Uberaba - MG: Projeto propõe monitorar ônibus de transporte coletivo

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Sistema de monitoramento do transporte coletivo foi implantado no Paço da Câmara Municipal de Uberaba. O sistema foi apresentado pelos vereadores republicanos Almir Silva e Samuel Pereira. Segundo o vereador Almir Silva, autor da indicação 271/2009 juntamente com Samuel Pereira, "o monitoramento é importante, pois facilita a vida dos usuários dos coletivos, que poderão acompanhar o andamento dos ônibus, bem como cobrar possíveis falhas". Pereira destacou que o sistema colocado na Câmara precisa ser utilizado pela população. "Todos podem acessar, basta vir aqui na Câmara. Temos uma pessoa treinada para poder ajudar a todos que vierem", observa. Todos os ônibus da frota estão monitorados e disponibilizados no monitor, assim os usuários do transporte público podem acompanhar a hora de saída e de chegada do coletivo em tempo real. Para que o sistema de monitoramento fosse disponibilizado à população, a Câmara adquiriu aparelho de televisão. A ideia dos vereadores é que o Paço é central, o que facilitará a vida dos uberabenses. Terminal - Os vereadores ainda ressaltaram a necessidade do terminal de ônibus. Segundo eles, uma cidade com mais de 300 mil habitantes precisa dar mais conforto aos seus cidadãos. Almir disse que o trânsito de Uberaba tende a se complicar cada vez mais, visto o grande número de carros. "Penso que a população uberabense precisa olhar com carinho a possibilidade de utilizar o transporte coletivo, mas para que isso aconteça é necessário dar dignidade aos usuários, e somente com terminal central e subterminais espalhados pela cidade poderemos conseguir isso. Tenho certeza de que isso fará a diferença no trânsito de Uberaba", diz Silva. (MGS)
READ MORE - Uberaba - MG: Projeto propõe monitorar ônibus de transporte coletivo

Fortaleza: Vales-transporte de papel não serão válidos

Os vales-transporte que ainda estão sendo comercializados em papel serão integralmente substiuídos pelo cartão eletrônico com créditos, de acordo com o Sistema Metropolitano de Fortaleza. A partir desta sexta-feira, 31, somente os Cartões Vale Transporte Eletrônico (VTE) serão aceitos nos veículos e bilheterias que compõem o Sistema Regular de Transportes Coletivos de Fortaleza e sua Região Metropolitana. A substituição do vale transporte em papel para o vale transporte eletrônico (VTE) vem sendo realizada pelo Sindiônibus desde 2004 como forma de aumentar os requisitos de segurança e garantir a integridade física dos passageiros. Atualmente, o VTE já é usado por mais 600.000 usuários em toda Região da Grande Fortaleza (Sistemas Urbano e Metropolitano de Transportes Coletivos).
READ MORE - Fortaleza: Vales-transporte de papel não serão válidos

Alagoas: SMTT explica licitação de coletivos na capital

O superintendente da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), coronel Coutinho, disse voltou a afirma que a licitação irá ocorrer, e se faz necessária para garantir melhores condições de acesso e uso dos coletivos pela população. Segundo Coutinho, está sendo feito um estudo para diagnosticar melhor o sistema de transporte coletivo na capital alagoana.“Depois do estudo será possível definir melhor a quantidade de linhas disponíveis, os locais onde há carência de veículos, quantidade de passageiros, onde existe maior fluxo de pessoas que usam o transporte de massa”. Depois desse estudo será possível que a Prefeitura de Maceió, através da SMTT, cobre das empresas de ônibus melhores condições na prestação do serviço para a população. Ele lembra que Maceió está em fase de expansão imobiliária e que todos os dias um novo condomínio habitacional é inaugurado. “Temos que expandir as linhas de ônibus porque todos dos dias são inaugurados conjuntos habitacionais, novas escolas, o que necessita de um maior número de ônibus em determinadas regiões da capital”, afirma Cotinho.

Licitação
Uma ação civil do Ministério Público Estadual (MPE), obriga a realização de um processo seletivo de empresas, que nunca foi realizado. Hoje, nove empresas circulam na cidade. Segundo Coutinho, o processo de licitação está em curso. Em Maceió, existem atualmente 730 ônibus. A passagem de ônibus custa R$ 2.
READ MORE - Alagoas: SMTT explica licitação de coletivos na capital

Cuiába: Cartazes convocam a não usar ônibus

Um movimento “sem pai” organizado há alguns dias pretende mobilizar os usuários do transporte coletivo de Cuiabá a promover uma greve geral. A intenção é pressionar a administração municipal para a redução da tarifa dos ônibus, taxada em R$ 2,30 no último dia 12. Foram fixados, nos principais e mais visitados pontos de ônibus, cartazes pedindo à população para deixar de utilizar o transporte coletivo por hoje. “1ª Greve Geral dos Passageiros do Transporte Urbano de Cuiabá: contra R$ 2,30. Segurança e mais respeito aos usuários do transporte coletivo. Não use o ônibus neste dia 31 de julho”, pede o cartaz. Para a presidente da Associação dos Usuários do Transporte Coletivo de Mato Grosso, um movimento deste tipo, sem identificar os organizadores, gera descrédito. “A população já é apática com as mobilizações estruturadas, ainda mais com uma sem qualquer identificação de origem. Tem tudo para não dar certo”, afirma Marleide, também membro do Conselho Estadual de Defesa do Consumidor.
Apesar de acreditar que o movimento não terá muitos adeptos, os usuários apoiaram a iniciativa, salientando que deveria ser mais organizado. “É um absurdo o valor que a gente paga pelo transporte. Eu mesmo pago quase R$ 5 por dia por um ônibus que não passa no horário, vive lotado e, muitas vezes, nem para no ponto”, reclamou Vera. O próprio secretário de Trânsito e Transporte de Cuiabá, Edivá Alves, disse considerar a tarifa cobrada na Capital cara. “O valor da tarifa deveria consumir menos do salário do trabalhador. Quem recebe um salário líquido de R$ 400, por exemplo, gasta mais de 10% com transporte coletivo. Isso, se considerarmos que ele trabalhe só de segunda-feira a sexta-feira”, exemplificou. Conforme Alves, existem meios que possibilitam a redução da tarifa como, desoneração dos impostos sob o transporte e a distinção da responsabilidade sob a gratuidade dos estudantes. “47% da gratuidade dos estudantes de Cuiabá são oriundos da rede estadual de ensino e o Estado não custeia isso”, disse. “Com a retirada dos impostos sob o transporte por parte dos governos federal e estadual, a nossa tarifa já cairia para R$ 1,65”.
READ MORE - Cuiába: Cartazes convocam a não usar ônibus

Brasília: 50 micro-ônibus fora das ruas

Um ano após a implantação dos micro-ônibus no sistema de transporte público do Distrito Federal, os passageiros ainda enfrentam problemas.
Ontem, moradores do Paranoá e de Sobradinho ficaram a pé depois que a Justiça determinou a apreensão de 50 veículos da Cooperativa Brasiliense de Transportes Autônomos Escolares (Coobrataete) por falta de pagamento do financiamento ao Banco de Minas Gerais (BMG).
Nem mesmo o valor da outorga de permissão para circular foi pago à Secretaria de Transporte do DF por todas as empresas responsáveis pelos coletivos.
Rodam no DF 450 micro-ônibus. De 300 deles, o GDF não recebeu pelo menos uma parcela do valor da concessão. A dívida aos cofres públicos já chega a
R$ 6,8 milhões. A Cooperativa do Transporte Público Alternativo do DF (Coopertran) e a de Transporte Alternativo do Recanto das Emas (Cootarde) estão com parcelas atrasadas há 60 dias.
“Elas podem ter a concessão cancelada, mas enfrento um dilema, porque não posso deixar a população sem os micro-ônibus”, explica o secretário de Transporte, Aberto Fraga. Uma opção seria prorrogar o prazo para o pagamento. “Mas é cedo para definir”, pondera Fraga.
A Coobrataete possui dois lotes de micro-ônibus, com 50 veículos cada um. O pagamento do primeiro lote está em dia com o banco, mas não com o governo. A dívida é de R$ 5 milhões.
READ MORE - Brasília: 50 micro-ônibus fora das ruas

Amapá: discriminação contra idosos e portadores de deficiência nos transportes coletivos

As empresas do Sistema de transporte coletivo de Macapá terão 45 dias para cumprir a Recomendação da Promotoria de Justiça da Cidadania de Macapá
O Ministério Público do Amapá se reuniu com representantes das empresas de transporte coletivo para a assinatura da Recomendação nº 006/2009. O documento busca garantir o direito dos idosos e das pessoas portadoras de deficiência física com relação à gratuidade do transporte coletivo urbano.
A Recomendação foi editada pela Promotoria de Justiça da Cidadania de Macapá, após o recebimento de inúmeras denúncias de discriminação praticada por motoristas da capital contra pessoas que, por Lei, têm direito à gratuidade no uso do transporte.“Os representantes das empresas de transporte coletivo deverão orientar os motoristas e demais funcionários, através da realização de eventos, para que se abstenham de praticar qualquer forma de discriminação contra pessoas idosas e pessoas portadoras de deficiência, sem prejuízo de outras condutas que se evidenciem discriminatórias”, destacou a autora da recomendação, promotora de Justiça substituta Fábia Nilci.
A recomendação prevê ainda o cumprimento do Estatuto do Idoso e a execução de cursos de capacitação para motoristas, fiscais e cobradores, a fim de que respeitem os direitos dos idosos e pessoas com deficiência. O prazo para cumprimento é de 45 dias. Segundo Renato Horácio Ramos, diretor executivo do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amapá (SETAP), será elaborado um projeto para confecção de um cartão com chip para que essas pessoas passem pela catraca dos ônibus com acesso livre, oportunizando inclusive dados estatísticos à Empresa Municipal de Transportes Urbanos (EMTU) e ao SETAP.
READ MORE - Amapá: discriminação contra idosos e portadores de deficiência nos transportes coletivos

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960