para que as obras sejam contratadas e iniciadas. No último dia 18, o Ministério das Cidades liberou R$ 1,5 bilhão para Brasília, Recife e Salvador.

“Estamos concentrando nossas ações em obras viárias de curto a médio prazos, que certamente darão a mesma agilidade do metrô no deslocamento entre os pontos de referência nas cidades que vão sediar a Copa 2014. Sabemos que essas intervenções não vão solucionar os problemas de transporte público nas grandes cidades, mas, com certeza, amenizarão as dificuldades enfrentadas pela população durante e depois da Copa”, acrescentou Fortes.

Ele lembrou ainda que, além dos investimentos em mobilidade urbana, o Ministério das Cidades vai destinar recursos para infraestrutura de áreas que serão destinadas às festas dos torcedores. “Como muitas pessoas não terão dinheiro para assistir aos jogos, já que os ingressos em eventos como esse são caros, vamos preparar áreas com telões para que as pessoas possam torcer, sambar, beber com moderação e comemorar a vitória da seleção brasileira nos jogos.”

Fonte: Bem Paraná
READ MORE - Cidades Sedes terão corredores de ônibus como os de Curitiba

São Paulo: Computadores 'pilotam' sala de comando da Linha 4-Amarela do Metrô


Andar num trem de metrô sem condutor, como o existente na Linha 4-Amarela de São Paulo, é o mesmo que viajar num avião no piloto automático. Computadores comandam tudo. A diferença é que no avião os controles ficam no computador de bordo ao lado do piloto. Nos trens da Linha 4 o controle é feito de modo remoto direto do centro de controle operacional (CCO), localizado no pátio Vila Sônia, zona oeste da capital, onde é feita a manutenção e há a garagem do ramal.
O envio de dados das composições do metrô em operação para o CCO tem o mesmo procedimento da telemetria utilizada nos carros de Fórmula 1, com dados online sobre consumo de energia elétrica, funcionamento do sistema de freios, tração e até ar condicionado dentro do trem.
O sistema de controle da nova linha é totalmente automatizado, o que torna as operações mais precisas e rápidas. A base do sistema é a comunicação integral com o trem através de rádio. "É o mesmo modelo de funcionamento do transponder do avião. Antenas estão colocadas em todo o túnel. É informada a localização do trem, sua velocidade, o abre e fecha das portas da composição, o abre e fecha das portas de plataforma nas estações", explica Luís Valença, diretor-presidente da ViaQuatro, concessionária da Linha 4.
Com um toque no mouse, o operador no CCO pode aumentar ou diminuir a velocidade do trem, manter a composição mais tempo parada na plataforma, segurar a porta de plataforma aberta ou mesmo inserir mais um carro no sistema caso a demanda de passageiros seja maior que o esperado. "No dia da inauguração, o operador segurou a porta de plataforma aberta por mais tempo que o definido (30 segundos) para que o governador (Alberto Goldman) entrasse no trem junto com toda a comitiva. Esse é um exemplo do que os operadores podem fazer", explicou Valença.
Ontem, segundo dia de operação assistida da Linha 4, um problema considerado de rotina mas não informado, levou o CCO a segurar um trem que ia no sentido Estação Paulista mais tempo no túnel antes de chegar à plataforma. "Foi um problema considerado normal, sanado rapidamente", justificou o diretor da concessionária.
E qual a garantia que um sistema não falhe e provoque algum problema na operação colocando em perigo a segurança? Para todos os principais sistemas existentes - alimentação de energia elétrica, operação do trem, controle de frenagem, controle de velocidade, entre outros - há sempre um sistema reserva. É o chamado sistema de redundância. Se um falha, o outro assume a posição instantaneamente. "Se o sistema que alimenta o trem, chamado de on board control unit (OBCU) falhar, tem um segundo que o substitui. O CCO vai julgar o tamanho da falha e determinar se o trem continua a operar ou precisa ser recolhido", explica Valença.

As portas de plataforma de vidro nas estações foram colocadas para isolar os trilhos. Se forem forçadas, o sistema entende que foram abertas à força e bloqueiam o acesso dos trens às estações. As composições param 30 metros antes ou depois das plataformas até que a segurança confirme que não há nenhum usuário nos trilhos.
A automação do sistema, segundo o consultor em transportes Peter Alouche, que trabalhou por 35 anos no Metrô, sempre existiu em São Paulo. "Não é uma novidade do outro mundo. Em 1974, quando foi aberta a Linha 1-Azul, já entrou em operação o automatic train operation (ATO), que nada mais é do que o condutor nos carros utilizado apenas para abrir e fechar as portas nas estações. O restante da operação é feito por comandos do CCO", conta Alouche. De acordo com José Geraldo Baião, presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô de São Paulo (Aeamesp), o sistema ATO funciona nos horários de maior movimento do metrô, quando é necessário colocar mais carros para atender a toda a demanda existente.
Aliás, o novo sistema de comunicação via rádio utilizado na Linha 4 permitirá, quando todas as 11 estações estejam em operação em 2012, que o tempo de partidas dos trens nas estações chegue a 75 segundos. Hoje o recorde na Linha 3-Vermelha é 101segundos. "Com 75 segundos será o menor intervalo do mundo", diz Gerson Toller, presidente da Feira Negócios nos Trilhos. O recorde de menor intervalo é do metrô de Moscou, com 90 segundos de intervalo entre os trens.
O sistema de monitoramento no CCO da Linha 4 é feito por um vídeo wall, uma grande tela de 12 metros de comprimento. Nessa tela gigante é possível acompanhar toda a extensão da linha, as estações, o pátio de manobra e manutenção e todos os sistemas de operação no ramal, nas estações e até mesmo a segurança. São três operadores - elétrica, trem e passageiros/segurança -, um supervisor e três agentes de seguranças por turno. A sala se parece com uma torre de controle dos aeroportos. O prédio em que está localizado já foi apelidado pelos funcionários de "amendoim" por causa do formato se assemelhar a bago de amendoim com três grãos.

Fonte: Estadão
READ MORE - São Paulo: Computadores 'pilotam' sala de comando da Linha 4-Amarela do Metrô

Porto Alegre: Horário das linhas de ônibus


A EPTC divulga para os usuários de ônibus os horários e intervalos de cada linha que atende a região metropolitana de Porto Alegre, isso facilita e muito a vida de quem precisa de ônibus, pois o usuário tem como se programar, alem de também ser mais um estimulo para o uso do transporte publico de qualidade, isso vale de lição a muitas cidades que tenham mais compromisso com seus habitantes.


Fonte: EPTC
READ MORE - Porto Alegre: Horário das linhas de ônibus

Bauru: Desconto nas passagens fora do horário de pico começa em junho


Um dos projetos apresentados durante a Conferência Internacional Cidades Inovadoras que chamou a atenção do prefeito Rodrigo Agostinho foi o de descontos nas passagens do transporte coletivo urbano nos horários fora de pico de movimento. A prática, adotada com sucesso em Maringá (PR), começa a valer em Bauru no dia 12 de junho. Para a Associação das Empresas do Transporte Coletivo Urbano de Bauru (Transurb), iniciativa é positiva.

“Trouxemos a experiência de Maringá para Bauru. Lá, a redução da passagem nesses horários trouxe resultados positivos”, observa Rodrigo. A medida passa a valer somente para os usuários que possuem cartão de passagens cadastrados com a Transurb. Quem pagar diretamente nos veículos, terá que desembolsar o valor integral da tarifa. Com o desconto, o valor debitado do cartão será de R$ 1,89 para viagem simples e R$ 2,34 na integrada.

Os horários de bônus serão de segunda-feira a sábado, das 9h30 às 11h30 e das 13h30 ás 15h30.José Antônio Jacomelli, presidente da Transurb, avalia que a iniciativa deve promover uma migração de passageiros para os horários entre os picos."Principalmente as pessoas que não possuem horário fixo para entrar no trabalho", observa.

Além disso, ele acredita que deve aumentar a procura pelo cartão cadastrado na empresa, o que aumentaria a fidelização de passageiros. “E também pode levar a um aumento na procura do transporte coletivo”, destaca. “É uma medida diferente, beneficia a todos e estamos confiantes que dará um bom resultado”, ressalta.

Fonte: JC Net
READ MORE - Bauru: Desconto nas passagens fora do horário de pico começa em junho

Motoristas de Rio Branco em greve pedem ajuda ao MPT


Os motoristas e cobrados apelaram mais uma vez ao Ministério Público do Trabalho (MPT) na manhã de ontem. A categoria pediu a procuradora Marielle Rissanne o fim dos intervalos entre as jornadas diárias de 7h20.

Segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte de Passageiros e Cargas do Acre (Sinttpac), Celina Ferreira, a procuradora do trabalho ouviu as reclamações dos funcionários que apresentaram irregularidades na forma em que as folgas são oferecidas.“Ficamos felizes quando a representante do MPT informou que um relatório sobre o assunto foi enviado para a prefeitura”, detalhou a sindicalista.

Celina explicou que os intervalos deveriam permitir que o trabalhador descansasse, mas isso não ocorre, porque as empresas vinculam o horário à permanência do motorista e do cobrador dentro dos próprios ônibus.

“Eles não têm tempo de ir para casa, assim ficam presos, aguardando apenas o horário de voltar a circular, então isso é irregular, pois não há descanso”, afirmou a presidente do Sinttpac. Ainda na manhã de ontem, o Sinttpac recebeu a determinação judicial que aumentou de 60% para 70% a quantidade de ônibus que devem circular nos horários de maior fluxo durante a greve.

Nos horários de menor movimento, o mínimo continua em 40%. “Vamos acatar a determinação judicial. Continuamos em greve até que haja um acordo”, afirmou a sindicalista. (Freud Antunes)

Fonte: A Tribuna
READ MORE - Motoristas de Rio Branco em greve pedem ajuda ao MPT

Motoristas de Rio em greve pedem ajuda ao MPT

READ MORE - Motoristas de Rio em greve pedem ajuda ao MPT

Motoristas de Rio em greve pedem ajuda ao MPT

READ MORE - Motoristas de Rio em greve pedem ajuda ao MPT

Motoristas de Rio em greve pedem ajuda ao MPT

READ MORE - Motoristas de Rio em greve pedem ajuda ao MPT

Motoristas de Rio em greve pedem ajuda ao MPT

READ MORE - Motoristas de Rio em greve pedem ajuda ao MPT

Greve de ônibus em Fortaleza nesta segunda

domingo, 30 de maio de 2010

Motoristas de ônibus decidem entrar em estado de greve por 72 horas

Em caso de deflagração de greve, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sintro) terá de assegurar a prestação do serviço de transporte coletivo de Fortaleza e Região Metropolitana com 70% do efetivo, em horários de pico, e 50% dos demais horários.
A decisão partiu do presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), desembargador José Antonio Parente da Silva, em liminar concedida na ação cautelar proposta pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus). A informação foi confirmada pelo procurador-chefe substituto do Ministério Público do Trabalho (MPT), Nicodemos Fabrício Maia, que foi notificado na tarde deste sábado (29).
De acordo com a liminar, a multa a ser aplicada ao Sintro em caso de descumprimento do efetivo mínimo exigido será de R$ 30 mil por dia. O desembargador acatou parcialmente o pedido feito pelo Sindiônibus. Na ação cautelar, a entidade representativa dos empresários do setor queria que o TRT fixasse os percentuais de 80% de efetivo funcionamento nos horários de pico e 60% nos demais horários. Também havia requerido a aplicação de multa de R$ 50 mil em caso de descumprimento, mas o presidente do TRT considerou “exagerados os pedidos formulados, fugindo ao princípio da razoabilidade”.
O desembargador determinou, ainda, que o Sintro cesse, de imediato, as paralisações pontuais que vem empreendendo e abstenha-se de praticar atos que impliquem dano ao patrimônio público ou privado e de impedir, por qualquer meio, o acesso dos trabalhadores ao serviço, sob pena de pagamento de multa diária também fixada em R$ 30 mil, além de ter de indenizar os prejuízos de ordem material ou moral causados em decorrência da ação de seus filiados.

Deflagração de greve
O intuito dessa decisão é impedir que se repitam, até a deflagração oficial da greve (cuja assembleia está marcada para a próxima quinta-feira(03), paralisações-relâmpago como as realizadas na última semana em frente a garagens de empresas, que impediram a entrada e saída de veículos.
José Antonio Parente da Silva também determinou que, além do MPT, o Sintro, o Sindiônibus, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social sejam notificados da decisão através de oficial de Justiça. No caso da Secretaria, a orientação foi no sentido de que sejam adotadas medidas necessárias para assegurar a ordem pública enquanto persistir o impasse entre trabalhadores e empresários do setor de transporte coletivo.

Fonte: VerdeMares.com
READ MORE - Greve de ônibus em Fortaleza nesta segunda

Série Transporte pelo Mundo Chega a Bogotá, considerada por muitos a cidade mais eficiente em transporte público da América do Sul


Considerado hoje um dos mais inovadores e revolucionários projetos de transportes entre os recentemente implantados em todo o mundo, o Transmilênio é muito mais do que um projeto bem-sucedido. Com investimentos mais baixos do que a implantação de um transporte de massa sobre trilhos, mudou o conceito do ônibus, deu nova identidade à cidade e aumentou a auto-estima de seus habitantes.

O sistema é integrado, utiliza ônibus articulados que circulam em faixas segregadas, com paradas em estações modernas e equipadas com catracas eletrônicas. O embarque pode ser feito com cartões de uma a 50 viagens, e uma tarifa única, correspondente a R$ 1,30, permite o embarque no alimentador e no articulado. São transportados atualmente 1,25 milhão de passageiros/dia e a frota de articulados é composta por 1.008 veículos. Mais 406 ônibus comuns funcionam como alimentadores do sistema principal.


O grande diferencial desse projeto foi o forte investimento para dar conforto e segurança ao pedestre, através de ampliação de calçadas, implantação de parques em bairros pobres, com bibliotecas e escolas, iluminação pública, plantio de árvores e outros benefícios, que levaram em conta o fato de que a cidade pertence às pessoas, não aos veículos. Foram construídos 300 km de ciclovias.

Para o funcionamento, há uma parceria entre a iniciativa pública e a privada: a Transmilênio S.A., empresa pública, é a gestora do sistema, planejando e controlando a operação; existe um administrador financeiro, que administra a receita e a venda das passagens, fazendo a distribuição das parcelas tocantes a cada empresa. Operadoras troncais (sete) e alimentadoras (seis) e empresas responsáveis pela disponibilização de dinheiro trocado para as bilheterias e arrecadação, ao fim do dia, completam o sistema operacional.

O projeto, que teve um custo de 300 milhões de dólares, teve 25% desse valor garantido por imposto adicionado ao preço da gasolina e os restantes 75% cobertos pelo governo federal da Colômbia. Outras seis cidades colombianas desenvolvem projetos inspirados no Transmilênio: Pereira (Megabus), Medelín (Metroplus), Cali (Metrocali), Barranquilha e Soledad (Transmetro), Cartagena (Transcaribe) e Bucaramanga (Metrolíneas).



BOGOTÁ, Colômbia - Como a maioria das ruas das cidades em expansão do mundo em desenvolvimento, sétimo Bogotá Avenida se assemelha a um ruído, Parqueamento escape revestido - um emaranhado gluey de carros e frágil, fumo soprar microônibus particulares que há muito tempo desde o transporte para as massas .
Mas a poucos quarteirões de distância, elegantes veículos vermelhos cheios de passageiros diminui a velocidade das quatro pistas centro da Avenida de las Américas. O tempo, segmentado, ônibus de baixa emissão são parte de um novo sistema de transporte público chamado ônibus de trânsito rápido, ou BRT.

É mais como um metrô acima do solo do que um conjunto de rotas de ônibus, com sete linhas se cruzam, as estações fechadas que estejam inscritos através de catracas com o furto de um cartão de tarifa e treinadores que sinto dentro de bondes.
Versões destes sistemas estão sendo planejados ou construídos em dezenas de cidades em desenvolvimento ao redor do mundo - Cidade do México, Cidade do Cabo, Jakarta, Indonésia e Ahmedabad, na Índia, para citar alguns - fornecer transporte público que melhora o fluxo de tráfego e reduz a poluição atmosférica em uma fração do custo de construção de um metrô.
Mas os sistemas de trânsito rápido têm um outro benefício: elas podem deter a chave para combater as alterações climáticas. As emissões dos automóveis, caminhões, ônibus e outros veículos nas cidades em expansão da Ásia, África e América Latina conta de um componente crescente de gases do efeito estufa ligados ao aquecimento global.

Embora as emissões da indústria estão diminuindo, os relacionados ao transporte são esperados para subir mais de 50 por cento em 2030 nos países industrializados e das nações mais pobres. E 80 por cento do que o crescimento seja no mundo em desenvolvimento, de acordo com dados apresentados em Maio, uma conferência internacional em Bellagio, Itália, patrocinado pelo Banco Asiático de Desenvolvimento eo Instituto do Ar Limpo.

Para ser eficaz, um novo tratado climático internacional que será negociado em Copenhague em dezembro deve incluir "uma resposta política às emissões de CO2 provenientes dos transportes no mundo em desenvolvimento", a declaração da conferência Bellagio concluiu.
Sistemas de trânsito rápido, como ônibus de Bogotá, chamou TransMilenio, poderá conter uma resposta. Agora utilizada uma média de 1,6 milhões de viagens a cada dia, TransMilenio tem permitido a cidade para remover 7.000 carros privados de seus caminhos, a redução do uso de combustível de ônibus - e as emissões associadas - por mais de 59 cento desde que abriu sua primeira linha em 2001, de acordo com os funcionários municipais.
Em reconhecimento a essa proeza, a TransMilenio no ano passado se tornou o único grande projeto de transporte aprovado pela Organização das Nações Unidas para gerar e vender créditos de carbono. Os países desenvolvidos que ultrapassam seus limites de emissões sob o Protocolo de Quioto, ou que simplesmente querem polir uma imagem "verde, pode comprar créditos de TransMilenio para equilibrar seus orçamentos de emissões, levando Bogotá cerca de US $ 100 milhões a US $ 300 milhões até agora, dizem analistas.


READ MORE - Série Transporte pelo Mundo Chega a Bogotá, considerada por muitos a cidade mais eficiente em transporte público da América do Sul

Série Transporte pelo Mundo em Toronto no Canadá


O Toronto Transit Commission, cuja abreviação oficial é TTC, é o órgão público encarregado de administrar o sistema de transporte público da cidade de Toronto, Ontário, Canadá. O sistema de transporte público administrado pelo TTC, que inclui linhas de ônibus, bondes e metrô, é o terceiro mais movimentado da América do Norte, atrás apenas dos sistemas de transporte público de Nova Iorque e da Cidade do México.

O TTC movimenta mais do que 2,3 milhões de passageiros por dia, 1,2 milhão através de ônibus, 246 mil através de bondes e 900 mil através do metrô (destes, 45 mil através do Scarborough RT, uma das quatro linhas de metrô da cidade, que possui muitas diferenças com as outras três linhas de metrô). Em 2005, o TTC empregou 10 650 trabalhadores, transportou uma média de 2,368 milhões passageiros por dia (1,397 milhão de passageiros pagantes). O TTC também fornece serviços para pessoas com disabilidades físicas, através da Wheel Trans, que movimenta aproximadamente 2,9 mil passageiros por dia.

Toronto é uma cidade muito bem interligada com o resto do mundo: por via terrestre para os visitantes que chegam de outras zonas do país ou dos Estados Unidos (de carro ou de trem) e por via aérea, para os que vêm de outros continentes.

Transporte Público

A forma mais prática de locomover-se pelo centro da cidade de Toronto é a pé. Uma das características que o visitante logo vai perceber em Toronto é que se trata de uma cidade extremamente limpa, contando com uma política ambiental que tenta evitar as causas da poluição. Por essa razão, o governo da cidade investe muito na melhoria e na manutenção da rede de transporte público, além de oferecer muitas facilidades para o uso da bicicleta como meio de transporte.
Toronto também é uma cidade pioneira no uso do Underground Path (caminho subterrâneo). São 27 quilômetros que protegem os pedestres contra o frio e a neve durante o inverno e também contra o calor do verão. Nesses corredores subterrâneos você encontrará uma enorme quantidade de lojas e serviços, além de ser uma forma muito rápida de ir de um lugar a outro.
Esse emaranhado de vias subterrâneas conta com mais de 1.200 lojas dos mais variados tipos. Além disso, um excelente sistema de sinalização indica onde se encontram os principais hotéis, edifícios culturais e atrações turísticas da cidade. O Underground Path dá acesso a mais de 50 edifícios estabelecimentos comerciais das ruas de Toronto.
Se você optar pela utilização do transporte público, a companhia de transportes de Toronto, cuja sigla, em inglês, é TTC, oferece uma ampla rede de serviços de metrô, ônibus e bondes. O metrô de Toronto é o meio de transporte mais utilizado, contando com quatro linhas que levam a um total de 69 estações. Durante a noite, o transporte é coberto pelo serviço de ônibus noturnos da cidade.
O acesso aos subúrbios está baseado nos serviços de trens e ônibus, operados pelo governo de Ontário, por meio da GO-Transit. Outra opção muito confortável, embora não tão econômica, é locomover-se pela cidade por meio do serviço de táxi.
Como na maioria das grandes metrópoles do mundo, em Toronto você também encontrará um serviço de ônibus turísticos que passa pelas principais atrações turísticas da cidade, permitindo que você suba e desça quantas vezes desejar. Outra alternativa é utilizar os serviços de barcos e ferryboats que navegam pelo lago Ontário.


Metrô

O TTC administra um sistema de metrô, composto por uma quatro linhas: o Yonge-University-Spadina, fundado em 1954, como a primeira linha de metrô da cidade, possuindo um formato de U, com ambas as linhas correndo em um sentido norte-sul, primariamente ao longo da Yonge Street, da University Avenue e da Allen Road; o Bloor-Danforth, fundado em 1966, como uma via leste-oeste, ao longo da Bloor Street e da Danforth Avenue; o Sheppard, uma linha leste-oeste, fundada em 2002, ao longo da Sheppard Avenue, e o Scarborough RT, fundado em 1985.
As três primeiras linhas são linhas de metrô convencional que utilizam a mesma tecnologia, enquanto que o Scarborough RT possui diversas diferenças com as outras três linhas. O metrô de Toronto é um dos meios de transporte mais populares de Toronto, formando a espinha dorsal do sistema de transporte público da cidade.

Transporte integrado

O sistema de transporte público administrado pelo TTC é totalmente integrado. Passageiros podem realizar uma jornada contínua de qualquer distância dentro de Toronto pagando apenas uma tarifa. Muitas estações de metrô do TTC possuem um terminal de ônibus integrado, onde passageiros podem transferir-se entre uma linha de superfície com o metrô, ou entre diferentes linhas de superfície que utilizam o terminal livremente.
No caso de estações de metrô sem um terminal de ônibus, bem como conexões entre diferentes linhas de superície em cruzamentos, passageiros podem transferir-se através do uso de um transfer. O transfer é um ticket, que é fornecido sem custo adicional ao passageiro. Em estações de metrô, transfers são fornecidos através de máquinas automáticas localizadas imediatamente à frente da guarita do caixa. Em ônibus e bondes, o transfer é fornecido pelo motorista. Transfers não podem ser utilizados para realizar uma conexão entre uma estação de metrô e uma linha de superfície, caso este transfer tenha sido obtido na mesma estação.
O transfer precisa ser mostrado ao motorista ou caixa pelo passageiro, no momento do embarque. O passageiro precisa utilizar a rota mais rápida e direta possível (com o mínimo número possível de conexões), e paradas para realizar atos tais como comprar produtos em um estabelecimento comercial não são permitidos (com exceção de uma linha de bonde do TTC). A conexão precisa ser realizada dentro de um tempo razoável, após o momento em que o transfer é obtido.
Certas linhas de ônibus são downtown express, que operam somente na hora do rush e com um número limitado de paradas. Estas linhas não são integradas, e passageiros precisam pagar além da tarifa normal (ou apresentar um transfer válido) $2,1 extra, ou o uso de um passe que contenha um selo especial, selo vendido em certas estações de metrô por $29,5.
O TTC não possui conexões integradas com nenhuma linha de superfície administrada por outras companhias de transporte público, como a GO Transit, ou aquelas administradas por cidades vizinhas de Toronto. Algumas linhas de superfície do TTC vão até partes de cidades vizinhas, porém, passageiros utilizando o TTC precisam pagar uma tarifa extra ao viajar entre Toronto e outras cidades vizinhas e vice-versa (com exceção das linhas servindo o Aeroporto Internacional Toronto Pearson, que localiza-se em Mississauga). O GTA Weekly Pass é um passe semanal, que custa $43, que permite conexões integradas entre o TTC com linhas de superfície de outras companhias de transporte público (com exceção da GO Transit).
READ MORE - Série Transporte pelo Mundo em Toronto no Canadá

Série Transporte pelo Mundo em Buenos Aires


A cidade possui uma grande quantidade de linha de ônibus (colectivo), definido por um número, que se conectam todos os pontos da cidade. O preço do bilhete dentro dos limites da cidade (Capital) é cerca de US $ 1 peso AR, e é maior quando se passa a Grande Buenos Aires, quando as mudanças de secção tarifário. Na Grande Buenos Aires, tendo seção tarifa quando várias alterações nas etapas de diferentes municípios, as empresas de transporte que não têm muito interesse também para o interesses dos seus passageiros, tirar partido desta para cobrar taxas subiram em distâncias curtas, sempre prejudicar as pessoas de poucos recursos.
Nos últimos tempos o Estado exigiu às empresas a alteração de seus veículos mais segura para os outros, como aqueles de baixa chão, ea colocação de máquinas de bilhetes, razão pela qual uma pessoa só pode viajar com moedas. Em alguns momentos do dia, o ônibus para ir cheio e eles são capturados em várias jams, mas no entanto eles são a melhor forma de ver a cidade sem gastar muito.
Rotas e números pode ser confuso, por isso consultar um mapa e pedir o conselho de moradores. Colectivos podem ser identificados pelo número de rota e destino principal exibida acima do pára-brisa.

Os ônibus de Buenos Aires são um meio de transporte econômico (bilhetes a A$ 0,90), embora possa ser menos eficiente nos dias de engarrafamento no centro. No entanto, a malha de ônibus é extensa e serve a toda a cidade. Os ônibus circulam durante todo o dia, diminuindo de frequencia depois das meia-noite.


O transporte de ónibus urbanos ou simplesmente chamados "Colectivos" conta com uma rede de mais de 150 linhas distintas e mais de 15.000 ônibus que circulan por cada região da cidade. Bom numero desses ônibus estão acondicionados para receber pasageiros deficientes fisicos, chamadas "Unidades de Piso Baixo", e dispõe de maquinas eletrónicas para subir passageiros em cadeira para deficientes.
Desde faz 10 anos conta com um sistema de self- service para ticket no interior do onibus, deve colocar moedas na maquina para recever seu ticket e poder viajar. O onibus ou colectivo é um serviço com"paradas" ( Lugar onde espera o pasageiro para subir , ou descer ) distribuidas em todo o trajeto, localizada um da outra aprox cada 400 mts .

Trem é um dos mais antigos do mundo
Para escapar do trânsito da cidade, os habitantes da capital argentina contam com 6 linhas de metrô. O metrô de Buenos Aires é um dos mais antigos do mundo, e é conhecido pelos locais como subte, abreviação de subterrâneo. As linhas convergem no centro da cidade e chegam a vários pontos turísticos e áreas importantes da cidade, além de terem uma constante programação cultural. A linha A mantém em circulação os antigos vagões de madeira, que são uma atração à parte.

O Metro de Buenos Aires (localmente conhecido como el subte, de "subterrâneos", que significa "underground") é um amplo sistema de acesso a várias partes da cidade. Inaugurado em 1913, é o metrô mais antigo do Hemisfério Sul e no mundo de língua espanhola. O sistema possui seis linhas (A, B, C, D, E e H), 80 estações e 52 km de trilha. No âmbito de um programa de expansão, a expectativa é expandir para 89 km em 2011. O metro é o meio mais rápido para se deslocar dentro Capital Federal. O sistema abrange actualmente cerca de 46 km, com 80 estações e transporta, anualmente, 250 passangers Millon. Tem um preço fixo que é pago nos escritórios do bilhete de qualquer uma das suas estações. Cada símbolo permite-lhe ir a qualquer parte da cidade, até mesmo para fazer longas viagens de linhas de mudança. O preço do bilhete é de R $ 1,10 e os serviços de metrô operam 06h00-23:00 pensamento sábado e segunda-feira 08h00 - 22:00 aos domingos. Tickets ou subtepass são comprados nas estações do metrô. O subte funciona de segunda a sábado, das 5 às 22h30, e nos domingos e feriados das 8 às 22h. Mapas das linhas são vendidos nas estações e o bilhete custa AR$ 1,10. É possível fazer conexões entre as linhas, sinalizadas com a palavra combinación.
O sistema funciona muito bem, mas turistas precisam ter atenção contra batedores de carteira, principalmente em vagões cheios.


O trem é o meio mais rápido e mais utilizado para entrar ou sair da cidade. Desde a terminal de Retiro até o norte do Gran Bs As, desde Plaza Constitución até o sul do conurbano e desde a estação Lacroze até noroeste. Em 1917 começou circular o primeiro serviço elétrico, Tigre - Retiro. O mesmo , hoje denominado TBA, é o serviço menos longo em extensão ( 45 minutos até a cidade de Tigre, o Delta ) o trem conta com ar acondicionado em cada wagon. O bilhete mais caro : 0,95 $.
Outro trem é o "Tren de la Costa" de perfil turístico que chega até o "Delta del Tigre" ( o Gran Bs As), indo por toda a costa do Rio de la Plata. Muito demandado pelos tours ao Delta. Para abordar este trem, debe viajar com trem TBA ( Estação Retiro, "anden" Mitre ) e logo traspassar no fim do viagem na estação Maipú, são aprox 30 minutos.De Seg a Sexta , $ 1,50. e os Sab e Dom, $3,00 com avaliação de poder descer em todas as estaçoes com atrativos diversos .
READ MORE - Série Transporte pelo Mundo em Buenos Aires

Série Transporte pelo Mundo Chega a Cidade do México


Transporte na Cidade do México é gerido pelo governo do Distrito Federal do México através de várias empresas públicas que administram os diferentes meios de transporte. O governo da Cidade do México opera o sistema de propriedade pública de trânsito mais movimentado e segundo na América do Norte depois de New York City , se os operadores privados (que transportam cerca de 60% do tráfego) estão incluídos, a Cidade do México sistema de transporte de passageiros movimenta cerca de duas vezes os passageiros do New York MTA .
Muitas vezes, os valores ridership dado para a Cidade do México não incluem o tráfego suburbano na Cidade do México, quatro terminais de ônibus em massa, cada um dos quais é semelhante em tamanho à Port Authority Bus Terminal , em Nova York.

O Metro da Cidade do México (em espanhol, Metro de la Ciudad de México), formalmente Sistema de Transporte Colectivo, é um sistema de metro que serve a área metropolitana da Cidade do México (o que inclui alguns municípios no Estado do México ). É o sistema de metro segunda maior da América do Norte depois que o New York City Subway e, em 2008, o sistema serviu 1.467 milhões de passageiros, colocando-o como o quinto maior número de passageiros no mundo.

A linha de metrô tinha 16 estações, e abriu ao público em 1969. O sistema tem se expandido desde então, em uma série de trancos e barrancos. A partir de 2010, o sistema é composto por onze linhas e 451 quilômetros (280 milhas) de trilhos de passageiros. Dez das linhas de metro, de aro de borracha , em vez de rodas de aço tradicional, têm pneus de borracha (também chamado de pneumáticos de tração), que são mais silenciosos e lidar melhor com o solo instável Cidade do México.
O Metro STC tem 163 estações , 24 das quais têm duas ou mais linhas (correspondências ou estações de transferência). Ele tem 106 estações de metro (o mais profundo do que 35 metros abaixo do nível da rua), 53 estações de superfície e 16 estações elevatórias.
No final de 2007, do Distrito Federal mexicano governo anunciou a construção de uma nova linha do metrô: linha 12 irá correr para a parte sudeste da cidade, conectando com as linhas 7, 3, 2 e 8, respectivamente.


O Metrobus é um sistema de transporte de ônibus expressos que atende a Cidade do México, que opera desde 19 de junho de 2005. Composto de 80 ônibus que percorrem 20 quilômetros sobre a Avenida de los Insurgentes, em ambos os sentidos entre a estação de Metro Indios Verdes até San Ángel. Essse sistema é baseado no no ligeirinho de Curitiba.

A frota do Metrobús é constituída por mais de 80 ônibus articulados, que carregam uma média de 315.000 pessoas por dia. É aproximadamente a metade do número de passageiros que andam no sistema de metrô de Washington, a segunda maior rede ferroviária urbana dos Estados Unidos.



O Metrobús é um sistema de ônibus rápido]] (Autocarro Rapid Transit por suas siglas em inglês) que presta serviço na Cidade de México. Seu controle e administração está a cargo do organismo público descentralizado Metrobús.
O Metrobús conta com 2 rotas. A cada rota tem atribuída uma letra e uma cor distintivo. Tem uma extensão total de 47,1 quilómetros e possui 81 estações das quais: 75 são de passagem, 2 de transbordo e 4 terminais. Todas as estações se encontram dentro da Distrito Federal.
Em 2007 recebeu o prêmio Liderança Mundial que outorga a organização não lucrativa World Leadership Forum com sede em Londres, Inglaterra. O prêmio outorga-se talvez dos projectos em áreas de engenharia civil e arquitectura, comunicações, planejamento urbano, ciência e tecnologia, e transporte.
READ MORE - Série Transporte pelo Mundo Chega a Cidade do México

São Paulo: Corredor de ônibus vai chegar ao Morumbi

sexta-feira, 28 de maio de 2010


O corredor de ônibus ABD ganhará um novo trecho, de 12 km, até o dia 21 de julho. Segundo a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), a faixa exclusiva será ampliada até a estação Morumbi, da linha 9 da CPTM.
Atualmente, o corredor de ônibus tem 33 km de extensão. O sistema começa no terminal São Mateus (zona leste de SP) e vai até os municípios de Santo André, Mauá, São Bernardo e Diadema (todos na Grande São Paulo).
O novo traçado incluirá a avenida Presidente Kennedy, em Diadema, e as avenidas Cupecê, João de Luca, Vicente Rao e Roque Petroni Jr., no Morumbi (zona oeste de SP). Ao todo, 25 ônibus intermunicipais e 11 linhas municipais irão operar no trecho.

Fonte: Agora S. Paulo
READ MORE - São Paulo: Corredor de ônibus vai chegar ao Morumbi

Fortaleza: Ônibus. Rodoviários de Fortaleza decidem por estado de greve


Os rodoviários de Fortaleza decidiram no final da tarde desta sexta-feira (28), que vão entrar em estado de greve a partir de segunda-feira (31).
A categoria realizou uma assembleia com quase dois mil profissionais, a maioria optou pela paralisação. Eles recusaram a proposta do Sindiônibus de reajuste de 5,5,%. Os trabalhadores querem 45% de aumento.
A partir da próxima segunda-feira (31), a categoria terá 72 horas para paralisar totalmente as atividades. Na quinta-feira, os profissionais do transporte coletivo da capital fazem uma nova assembleia para decidir se entrarão ou não em greve.

Fonte: Jangadeiro Online

READ MORE - Fortaleza: Ônibus. Rodoviários de Fortaleza decidem por estado de greve

DF: Fácil diz que o governo depositou apenas metade do dinheiro do Passe Livre


Apenas metade do dinheiro destinado à recarga dos cartões do Passe Livre entrou na conta da Fácil, segundo informou a assessoria da empresa. Nesta quinta-feira (27/5), o governador Rogério Rosso (PMDB) sancionou a Lei que autoriza o remanejamento de R$ 6 milhões da Secretaria de Obras para o abastecimento do benefício. Contudo, segundo a Fácil, apenas R$ 3 milhões foram depositados nesta manhã.

De acordo com a empresa, 46 mil estudantes devem procurar pelo benefício. Se o valor repassado a cada aluno for de 98 reais – o mínimo que cada um tem direito – o cálculo será de R$ 4,5 milhões. Até as 14h, desta sexta-feira (28/5), 6.233 estudantes já fizeram recarga, o que representou um débito de R$ 614 mil.

A assessoria do governador, Rogério Rosso (PMDB), confirmou que, ainda que o repasse autorizado seja de R$ 6 milhões, apenas metade do dinheiro foi depositado hoje. O motivo é que o governo espera a comprovação dos gastos da Fácil para liberar o restante da verba.

Fonte: Correio Brasiliense
READ MORE - DF: Fácil diz que o governo depositou apenas metade do dinheiro do Passe Livre

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960