Natal: STTU quer GPS nos ônibus de Natal

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009


Disponibilizar na internet a localização dos ônibus por GPS é uma das propostas apresentadas pela Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito Urbano (STTU), ao Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Natal (Seturn). A idéia foi apresentada ontem, na primeira as quatro reuniões semanais, planejadas com a intenção de oferecer melhorias aos usuários. Atualmente, parte da frota dos ônibus já é monitorada por GPS. O objetivo da secretaria é que todos os carros sejam acompanhados. A partir daí, as empresas forneceriam a localização dos ônibus à STTU e estas informações seriam divulgadas online, em um site específico, através do celular ou em painéis dispostos em pontos estratégicos da cidade. Augusto Maranhão, diretor de comunicação do Seturn, afirma que a tecnologia deve ser usada em benefício do usuário e que esse será um processo gradativo. Ele explica que as empresas estão num processo de organização das linhas através do uso de GPS, visto que os carros são monitorados num sistema interno da empresa. Outra sugestão da secretaria é otimizar a comercialização dos créditos nos pontos de vendas da Seturn, ou seja, o usuário passe menos tempo nas filas para recarregar o cartão da bilhetagem eletrônica. De acordo com Augusto Maranhão, o estudante gastava em média três minutos para comprar o passe de papel e agora com o cartão, a mesma operação levará em média 20 segundos.

READ MORE - Natal: STTU quer GPS nos ônibus de Natal

Porto Velho: Empresas querem o acréscimo de R$ 0,59

Até o final deste mês, o aumento do valor nas passagens de ônibus coletivos da Capital deve ser decidido e anunciado pela Prefeitura Municipal de Porto Velho. Segundo a secretária Municipal de Transporte, Fernanda Moreira, a proposta das duas empresas que retêm a concessão do transporte público na cidade é de um acréscimo de R$ 0,59 no valor atual da passagem, que atualmente custa R$ 2, o que representa um aumento de 29,5% no custo. As empresas alegam que desde 2006, quando o último aumento foi aprovado, houve aumento de combustível e dois reajustes de salários para os motoristas e cobradores, além de gastos com manutenção e peças dos coletivos. A secretária Municipal de Transporte afirma que Porto Velho tem um dos menores períodos de utilização determinado para a troca dos ônibus coletivos da região. “A idade média da nossa frota é de cinco anos de circulação. No Acre esse tempo é de 11 anos, e em Curitiba a idade é de 10 anos de vida em circulação”, justifica.

READ MORE - Porto Velho: Empresas querem o acréscimo de R$ 0,59

Macapá: Situação do transporte público segue sem solução

Hoje a frota de ônibus que serve a população de Macapá tem, aproximadamente, 140 veículos. Esse número é muito menor nos finais de semana, quando a frota é reduzida.
De acordo com os empresários, que antes reclamavam bastante e atribuíam o aumento no valor da passagem às más condições do asfaltamento da cidade, hoje colocam a culpa no transporte clandestino. Segundo eles, a evasão de usuários no transporte coletivo causou uma queda na arrecadação, que consequentemente não ofereceu muitas alternativas para que o empresariado pudesse investir ainda mais na qualidade dos serviços oferecidos.
Atualmente, a dívida do Setap (Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos) com a Prefeitura é de R$ 3,5 milhões.
Hoje, o usuário macapaense amarga a realidade de pagar uma das tarifas mais caras do Brasil.
O problema da clandestinidade não afeta somente as empresas de ônibus, mas também os outros setores do transporte coletivo. Diante da concorrência, os usuários sugerem a redução no preço da tarifa, o que iria estimular a utilização dos ônibus.

READ MORE - Macapá: Situação do transporte público segue sem solução

Natal: Alternativos temem fim do vale de papel


A partir de primeiro de fevereiro os ônibus de Natal passam a receber a tarifa apenas por meio de cartão eletrônico ou em dinheiro, extinguindo definitivamente o vale de papel, o que pode inviabilizar de vez o sistema opcional na cidade. A informação é da presidente do Sindicato dos Opcionais de Natal (Sitoparn), Edileuza Queiroz. “Desde que iniciou a bilhetagem tivemos uma queda no número de veículos, que passou de 177 para 150 permissionários. Em fevereiro deve diminuir ainda mais. O usuário tem o direito de escolher em qual transporte vai andar, mas sem integração fica difícil”. Questionado sobre as sucessivas derrotas da STTU na Justiça, que manteve a não integração das passagens do Seturn com as do Sitoparn, o secretário Adjunto de Transportes da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito Urbano, Silvio Medeiros, explica que a situação é temporária, uma vez que a concessão das linhas de ônibus vence em 2010, quando será realizada a primeira licitação do transporte coletivo de Natal.

READ MORE - Natal: Alternativos temem fim do vale de papel

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960