Curitiba: Reformados, terminais oferecem mais conforto e segurança

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Os terminais de transporte de Curitiba estão ficando mais bonitos, mais seguros e mais confortáveis. Dos 21 terminais da cidade, sete foram reformados, 11 estão em fase final de obras, um, o terminal do Hauer, está em licitação e outro, o do Cabral, já com edital de licitação, faltando apenas o terminal Capão da Imbuia que será reconstruído em local próximo, obra para a qual a prefeitura vem buscando financiamento.Em maio deste ano, o prefeito Beto Richa entregou à comunidade a nova ala do Terminal Pinheirinho, uma ampliação em 40% da capacidade do terminal por onde passam, diariamente, em torno de 130 mil pessoas.
A obra, um investimento de R$ 4,4 milhões, faz parte do projeto de implantação da Linha Verde que incluiu a implantação de mais uma linha do sistema Expresso, a Pinheirinho-Carlos Gomes.Na semana passada a Urbs, Urbanização de Curitiba S/A concluiu a reforma de seis terminais de transporte - Barreirinha, Centenário, Santa Felicidade, Bairro Alto, Fazendinha e Sítio Cercado - e a previsão é que outros 11 estejam prontos até agosto, no maior projeto de reforma de terminais implantado desde o início de construção destas unidades, na década de 80.O investimento, nestes 17 terminais, é de R$ 9,6 milhões, recursos viabilizados pelo Programa de Mobilidade Urbana (Pró-Mob) do Ministério das Cidades, que aprovou projeto feito pela Urbs para revitalização dos equipamentos.Em obras - Estão em reforma, com previsão de entrega até agosto, Boa Vista, Boqueirão, Caiuá, Campina do Siqueira, Campo Comprido, Capão Raso, Carmo, CIC, Oficinas, Portão e Santa Cândida. O projeto prevê, em todas as unidades – incluindo as que já estão prontas – melhoria da acessibilidade, ampliando a segurança de acessos e pontos de circulação, com implantação de guias rebaixadas, rampas de passeio, nova pintura de sinalização, faixas elevadas de travessia e elevadores.As instalações sanitárias para deficientes estão sendo reformadas e, em alguns terminais, reconstruídas. Além da limpeza da cobertura, todos os terminais estão passando por reformas na estrutura metálica dos telhados, consertos de calhas e melhorias na parte elétrica.

READ MORE - Curitiba: Reformados, terminais oferecem mais conforto e segurança

Curitiba: Linha Turismo

Segundo a Prefeitura de Curitiba, com os novos ônibus de dois andares incluidos na frota, a Linha Turismo registrou um aumento de 60% no número de passageiros. Nas duas primeiras semanas do mês, 16 mil pessoas passearam nos novos ônibus, contra 10 mil que usaram a linha no mesmo período de 2007.O crescimento da demanda é visivel, basta olhar os ônibus que passam pelas ruas e logo percebemos que estão sempre cheios de passageiros, diz o presidente do Instituto Municipal de Turismo, Luiz de Carvalho. Os novos ônibus são uma realidade bem sucedida em nossa cidade e foram aprovados por turistas estrangeiros, de outros Estados do Países e também pelos curitibanos, acrescenta Carvalho.Os novos ônibus têm o dobro da capacidade dos antigos ônibus do modelo Jardineira e o número de bancos aumentou de 32 para 66. Os veículos circulam por 40 quilômetros e passam por 25 pontos turísticos da cidade. O preço da passagem é de R$ 16 e dá o direito a três reembarques durante a viagem. O piso superior dos novos ônibus fica ao ar livre, proporcionando uma vista panorâmica do trajeto.
READ MORE - Curitiba: Linha Turismo

São Paulo: Lançado o 1º ônibus movido a hidrogênio da América Latina

Foi lançado nesta quarta-feira (1º/7) o primeiro ônibus movido a hidrogênio da América Latina. O ônibus ecológico permite que o veículo devolva ao meio ambiente vapor de água ao invés de resíduos poluentes. O protótipo do ônibus circulará em testes com passageiros na Região Metropolitana de São Paulo a partir de agosto deste ano. Outros três veículos iguais a esse serão incluídos no sistema a partir de 2010.O governador do Estado de São Paulo, José Serra, entregou oficialmente o primeiro ônibus a hidrogênio na sede da EMTU/SP (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), em São Bernardo do Campo (SP). Ele ressaltou que o Brasil passa a fazer parte de um seleto grupo de cinco países que dominam a tecnologia e que têm ônibus movidos a hidrogênio. “Também é importante salientar que nós somos o único, entre estes países, que detém uma tecnologia híbrida, como segunda opção para o ônibus a hidrogênio: a eletricidade”, afirmou o governador.Participaram do evento o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella Pereira, e o presidente da EMTU, Julio de Freitas Gonçalves. Também estiveram presentes na cerimônia o Diretor do Departamento de Gás Natural do Ministério de Minas e Energia, Marco Antônio Martins Almeida; os representantes do Global Environment Facility (GEF), Zhihong Zhang, e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Carlos Castro; o diretor da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) Laércio de Sequeira; o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, entre outros.A EMTU/SP é a coordenadora nacional do projeto, que tem direção do Ministério das Minas e Energia e conta com recursos do GEF, aplicados por meio do PNUD e do Finep. O projeto e a fabricação do ônibus foram desenvolvidos por um consórcio formado por oito conceituadas empresas, nacionais e internacionais, coordenado pela EMTU/SP.Com a construção do primeiro veículo deste tipo na América Latina, o Brasil passa a ter posição global de destaque ao lado dos Estados Unidos, da Alemanha e da China, por deter a tecnologia e a capacidade de fabricar um ônibus de transporte de passageiros com o uso desse combustível. O projeto prevê a fabricação de mais três veículos, mais a montagem da estação de produção de hidrogênio e abastecimento dos ônibus, em São Bernardo do Campo, com o apoio técnico da Petrobrás, da BR Distribuidora e da AES Eletropaulo.
READ MORE - São Paulo: Lançado o 1º ônibus movido a hidrogênio da América Latina

BH: Transporte rápido para Copa de 2014

De olho na Copa do Mundo de 2014, a Prefeitura de Belo Horizonte importará d e Bogotá (Colômbia) e de Curitiba (PR) o chamado sistema de transporte rápido para ônibus, mais conhecido como BRT (sigla em inglês para Bus Rapid Transit). O projeto, orçado em R$ 675 milhões, melhorará o fluxo do transporte coletivo nas Avenidas Antônio Carlos, Carlos Luz, Pedro I e Pedro II. Os quatro corredores foram escolhidos porque, além de receberem milhares de motoristas e passageiros diariamente, são as vias de acesso ao estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão. A principal intervenção do programa é a instalação de pistas exclusivas para ônibus, mas com adaptações bem melhores do que as do modelo busway, cujo exemplo na capital é a Cristiano Machado. Já na nova modalidade, os passageiros pagam a tarifa antes de entrar no ônibus e o embarque ocorre em estações ao longo do trajeto. Estas medidas evitam o "congestionamento" nas roletas e permite que o coletivo fique parado por menos tempo no ponto. Os usuários também ficam sabendo quantos minutos vão esperar pelo próximo carro, pois todos são equipados com GPS. As plataformas de embarque estarão no mesmo nível da porta dos coletivos, o que eliminará, principalmente para os deficientes físicos e idosos, o desconforto de subirem escadas ou ficarem reféns dos elevadores dos ônibus. Estes e outros detalhes do BRT na cidade serão apresentados pelo presidente da BHTRANS, Ramon Victor Cesar, no 22º Seminário da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). A Prefeitura destinará R$ 500 milhões para o sistema Antônio Carlos/Pedro I, que deve ficar pronto até o fim de 2012, e outros R$ 175 milhões para o Carlos Luz/Pedro II, que será inaugurado até 2014. "O número de estações ainda não está definido. Estamos analisando quatro propostas de empresas que vão fazer o projeto. Daqui a um mês devemos assinar o contrato com a vencedora. Ela desenvolverá o projeto em nove meses, definindo quantas estações e onde elas estarão", explica Ramon, acrescentando que o dinheiro do ramal Antônio Carlos/Pedro I inclui a terceira etapa de duplicação dos corredores. O município já tem a verba em caixa, mas pretende conseguir mais dinheiro junto aos governos federal e estadual para fazer adaptações em outras vias, como a Cristiano Machado, Senhora do Carmo e Amazonas. A BHTRANS não adiantou quais projetos pretende implantar na Cristiano Machado e Senhora do Carmo. Por enquanto, o foco principal da empresa é terminar, em abril de 2010, a duplicação da Antônio Carlos e iniciar o alargamento da Pedro I. Esta BRT é considerada a intervenção mais importante para a Copa. Ela terá 27 quilômetros, do Bairro Lagoinha à estação Vilarinho do metrô, em Venda Nova, e contará com a ajuda de seis viadutos sobre a Antônio Carlos. As novas pontes, que serão construídas em parceria com o estado, ao custo de R$ 250 milhões, darão nova paisagem às Ruas Rio Novo, Araribá e dos Operários. Outra será erguida em frente ao conjunto IAPI. Estas quatro serão inauguradas até o fim de 2010. Já a quinta e a sexta só ficarão prontas a partir de 2011.
READ MORE - BH: Transporte rápido para Copa de 2014

Linhas metropolitanas têm novo itinerário no centro de Campinas

Por conta da interdição de vias, pela Prefeitura de Campinas, para as obras do corredor de ônibus e dos miniterminais municipais na área da Rótula Central da cidade, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos – EMTU/SP modificará o trajeto de diversas linhas intermunicipais na região, a partir de sábado, dia 18/07. A Prefeitura prevê que os desvios de tráfego permanecerão até novembro deste ano.Os usuários serão informados sobre as alterações por meio de cartazes que serão afixados nos ônibus das linhas afetadas pela interdição. Também poderão obter informações na Ouvidoria da EMTU/SP – 0800.724 0555 – que funciona de segunda a sexta-feira, das 7 às 19 horas.
READ MORE - Linhas metropolitanas têm novo itinerário no centro de Campinas

Aracaju: Recadastramento de cartões escolares já começou

No período de 1° de julho a 30 de setembro, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju – SETRANSP – estará realizando as operações de cadastramento, recadastramento e atualização de cartões Mais Aracaju Escolar. Confira abaixo caso a caso.

CADASTRAMENTO: aos alunos interessados em possuir a 1a via do cartão escolar, devem procurar a secretaria da escola munido da documentação necessária - formulário que se encontra disponível nas escolas e no site http://www.maisaracaju.com.br/ devidamente preenchido, foto 3x4, cópia da carteira da identidade do usuário do cartão (caso o estudante não tenha R.G vale a certidão de nascimento) e um comprovante de residência dos últimos seis meses, que pode ser uma conta de luz, água, telefone, celular, extrato de cartão de crédito ou bancário.
O comprovante deve estar no nome do estudante. Caso não existam documentos no nome do aluno, vale um no nome do pai, mãe, irmão ou avós (ou seja, do responsável legal). Mas aí é preciso anexar também a cópia do R.G do responsável. Se também não houver nenhum comprovante de residência no nome de um responsável legal, o estudante deve solicitar, na escola, um comprovante de matrícula ou declaração que conste o endereço.
Com tudo isso em mãos, basta entregar na secretaria da escola que ficará responsável por encaminhará a documentação à SMTT, que repassará ao SETRANSP para a confecção das carteiras. O prazo de resgate dos cartões é de 30 dias úteis após a chegada do material ao sindicato.

RECADASTRAMENTO: os alunos que perderam o prazo do primeiro semestre, devem procurar qualquer um dos nossos postos de recarga munido de toda documentação necessária e obrigatoriamente do seu cartão escolar. A documentação exigida é: formulário carimbado e assinado pela diretoria, cópia da carteira da identidade do usuário do cartão (caso o estudante não tenha R.G vale a certidão de nascimento) e um comprovante de residência atualizado e em nome do estudante (caso não haja, veja as opções contidas no item CADASTRAMENTO).

READ MORE - Aracaju: Recadastramento de cartões escolares já começou

São Paulo: Crianças com deficiência ganham transporte especial

A Secretaria de Estado da Educação assina hoje, dia 07/07, convênio com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, EMTU/SP, para a criação do Serviço Especial de Transporte Conveniado - “Ligado”. O novo serviço visa atender às pessoas com deficiência, na modalidade porta a porta. Nessa primeira fase transportará alunos autistas que freqüentam as escolas da rede estadual de ensino e entidades assistenciais como a Associação Amigos dos Autistas - AMA e Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD. Serão 400 pessoas transportadas entre alunos e acompanhantes até o segundo semestre deste ano. A ideia é prestar atendimento às pessoas dos programas de governo ligados às áreas da educação, saúde, cultura e lazer, por meio de contrato firmado diretamente com a EMTU/SP. Na primeira etapa o serviço, operado por 52 micro-ônibus, será executado pelos motoristas autônomos credenciados na Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos e que têm o Certificado de Registro de Operação.

Política de acessibilidade
O convênio firmado com a Secretaria de Estado da Educação vem ao encontro da política de acessibilidade da EMTU/SP, que conta com vários serviços e projetos para propiciar às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida transporte e deslocamentos seguros e eficientes. O processo de concessão das linhas intermunicipais metropolitanas na Região Metropolitana de São Paulo viabilizou um aumento substancial de ônibus adaptados para as pessoas com deficiência, uma exigência do edital na concorrência pública que também será feita da região do ABC e nas Regiões Metropolitanas da Baixada Santista e de Campinas. Em São Paulo, já operam mais de 1.000 ônibus adaptados para transportar as pessoas com deficiência, o equivalente a 21% do total de veículos do transporte metropolitano.

Gratuidade e conforto
Há também o benefício da Carteira de Identificação do Passageiro Especial que garante a esses usuários a isenção do pagamento da tarifa nas linhas intermunicipais metropolitanas. Neste ano, 45 mil pessoas utilizam a carteira, considerando as três Regiões Metropolitanas de São Paulo (São Paulo, Baixada Santista e Campinas). Particularmente em São Paulo, há uma parceria com o Consórcio Metropolitano de Transporte que criou o BOM Especial, um cartão eletrônico que facilita a mobilidade dos usuários que podem passar pela catraca e utilizar os bancos reservados na parte traseira do ônibus.
READ MORE - São Paulo: Crianças com deficiência ganham transporte especial

Fortaleza: Recuperação da Osório de Paiva beneficia usuários de três terminais

Seis equipes da Operação Tapa-Buracos, da Prefeitura de Fortaleza, atuam na avenida Osório de Paiva, corredor de acesso os terminais de ônibus Parangaba, Siqueira e Lagoa. Com a recuperação total da via, onde circulam 47 linhas, mais de 260 mil usuários do transporte público serão beneficiados. Esta semana, a Operação atua ainda em pontos como Praia do Futuro, Beira-Mar e Praia de Iracema, além dos corredores comerciais do Centro, tendo em vista o aumento do fluxo de veículos por conta do período de férias.

Confira as linhas de ônibus que circulam na Osório de Paiva:

025-Opaia/Lagoa
027-Siqueira/Papicu/Aeroporto
029-Parangaba/Náutico
030-Siqueira/Papicu/13 de Maio
038-Parangaba/Papicu
050-Siqueira/Messejana/Papicu
051-Grande Circular I
052-Grande Circular II
067-Lagoa/Albert Sabin
069-Via Expressa/Lagoa
070-Clube de Regatas/Parangaba
077-Parangaba/Mucuripe
078-Siqueira/Mucuripe
319-Parque São José/Osório de Paiva
320-João XXIII/Centro
322-Granja Portugal/Lagoa
329-Parque Santa Rosa/Siqueira
330-Cj Esperança/Siqueira
331-Cj Esperança/Centro
332-Siqueira/Lagoa
333-Bom Jardim/Centro
334-Mondubim/Siqueira I e II
335-Bom Jardim I
336-Parque Santa Cecilia I
337-Jardim Jatobá/Siqueira I
338-Canindezinho342-Parque São Vicente
345-Cj Ceará/Siqueira
346-Jardim Fluminense
351-Joquei/Bonsucesso
352-Bonsucesso/Joquei
355-Siqueira/José Bastos
360-Siqueira/João Pessoa
361-Siqueira/Osório de Paiva/Parangaba
362-Siqueira/Vila Manoel Sátiro/Parangaba
363-Vila Manoel Sátiro/Centro
366-Bom Jardim II
369-Parque Santa Rosa/Parangaba
376-Parque Santa Cecilia II
378-Canindezinho/Urucutuba
381-Santa Maria/Siqueira
382-Parque Jerusalém
384-Parque Santana
386-Planalto Granja Lisboa I e II
387-Jardim Jatobá/Centro
390-Av. João Pessoa
397-Jardim Jatobá/Siqueira II
READ MORE - Fortaleza: Recuperação da Osório de Paiva beneficia usuários de três terminais

São Paulo: Com frota menor, lotações espremem usuários

As lotações da capital têm justificado o nome. De tão cheias, é difícil embarcar em alguns dos micro-ônibus da SPTrans (empresa da prefeitura que cuida do transporte público) na periferia. A frota está 8% menor do que há três anos (perdeu quase 500 veículos), mas há 6 milhões de passageiros transportados a mais do que em 2006.
'Cresce oferta de lugares', diz SPTrans
Esse quadro provoca, diariamente, cenas que colocam os usuários em situações pouco dignas. Os passageiros têm de esperar por dois ou às vezes três micro-ônibus para embarcar. A opção é dar o bilhete único para o cobrador, pedir para outro passageiro girar a catraca e entrar por trás dos veículos, onde a disputa por espaço é menos pior.
Não que a briga seja apenas para entrar nos veículos. A capacidade deles, em geral, é de 33 pessoas, menos da metade do que um ônibus comum. Com corredor mais estreito, o passageiro corre o risco de não descer onde quer, porque não consegue se movimentar dentro do coletivo.
Todo o transporte público da capital - lotações e ônibus comuns - funciona com menos veículos do que há três anos, conforme o Agora publicou em maio. A justificativa da gestão Gilberto Kassab (DEM) para o quadro é que não houve queda de assentos, porque os ônibus antigos foram substituídos por veículos maiores, articulados ou biarticulados. Mas a maior parte da redução de veículos foi nas lotações - que entram em ruas onde os ônibus não cabem.

Mais gastos
Apesar de contar com quase 500 ônibus a menos, a prefeitura tem gasto mais verba para manter essa frota rodando. Era perto de R$ 100 milhões em maio de 2006. Em maio último, foram R$ 180 milhões. Parte desse custo extra é explicado pelo congelamento da tarifa. Em novembro de 2006, a passagem passou de R$ 2 para os atuais R$ 2,30. Manter a tarifa congelada até o fim do ano foi uma promessa do prefeito Kassab.
Especialistas dizem que os micro-ônibus são uma saída interessante para o transporte público. Eles vão aonde ônibus maiores têm dificuldade. Mas é preciso colocar cada veículo no lugar adequado.
"Há espaço para todos os tipos de ônibus. Os biarticulados, nos corredores e em avenidas com grande demanda concentrada; ônibus de menor porte, em locais de difícil acesso ou aonde não se dirigem ônibus grandes. Cabe à administração pública locar o equipamento certo para atender, com a mesma qualidade, a população", diz o professor de engenharia de trânsito Heitor Kawano, da FEI.
READ MORE - São Paulo: Com frota menor, lotações espremem usuários

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960