Florianópolis: Transporte pode parar de novo

segunda-feira, 8 de junho de 2009

A paciência da população se aproximou do limite ontem com a paralisação de duas horas dos ônibus da Capital. Reféns de uma disputa entre empresários e motoristas e cobradores, muitas pessoas falaram em agredir trabalhadores do transporte coletivo, fechar a Avenida Paulo Fontes e queimar ônibus. Nenhuma das ameaças, no entanto, foi concretizada.A falta de anúncio sobre a paralisação irritou a população porque impediu as pessoas de se programarem. Motoristas e cobradores começaram a paralisação às 9h15min, quando informaram aos passageiros que os ônibus não sairiam mais do Terminal Integrado Central (Ticen). Milhares de pessoas se amontoaram nas imediações do terminal sem a informação de que o transporte público voltaria a funcionar em duas horas. Algumas dividiram táxi, outras pegaram carona, ligaram para familiares. Logo apareceram algumas vans, mas em número insuficiente para atender a população, e cobrando R$ 5, valor acima das passagens de ônibus. O motorista do veículo MFB 8158, Deter 1060-C, cobrava este preço para levar o passageiro até o Bairro Estreito.
READ MORE - Florianópolis: Transporte pode parar de novo

Rio Branco: Fim da greve no transporte coletivo


Finalmente chegou ao fim na tarde de ontem a greve dos transportes coletivos urbanos em Rio Branco. Em uma reunião extraordinária na sede do Sindcol, patrões e empregados chegaram a um acordo e os motoristas e cobradores de ônibus deflagraram o fim da paralisação.
O movimento grevista havia sido iniciado na última terça-feira e ganhou força nos dias seguintes da semana. Ontem, pela manhã, antes de concluírem as negociações, os trabalhadores fizeram um novo protesto.
Além de pararem parte da frota, eles fecharam duas plataformas do Terminal Urbano desde as 5 horas da manhã, sendo apenas uma utilizada pelos ônibus em circulação. A iniciativa causou grande tumulto no centro de Rio Branco e transtornos para muitos passageiros.
A greve chegou ao fim somente quando os representantes das empresas São Judas, São Roque e o advogado do Sindcol, João Augusto de Freitas Gonçalves, concordaram em assinar a convenção coletiva e conceder um reajuste de 6% em forma de abono à categoria.
Mesmo com o fim da greve, os maiores prejudicados com a paralisação (a população) não serão ressarcidos. Resta torcer para que os trabalhadores e patrões encontrem outros meios de se entender em futuras negociações, pois a sociedade está cansada de “pagar o pato” toda vez que existem divergências entre empresários e servidores do serviço de transporte coletivo urbano.
READ MORE - Rio Branco: Fim da greve no transporte coletivo

Porto Alegre: Governadora libera o corredor de ônibus da Baltazar


Com a instalação da sinalização e a sincronia dos semáforos da Baltazar de Oliveira Garcia, a governadora Yeda Crusius liberou, neste sábado (06), a circulação de ônibus no corredor da avenida, concretizando uma antiga demanda da comunidade da Zona Norte de Porto Alegre. "É segurança para o transporte coletivo e para o fluxo das pistas laterais ao corredor. A população está atendida, teve paciência, e estou agradecida por todos que nos ajudaram", disse Yeda, destacando que o governo colocou como prioridade a finalização das obras. A Nova Baltazar teve investimentos de R$ 53 milhões do Estado. A governadora afirmou que o novo corredor de ônibus da Baltazar - que faz parte do Projeto Linha Rápida, da Metroplan - vai modificar o transporte coletivo e ressaltou que o resultado é uma obra segura e de qualidade. "Estou feliz em fazer a inauguração da segunda fase do projeto. Isso é uma mudança que representa o governo: da fase de desconfiança de uma promessa, para a fase de confiança da entrega de uma responsabilidade", frisou Yeda. A conclusão da Avenida Baltazar de Oliveira Garcia também contempla os moradores de Alvorada, beneficiando uma população que pode chegar a 500 mil pessoas que vivem na Zona Norte da Capital e no município vizinho. De acordo com o secretário da Habitação, Saneamento e Desenvolvimento Urbano, Marco Alba, a sinalização também integra as vias transversais e paralelas. "A circulação e o atendimento aos usuários do transporte coletivo são um dos objetivos do governo para dar qualidade e eficiência à avenida", ressaltou o secretário. A última fase da conclusão da Nova Baltazar, segundo Alba, teve recursos exclusivos do Tesouro do Estado. Antes de a obra ser assumida pelo governo gaúcho, havia pista simples e insegura, com acostamentos de chão batido e incompatíveis com as necessidades da população. Hoje, quatro a seis pistas de rolamento garantem segurança e agilidade para o tráfego e o transporte coletivo. "É um prazer relembrar meu bisavô que ficaria muito feliz em ver a transformação que estou vendo", afirmou o bisneto de Baltazar de Oliveira Garcia - que dá nome à Avenida - Celso da Silva Garcia, abraçado pela governadora. Emocionado, o aposentado Alceu Moreira, 73 anos, disse que acompanhou as modificações e destacou que as obras melhoraram 100% as condições da Baltazar. Lembrou ainda que antigamente o que hoje é asfaltado era de chão batido. "Está mais seguro o corredor de ônibus", comemorou.
READ MORE - Porto Alegre: Governadora libera o corredor de ônibus da Baltazar

Campo Grande: Corredor de ônibus terá 25 estações em 23 quilômetros


Orçado em R$ 149.845.323,50, o programa de mobilidade urbana prevê a implantação de aproximadamente 23 quilômetros de corredores do transporte coletivo em 10 vias de Campo Grande. A proposta prevê a construção de 25 estações de transferência de passageiros, reforma e ampliação de três terminais e de 500 pontos de parada de ônibus. Na tarde de hoje, no gabinete do prefeito na Esplanada dos Ferroviários, o secretário municipal de Infra-estrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco, explicou o projeto. A medida contemplará os 260 mil usuários transportados diariamente pelas cinco concessionárias do transporte coletivo. A prefeitura planeja implantar corredor do transporte coletivo nas avenidas Bandeirantes, Afonso Pena, Mato Grosso e Coronel Antonino e nas ruas 25 de Dezembro, Bahia, Rui Barbosa, 13 de Maio, 14 de Julho e Brilhante. Essas vias terão nova sinalização, recapeamento, padronização das calçadas e da iluminação pública. Neste trecho, de 23 quilômetros, a secretaria planeja implantar 25 estações de transferência de passageiros. Semelhantes ao terminal de integração em frente a Escola Estadual Hércules Maymone, as unidades terão o objetivo de dar mais agilidade ao sistema no desembarque e embarque de passageiros. Outros 500 pontos de ônibus serão implantados nos corredores e nos bairros da Capital. Cada um terá cobertura e proteção lateral, segundo o secretário de Infraestrutura. A proposta prevê ainda a reforma e ampliação dos terminais de transbordo de passageiros Morenão, Bandeirantes e General Osório. Eles terão a troca de pavimento e das instalações elétricas e ampliação da cobertura e das plataformas. De Marco justificou que as mudança visam dar mais velocidade aos veículos do transporte coletivo e mais conforto aos passageiros. Ele não soube explicar qual a velocidade atual dos veículos e qual a meta do poder público com as mudanças.
READ MORE - Campo Grande: Corredor de ônibus terá 25 estações em 23 quilômetros

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960