Vans ainda dominam o trânsito no RIO

quarta-feira, 29 de outubro de 2008


O transporte clandestino continua dominando o trânsito de Campos, disputando passageiros nos espaços reservados a parada de ônibus. Mesmo a presença de guardas civis municipais em locais como nas imediações do Mercado Municipal, na subida da Ponte Rosinha, não intimidam os nos veículos que fazem o transporte irregular de passageiros.

De acordo com a Empresa Municipal de transportes (Emut), nos próximos dias a situação do Depósito Público Municipal — para onde serão encaminhados os veículos de transporte irregular — será resolvida, já que o pregão eletrônico, que vai definir a empresa responsável pela área, aconteceu na última quinta-feira. Segundo o presidente do órgão, José Henrique Mariz, a empresa vencedora é do Rio de Janeiro, mas as outras que disputaram o pregão entraram com um pedido de impugnação do resultado, alegando que a ganhadora não possui atestado de capacidade técnica compatível com a área. “Uma comissão da licitação está avaliando o pedido e não acredito que haja outro pregão. Nos próximos cinco dias deve sair o resultado deste pedido e, caso a empresa perca, a que ficou em segundo lugar na concorrência ganhará a concessão do depósito”, explicou ele.

O número de veículos que fazem a prática ilegal está crescendo tanto que em 10 minutos de espera no ponto de ônibus no Centro, próximo ao Alberto Sampaio, a equipe da Folha registrou ontem mais de 30 vans passando pelo local com placas indicando as mesmas linhas concedidas a empresas de ônibus, como IPS, Parque Aurora, Jóquei Clube, Goitacazes e outros.

Uma passageira que não quis se identificar e estava em frente a um ponto de ônibus no Mercado Municipal diz ter medo de pegar vans pela falta de segurança oferecida, em veículos sucateados. Mas entre ficar horas esperando o ônibus e chegar mais rápido no destino mesmo correndo riscos, a segunda opção é sempre escolhida.

A farra das vans já está chegando aos classificados dos jornais. É possível observar anúncios de vendas de veículos utilitários, inclusive com a informação de que fazem linhas de transporte de passageiros. Sobre o assunto, o presidente da Emut explicou que é pura ilegalidade. “Não há legalmente nenhuma linha cedida ao transporte alternativo”, afirmou o presidente da Emut.

Mariz diz ser necessária uma política de transporte em Campos. “Primeiro é preciso decidir o que vamos fazer com estas vans que circulam pelo trânsito da cidade. Aproveitá-las ou não no transporte público. Se a decisão for aproveitar tais vans, temos que abrir a licitação para legalizar as linhas”, falou ele.
READ MORE - Vans ainda dominam o trânsito no RIO

Até 2011, usuário poderá pagar transporte público e compras com um único cartão.

Cartão que concentra todos os benefícios, como vale-transporte, vale-refeição e vale-alimentação, já é utilizado em Fortaleza

SÃO PAULO - Um único cartão, sem senha, que concentre todos os benefícios recebidos pelo trabalhador, como vale-transporte, vale-refeição e vale-alimentação, e permite o pagamento de compras de pequeno valor, é o que propõe a Inteligensa Brasil.
A tecnologia, que em parceira com a VIVOtech e a Libercard, já está sendo implantada em Fortaleza e região metropolitana, além das cidades de Crato e Juazeiro, também no Ceará, poderá estar disponível para todo o Brasil até 2011.
"Em 2009 o sistema poderá ser encontrado em mais três capitais e até 2011 esperamos poder oferecer a tecnologia em todas as regiões do País", disse o gerente geral da Inteligensa do Brasil, Filipe Melo.
Rapidez e facilidade
Ainda de acordo com Melo, o sistema, que emprega uma tecnologia de radiofreqüência, possibilitará ao usuário maior facilidade e rapidez nas transações. "A pessoa não precisará mais carregar vários cartões, memorizar números e ainda levará um tempo bem menor para a realização destes pagamentos, na verdade, nem dois segundos."
Apesar de concentrar os benefícios em um único plástico, o gerente explica que os valores para cada benefício ficarão armazenado em sistemas distintos. Além disso, por questões de segurança, o valor máximo para cada transação será de R$ 20, em um período de duas horas. Contudo, ressalta Melo, isto é flexível e pode ser modificado futuramente.
Outros países
Estados Unidos, França, Inglaterra e Japão já possuem o novo cartão desde 2005. Nestes países, o sistema de pagamento, chamado de contact less (sem contato), além de concentrar benefícios, permite que o usuário faça pequenas recargas e as utilize para a realização de micropagamentos, substituindo assim pagamentos em dinheiro de baixo valor.
A idéia, segundo Melo, também será implantada no Brasil e pretende atingir especialmente a população de baixa renda. "Em uma segunda etapa, pretendemos expandir o mecanismo diretamente para o portador, atingindo assim especialmente àqueles que não possuem conta bancária."

READ MORE - Até 2011, usuário poderá pagar transporte público e compras com um único cartão.

Fiscalização lacra 70 ônibus semi-urbanos em Brasília-DF

Setenta ônibus semi-urbanos em condições precárias foram lacrados, na manhã de hoje, em ação realizada pelo Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), órgão da Secretaria de Transporte (Setrans). Somente neste mês, a Operação Chuva, que resolver os problemas dos veículos para evitar acidentes antes da temporada chuvosa, já tirou de circulação quase 250 veículos que fazem o transporte urbano e semi-urbano na capital federal. A ação de hoje teve início, às 7h15, com duração de três horas, e contou com a participação de 12 fiscais do DFTrans. Nela, 110 ônibus que estavam no estacionamento do Estádio Mané Garrincha foram vistoriados. Os principais problemas apresentados nos veículos foram pneus carecas, bancos soltos, defeito nas luzes de freio, falta de extintor de incêndio e ausência de pára-brisas. As empresas deverão pagar multa que varia de R$ 900 a R$ 4 mil.
Os carros só voltarão a rodar, após corrigirem as irregularidades e passarem por nova fiscalização, na garagem do DFTrans, onde será retirado o lacre. Os ônibus irregulares foram lacrados e autuados de acordo com a Resolução nº 233 de 2003 da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A fiscalização nos ônibus provenientes do Entorno foi possível graças a um convênio firmado entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Secretaria de Transportes em 2005. O convênio tem validade até 2010.
Balanço – A operação de hoje foi a terceira realizada neste mês. Antes dela, o DFTrans realizou ação no último dia 15, quando 120 ônibus que fazem o transporte coletivo urbano foram lacrados. Já no dia 8 deste mês, outra ação tirou das ruas 58 veículos semi-urbanos. Apenas nessas três operações, 340 ônibus foram vistoriados. Isso quer dizer que pouco mais de 27% atendiam os requisitos para realizar o transporte urbano e semi-urbano.
READ MORE - Fiscalização lacra 70 ônibus semi-urbanos em Brasília-DF

Valor da passagem de ônibus em Manaus será discutida esta semana


MANAUS - O diretor-presidente do Instituto Municipal de Transportes Urbanos (IMTU),Waldir Frazão, informou, ontem, 28, que deve se reunir, ainda nesta semana, com o prefeito Serafim Corrêa e representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) para definir se o preço da passagem de ônibus vai ser reajustado. O preço de R$ 2, cobrado na tarifa de ônibus em Manaus, vigora desde fevereiro de 2007. Pelo contrato assinado com o consórcio Transmanaus, que ganhou a licitação para explorar o serviço pelos próximos dez anos, o preço da passagem deve ficar "congelado" por um ano, prazo que vence agora em novembro. Waldir Frazão afirmou que o preço da tarifa pode ser "congelado" em R$ 2 por mais um ano. De acordo com ele, considerando os custos da tarifa com o transporte de passageiros, as empresas e a prefeitura têm condições de manter o preço da passagem sem reajuste. Tarifa- Existe condição, não é preciso aumentar a tarifa agora, mas isso só vai ser definido em reunião com o prefeito de Manaus e as empresas de transporte. Eles podem decidir pelo reajuste, declarou . O presidente do IMTU, Waldir Frazão, informou que o uso da meia-passagem no sistema de transporte coletivo de Manaus corresponde a 42% do total de tarifas pagas,e que esse é um dos "pontos falhos" do sistema, que precisa ser corrigido para que a tarifa possa ser mantida em R$ 2.

READ MORE - Valor da passagem de ônibus em Manaus será discutida esta semana

Teresina terá 'plataforma' de ônibus coletivo.


Novo modelo de parada de ônibus foi autorizado pelo prefeito.A obra será iniciada em dezembro.
O Cidadeverde.com divulga em primeira mão o novo modelo de parada de ônibus que foi autorizada pelo prefeito de Teresina, Sílvio Mendes.


É um ponto de ônibus já preparando para os terminais de integração do sistema de transporte e o uso do bilhete único. Ele funcionará como uma espécie de “plataforma” de embarque e desembarque. Na campanha eleitoral, o prefeito foi bastante criticado com o deficiente sistema de transporte e a falta de parada adequada para o usuário.


Segundo o diretor executivo do Planejamento, Augusto Basílio, é uma parada semelhante como a de Curitiba, mas com adequações, com cobertura mais larga e com até três metros de largura.


Ele mostrou a maquete eletrônica do abrigo de passageiros da praça Demóstenes Avelino, mais conhecida como praça do Fripisa. “Estamos fazendo estudos como o mesmo modelo para a praça João Luis Ferreira, rua Areolino de Abreu e avenida Maranhão”.
Na avenida Frei Serafim, Augusto Basílio, informou que a a prefeitura fará uma adequação por conta da limitação dos passeios da avenida. A idéia é construir modelo em frente ao Hiper Bom Preço.

READ MORE - Teresina terá 'plataforma' de ônibus coletivo.

O custo do vandalismo


Estou impressionado com os números apresentados hoje em Zero Hora. Com o roubo de equipamentos de trânsito na Capital, a Empresa de Transporte Público e Circulação, a EPTC, vai gastar R$ 1 milhão. Gasto com vandalismo.

No ano passado, foram furtados seis semáforos de pedestres e, neste ano, mais de 200. Mas o que as pessoas querem com semáforos de pedestre? Enfeitar a casa?

A polícia vem recebendo ocorrências de destruição de escadas rolantes, botoeiras, painéis de comando, fiação elétrica, quebra de cabina, vidros e laterais de escadas nos terminais do metrô, sem falar nas paradas de ônibus. Tudo isso torna-se em um prejuízo extraordinário.


Fora a depredação nos parques da cidade. Estes dias, estava vendo o relatório da depredação do parque Marinha do Brasil. Impressionante. E os ataques ocorrem sempre à noite, é nesse período que os vândalos atacam.
No quesito chamado concerto das nações, neste particular, o Brasil é um país primitivo. Ora, onde já se viu furtar os equipamentos públicos?
Já roubaram monumentos, estátuas e placas do Parque Farroupilha. A prefeitura teve que recolher o que restava, senão sumiria tudo.
Por isso, batalho há muito tempo pelo cercamento dos parques. Acho que aos poucos a sociedade vai tomando consciência de que esse medida é fundamental para que se possa investir e torná-los estonteantes e agradáveis à população.
READ MORE - O custo do vandalismo

Região Metropolitana do Recife ganha novo sistema de Bilhetagem Eletrônica

terça-feira, 21 de outubro de 2008


Dando seqüência às ações de ampliação e modernização do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife, o Grande Recife Consórcio de Transporte, anunciou ontem (14/10), o novo modelo de bilhetagem eletrônica que entrará em operação no início de 2009. A novidade trará resultados imediatos para todo o sistema, desde a redução de custos até a integração dos serviços oferecidos aos usuários. A implantação do novo sistema ficará a cargo da empresa Montreal Informática, do Rio de Janeiro, vencedora do processo de licitação promovido pelo Grande Recife. Graças aos cuidados adotados pelo consórcio durante o processo de licitação – com ênfase nos cuidados técnicos e legais – houve uma considerável queda dos custos, em função da acirrada disputa de mercado. A livre concorrência acarretou em uma economia de R$ 2,7 milhões aos cofres públicos. O valor corresponde à diferença entre o valor inicialmente estimado para a licitação, que era de R$ 7 milhões – e o valor da proposta vencedora, que foi de R$ 4,3 milhões. A contratação do novo modelo de bilhetagem representa um avanço inédito no setor. Diferentemente do que acontece em outras cidades (do Brasil e exterior), onde existem soluções modernas sendo utilizadas individualmente, o sistema que está sendo implantado na Região Metropolitana do Recife funcionará de forma integrada, agregando várias soluções tecnológicas para o sistema. BENEFÍCIOS - A ampliação dos benefícios da bilhetagem eletrônica para um número maior de usuários será possível graças à criação de novas modalidades de cartões. Haverá peças específicas para idosos, pessoas com deficiência, crianças menores de seis anos e usuários eventuais (que poderão utilizar cartões pré-pagos, a exemplo do que acontece na telefonia). No caso dos beneficiários de gratuidade, o uso do cartão eletrônico representa o fim de uma das principais queixas deste público: as dificuldades geradas pela limitação do espaço destinado à gratuidade. Com o cartão na mão, idosos e pessoas com deficiência poderão decidir se querem permanecer na área prioritária ou se optam por passar pela catraca, sem a necessidade de pagamento de tarifa, já que a nova tecnologia registra o caráter gratuito deste tipo de utilização. Já as crianças menores de seis anos (que não têm direito ao passe fácil), poderão passar pela catraca, sem nenhum ônus, pondo fim a prática de ter pular ou passar por baixo do equipamento. Já os usuários eventuais, como turistas, ou pessoas que utilizam o STPP/RMR, mas não têm emprego formal e por isso não possuem o vale-transporte eletrônico poderão utilizar a versão pré-paga do cartão. A rotina será a mesma utilizada na telefonia, onde o usuário compra um cartão com uma determinada quantidade de créditos e os utiliza da forma que lhe convém. A idéia do Grande Recife é disponibilizar a venda deste tipo de cartão em pontos comerciais diversos, espalhados em toda a RMR. Outro destaque será o chamado carregamento embarcado. Ou seja, a inserção de créditos no cartão eletrônico (seja Vale Transporte ou Passe Fácil) será feita no próprio ônibus, após pagamento de boleto bancário, que poderá ser gerado, por exemplo, através a internet. Com isso, os usuários não precisarão mais enfrentar filas. No caso do vale-transporte eletrônico o pagamento dos créditos continuará sendo feito pelas empresas. Os novos cartões eletrônicos, que utilizarão a tecnologia contact less, dispensando a inserção no validador, serão entregues gratuitamente (1ª via) à população, graças à redução considerável no custo do material, negociado pelo Grande Recife. Com a primeira via gratuita (que atualmente custa R$ 11,50), o preço da solicitação de um novo cartão (2ª via) sofrerá uma redução significativa. Para o presidente do Grande Recife, Dilson Peixoto, o avanço tecnológico representa uma nova forma de pensar o transporte público de passageiros. “A tecnologia de ponta é utilizada hoje em vários setores de serviços. Com a chegada deste novo sistema, a Região Metropolitana do Recife passará a vivenciar uma experiência muito interessante, com a integração de serviços que irão facilitar a vida dos usuários, trazendo mais agilidade, segurança e conforto”, destacou. Para o diretor de Tecnologia da Informação do Grande Recife, Giovanni Pelinca – que esteve à frente de todo o processo de definição de modelo e da licitação – a chegada do novo sistema representa um avanço que deve ser comemorado com orgulho por todos que fazem parte do STPP/RMR. “A Região Metropolitana do Recife será pioneira na integração do que há de mais moderno na área de tecnologia aplicado no transporte público de passageiros”, afirmou. Atualmente, entre bilhetes eletrônicos (vale transporte) e Passe Fácil, existem cerca de 560 mil cartões em circulação no STPP/RMR. Características - O modelo adotado na RMR trará uma série de vantagens para os usuários do STPP/RMR. Para que o sistema torne-se ágil e totalmente funcional para as empresas operadoras e os passageiros da Região Metropolitana do Recife, o Grande Recife terá o controle absoluto do Sistema Central de Bilhetagem Eletrônica, trazendo uma unificação dos dados, facilitando a obtenção dos relatórios gerenciais online. Para a ampliação do sistema, também foi necessária a aquisição, pelas empresas operadoras, do novo equipamento usado nos coletivos (validadores), que obrigatoriamente terão que agregar o aparelho de GPS. Atualmente, 1.700 ônibus já circulam com o novo equipamento na RMR. A instalação obrigatória dos rastreadores (GPS) também facilitará o trabalho dos agentes de fiscalização do Grande Recife, que poderão monitorar, em tempo real, os veículos da frota, fiscalizando os cumprimentos de viagens, horários e itinerários. Além de permitir, no futuro próximo, a instalação de painéis de vídeo (monitores), contendo a informação online dos horários de chegada dos ônibus. O novo modelo acarretará ainda uma redução de custo na planilha do sistema. Com o termino das despesas com o equipamento atual, alugado por R$ 156,00 por validador, o Grande Recife reduzirá as despesas em aproximadamente R$ 5,5 milhões, que eram gastos anualmente. Os recursos utilizados na contratação da nova bilhetagem são provenientes de aplicações financeiras que vinham sendo feitas ao longo dos anos pelo Grande Recife. Recadastramento – O primeiro passo para a implantação da nova tecnologia será o recadastramento dos cerca de 560 mil usuários de cartões eletrônicos (entre Passe Fácil e Vale-transporte), utilizados no STPP/RMR. A partir dos dados do recadastramento, o Grande Recife criará um novo banco de dados, que facilitará o gerenciamento de todo o sistema. Para os estudantes que possuem o Passe Fácil, o recadastramento terá início a partir da próxima quarta-feira (15/10), no Posto de Passe Fácil, localizado na Praça Maciel Pinheiro. Os usuários terão de comparecer ao posto com o seu Passe Fácil e uma foto 3x4 recente, com fundo branco e papel fosco. O período do recadastramento vai até o dia 30 de novembro para atualização dos dados. Já o recadastramento para os usuários que utilizam o Vale-transporte Eletrônico será feito em parceria com as empresas (empregadoras) cadastradas no Grande Recife. Diferentemente do que acontece hoje, os novos cartões terão uma única nomenclatura: Vale Eletrônico Metropolitano (VEM). Para diferenciar as categorias, os cartões terão cores diversas.

READ MORE - Região Metropolitana do Recife ganha novo sistema de Bilhetagem Eletrônica

Vale social para ônibus agora será eletrônico no RIO

RIO - O Vale Social, benefício do governo do estado que garante gratuidade em ônibus intermunicipais, trem, metrô e barca para portadores de deficiência física e doenças crônicas, vai passar por uma reformulação. A partir desta sexta-feira, 17/10, a Secretaria Estadual de Transportes, em parceria com a Fetranspor, vai disponibilizar o passe livre em cartão eletrônico no lugar da
antiga carteira, que garante a gratuidade em ônibus inter-municipais.
O novo cartão será confeccionado pela Fetranspor, nos moldes do RioCard, com foto e informações do beneficiado. Com a bilhetagem eletrônica, o prazo de confecção do Vale Social será significativamente reduzido. Inicialmente, serão confeccionados 15 mil cartões eletrônicos e novos lotes serão expedidos semanalmente, de acordo com os novos pedidos que surgirem.
Os beneficiários do Vale Social para gratuidade em ônibus intermunicipal, hoje em torno de 20 mil pessoas em todo o estado, terão até o dia 01 de dezembro para efetuar a retirada do novo vale eletrônico. A partir desta data, a antiga carteira não será mais aceita nos ônibus intermunicipais, mas continuará garantindo a viagem gratuita para os beneficiários de trens e barcas. No caso do metrô, o acesso é garantido pelo cartão emitido pela própria concessionária.
Os novos cartões eletrônicos para ônibus deverão ser retirados pelos beneficiários nos postos onde fizeram a solicitação. No caso dos moradores do Rio de Janeiro a retirada do cartão deve ser agendada com a Fetranspor, através do telefone 4003-3737. Cartazes explicativos serão afixados nos ônibus que circulam pelo Estado, em postos credenciados e na Rodoviária Novo Rio, alertando sobre a mudança.

READ MORE - Vale social para ônibus agora será eletrônico no RIO

Fale Conosco


READ MORE - Fale Conosco

Empresa de ônibus de Maringá faz campanha pelo uso de sacolas retornáveis

Uma parceria entre o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a empresa de transporte coletivo Cidade Canção, de Maringá (região Norte do Estado), está incentivando o uso das sacolas retornáveis confeccionadas com o reaproveitamento de banners. Até o final deste mês, 20 ônibus da empresa estarão circulando em locais estratégicos da cidade com fotos das sacolas estampadas em seus pára-brisas traseiros.

O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rasca Rodrigues, explicou que a ação foi desenvolvida com o objetivo estimular a substituição das sacolas de plástico tradicional nas compras de supermercado. "Além disso, ações como esta também incentivam a reciclagem e, conseqüentemente, a redução do volume de resíduos encaminhados aos aterros sanitários; itens que fazem parte da política de resíduos sólidos do Paraná", destacou.

Segundo o diretor-executivo da Cidade Canção, Roberto Jacomele, cerca de 8 mil pessoas utilizam os 20 ônibus diariamente. "São 400 passageiros em cada veículo sendo diretamente atingidos pela ação a cada dia; isso sem contar nos demais pedestres e motoristas que percebem a foto durante o trajeto dos ônibus", comentou. Cada veículo da empresa percorre, em média, 300 quilômetros por dia.

Para ele, é gratificante participar de ações como esta. "Nós, do setor de transporte público, estamos muito satisfeitos em colaborar com a Secretaria. Mas o melhor de tudo é estimular a conscientização e conseguir com que as pessoas entendam que, agindo dessa forma, podemos ter um mundo melhor", declarou.
READ MORE - Empresa de ônibus de Maringá faz campanha pelo uso de sacolas retornáveis

VOCÊ SE LEMBRA?

terça-feira, 14 de outubro de 2008



Em parte alívio, por outra parte saudades,Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960, com uma frota de 65 carros totalmente importada dos Estados Unidos. Os trólebus, que pertenciam à prefeitura, serviam a 13 bairros, entre eles, Beberibe, Engenho do Meio, San Martin e Tejipió. Em 1963, mais de 130 trólebus circulavam pela cidade, vindos do Brasil e do exterior.
A partir dos anos 80, os ônibus elétricos entraram em colapso. “Havia problemas de manutenção, faltava muita energia elétrica e o serviço ficou completamente deteriorado, dando margem aos ônibus a diesel. Hoje, os trólebus se resumem a três linhas”, lamenta o professor de engenharia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Oswaldo Lima Neto, doutor-engenheiro pela Universidade Técnica de Aahen, na Alemanha.
Segundo ele, estudos no exterior apontam o trólebus moderno como o veículo mais indicado para as grandes cidades. “Eles são mais leves que o metrô e não poluem o ar”, diz. O especialista informa, ainda, que países como Japão, Canadá, Austrália e Estados Unidos mantêm este tipo de transporte por conta da preservação ambiental.
READ MORE - VOCÊ SE LEMBRA?

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960