As cidades, o trânsito e o transporte

domingo, 27 de setembro de 2009

Quem usa o transporte coletivo ou dirige um carro nas cidades do Paraná já comprovou: a cada dia, o trânsito parece mais difícil. As razões vão do impressionante aumento na venda de automóveis ao comportamento dos motoristas, mais e mais estressados. Como conseqüência, temos prejuízos para a economia, para o meio ambiente e, claro, para nossa qualidade de vida. Na capital paranaense a situação não é diferente. Mesmo com um sistema de transporte coletivo eficiente, copiado em outros estados e países, Curitiba é a cidade brasileira com a maior proporção de veículos nas ruas: um para cada 1,63 habitante. E já se prevê a duplicação do número de automóveis em dez anos.

O que fazer? A solução deve ser buscada, paralelamente, em três áreas: investimento no transporte coletivo, modernização da infraestrutura de tráfego e educação dos motoristas. É o que estamos fazendo. Depois de 20 anos, voltamos a construir corredores exclusivos para ônibus. Os primeiros 9,4 km estão na Linha Verde, a maior avenida da cidade, que substituiu o trecho urbano da BR 116. Os ônibus que circulam na Linha Verde rodam com diesel feito à base de óleo de soja. E já começamos a trabalhar na primeira linha do Metrô Curitibano, que terá 22 km.

Para dar mais fluidez ao trânsito, implantamos dez novos sistemas binários, que são ruas paralelas com tráfego em sentido contrário, e pavimentamos mais de 500 km de ruas e avenidas, com preferência para aquelas por onde passam ônibus. Motoristas e pedestres não são esquecidos. Nos últimos anos, os curitibanos se acostumaram a ver nas ruas campanhas educativas como a que estendeu tapetes vermelhos para pedestres nos cruzamentos mais movimentados. Rapazes e moças vestidos de anjos circularam nos semáforos, distribuindo orientações para um trânsito mais humano.

Os números mostram que esse é o caminho correto. O total de passagens vendidas por ano no transporte coletivo aumentou de 294 milhões para 324 milhões de 2005 para 2008. Os radares, que antes eram instrumentos usados exclusivamente para punição, foram todos sinalizados, iniciativa que inspirou o Conselho Nacional de Trânsito a determinar a sinalização também em todo o País. Resultado? Redução de 57% no número de atropelamentos nas ruas com radares na capital.Acredito que nossas soluções podem ser adaptadas também a diferentes realidades, em cidades de pequeno e médio porte, até mesmo antecipando problemas futuros.


''No trânsito, as soluções não podem ser deixadas para amanhã''.
READ MORE - As cidades, o trânsito e o transporte

Rio vai ganhar mais 11 estações de aluguel de bicicletas

Bairros contemplados serão Gávea, Ipanema, Leblon e Lagoa. Ao todo, serão 19 estações e 190 bicicletas em outubro.

A partir de outubro, os cariocas vão ganhar mais 11 estações de bicicletas de aluguel. A iniciativa faz parte do projeto Pedala Rio e vai contemplar os bairros da Gávea, Ipanema, Leblon e Lagoa, todos na Zona Sul do Rio.
As estações ficarão em pontos como a Praça Santos Dummont, na Gávea; Praça Antero Quental e Jardim de Alah, no Leblon; Parque do Cantagalo e Praça General Osório, em Ipanema. Atualmente, o Rio tem oito estações de aluguel de bicicletas em Copacabana, também Zona Sul. Com os novos pontos, a cidade terá 19 estações e 190 bicicletas. Em dezembro, os próximos bairros contemplados serão Botafogo, Flamengo, ambos na Zona Sul, e o Centro da cidade, onde mais 19 estações serão construídas e outras 190 bicicletas ficarão à disposição da população. Até o ano que vem serão instaladas mais 12 estações na Tijuca, na Zona Norte. “Com isso iremos completar a primeira fase do projeto, composta de 50 estações e 500 bicicletas”, explica Angelo Leite, presidente da Serttel, empresa responsável pela implantação do Pedala Rio. A prefeitura do Rio prevê a instalação de faixas exclusivas, compartilhadas e zonas 30.
Segundo Leite, desde a implantação do sistema, em dezembro de 2008, foram registrados apenas quatro furtos. "Nossas bicicletas se enquadram na categoria das chamadas smart bikes ou bicicletas inteligentes. Desde a inauguração, nosso sistema registrou apenas quatro casos isolados de furto e vandalismo em janeiro deste ano, o que é insignificante se comparado com os índices europeus", ressaltou.
Como alugar
Para alugar, o usuário tem que adquirir passes, que dão direito a viagens de até 30 minutos. Acima deste período, o usuário passa a pagar um valor adicional, chamado de viagem remunerada.
O passe pode ser de 1 dia (R$ 10), 3 dias (R$ 15), 6 meses (R$ 50) ou 1 ano (R$ 100). É preciso fazer um cadastro no site http://www.mobilicidade.com.br/ para adquirir os passes eletrônicos.
O pagamento é feito com cartão de crédito e as bicicletas são liberadas nas estações por meio do celular.
READ MORE - Rio vai ganhar mais 11 estações de aluguel de bicicletas

Cuiába: Conselho vai discutir reajuste e gratuidade no transporte coletivo

O Conselho Municipal de Transporte e Trânsito – (CMTT), vai se reunir no dia (01) de outubro próximo, às 14 horas, na Secretaria de Transporte e Trânsito - (Setrat), para discutir o realimento do valor da passagem do transporte coletivo de Rondonópolis e também a questão da gratuidade. Até agora o Poder Executivo ainda não se pronunciou sobre autorizar um reajuste. O valor da tarifa está congelado há quatro anos e a empresa Cidade de Pedra, que detém a concessão dos serviços na cidade, passa por desequilíbrio financeiro e pode continuar a demitir trabalhadores. Além disso, já ventila que não terá recurso suficiente para o pagamento da folha de setembro deste ano.
Segundo o presidente do CMTT, Donizete Aparecido Alves de Souza, o conselho vai se reunir e analisar dados referentes aos serviços do transporte coletivo. “A empresa vai colocar as suas dificuldades, será apresentado números sobre gastos e despesas e depois colocaremos em votação entre todos os conselheiros. Logo após a votação teremos o resultado se o conselho vai ser a favor ao reajuste da passagem do transporte coletivo. Posteriormente a decisão será levada para discussão com o Poder Executivo”, explica o presidente Donizete Aparecido.
O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas dos Transportes Terrestres de Rondonópolis – (STTRR), disse que não vai aceitar a demissão de funcionários e está se mobilizando e pode deflagrar uma greve no transporte coletivo.
READ MORE - Cuiába: Conselho vai discutir reajuste e gratuidade no transporte coletivo

Em Fortaleza, o trânsito atrapalha programa ''Bem na Hora''


O transporte público de Fortaleza tem sido alvo da críticas constantes da população e até mesmo do governador Cid Gomes, que reconheceu no Dia Mundial Sem Carro, celebrado na última terça-feira (22), que “ônibus não é opção” na Capital cearense. De acordo com a Prefeitura de Fortaleza, a cidade conta hoje com 1.270 ônibus, que circulam por sete terminais de integração, 223 linhas e pelo menos 4.000 paradas.
Uma pequena parcela desse universo – 100 veículos que circulam por seis linhas, 100 paradas e quatro terminais –, experimenta um programa para melhorar a eficiência das viagens. É o “Bem na Hora”, do Controle Integrado de Transportes de Fortaleza (Citfor), com gerência da Autarquia Municipal de Trânsito, Cidadania e Serviços Públicos (AMC).
De acordo com o gerente do Citfor, Paulo Vitorino, a estrutura do programa conta com ônibus equipados com GPS; “semáforos inteligentes”; câmeras de vídeo nos terminais e embarcadas nos veículos; placas eletrônicas nas paradas para informar a previsão de chegada; painéis dentro dos ônibus para indicar a próxima parada, com recursos de áudio e imagem; e, mais recentemente, um site na internet disponibilizando as informações das placas que estão nas ruas. “O programa tem três objetivos básicos: informar o usuário, melhorar e dar prioridade ao transporte coletivo, e fornecer mais segurança à viagem”, enumerou Paulo.
De acordo com o gerente do Citfor, o equipamento instalado nos ônibus indica a velocidade do carro e a distância da próxima parada, com base nesses dados, é feito um cálculo do tempo que ele levará para chegar os próximo ponto. Esses números ficam expostos em 35 placas espalhadas pelas 100 paradas cobertas pelo programa e no site Bem na Hora. Esse é recurso do primeiro ponto enumerado por Paulo, “a informação ao usuário”.
Os “semáforos inteligentes” que, segundo o gerente do Citifor, dão prioridade ao transporte coletivo, identificam quando um ônibus está perto de passar por um cruzamento. “Se um semáforo fecha em 60 segundos e um ônibus, com horário atrasado, está, por exemplo, há 10 segundos de passar pelo cruzamento, nós prolongamos o tempo do sinal verde para que esse carro possa ganhar caminho”, explica. Segundo Paulo, dos 550 cruzamentos com semáforos em Fortaleza, 300 possuem o sistema inteligente.
Já o terceiro ponto enumerado, a segurança, ficar por conta das oito câmeras instaladas em cada terminal e nas duas que seguem dentro do ônibus. “Uma fica perto do cobrador e outra perto da porta dianteira, próxima ao motorista. Isso inibe os assaltos e registra qualquer ato estranho realizado dentro do coletivo”, informa.
Paulo Vitorino ressalta ainda que o software que controla todo esse processo é o mesmo usado pelo transporte público inglês. “O que falta para gente é que o controle dos semáforos seja automático, mas já estamos perto de avançar para esse ponto”, contou.

Fizemos o teste
Com base no site do Bem na Hora, o Diário Online foi conferir a precisão do tempo indicado pelo sistema numa parada de ônibus. Às 15h54, o site indicava que o ônibus 36119 da linha Siqueira/Papicu/Via 13 de Maio (30) chegaria ao seu ponto na Praça da Imprensa em 7 minutos. Três minutos depois, já na parada, o tempo estava de acordo com cronometrado com o do site e indicava que o veículo chegaria em 4 minutos. O carro chegou às 16h04min, apenas três minutos após o projetado.
No ônibus 14601, da mesma linha, que indicava também às 15h54min sua chegada ao ponto em 10 minutos. Apareceu no destino informado em 14 minutos.
Reclamações e problemas
Um pequeno erro, levando em consideração a situação do trânsito de Fortaleza. No entanto, a população, mesmo ela própria levantando a questão de que é difícil precisar o tempo de chegada de um veículo que trafegue nas ruas da cidade, fez questão de reclamar.
O motorista José Cleiton, que se encontrava na parada da Praça da Imprensa no momento da apuração do tempo dos ônibus, disse que não dá para confiar nos painéis de informações instalados nas paradas. “Agora (16h), você só viu isso de erro, mas vem aqui no horário de pico para você ver” desafiou o motorista.
Já a técnica de enfermagem, Luana Marques, acredita que, por conta da questão do trânsito, o sistema de mapeamento dos ônibus não tem como ser eficaz. “Como saber a hora certa que o ônibus vai chegar com um trânsito desses? Por isso, nem olho a placa”, disse.

Linhas cobertas pelo Citfor
29 - Parangaba Náutico
30 - Siqueira Papicu – Via 13 de Maio
31 - Av Borges De Melo
132 - Av Borges De Melo
275 - Pici Unifor
315 - Messejana Parangaba

READ MORE - Em Fortaleza, o trânsito atrapalha programa ''Bem na Hora''

Auto Viação Chapecó tem aprovação de 80% dos usuários

Para medir o nível de satisfação em relação ao transporte coletivo urbano praticado pela Auto Viação Chapecó, foi realizada pesquisa envolvendo usuários dos serviços prestados pela empresa. Do universo de usuários entrevistados, 59,7% utilizam o transporte coletivo para o trabalho, 14% para freqüentar o estudo e em torno de 8% para efetuar compras. A maioria faz uso dos ônibus da Auto Viação Chapecó duas vezes por dia e 18% por quatro vezes no dia.
Na pergunta se o número de viagens atende às expectativas, 69% responderam que sim. Em relação à limpeza e higienização dos ônibus, 80% dos entrevistados deram nota entre 7 a 10 para o serviço de conservação desenvolvido pela Auto Viação. Sobre os novos modelos de abrigos de ônibus, 76,6% assinalaram notas de 9 e 10.
Outro dado que revela o alto nível de satisfação com os serviços da Auto Viação é de que 90% dos usuários, se sentem seguros nos coletivos urbanos da empresa. A pesquisa também perguntou aos usuários sobre a construção do novo Terminal Urbano de Passageiros e 80% responderam que representa mais conforto e segurança para os usuários e salientaram o aspecto de ser mais moderno e bonito. Do universo de entrevistados, 100% disseram que a empresa onde trabalham fornece vale transporte, numa demonstração de cumprimento da legislação pelos empresários.
Para o diretor Comercial da Auto Viação Chapecó, João Carlos Scopel, “o elevado índice de satisfação manifestado pelos usuários é resultado da qualidade dos serviços realizados e do comprometimento dos colaboradores e qualificação dos motoristas e auxiliares de bordo”.
READ MORE - Auto Viação Chapecó tem aprovação de 80% dos usuários

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960