Em São Paulo, Corredores exclusivos fizeram do ônibus a forma mais rápida e segura de vencer grandes distâncias.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009


Excesso de veículos é, além de indústria automotiva aquecida, sinônimo de congestionamento. Hoje, grandes, médias e até pequenas cidades sofrem do mesmo mal: infraestrutura viária insuficiente para suportar o crescimento desenfreado da frota de veículos e a precariedade dos meios de transporte.

É cada vez mais urgente a modernização dos sistemas de transporte coletivo. Em São Paulo, o ônibus deixou de ser um meio utilizado somente pela população de baixa renda. Na última década, os corredores exclusivos fizeram do ônibus a forma mais rápida e segura de vencer grandes distâncias. Em 9,3 milhões de embarques diários, segundo pesquisa da São Paulo Transportes S.A. (SPTrans) realizada em abril, executivos, office-boys e estudantes usufruem dessa comodidade nos mais de 165 quilômetros de corredores urbanos.

As cidades com menos de 1 milhão de habitantes têm nas faixas e vias exclusivas uma solução viável e que exige investimentos compatíveis com seus orçamentos. Campinas é um ótimo exemplo. O objetivo da cidade é ter 105 quilômetros de corredores exclusivos ou preferenciais. Para isso, pretende investir cerca de R$ 150 milhões, parte desse valor financiado pela Prefeitura junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Mas, não basta eleger faixas de rolamento de ruas e avenidas para a circulação de ônibus.

É preciso também implantar um projeto de infraestrutura que contemple um pavimento de qualidade, durável, capaz de suportar trânsito pesado, sem exigir manutenção constante. Neste sentido, o pavimento de concreto é a opção mais adequada: tem vida útil maior do que as demais alternativas de pavimentação, não sofre deformações plásticas - como as famosas "trilha de rodas" ou buracos - e não é alterado pela ação de combustíveis.

Com a adoção dos corredores, as autoridades podem contribuir com a sustentabilidade, pois ao reduzir os índices de congestionamento são emitidos menos gases poluentes na atmosfera. Também há o fato de a atual produção de cimento utilizar pneus usados em seu processo, na alimentação dos fornos. Cálculos do setor indicam que cada quilômetro de pavimento de concreto retira do meio ambiente cerca de 7,5 mil pneus inservíveis.

Com os exemplos de São Paulo e Campinas, é possível concluir que investir no transporte coletivo é uma das saídas para melhorar ou garantir a qualidade de vida nos centros urbanos.
READ MORE - Em São Paulo, Corredores exclusivos fizeram do ônibus a forma mais rápida e segura de vencer grandes distâncias.

Ônibus de Curitiba há um ano no vermelho

O déficit no transporte coletivo de Curitiba recuou 33% em dois me­­ses, e a Urbs (sociedade de economia mista que gerencia o sistema) espera equilibrar o caixa no fim do ano ou no início do ano que vem. Des­­de o início de 2009, o número de deslocamentos de passageiros tem ficado abaixo do previsto. Segundo informações fornecidas pela empresa, o rombo, que havia chegado a R$ 9,2 milhões em se­­tembro, caiu para R$ 6 milhões no mês passado.
No início do ano, o afastamento de usuários foi atribuído ao reajuste da passagem de R$ 1,90 para R$ 2,20, ocorrido em janeiro, e à crise econômica internacional. Para a Urbs, a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos carros novos, medida adotada para combater a crise, contribuiu para estimular o transporte individual, em detrimento do transporte coletivo.
O pior resultado foi registrado em agosto, no auge da epidemia da gripe A (H1N1) – a chamada gripe suína –, quando a população era orientada a evitar aglomerações. Naquele mês, o valor correspondente a cerca de 3,5 milhões de pa­­ssagens deixou de ingressar no cai­­xa. Para equilibrar as contas, conforme reportagem publicada pela Gazeta do Povo no dia 21 de outubro, a tarifa teria de ser reajustada para R$ 2,32, o que poderia afastar ainda mais passageiros. De janeiro a novembro deste ano, foram aproximadamente 14,2 milhões de des­­locamentos a menos que a previsão da Urbs.
Em razão do déficit, a Urbs chegou a atrasar o pagamento às concessionárias. O prejuízo poderia ser pior se o fundo que custeia o transporte coletivo não recebesse do município a transferência do Imposto sobre Serviços (ISS) recolhido das empresas de ônibus – cerca de R$ 800 mil por mês.
Para cobrir o custo do transporte coletivo de Curitiba – cerca de R$ 55 milhões por mês – sem ter de aumentar o preço da passagem, a Urbs aguarda a discussão do Projeto de Lei 1.927, de autoria do de­­putado federal Fernando de Fa­­binho (DEM-BA), que tramita no Congresso Nacional desde 2003. A proposta, que prevê a criação do bilhete único e isenções tributárias para desonerar o transporte coletivo, foi aprovada pela Câmara dos Deputados e está na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado Federal. O prazo para o recebimento de emendas à matéria se encerra hoje.
A Urbs já anunciou que quitará todos os débitos com as empresas até o lançamento do edital de licitação do transporte coletivo, o que deve ocorrer provavelmente até o fim da semana que vem. Será a primeira concorrência pública da história do sistema. As concessões, outorgadas em 1955, vêm sendo renovadas sem licitação até hoje.
READ MORE - Ônibus de Curitiba há um ano no vermelho

Transporte Coletivo de Palmas ganha 12 novos ônibus


A partir desta terça-feira, 08, mais 12 novos ônibus comporá a frota do transporte coletivo de Palmas, totalizando 36 novos veículos adquiridos neste ano. Uma das novidades desta nova frota é o quesito acessibilidade, pois todos serão adaptados para portadores de necessidades especiais.
A entrega simbólica dos veículos será às 10h30, no estacionamento em frente a Câmara Municipal de Palmas, e contará com a presença do prefeito Raul Filho, do presidente da Agência de Trânsito, Transporte e Mobilidade (ATTM), Silvio Portilho, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Palmas (Seturb), José Antonio dos Santos Júnior, além de demais autoridades. Na oportunidade o prefeito também anunciará outras ações.
No inicio do ano, a Prefeitura solicitou as empresas melhorias na qualidade dos serviços prestados à população, dentre elas a aquisição de novos veículos para reduzir a lotação dos ônibus, diminuição no tempo de espera nos pontos de ônibus, extensão de linhas e aumento de novos horários.
Até o final de 2008 o transporte coletivo de Palmas contava com 152 veículos, já no início de 2009 foram adquiridos mais 26 novos veículos e agora mais 12, totalizando 190 carros.
READ MORE - Transporte Coletivo de Palmas ganha 12 novos ônibus

Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (ES) abre 50 vagas


A Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb/GV), responsável por gerenciar o transporte público de passageiros da região metropolitana de Vitória (ES), lançou edital para preenchimento de 50 vagas. Há chances para nível médio e superior. As remunerações variam de R$ 890 a R$ 3.090.

Para nível superior, são 12 vagas para o cargo de analista em transporte para as ocupações de advogado, analista administrativo, analista contábil, analista de Planejamento, analista de recursos humanos, analista de serviço social, analista de sistema júnior, analista em engenharia de construção e manutenção, analista de engenharia mecânica e analista em estatística. Para nível médio são 36 vagas para técnico em transporte (agente de transporte, auxiliar, programador de computador, programador de linhas, técnico de segurança do trabalho, técnico em manutenção civil e vistoriador) e 2 para motorista. As inscrições podem ser feitas pelo site www.cespe.unb.br/concursos/ceturbes2009, de 14 de dezembro a 10 de janeiro de 2010. As taxas são de R$ 84 para nível superior e de R$ 25 a R$ 44 para nível médio. As provas objetivas estão previstas para ocorrer no dia 21 de março de 2010.
READ MORE - Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (ES) abre 50 vagas

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960