Vans ainda dominam o trânsito no RIO

quarta-feira, 29 de outubro de 2008


O transporte clandestino continua dominando o trânsito de Campos, disputando passageiros nos espaços reservados a parada de ônibus. Mesmo a presença de guardas civis municipais em locais como nas imediações do Mercado Municipal, na subida da Ponte Rosinha, não intimidam os nos veículos que fazem o transporte irregular de passageiros.

De acordo com a Empresa Municipal de transportes (Emut), nos próximos dias a situação do Depósito Público Municipal — para onde serão encaminhados os veículos de transporte irregular — será resolvida, já que o pregão eletrônico, que vai definir a empresa responsável pela área, aconteceu na última quinta-feira. Segundo o presidente do órgão, José Henrique Mariz, a empresa vencedora é do Rio de Janeiro, mas as outras que disputaram o pregão entraram com um pedido de impugnação do resultado, alegando que a ganhadora não possui atestado de capacidade técnica compatível com a área. “Uma comissão da licitação está avaliando o pedido e não acredito que haja outro pregão. Nos próximos cinco dias deve sair o resultado deste pedido e, caso a empresa perca, a que ficou em segundo lugar na concorrência ganhará a concessão do depósito”, explicou ele.

O número de veículos que fazem a prática ilegal está crescendo tanto que em 10 minutos de espera no ponto de ônibus no Centro, próximo ao Alberto Sampaio, a equipe da Folha registrou ontem mais de 30 vans passando pelo local com placas indicando as mesmas linhas concedidas a empresas de ônibus, como IPS, Parque Aurora, Jóquei Clube, Goitacazes e outros.

Uma passageira que não quis se identificar e estava em frente a um ponto de ônibus no Mercado Municipal diz ter medo de pegar vans pela falta de segurança oferecida, em veículos sucateados. Mas entre ficar horas esperando o ônibus e chegar mais rápido no destino mesmo correndo riscos, a segunda opção é sempre escolhida.

A farra das vans já está chegando aos classificados dos jornais. É possível observar anúncios de vendas de veículos utilitários, inclusive com a informação de que fazem linhas de transporte de passageiros. Sobre o assunto, o presidente da Emut explicou que é pura ilegalidade. “Não há legalmente nenhuma linha cedida ao transporte alternativo”, afirmou o presidente da Emut.

Mariz diz ser necessária uma política de transporte em Campos. “Primeiro é preciso decidir o que vamos fazer com estas vans que circulam pelo trânsito da cidade. Aproveitá-las ou não no transporte público. Se a decisão for aproveitar tais vans, temos que abrir a licitação para legalizar as linhas”, falou ele.
READ MORE - Vans ainda dominam o trânsito no RIO

Até 2011, usuário poderá pagar transporte público e compras com um único cartão.

Cartão que concentra todos os benefícios, como vale-transporte, vale-refeição e vale-alimentação, já é utilizado em Fortaleza

SÃO PAULO - Um único cartão, sem senha, que concentre todos os benefícios recebidos pelo trabalhador, como vale-transporte, vale-refeição e vale-alimentação, e permite o pagamento de compras de pequeno valor, é o que propõe a Inteligensa Brasil.
A tecnologia, que em parceira com a VIVOtech e a Libercard, já está sendo implantada em Fortaleza e região metropolitana, além das cidades de Crato e Juazeiro, também no Ceará, poderá estar disponível para todo o Brasil até 2011.
"Em 2009 o sistema poderá ser encontrado em mais três capitais e até 2011 esperamos poder oferecer a tecnologia em todas as regiões do País", disse o gerente geral da Inteligensa do Brasil, Filipe Melo.
Rapidez e facilidade
Ainda de acordo com Melo, o sistema, que emprega uma tecnologia de radiofreqüência, possibilitará ao usuário maior facilidade e rapidez nas transações. "A pessoa não precisará mais carregar vários cartões, memorizar números e ainda levará um tempo bem menor para a realização destes pagamentos, na verdade, nem dois segundos."
Apesar de concentrar os benefícios em um único plástico, o gerente explica que os valores para cada benefício ficarão armazenado em sistemas distintos. Além disso, por questões de segurança, o valor máximo para cada transação será de R$ 20, em um período de duas horas. Contudo, ressalta Melo, isto é flexível e pode ser modificado futuramente.
Outros países
Estados Unidos, França, Inglaterra e Japão já possuem o novo cartão desde 2005. Nestes países, o sistema de pagamento, chamado de contact less (sem contato), além de concentrar benefícios, permite que o usuário faça pequenas recargas e as utilize para a realização de micropagamentos, substituindo assim pagamentos em dinheiro de baixo valor.
A idéia, segundo Melo, também será implantada no Brasil e pretende atingir especialmente a população de baixa renda. "Em uma segunda etapa, pretendemos expandir o mecanismo diretamente para o portador, atingindo assim especialmente àqueles que não possuem conta bancária."

READ MORE - Até 2011, usuário poderá pagar transporte público e compras com um único cartão.

Fiscalização lacra 70 ônibus semi-urbanos em Brasília-DF

Setenta ônibus semi-urbanos em condições precárias foram lacrados, na manhã de hoje, em ação realizada pelo Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), órgão da Secretaria de Transporte (Setrans). Somente neste mês, a Operação Chuva, que resolver os problemas dos veículos para evitar acidentes antes da temporada chuvosa, já tirou de circulação quase 250 veículos que fazem o transporte urbano e semi-urbano na capital federal. A ação de hoje teve início, às 7h15, com duração de três horas, e contou com a participação de 12 fiscais do DFTrans. Nela, 110 ônibus que estavam no estacionamento do Estádio Mané Garrincha foram vistoriados. Os principais problemas apresentados nos veículos foram pneus carecas, bancos soltos, defeito nas luzes de freio, falta de extintor de incêndio e ausência de pára-brisas. As empresas deverão pagar multa que varia de R$ 900 a R$ 4 mil.
Os carros só voltarão a rodar, após corrigirem as irregularidades e passarem por nova fiscalização, na garagem do DFTrans, onde será retirado o lacre. Os ônibus irregulares foram lacrados e autuados de acordo com a Resolução nº 233 de 2003 da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A fiscalização nos ônibus provenientes do Entorno foi possível graças a um convênio firmado entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Secretaria de Transportes em 2005. O convênio tem validade até 2010.
Balanço – A operação de hoje foi a terceira realizada neste mês. Antes dela, o DFTrans realizou ação no último dia 15, quando 120 ônibus que fazem o transporte coletivo urbano foram lacrados. Já no dia 8 deste mês, outra ação tirou das ruas 58 veículos semi-urbanos. Apenas nessas três operações, 340 ônibus foram vistoriados. Isso quer dizer que pouco mais de 27% atendiam os requisitos para realizar o transporte urbano e semi-urbano.
READ MORE - Fiscalização lacra 70 ônibus semi-urbanos em Brasília-DF

Valor da passagem de ônibus em Manaus será discutida esta semana


MANAUS - O diretor-presidente do Instituto Municipal de Transportes Urbanos (IMTU),Waldir Frazão, informou, ontem, 28, que deve se reunir, ainda nesta semana, com o prefeito Serafim Corrêa e representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) para definir se o preço da passagem de ônibus vai ser reajustado. O preço de R$ 2, cobrado na tarifa de ônibus em Manaus, vigora desde fevereiro de 2007. Pelo contrato assinado com o consórcio Transmanaus, que ganhou a licitação para explorar o serviço pelos próximos dez anos, o preço da passagem deve ficar "congelado" por um ano, prazo que vence agora em novembro. Waldir Frazão afirmou que o preço da tarifa pode ser "congelado" em R$ 2 por mais um ano. De acordo com ele, considerando os custos da tarifa com o transporte de passageiros, as empresas e a prefeitura têm condições de manter o preço da passagem sem reajuste. Tarifa- Existe condição, não é preciso aumentar a tarifa agora, mas isso só vai ser definido em reunião com o prefeito de Manaus e as empresas de transporte. Eles podem decidir pelo reajuste, declarou . O presidente do IMTU, Waldir Frazão, informou que o uso da meia-passagem no sistema de transporte coletivo de Manaus corresponde a 42% do total de tarifas pagas,e que esse é um dos "pontos falhos" do sistema, que precisa ser corrigido para que a tarifa possa ser mantida em R$ 2.

READ MORE - Valor da passagem de ônibus em Manaus será discutida esta semana

Teresina terá 'plataforma' de ônibus coletivo.


Novo modelo de parada de ônibus foi autorizado pelo prefeito.A obra será iniciada em dezembro.
O Cidadeverde.com divulga em primeira mão o novo modelo de parada de ônibus que foi autorizada pelo prefeito de Teresina, Sílvio Mendes.


É um ponto de ônibus já preparando para os terminais de integração do sistema de transporte e o uso do bilhete único. Ele funcionará como uma espécie de “plataforma” de embarque e desembarque. Na campanha eleitoral, o prefeito foi bastante criticado com o deficiente sistema de transporte e a falta de parada adequada para o usuário.


Segundo o diretor executivo do Planejamento, Augusto Basílio, é uma parada semelhante como a de Curitiba, mas com adequações, com cobertura mais larga e com até três metros de largura.


Ele mostrou a maquete eletrônica do abrigo de passageiros da praça Demóstenes Avelino, mais conhecida como praça do Fripisa. “Estamos fazendo estudos como o mesmo modelo para a praça João Luis Ferreira, rua Areolino de Abreu e avenida Maranhão”.
Na avenida Frei Serafim, Augusto Basílio, informou que a a prefeitura fará uma adequação por conta da limitação dos passeios da avenida. A idéia é construir modelo em frente ao Hiper Bom Preço.

READ MORE - Teresina terá 'plataforma' de ônibus coletivo.

O custo do vandalismo


Estou impressionado com os números apresentados hoje em Zero Hora. Com o roubo de equipamentos de trânsito na Capital, a Empresa de Transporte Público e Circulação, a EPTC, vai gastar R$ 1 milhão. Gasto com vandalismo.

No ano passado, foram furtados seis semáforos de pedestres e, neste ano, mais de 200. Mas o que as pessoas querem com semáforos de pedestre? Enfeitar a casa?

A polícia vem recebendo ocorrências de destruição de escadas rolantes, botoeiras, painéis de comando, fiação elétrica, quebra de cabina, vidros e laterais de escadas nos terminais do metrô, sem falar nas paradas de ônibus. Tudo isso torna-se em um prejuízo extraordinário.


Fora a depredação nos parques da cidade. Estes dias, estava vendo o relatório da depredação do parque Marinha do Brasil. Impressionante. E os ataques ocorrem sempre à noite, é nesse período que os vândalos atacam.
No quesito chamado concerto das nações, neste particular, o Brasil é um país primitivo. Ora, onde já se viu furtar os equipamentos públicos?
Já roubaram monumentos, estátuas e placas do Parque Farroupilha. A prefeitura teve que recolher o que restava, senão sumiria tudo.
Por isso, batalho há muito tempo pelo cercamento dos parques. Acho que aos poucos a sociedade vai tomando consciência de que esse medida é fundamental para que se possa investir e torná-los estonteantes e agradáveis à população.
READ MORE - O custo do vandalismo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960