Usuários reclamam da retirada de duas linhas de ônibus na Grande Recife

terça-feira, 25 de agosto de 2009


Moradores de Pau Amarelo e Nossa Senhora do Ó, em Paulista, devem ir à promotoria do município esta tarde. Eles vão reivindicar na Justiça a decisão do Grande Recife Consórcio de Transporte, que retirou duas linhas de ônibus do terminal de Pau Amarelo. De acordo com o aposentado Givanildo de Souza, 62 anos, as linhas Pau Amarelo/Conde da Boa Vista e radial Pau Amarelo não partem mais do local. “Para ir até à cidade é preciso se dirigir até o novo terminal ou à PE-001”, contou.
Ainda segundo o morador, as linhas extintas fazem falta e atrapalhou a vida de muitas famílias. “Minha mulher faz faculdade à noite e foi prejudicada. Antes ela pegava apenas um ônibus para voltar e descia na porta de casa. Agora, ela tem que descer no novo terminal e pegar outro coletivo. Ela chega quase meia noite, todo dia”, declarou.
Quem também não estava satisfeita com a mudança foi a funcionária pública Josilene Assunção, 44. Ela reclamou da demora na hora da troca de coletivo. “Quando eu pegava apenas um ônibus já gastava uma hora e meia para chegar ao trabalho, no Cais do Apolo, no Recife. Agora em diante, vou ter que acordar mais cedo para poder o ônibus rápido e não chegar atrasada”, afirmou.
A população disse que o Grande Recife avisou sobre as mudanças na véspera da inauguração do Terminal Integrado. “Eles colaram alguns cartazes nas paredes do terminal de Pau Amarelo na última sexta-feira. Não deu tempo ninguém se programar”, lembrou Givanildo.
De acordo com o gerente de fiscalização do Grande Recife, Mário Sérgio, todas as medidas foram feitas com o apoio da comunidade. “Ficou acertado que a linha Pau Amarelo/Conde da Boa Vista seria extinta. No lugar dela, foi criada a linha Paulista/Conde da Boa Vista, que sai do novo terminal. Já a linha radial Pau Amarelo foi desviada para a PE-001”, explicou.
O gerente de fiscalização acrescentou ainda que o usuário que sai do Terminal de Pau Amarelo para o sistema integrado paga apenas uma passagem. “Eles tiveram um ganho tarifário. Antes eles pagavam duas passagens anel ‘B’, para ir e voltar. Com a mudança, eles pagam uma tarifa ‘B’ e uma ‘A’”, lembrou.
READ MORE - Usuários reclamam da retirada de duas linhas de ônibus na Grande Recife

Reclamações do transporte avançam 200% em São Paulo


As reclamações por causa do transporte coletivo de São Paulo aumentaram 200% no segundo trimestre deste ano, conforme relatório divulgado na segunda-feira, 24, pela Ouvidoria-Geral do Município. Apesar do crescimento, o líder de reclamações é o setor de Saúde, com 717 queixas. Campeão histórico das queixas dos paulistanos, o item das falhas na iluminação pública ficou, pela primeira vez em cinco anos, em segundo lugar na lista, com 571 notificações.
No total, houve 4.196 ocorrências registradas de abril a junho de 2009. Segundo a Ouvidoria, que atende diretamente pelo telefone 0800-175717, é mantida uma "agenda propositiva" junto a diversos órgãos públicos para o encaminhamento das reclamações.
Apesar de liderarem as notificações, as queixas sobre o mau atendimento, conforme a Ouvidoria, permaneceram estáveis na comparação com o segundo trimestre (abril a junho) de 2008, quando foram registradas 718 reclamações. Se levada em conta essa comparação, as queixas sobre iluminação foram as que mais caíram - 53% a menos (de 1.226 para 571) -, enquanto transporte público e jardinagem foram os itens que mais deram dor de cabeça aos paulistanos: tiveram, respectivamente, um crescimento de 200% e 119%.
O transporte, que recebeu 71 reclamações de abril a junho de 2008, teve 213 registros em 2009.De acordo com informações da Ouvidoria, das 717 reclamações sobre qualidade no atendimento, 359 se referem à Secretaria da Saúde, seguida pela Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, com 58, e pela São Paulo Transporte (SPTrans), com 56.
READ MORE - Reclamações do transporte avançam 200% em São Paulo

Circular quer que o preço da passagem passe dos atuais R$ 2,10 para R$ 2,50 em Marília-SP


Onze membros do Conselho do SAF (Sistema Auxiliar de Fiscalização do Transporte Coletivo) se reúnem nesta quarta-feira pela manhã para votar contra ou a favor do aumento no preço das passagens de ônibus em Marília.
Conselho deve ponderar os dados apresentados pela Empresa Circular e decidir se o valor da tarifa permanece ou não. Circular quer que o preço da passagem passe dos atuais R$ 2,10 para R$ 2,50.
Membros do Sistema ouvidos pelo Diário se mostram contrário ao reajuste e a qualquer aumento. Intenção é votar pela manutenção da atual tarifa. Segundo eles, além do valor alto, o transporte não corresponde às expectativas.
É o que diz o representante dos trabalhadores, Maurílio Alvim. Segundo ele, os R$ 2,50 são demais para os usuários do transporte e ressalta que é preciso discutir também os custos apresentados.
“Quero saber com quais bases a empresa solicita este aumento. Para mim, R$ 2,10 está mais do que bom”.
Ideia que também partilha o representante dos estudantes secundaristas no Conselho, Renato Gumiero Muta. Para ele, o reajuste é absurdo. “O transporte deve ser acessível à população”, fala.
Renato destaca que o preço atual está bom pelo serviço prestado e que um aumento irá onerar demais para quem precisa do ônibus. “Serão, no mínimo, R$ 5 por dia. É muito caro para quem sobrevive com um salário”.
Leonor Selequim, 55, doméstica: “Acho muito ruim um aumento. É um abuso. Já está difícil pagar os R$ 2,10 e o transporte não compensa. A gente só tem demora além da lotação constante”
Odete Galácio, 41, doméstica: “É um absurdo aumentar o preço da passagem. O transporte em Marília, desse jeito, vai custar mais caro que em São Paulo. R$ 2,10 é suficiente”
READ MORE - Circular quer que o preço da passagem passe dos atuais R$ 2,10 para R$ 2,50 em Marília-SP

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960