Destruição dos ônibus em dias de jogo é motivo de campanha no Paraná

segunda-feira, 29 de setembro de 2008


Vítimas preferidas dos vândalos nos últimos clássicos, as empresas de transporte coletivo de Curitiba lançam uma campanha para reduzir o prejuízo a partir do Atletiba deste final de semana. Os empresários pedem à população que denuncie atos de vandalismo que ocorram antes ou depois da partida. Para ilustrar a campanha, foi criada uma peça publicitária em que um ônibus humanizado implora: “Por favor, peça para que não me estraguem”. As empresas informam que, desde o início do ano, 61 veículos tiveram vidros laterais, pára-brisas, janelas ou lataria destruídas nas proximidades dos estádios e terminais em dias de jogos.
Embora as companhias sejam privadas, a conta é paga por toda a sociedade, uma vez que os gastos com vandalismo são incluídos na planilha de custos para cálculo da tarifa de ônibus. As denúncias devem ser feitas à Polícia Militar (190) ou Guarda Municipal (156).
READ MORE - Destruição dos ônibus em dias de jogo é motivo de campanha no Paraná

Transporte público tem prazo para se adaptar a deficientes

Um decreto publicado nesta quarta-feira, no Diário Oficial do Município, estabelece prazo até 2 de dezembro de 2014 para que toda a frota de veículos do serviço público de transporte coletivo de passageiros do Rio e sua infra-estrutura estejam totalmente adaptados para atender pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida. Os ônibus urbanos tipo I e II, assim como os micromasters e os microônibus que venham a ser incorporados a partir de 16 de novembro deste ano nas frotas das empresas deverão estar equipados com um ou mais dispositivos de acessibilidade, preferencialmente a plataforma elevatória.Entre os dispositivos para facilitar o acesso de pessoas com deficiência nos ônibus se incluem piso baixo e rampa móvel entre o veículo e a plataforma. No decreto, a Prefeitura também estabelece normas técnicas que servirão de parâmetro para os equipamentos e os procedimentos a serem adotados. A substituição da frota atual por veículos acessíveis se dará de forma gradativa, conforme a vida útil dos veículos.
READ MORE - Transporte público tem prazo para se adaptar a deficientes

Salvador: Novos amarelinhos começam a operar a partir de segunda

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

A 2ª etapa do Projeto de Integração do Sistema de Transporte Coletivo de Salvador, iniciada na última segunda-feira com 28 ônibus, passará a contar, a partir da próxima segunda-feira (dia 22), com mais 48 veículos que serão distribuídos em 30 destinos diferentes, totalizando 76 novos carros. Até o fim deste mês, mais 24 veículos serão incorporados à frota, completando a meta que é de 100 veículos. O passageiro que tomar o amarelinho poderá fazer a integração em todos os pontos de parada de ônibus da cidade, sem restrição da região, com as linhas do serviço convencional. O tempo permitido para a integração será de 1 hora, contado a partir do registro de passagem do Salvador Card na catraca pelo usuário. O valor da tarifa desta nova frota será de R$ 1. Quando o passageiro utilizar qualquer ônibus convencional e pagar a tarifa oficial de R$ 2, em créditos eletrônicos, já terá pago também a tarifa do amarelinho relativa à segunda viagem. A Superintendência de Transporte Público (STP) reforça que só usufruirá deste benefício o portador do Salvador Card. Os estudantes gozarão dos mesmos benefícios com os valores da Meia Passagem Estudantil. Também qualquer pessoa que adquirir o cartão avulso - Salvador Card - terá direito aos benefícios da integração.
READ MORE - Salvador: Novos amarelinhos começam a operar a partir de segunda

Capital sem engarrafamento


O crescimento significativo do número de carros em circulação nas metrópoles é um problema hoje praticamente mundial, alerta o coordenador do Curso de Urbanismo e Arquitetura da Universidade de Fortaleza (Unifor) Euler Sobreira. No Brasil, um dos motivos para isso é a expectativa positiva da economia. “Porém o aumento da circulação de veículos cria a necessidade de mais espaços para estacionamentos e traz mais congestionamentos”, diz.Euler Sobreira ressalta que uma das estratégias para o enfrentamento da questão seria a definição do tamanho das cidades e o planejamento dos espaços urbanos, visando promover descongestionamento de veículos e redução da poluição, tanto ambiental como sonora. “É preciso investir mais em transportes coletivos, ferrovias e metrôs, que transportam um maior fluxo de passageiros e oferecem menores tarifas”.A importância da campanha do Ministério é reconhecida pela Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania de Fortaleza, garante o diretor de trânsito da AMC, Carlos Henrique Pires. A Autarquia não tem programação local para a data, contudo Pires advoga uma maior integração de todos os modais de transportes na Capital, incluindo aí bicicletas e transporte ferroviário, a fim de reduzir a quantidade de veículos. “Entretanto, além de não ter entrado em funcionamento, o metrô não atenderá bairros como Aldeota e a área circunvizinha”.
READ MORE - Capital sem engarrafamento

São Paulo comemora Dia Mundial Sem Carro

O Dia Mundial Sem Carro, criado em 1998, na França, será comemorado na próxima segunda-feira, 22, em São Paulo, e muitas atividades estão programadas para chamar a atenção aos efeitos negativos do uso do automóvel na metrópole. O objetivo é incentivar o motorista a deixar o carro em casa por um dia e usar transporte público. Segundo informações do portal na Internet do Movimento Nossa São Paulo, composto por mais de 500 organizações da sociedade civil preocupadas com a melhora na qualidade de vida na cidade, este dia é importante porque faz a sociedade refletir sobre o sistema atual de transporte e mobilidade urbana, pautado pelo transporte individual, que congestiona o trânsito e é a principal causa de poluição do ar nas grandes cidades.
READ MORE - São Paulo comemora Dia Mundial Sem Carro

Ônibus de BH ganha roupa nova




A frota de ônibus de Belo Horizonte vai ficar de cara nova a partir de novembro. A BHTrans mudará o layout de 3.040 veículos, que estarão nas ruas com o início da operação dos quatro consórcios que venceram licitação pública para explorar o transporte pelos próximos 20 anos. As cores são as mesmas, com variações apenas no tom. E os desenhos são menos extravagantes.

A empresa que gerencia o transporte na capital faz segredo sobre as mudanças. Quer que o prefeito Fernando Pimentel (PT) tenha exclusividade do anúncio. Mas as viações já estão se adaptando e alguns modelos desfilam entre a sede da BHTrans, no Bairro Buritis, na Região Oeste, e as garagens. O Estado de Minas fotografou um deles. As cores dos coletivos, atualmente definidas de acordo com o tipo de itinerário, devem ser respeitadas. O tom será mais forte na parte inferior das laterais e mais fraco acima. A regra vale para as linhas circulares e alimentadoras (amarelo), diametrais e radiais (azul), troncais (verde), interbairros (laranja) e semi-expressas (vermelho). As enormes setas circulares, que ocupavam a lateral dos ônibus, vão sair de cena e dar lugar às imagens, sombreadas, de quatro cartões-postais de BH: os arcos do Viaduto de Santa Tereza, o obelisco da Praça Sete, a Igrejinha de São Francisco de Assis, na Pampulha, e o Edifício Niemeyer, na Praça da Liberdade. O pára-brisa terá adesivos bicolores, que indicam as regiões em que o coletivo circula. No interior, será alterado o lugar de instalação dos quadros de horário. Eles passam da lateral direita para a esquerda e, agora, vêm com um mapa do percurso da linha. Antes vermelhos, os assentos reservados para idosos, gestantes, portadores de deficiência física e obesos serão amarelos. O procurador-geral do município, Marco Antônio Rezende, explica que a renovação será gradual. Os coletivos não serão repintados. “Isso já está decidido. À medida que novos modelos forem comprados, o novo layout será introduzido”, explica, acrescentando que, em dois anos, toda a frota deve ser trocada. Até lá, dois padrões visuais vão conviver na cidade, o que, para ele, não é problema: “O que importa é a identificação do ônibus”.A idéia é que não haja adesivos com o número e os bairros atendidos pelo coletivo. A informação deve constar em painéis eletrônicos reprogramáveis, na dianteira e na traseira dos veículos, o que facilita o remanejamento dos carros de uma linha para outra. De acordo com a BHTrans, esse tipo de manobra deve ser mais comum com a reformulação que começa em novembro. Agrupadas em consórcios, as viações vão poder “emprestar” frota umas para as outras. Elas são 40, mas poucas estréiam no transporte da capital. A maioria já opera no sistema de transporte público. Na sexta-feira, a Gerência de Comunicação da BHTrans informou apenas que um dos objetivos das mudanças é atender a portarias recentes da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que trazem mudanças nas regras de acessibilidade e fabricação dos veículos de transporte urbano. A empresa faz várias promessas para melhorar o sistema, como a implantação de GPS nos veículos. Garante ainda que, nos pontos mais movimentados, haverá visores eletrônicos informando o tempo restante para o embarque. Mas o principal desafio é reduzir a superlotação. O limite de ocupação nos ônibus, que atualmente varia de 5,5 a 7 passageiros em pé por metro quadrado, nos horários de pico, cairá para 5, por exigência do edital de licitação. Reportagem publicada pelo Estado de Minas em junho, com base em relatório interno da BHTrans, mostrou que o número de ocupantes ultrapassa em até 51% a capacidade. Na linha 309 (Petrópolis/Estação Diamante), onde cabem 69, entram 104 passageiros.
READ MORE - Ônibus de BH ganha roupa nova

Governo de Pernambuco desapropria área para construção de mais um Terminal de Integração em Olinda

O governo estadual autorizou, através da publicação do decreto nº 31.889 (03/06/2008), a desapropriação da área onde será construído o Terminal Integrado do Xambá, em Olinda. O projeto, cujo nome inicial seria Caenga, ganhou nova identidade como forma de homenagear a comunidade local, com quem a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) negociou e fechou uma importante parceria. Para garantir a desapropriação dos nove terrenos que compõem a área onde será construído o novo TI, a EMTU participou de uma intensa pesquisa com técnicos da Prefeitura de Olinda. Depois da escolha da área, teve início a negociação com as comunidades de todo o entorno. Os projetos técnicos já começaram a ser desenvolvidos pela EMTU. A previsão é de que a licitação para a escolha da empresa que fará a construção do equipamento será aberta ainda no segundo semestre deste ano. O Terminal do Xambá atenderá os usuários do Sistema Estrutural Integrado que transitam pela Zona Norte da RMR, beneficiando diretamente os municípios de Recife, Olinda e Paulista. A previsão inicial dos estudos feitos pela EMTU indica que o TI atenderá cerca de 70 mil usuários por dia, com atuação de 9 linhas alimentadoras e 6 troncais (entre perimetrais e radiais). Serão feitas cerca de 1,3 mil viagens/dia utilizando uma frota de 85 veículos (sendo 31 convencionais e 56 articulados/alongados). O novo TI está localizado em uma área de grande concentração populacional. Graças a uma série de intervenções que serão realizadas nas imediações pela Prefeitura de Olinda e o Governo do Estado (especialmente na avenida Presidente Kennedy) com recursos do Pró-Metrópole – o Terminal do Xambá ganhará uma importância ainda maior, graças à ampliação da infra-estrutura viária local, que contará, inclusive, com um corredor exclusivo de ônibus, garantindo maior fluidez no trânsito e prioridade para o transporte coletivo. Este será o terceiro terminal construído pelo governo estadual, desde o início da gestão do governador Eduardo Campos – que tem tratado a questão do transporte público de passageiros como prioridade. O presidente da EMTU, Dilson Peixoto, comemorou a publicação do decreto de desapropriação. “O governador de Pernambuco vem trabalhando com muito empenho para garantir a melhoria e a ampliação do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife. Nos últimos dez anos pouco foi feito nesta área. Atualmente, no entanto, graças à priorização dada ao setor estamos iniciando o processo que vai culminar com a construção do terceiro terminal de integração desde o início da atual gestão.”, destacou.
READ MORE - Governo de Pernambuco desapropria área para construção de mais um Terminal de Integração em Olinda

Seul é exemplo em soluções para o fluxo de trânsito urbano


Conciliar o transporte de cargas e de passageiros nas grandes metrópoles é um desafio mundial. Quilômetros de engarrafamentos são constatados nas mais diferentes regiões do planeta, gerando desconforto para população e prejuízo para todos os envolvidos. Para modificar esse cenário, o Brasil tem buscado experiências internacionais de solução para o controle de tráfego pesado nas vias urbanas. Seul, capital sul-coreana com 23 milhões de habitantes em sua área metropolitana, é apontada por especialistas como um exemplo profícuo. A partir de 2002, o governo local passou a adotar medidas em favor da utilização de ônibus e metrô na cidade e conseguiu reduzir drasticamente o fluxo de trânsito, além de garantir melhorias na qualidade do ar e redução do gasto de energia.

Em um momento no qual São Paulo, a principal metrópole brasileira, se depara com a polêmica decisão da administração municipal de manter um rodízio de caminhões em algumas das suas principais vias, o exemplo do país asiático foi debatido em pleno território paulistano. Para apresentar em detalhes o sucesso da experiência de Seul, o diretor do Departamento de Trânsito Urbano do Instituto de Desenvolvimento de Seul, Gyengchul Kim, esteve no Brasil no começo deste mês de setembro. Ele foi um dos protagonistas da 14ª Semana de Teconologia Metroferroviária, atraindo atenção para as iniciativas tomadas pelo governo sul-coreano.

Em coletiva à imprensa, o executivo avaliou que a melhoria do fluxo do transporte de cargas passa pela proibição da circulação destes equipamentos na região central das metrópoles, pela construção de vias específicas para o tráfego pesado e pelo incentivo ao transporte público de massa, visando reduzir a quantidade de automóveis nas vias públicas.


Kim ressaltou, em diversas oportunidades, que a população das grandes cidades precisa se conscientizar no sentido de utilizar o transporte público. A mudança de comportamento entre os cidadãos de Seul garantiu, conforme lembrou, redução no tempo de locomoção dos moradores e das cargas, além de economia de recursos essenciais como combustíveis e energia elétrica. No entanto, para que isso ocorra em outros locais, o diretor afirmou que o governo precisa melhorar as condições do transporte de massa e dar o exemplo realizando uma campanha social como a de Seul, em que as autoridades, com exceção do prefeito e do vice-prefeito, utilizam apenas metrô e ônibus todas as segundas-feiras, de forma a estimular o uso consciente da população.

A opção por proibir o transporte de carga nos grandes centros urbanos, de acordo com Kim, é essencial, pois a frota brasileira de caminhões, hoje bastante desgastada, traz “caos e poluição por onde passa”. “Assim, se investirmos em transporte público, os carros que não circularem irão liberar as grandes avenidas para os caminhões passarem”.

A construção de alternativas como o Rodoanel, que irá ligar as principais rodovias do núcleo central da Região Metropolitana de São Paulo, é vista com bons olhos pelo sul-coreano. Ele disse à reportagem de PortoGente que agilizar esse tipo de via específica irá garantir um escoamento mais eficaz das cargas até os portos e aeroportos mais movimentados do principal pólo econômico do País.


Para o executivo, é importante fiscalizar adequadamente toda a frota de veículos pesados para garantir o sucesso das medidas implantadas pelo governo. Em Seul, explicou, os caminhões somente são licenciados caso sejam instalados filtros específicos para o diesel, garantindo menor emissão de gases do efeito estufa no ambiente das cidades. Já a frota de ônibus da capital sul-coreana, apontou Kim, é toda composta por veículos movidos a gás natural.

De acordo com o sul-coreano, o incentivo ao transporte público se deu por meio da utilização de cartões pré-pago e de crédito para pagamento das tarifas, da diminuição de locais para estacionamento de carros, do aumento de faixas para pedestres e da fiscalização mais intensa para carros que estacionam em locais proibidos, com o valor das multas revertido para melhorias no transporte público.

O grande desafio, segundo ele, foi conscientizar a classe média e alta a utilizar o transporte público. “Muita gente nunca tinha entrado em ônibus”. Outro grande obstáculo foi mudar a cultura dos sul-coreanos quanto a onde parar os seus veículos. “Começamos a fazer uma fiscalização rigorosa do estacionamento de carros em locais proibidos. As pessoas estacionavam em qualquer local porque já não havia lugar para parar os automóveis”.

O caso mais emblemático da requalificação urbana de Seul foi a destruição do viaduto de Cheonggyecheon. Em lugar da obra sobre o canal, que cortava a cidade por 15 quilômetros, iniciou-se a revitalização de um antigo rio e de um parque para recreação.

A destruição do viaduto de Cheonggyecheon e a revitalização
da área mudaram a cara da capital sul-coreana

Metrôs e ônibus correspondem hoje por 60% do transporte de Seul. A meta da administração local é de que, até 2021, esse valor chegue a 70%. Atualmente, a região metropolitana da capital da Coréia do Sul, que possui 24,1 milhões de pessoas, conta com 287 quilômetros de metrô, enquanto São Paulo convive apenas com 60 quilômetros.

“Nas minhas visitas [a outros países], carrego o vírus da conscientização para que as pessoas passem adiante pensando no desenvolvimento coletivo”, finalizou Kim, que disse esperar que na próxima visita a São Paulo encontrar um município mais bem resolvido com suas políticas de transporte e com as restrições feitas ao tráfego pesado.
READ MORE - Seul é exemplo em soluções para o fluxo de trânsito urbano

Integração em microônibus já funciona em Salvador


Já estão circulando nas ruas de Salvador, desde esta segunda-feira, 15, 28 microônibus de integração local em 14 diferentes pontos periféricos da cidade. O primeiro dia foi marcado por baixo movimento e usuários de transporte urbano pouco informados sobre a novidade. “A maioria das pessoas ainda nem sabe que o serviço está funcionando”, observou a agente da Superintendência de Transporte Público (STP), Ana Paula da Silva.
Na tarde desta segunda-feira, ela orientava os usuários no final de linha do Vale dos Lagos, onde circulam dois desses veículos (brancos pintados com faixa amarela), em intervalos de 15 a 20 minutos. O sistema funciona como uma espécie de baldeação com o coletivo convencional. No período de uma hora, o usuário paga apenas R$ 1 o trecho, com o Salvador Card – modalidades de meia-passagem escolar, vale-transporte eletrônico e bilhete avulso.
Nos próximos 15 dias, a previsão é de que circulem 100 “amarelinhos” por 43 linhas. De acordo com a STP, há 150 prepostos nas ruas e, até esta terça-feira, 16, um agente por turno vai estar em cada um dos 14 terminais de circulação dos microônibus, dando esclarecimentos à população. Para a administradora Idaildes Gonzaga, 42, a idéia da integração é válida, mas “a informação não foi bem divulgada”.
Ela e o lojista Valter do Rosário, 42, pegaram o veículo que faz o trajeto do fim de linha do Vale dos Lagos à Av. São Rafael pelo valor em espécie de R$ 2, cada, por não saberem que precisavam do bilhete eletrônico para pagar a meia-passagem. “A gente vai adquirir, porque compensa. Minha filha faz natação no Shopping Ponto Alto e vou poder trazê-la, pagando apenas R$ 1 pelo trajeto”, disse Idaildes.
Para Valter, a novidade também é bem-vinda, uma vez que a dificuldade de ônibus é grande para a Barra e outros trechos da orla. “Só temos as linhas Comércio R1 e R2, que demoram muito”, argumentou. Para o despachante da empresa Expresso Vitória, que faz o trajeto, Joselito Oliveira, a vantagem é grande: “Agora, em vez de aguardar duas horas, o usuário pega o microônibus até a Av. São Rafael, onde já têm mais opções”, disse.
No bairro de Pernambués, dois microônibus fazem o trajeto de ida e volta entre o fim de linha do bairro e a Rótula do Abacaxi, passando pela Rodoviária e o Detran. Os microônibus saem a cada 20 minutos e oferecem novas opções de linhas aos usuários nos grandes corredores de tráfego, como os destinos do subúrbio, orla e Terminal da França.
DESCONTO – A opção de desconto na segunda viagem agradou ao comerciante Adelson Santiago, 31, que foi da Rodoviária para a Federação. “Não ia pegar esse carro porque não sabia do desconto. Orientado, achei muito bom porque economizei R$ 2 (entre a ida e o retorno). É um sistema justo”, avaliou.
A dona-de-casa Rosemeire Ramos, 29, também experimentou o novo sistema. Ela pagou R$ 2 no ônibus convencional para levar o filho ao médico, na Av. Tomaz Gonzaga, e ainda sobrou tempo para garantir a gratuidade na volta para o fim de linha. “Não ouvi falar sobre isso, mas gostei. Sempre utilizo ônibus dentro do bairro porque fica longe para ir andando. Se não tivesse esse desconto, pagaria R$ 4”, avaliou.
READ MORE - Integração em microônibus já funciona em Salvador

Secretaria promove semana da mobilidade


A “Semana Europeia da Mobilidade” abre espaço para que várias cidades promovam uma maior sensibilização e consciencialização dos seus cidadãos para a adopção das melhores escolhas, quando colocados perante a necessidade de, no decurso das suas rotinas diárias, efectuarem deslocações na cidade.
A Secretaria Regional do Turismo e Transportes, através da Direcção Regional de Transportes Terrestres e da Empresa Horários do Funchal - Transportes Públicos S.A., dará suporte a uma acção subordinada ao tema “Utilize o transporte público-Proteja o ambiente”, integrada no âmbito da “Semana Europeia da Mobilidade”, que se realiza desde ontem até ao dia 22 de Setembro.Assim, durante este período, a Linha Eco funcionará de forma gratuita a todos quantos utilizarem este serviço. Será ainda exibido durante este tempo, pela RTP-M, um anúncio de incentivo à utilização do transporte público, alertando para a necessidade de redução das emissões poluentes.Entretanto, nos dias 18 e 19 de Setembro estarão expostos nas placas centrais da Avenida Arriaga, em frente à Secretaria, alguns meios de transporte da Horários do Funchal, bem como os produtos disponibilizados ao público como opção para as suas deslocações. A empresa providenciará o atendimento de todos quantos queiram visitar a exposição, prestando as informações necessárias sobre os serviços disponibilizados entre as 9 e as 20 horas.Ainda no dia 18, será aberta, no espaço Infoart da Secretaria Regional do Turismo e Transportes uma exposição de fotografias que revelam aspectos da histótia dos transportes na Madeira, muitas das quais pertencem ao acervo das colecções Vicentes e Perestrelo. Neste contexto, poderão ser observados alguns dados e várias referências sobre a evolução e o momento actual dos transportes públicos na Região.A “Semana Europeia da Mobilidade” abre espaço para que várias cidades promovam uma maior sensibilização e consciencialização dos seus cidadãos para a adopção das melhores escolhas, quando colocados perante a necessidade de, no decurso das suas rotinas diárias, efectuarem deslocações na cidade.
READ MORE - Secretaria promove semana da mobilidade

Motoristas encerram greve de ônibus em Limeira

16/09/2008 - 13:22 - Os motoristas do transporte coletivo urbano de Limeira decidiram no final da manhã encerrar a greve iniciada na madrugada desta terça-feira (16). De acordo com o sindicato da categoria, a paralisação foi suspensa porque todas as reivindicações foram atendidas. A paralisação deixou sem ônibus cerca de 120 mil usuários e, de acordo com o sindicato, 100% do quadro de motoristas paralisou as atividades.Entre as principais reivindicações da categoria estão o pagamento dos salários atrasados e horas extras, solução para a superlotação dos veículos, além das multas que recebem por pararem em lugar irregular, sendo que não existe um terminal específico para os ônibus.A prefeitura informou em nota que registrou boletim de ocorrência contra as empresas, além da aplicação de multas pelo descumprimento do serviço e que outras medidas devem ser tomadas na Justiça.
READ MORE - Motoristas encerram greve de ônibus em Limeira

Moradores do Marabaixo II pedem abrigo nos pontos de ônibus em Macapá


Passava do meio-dia e meia, quando o ônibus da linha Coração/Marabaixo parou em um local da 7ª Avenida para atender ao chamado de parada feito por usuários daquele ônibus. Pelo menos sete pessoas desceram tomando o caminho das suas casas, retornando da escola ou do trabalho.
E como já disseram anteriormente, em outros registros feitos pelo Jornal do Dia desde que o projeto Jornal do Dia na Comunidade foi lançado, não existem paradas ou abrigos, como são chamados os locais, para aguardar o transporte coletivo no bairro Marabaixo I, Marabaixo II e no Marabaixo III.
Existem três exemplos na principal entrada do Marabaixo II, o primeiro deles na esquina da AIFA, na Rua Ranolfo de Souza Gato, onde os passageiros se abrigam embaixo de uma árvore para agüentar o sol quente enquanto aguardam a chegada do ônibus. O único abrigo encontrado naquela rua fica em frente a uma Vitaminosa, próximo da entrada do Marabaixo III.
Já no Marabaixo III, a história continua a mesma. Usuários do transporte coletivo contam com a benevolência dos donos de mercearias ou residências para se abrigarem do sol ou da chuva enquanto aguardam o ônibus.
READ MORE - Moradores do Marabaixo II pedem abrigo nos pontos de ônibus em Macapá

Agepan faz parcerias pelo fim clandestinidade no transporte em MS

Para coibir o transporte clandestino de passageiros nas rodovias do Estado, a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) em ação conjunta com a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) e a Companhia Independente de Polícia de Trânsito (Ciptran) realizam desde o início da semana, fiscalizações em áreas próximas das rotatórias de acesso à Capital. Segundo o gerente da Câmara Técnica de Transportes da Agepan, Ayrton Rodrigues, a fiscalização termina amanhã e até agora já resultou em sete autos de infração e duas apreensões de veículos que realizavam o transporte irregular de passageiros. Ayrton explica que a fiscalização é de rotina, porém esta semana está intensificada na região de Campo Grande. Os sete autos de infração aplicados foram conseqüência de algumas inconformidades encontradas em veículos cadastrados na agência. Uma das apreensões foi a de um táxi, que é um transporte restrito somente ao município, não podendo atuar em rodovias, exceto em casos de urgência. Nestes casos de clandestinidade nas rodovias, a Agepan multa e apreende os veículos. Estima-se de que durante as ações tenham sido abordados cerca de 200 veículos. “A ação foi realizada em função das demandas. Nós também recebemos denúncias de operadoras cadastradas de que há uma grande incidência de transporte irregular”, comenta Ayrton. Apesar da fiscalização ser voltada para a ocorrência de veículos clandestinos, a Agepan também faz a checagem das operadoras que são cadastradas e têm a licença para o transporte de passageiros. Desta forma são vistos algumas conformidades como: itens de segurança, tacógrafo, autorização para fazer a linha de transporte no horário requerido, habilitação necessária, entre outros. Durante o final de semana a Agepan vai atuar na região de Corumbá em conjunto com a Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur). A parceria visa expandir o universo das fiscalizações, visto que cabe à Agepan fiscalizar apenas veículos de transporte intermunicipal, a Fundtur verifica as conformidades do transporte interestadual. A ação em Corumbá termina no domingo. A utilização de operadores que atuam fora da rede regulada pelo poder público, por conta própria, traz insegurança e risco ao passageiro, além de representar desequilíbrio e prejuízo ao sistema formal. Os clandestinos desviam cerca de 29% dos passageiros do transporte regular, provocando ao Estado uma perda de receita de R$ 25 milhões.
READ MORE - Agepan faz parcerias pelo fim clandestinidade no transporte em MS

Paradas agora têm policiais de guarda em Natal


As ruas de Natal ganharam um cenário diferente. Praticamente a cada parada de ônibus é possível encontrar duplas de policiais militares fazendo a segurança. Para os usuários do transporte coletivo é uma medida válida, mas poucos acreditam que ela será mantida por muito tempo. As iniciativas sugeridas pelo Comando da Polícia Militar e colocadas em prática após o consenso entre empresários do transporte público e a Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito Urbano (STTU) dividem a opinião de quem utiliza o serviço.A panfletista Erica Andreza acha certo ter policiais dentro dos ônibus, mas de preferência à paisana para evitar qualquer confronto direto com bandidos. Já o agente de estação de transferência Walcirley de Lima acredita ser mais viável os PMs andarem fardados porque intimida mais. ‘‘À paisana ele pode se tornar vítima e além da vida dele estar em jogo pode prejudicar os passageiros também’’, alega. Sobre as blitzen, Walcircley disse não concordar, pois atrasa a viagem e ainda expõe os passageiros. ‘‘Ontem (quarta-feira) à noite eu vinha para a aula e pararam o ônibus. Além de ser um constrangimento. toma tempo’’, observou.Simone Cardoso, que trabalha como protética, acredita que a iniciativa de parar o ônibus e fazer a blitz é melhor, pois não acha que o policial fardado intimide assaltantes. Mesmo assim, ela diz que manter pelo menos dois policiais dentro dos veículos pode ser importante. ‘‘Acho que só um policial não adianta porque é a vida do PM que está em jogo’’, observa. Para quem trabalha no setor e vive a realidade diariamente, a polêmica em torno das medidas de segurança está longe de resolver o problema. O motorista de ônibus Silvano Montes, na profissão há 17 anos, disse que nunca foi assaltado, mas não acha certo os policiais militares andarem fardados nos ônibus, apesar dessa ser, no momento, a melhor opção. Sobre as blitzen, Silvano disse que pode até inibir a criminalidade, mas não resolve.Quem já foi assaltado encara a situação com uma ótica diferente. A locutora Valkiria Gomes lembra os momentos de angustia dentro de um ônibus quando dois homens fizeram um verdadeiro arrastão, por volta das 18h40 de um sábado. ‘‘Só não foi pior porque eu tenho pressão alta e passei mal, aí eles mandaram eu descer’’, conta. Moradora do conjunto Parque dos Coqueiros, ela acha certa a realização de blitz, principalmente em bairros onde os casos de violência são constantes. ‘‘Ninguém tem escrito ‘honestidade’ na cara. As vezes a pessoa entra bem vestida e vai assaltar, assim como algum adolescente entra para vender algo e furta quem está dentro do ônibus’’, observa Valkiria, que reclama a demora dos empresários em adotar esse tipo de atitude para garantir a segurança de quem utiliza o transporte coletivo na cidade.STTU apoia iniciativa da PMA Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito Urbano (STTU) vê com bons olhos a iniciativa da Polícia Militar em se engajar na luta contra a violência nos ônibus. Na última quarta-feira, uma reunião no Quartel da PM reuniu representantes da STTU e donos das empresas de ônibus para discutir o assunto. Motivados pelos últimos acontecimentos, tomaram medidas emergenciais. De acordo com o chefe do Departamento de Fiscalização de Trânsito da STTU, André Luiz de Medeiros, o fato da criminalidade estar crescendo a cada dia motivou a PM, que resolveu tomar a frente e combater o problema. As duas alternativas adotadas estão gerando discussão entre os passageiros, apesar deles reconhecerem a necessidade. Os policiais militares fardados devem ser autorizados a entrar nos ônibus para coibir a violência. Já as blitzen têm gerado um certo desconforto aos passageiros, mas são feitas em prol da segurança.
READ MORE - Paradas agora têm policiais de guarda em Natal

Superlotação constante irrita usuários do metrô no Rio


RIO - A superlotação nas estações do metrô já está virando rotina na vida dos usuários, que constantemente precisam enfrentar a multidão, o forte calor e até a falta de educação de outros passageiros para conseguir chegar aos seus destinos. O contador Sergio Paulo Pereira, usuário da linha 1 desde 1993, conta que de um ano para cá tem visto de tudo no metrô, desde pessoas sendo jogadas para fora dos carros lotados, até alguns embarcando no sentido contrário para pegar uma composição mais vazia. Tudo para evitar o empurra-empurra nas viagens. (Leia aqui o diário de uma usuária da linha 2)
" Às vezes, espero até quatro composições do metrô passarem antes de conseguir entrar num e seguir da Central até a estação da Glória "
- Há cerca de um ano venho reparando que as estações estão inchadas. Às vezes, nas horas de rush da manhã e da noite, eu preciso esperar até quatro composições do metrô passarem antes de conseguir entrar num e seguir da Central até a estação da Glória. Já vi a porta não conseguir fechar, e os seguranças da estação tendo que chutar para ela fechar - afirmou o contador.
O administrador de empresa Ângelo Mascia, que mora em Irajá, onde existe uma estação, precisou dar o seu jeitinho para conseguir usar o transporte: ele vai todos os dias de carro até o Engenho da Rainha para pegar um trem extra, que, segundo ele, sai mais vazio.
- O problema é quando eles colocam o 'trem curto' saindo de lá, porque fica lotado. É um absurdo, mas se eu fosse pegar o metrô na estação de Irajá, eu esperaria até oito carros antes de conseguir entrar em algum, e ainda me estressaria. Uma vez uma pessoa se jogou em cima de mim e quase machucou um casal de idosos só para não perder o metrô - afirmou o administrador, que salta no Estácio e ainda pega a linha 1 para a Carioca.
O Metrô Rio transporta atualmente 550 mil pessoas por dia, cerca de 6% maior que 2007, que já havia registrado um aumento de 10% em relação ao número de usuários em 2006. De acordo com a concessionária o motivo desse aumento de passageiros, que tem deixado as estações lotadas principalmente nos horários de rush, foi a falta de renovação da frota, ou seja, apesar do aumento no número de estações, não houve um aumento no número de carros.
Para o professor Rômulo Orrico, do departamento de engenharia de transportes da Coppe/UFRJ, no entanto, além do número de carros, a falta de priorização do transporte público também pode explicar em parte o problema.
- Todo o sistema viário da cidade foi pensado para carros particulares. Um exemplo são as construções de garagens públicas recentes, que passam a seguinte mensagem: 'venha para o trabalho de carro'. Sem um investimento ou uma rede pensada para o transporte público, o número de carros nas ruas aumenta e, conseqüentemente, o trânsito piora. Não é o transporte público que causa congestionamento, mas são os carros. Ou seja, o usuário acaba pagando pelo engarrafamento que não causou - afirmou.
Além disso, o professor ressaltou ainda a falta de um planejamento dos corredores viários da cidade, que continuam da mesma forma que eram quando o coração administrativo e financeiro da cidade ficava quase que exclusivamente no Centro.
- A cidade se desenvolveu, mas a rede de transporte público não acompanhou. Antigamente, a cidade era monocêntrica, ou seja, a tendência era que o deslocamento fosse todo para o Centro, onde tudo ficava. Hoje em dia, isso mudou, ela é policêntrica. As coisas estão muito mais espalhadas. Um exemplo disso é o volume de usuários de trem, que diminuiu. Isso porque mudou a relação do transporte com a cidade. O problema é que os corredores viários não foram mudados - disse, lembrando que o Rio está num bom momento para começar a fazer essa discussão:
- Muitas concessões estão começando a vencer. Ou seja, é hora de começar a debater sobre esses contratos e repensar essas rotas.
Alívio só começa a partir do final do ano que vem.
" Eu moro em Irajá, mas prefiro pegar o metrô da estação do Engenho da Rainha durante a manhã, pois sempre sai um extra. O problema é quando eles colocam o 'trem curto' saindo de lá, porque fica lotado "
A direção do Metrô Rio reconhece que o problema da superlotação nas estações é crítico. De acordo com o diretor de Relações Institucionais do Metrô Rio, Joubert Flores, no entanto, a vida dos passageiros só deve começar a melhorar no fim do ano que vem, quando ficar pronta a obra que vai criar duas novas estações, o que vai acabar com a transferência da linha 1 para a linha 2 no Estácio.
- Quando assumimos o metrô, há dez anos, nosso contrato previa apenas a operação dos carros. O investimento em novas composições era contrapartida do governo. Apesar disso, não foi exatamente o que aconteceu. Para cada estação que era inaugurada, o governo deveria comprar novos carros, mas até hoje não recebemos os carros novos para as estações Siqueira Campos e do Cantagalo. Com o aumento do número de usuários, a gente percebeu a necessidade desse investimento em mais carros, mas só a partir do fim do ano passado que nós assumimos esse papel, com a renovação do nosso contrato de concessão - afirmou Joubert, que lembrou que a compra de novos carros já está prevista:
- Estamos comprando 114 novos carros, o que vai aumentar a nossa frota em 66%, acabando com os trens curtos. Além disso, com a construção das novas estações, só quem precisa ir para Copacabana ou para a Tijuca vai fazer a transferência no Estácio, o que vai diminuir muito o fluxo de passageiros, que vai ficar mais bem distribuído. O problema é que nada disso é rápido. A ligação Pavuna-Botafogo, que vai diminuir a viagem em até 13 minutos, só deve ficar pronta no fim do ano que vem. A instalação dos novos carros também só deve ser concluída em três anos.
" Para cada estação que era inaugurada, o governo deveria comprar novos carros, mas até hoje não recebemos os carros novos para as estações Siqueira Campos e do Cantagalo "
Em nota, a secretaria de Transportes afirmou que a responsabilidade de comprar novos trens para as estações de Siqueira Campos e do Cantagalo, que foi inaugurada em 2007, durante o governo Sérgio Cabral, seria das administrações anteriores, e afirmou que prefere não se pronunciar sobre o assunto. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, a solução adotada pelo governo atual para ampliar o sistema metroviário, considerando as restrições orçamentária, foi buscar um acordo com a concessionária visando investimentos privados que englobam não só um aumento de 60% na frota de carros, mas também a construção de duas novas estações, além de melhorias nos sistemas elétrico, de sinalização e segurança, entre outros pontos.
Depois que as obras estiverem prontas, a previsão é que o metrô possa receber o dobro de passageiros que transporta por dia, que atualmente chega a 550 mil. Por enquanto, a concessionária afirma que está reformando os carros antigos, além de investir em campanhas educacionais, como a que orienta os passageiros a não ficar na frente da porta.
A falta de educação, aliás, é uma das principais reclamações de uma usuária do carro das mulheres, que preferiu não se identificar:
- O vagão das mulheres deveria funcionar o dia inteiro. Já vi uma mulher prender o braço na porta por causa da superlotação do carro, que estava com homens dentro. Ela deu um grito, e depois a porta abriu e ela saiu. Nem sei como ficou o braço dela - disse.
Outra leitora, que não quis se identificar, relatou que já viu até desmaios dentro do metrô por causa do forte calor:
" Graças a Deus eu nunca tive problemas com o excesso de calor, mas é muito freqüente, nos horários de grande movimento (manhã e noite), uma ou outra pessoa desmaiar "
- O ar-condicionado pára de funcionar quando o vagão está superlotado, e não mantém a temperatura agradável como deveria. Graças a Deus eu nunca tive problemas com o excesso de calor, mas é muito freqüente, nos horários de grande movimento (manhã e noite), uma ou outra pessoa desmaiar. Quando isso acontece, os passageiros acionam o alarme de emergência e na estação mais próxima os seguranças retiram a pessoa para que seja atendida fora do vagão - relatou.
Segundo o diretor de relações institucionais do metrô, com a reforma dos carros, a idéia é que o problema com o ar condicionado melhore. Segundo ele, o problema, que afeta principalmente os passageiros da linha 2, acontece porque os carros têm um sistema de ar condicionado planejado para funcionar em uma área subterrânea. O problema, de acordo com ele, é que parte do trajeto da linha 2 é feito ao ar livre, sob o sol.
- Os novos carros terão um sistema de ar condicionado projetado para isso. Enquanto isso estamos mexendo no sistema dos carros antigos, que estão sendo reformados.
READ MORE - Superlotação constante irrita usuários do metrô no Rio

Defesa Social quer gratuidade para PM em Natal



A reunião realizada ontem no quartel da PM para encontrar soluções contra a violência no transporte coletivo travou justamente no ponto mais delicado da questão: quem vai pagar a gratuidade da passagem de policiais. Os empresários do setor negaram a proposta lançada pela Segurança de abrir mão por 30 dias da cobrança enquanto o subsídio é levado à discussão dentro do governo.A intenção do secretário de Defesa Social, Agripino Neto, seria que policiais fardados pudessem utilizar o sistema gratuitamente por um mês, período tido como suficente para mudar o quadro da violência. Enquanto isso, ele se comprometeu em convocar os órgãos de finanças do governo para achar uma solução sobre o financiamento da gratuidade para compensar as empresas.Entretanto, a proposta foi prontamente negada pelo presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Natal, Agnelo Cândido. ‘‘Negar isso ao secretário e ao comandante da PM é muito difícil, mas nós vamos negar’’, disse, argumentando que a categoria não tem condições de arcar com a gratuidade. ‘‘Não temos condições de conceder nem um dia’’, completou.Diante da negativa, ressaltando que não queria criar polêmica, Agripino Neto lembrou aos empresários que a legislação brasileira confere ao PM entrar em qualquer local desde que esteja em serviço. ‘‘Podemos perfeitamente dotar os policiais de ordem de serviço para isso’’, avisou. E acrescentou: ‘‘Nós estamos dispostos a fazer gestão ao poder público para resolver e questão.’’OSTENSIVOColocar PM’s em serviço dentro dos coletivos é justamente uma das medidas anunciadas ontem pela Secretaria de Defesa Social durante a reunião. Segundo o comandante da corporação, coronel Marcondes Rodrigues, duplas de policiais serão designadas a trabalhar dentro das linhas mais críticas. Além disso, nos terminais mais perigosos a PM vai colocar quatro PM’s de sentinela.Marcondes Rodrigues anunciou também que a partir de hoje vai iniciar a operação ‘‘Quartel Vazio’’, que consistirá em deslocar para o trabalho de rua todos os policiais que fazem serviço administrativo no quartel. ‘‘Não tenho dúvida nenhuma que essa batalha será vencida’’, disse. Segundo ele, a Sesed também designou um delegado exclusivo para dar andamento aos assaltos a ônibus.Outra providência tomada durante a reunião foi a formação de uma comissão composta por membros da polícia, sindicatos de motoristas e empresários e da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito Urbano (STTU) para tratar questões relacionadas ao combate a violência no transporte coletivo. A questão do subsídio à gratuidade dos policiais está entre os itens a serem discutidos.
READ MORE - Defesa Social quer gratuidade para PM em Natal

Ônibus são obrigados a parar fora do ponto após às 23horas no Piauí

A Câmara Municipal de Teresina aprovou nesta terça-feira, dia 9, em segunda votação, projeto de lei de autoria do vereador João Cláudio Moreno (PCdoB) que obriga os motoristas de ônibus a pararem fora da parada a partir das 23 horas.A lei vai beneficiar usuários do transporte coletivo durante a noite. O objetivo é proteger as pessoas da violência, que é maior neste horário. O passageiro poderá solicitar que o ônibus pare em qualquer ponto dentro do percurso, caso não esteja na parada quando o ônibus passar.O texto aprovado na Câmara segue agora para sanção do prefeito Sílvio Mendes. João Cláudio acredita que não haverá objeções por parte do executivo já que o projeto não gera custos extras para as empresas de ônibus e melhora o serviço prestado à população.
READ MORE - Ônibus são obrigados a parar fora do ponto após às 23horas no Piauí

Trem-bala poderá ser licitado no final deste ano

Trem-bala no itinerário Rio-São Paulo
O governo federal reiterou sua intenção de licitar o projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV), o trem-bala que ligará Campinas ao Rio de Janeiro, até o final do ano e realizar o leilão até março de 2009. Além disso, está defendendo uma tarifa popular que deverá, inclusive, ser um fator determinante na escolha do grupo que terá a concessão, em leilão, para realizar a obra e explorar comercialmente o projeto, que o governo federal quer ver implantado para a Copa de 2014. O consórcio inglês Hal Crow, com as parceiras brasileiras Sinergia e Balman, está realizando a pesquisa de viabilidade de demanda para o trem-bala, cujo estudo deve ficar pronto em meados deste mês. As empresas Trends e Siemens, que afirmam ter seus próprios estudos, defendem um modelo coreano "tropicalizado" para o trem, com a passagem da linha por aeroportos, o barateamento do meio de transporte com escalas e a possibilidade de ultrapassagem entre os trens. Tudo para contemplar, além das classes A e B, a classe C. "Estamos em uma crise aeroviária e este trem tem que ajudar a resolvê-la. Tem que passar por Viracopos, Cumbica e Galeão para transportar passageiros entre os terminais", disse o engenheiro da Trends Engenharia e Tecnologia, Albuino Cunha de Azeredo. Ele apresentou o estudo de viabilidade da Trends durante evento de Tecnologia Metroferroviária, promovido pela Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô na região central de São Paulo.A Trends diz que o governo projeta um preço para a passagem que varia de R$ 80 a R$ 140. Haveria uma tarifa diferenciada para o trajeto sem escalas e em velocidade de até 350 km/h. As tarifas mais baratas ofereceriam uma viagem com paradas. O trem-bala ligará a Central do Brasil, no Rio de Janeiro, à Estação da Luz, na capital paulista, a uma velocidade comercial de 280 quilômetros por hora. O percurso, de 403 quilômetros, será completado em 1h25min. A Secretaria de Transportes do Rio de Janeiro estima que a conclusão do trem-bala brasileiro custará cerca de US$ 11 bilhões.
READ MORE - Trem-bala poderá ser licitado no final deste ano

Rio: Pesquisa para melhoria no transporte

A Diretoria de Transporte e Mobilidade (DTM), órgão ligado à Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Infra-Estrutura e Segurança, está planejando ações de melhoria para o sistema de transporte coletivo a partir dos resultados apresentados na pesquisa sobre a qualidade do transporte público, realizada no início deste ano, tomando como base a relação entre destino e origem dos passageiros. Segundo o diretor da Diretoria de Transporte, Manuel Lemos, um dos objetivos é criar um modelo de gestão de transporte que possibilite a formulação de parcerias público-privadas. As informações prestadas constituem uma base de dados sobre o transporte e o consumo sócio-econômico no município. O estudo mostrou que 82% dos entrevistados utilizam ônibus mensalmente para fazer compras em supermercados, por exemplo. No item modalidade usada, 28% dos entrevistados afirmaram usar somente coletivos, sendo que 36% disseram que se locomovem a pé, 31% de carro, 4% de bicicleta e 1% de outros veículos. “Em outro item da pesquisa, 52% dos entrevistados garantiram que andam de ônibus por ser único meio de transporte ao qual tem acesso. Isso comprova a importância do sistema público, que a partir da pesquisa estamos aprimorando na parceria com a empresa São Miguel”, explica Manuel Lemos, ressaltando os avanços no setor. “Resende tem 17% de sua frota adaptada para os portadores de necessidades especiais, num investimento de R$ 2,5 milhões nos dez coletivos e na instalação de 53 abrigos de policarbonato e laterais de vidro temperado. Novos itinerários foram criados para satisfazer à demanda de usuários, como os universitários que saem das instituições às 22 horas e tinham dificuldade em pegar condução de volta para casa”, observa.A pesquisa traçou o perfil da população, levantando as vocações comerciais e culturais de cada bairro. Entre os dados, destaque para a indicação de que 18% dos entrevistados utilizam bicicleta para fazer compras e outros 11,31% utilizam para ir ao trabalho. Segundo o secretário Ruy Saldanha, os dados reforçam a importância do projeto das ciclovias. No ano passado representantes da ONG holandesa I-CE, referência mundial no sistema de ciclovias e uso adequado de bicicletas no trânsito, discutiram com a prefeitura mecanismos para adequar ciclistas em meio aos mais de cinco mil veículos que circulam pelas ruas da cidade. “Queremos um modelo exemplar para adotar em Resende e a ONG I-CE vai nos ajudar. Esta é uma das ações complementares da pesquisa do transporte coletivo, que vai além da terra. Temos a chalana e em breve poderemos abrir nova política do transporte fluvial, pois temos toda extensão do Rio Paraíba do Sul da região da Grande Alegria até o Centro perfeitamente navegável. A pesquisa foi fundamental para nosso projeto de mobilidade”, finaliza Saldanha.
READ MORE - Rio: Pesquisa para melhoria no transporte


ASSOCIAÇÃO DE MORADORES EM RECIFE-PE, EXERCE UM ÓTIMO TRABALHO DE CIDADANIA SOBRE TRANSPORTE PÚBLICO.



PROJETO DESENHE SEU ÔNIBUS (ANO 01) A ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA UR-02 ATRAVÉS DA DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA(CLAYTON LEAL) REALIZOU NESTE MÊS DE AGOSTO O PROJETO DE CIDADANIA DESENHE SEU ÔNIBUS PARA CRIANÇAS DE ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES QUE TENHAM DE 06 A 12 ANOS DE IDADE. QUEREMOS AGRADECER DE ANTEMÃO A CTTU MARCOU SUA PRESENÇA NESTE PROJETO COM ARTE-EDUCADORES ONDE AS CRIANÇAS PUDERAM APRENDER MAIS SOBRE O TRÂNSITO E COMO SE COMPORTAREM EM VIAS PÚBLICAS, QUEREMOS AGRADECER TAMBÉM A EMPRESA VERA CRUZ QUE COLABOROU DOANDO PRÊMIOS PARA O EVENTO, QUEREMOS AGRADECER AS ESCOLAS WANESSA CARLA, EDUCANDÁRIO SANTA MÔNICA, ESCOLA MARIA AUXILIADORA, ESCOLA MUNICIPAIS MARGARIDA SERPA E POETA PAULO BANDEIRA E A ESCOLA PROF. JORDÃO EMERENCIANO QUE NOS CEDEU A QUADRA PARA ESTE EVENTO. SOMOS GRATOS A TODOS OS PAIS DE ALUNOS QUE INCENTIVARAM SEUS FILHOS A PARTICIPAREM DESTE 1º ANO COM ESTE PROJETO DESENHE SEU ÔNIBUS QUE VISA A PAZ NOS ÔNIBUS, JÁ SABENDO QUE EM 2009 FAREMOS AINDA MELHOR, POIS NÓS DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA UR-02, SABEMOS QUE PARA MUDAR ESTE QUADRO DE VANDALISMO NOS COLETIVOS DE NOSSA COMUNIDADE, TEMOS QUE FORMAR ESTAS CRIANÇAS QUE SERÃO DAQUI HÁ ALGUNS ANOS JOVENS MAIS RESPONSÁVEIS EM SEUS ATOS, APRENDENDO SEUS DIREITOS E DEVERES NA SOCIEDADE. AINDA SOBRE ESTE PROJETO QUEREMOS MOSTRAR A NOSSA COMUNIDADE A NOSSA INDIGNAÇÃO FRENTE A EMTU E A EMPRESA BORBOREMA QUE SE RECUSARAM A AJUDAR ESTE PROJETO QUE VISA CONSTRUIR JOVENS PARA O FUTURO DE NOSSA CIDADE.
CLAYTON LEAL
READ MORE -

Grande Recife Consórcio de Transporte é implantado formalmente




O governador Eduardo Campos comanda hoje(08/09), a implantação formal do Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano, que irá substituir a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), trazendo uma nova realidade para o Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife. O evento acontece na sede da EMTU, a partir das 15h. A solenidade contará ainda com as presenças dos prefeitos de Recife, João Paulo, e Olinda, Luciana Santos, do secretário das Cidades, Humberto Costa e do presidente do Grande Recife – Consórcio de Transporte, Dilson Peixoto, que juntamente com os integrantes da nova diretoria será empossado. A direção do Grande Recife foi eleita na semana passada durante a primeira Assembléia Geral dos sócios. A nova empresa passará a ser a gestora plena do Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife. O Grande Recife é a primeira experiência de consórcio no setor de transporte de passageiros em todo o País. A iniciativa marca o compromisso do governo estadual com a melhoria da qualidade de vida dos mais de 1,8 milhão de pessoas que utilizam diariamente o Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR). Com a mudança, terá início processo de extinção da EMTU. Os funcionários migrarão e o quadro da nova empresa será ampliado através da realização de concurso público. Até chegar a criação formal do Grande Recife, o governo estadual – através da Secretaria das Cidades e da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) – percorreu um longo processo. Ao longo do ano passado, o projeto de Lei que criava o consórcio foi analisado e votado e aprovado pela Assembléia Legislativa. As câmaras municipais de Recife e Olinda votaram e aprovaram a adesão do executivo municipal ao projeto. Ao longo dos meses, o comitê trabalhou na elaboração e obtenção da documentação que garantiu a formalização do consórcio, com ênfase para o contrato de constituição e a elaboração e aprovação (na Assembléia Legislativa) da Lei 13.461, de 09/06/2008 que altera a Lei estadual nº12.524, de 30/12/03, para inserir o Grande Recife na estrutura organizacional da Agência de Regulação de Pernambuco (ARPE). Além disso, os técnicos do comitê desenvolveram a proposta de estrutura organizacional, que dimensionou o tamanho da nova empresa. A chegada do Consórcio marca uma nova forma de tratar a questão do transporte público de passageiros. A gestão plenamente compartilhada traz maior integração ao sistema, garantindo a ampliação e a melhoria na prestação de serviços. Regulação - Toda deliberação referente a regulação do Grande Recife Consórcio de Transporte, será gerenciada pela Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Estado de Pernambuco (ARPE), através do novo Conselho Superior de Transporte Metropolitano – CSTM, que substitui o antigo Conselho Metropolitano de Transportes Urbanos (CMTU). Dentre as importantes ações que serão realizadas pelo CSTM, estão a definição da política tarifária, regulação normativa do STPP/RMR e a consolidação dos contratos de gestão ou convênios com outros municípios que se utilizem dos serviços do Grande Recife Consórcio de Transporte.
READ MORE - Grande Recife Consórcio de Transporte é implantado formalmente

MPPE cobra da EMTU melhor acesso de crianças em ônibus do Recife

quinta-feira, 4 de setembro de 2008


O promotor Luiz Guilherme Lapenda, de São Lourenço da Mata, expediu uma recomendação para que a Empresa de Transportes Urbanos (EMTU), tome as medidas necessárias para garantir a entrada digna das crianças que possuem gratuidade nos transportes públicos.
A medida foi tomada após terem sido enviadas à Promotoria fotografias mostrando crianças sendo obrigadas a rastejar para passarem pela catraca. O promotor pediu que o presidente da EMTU, Dílson Peixoto, adote junto às empresas responsáveis pelos coletivos, em um prazo de 30 dias, as medidas de conscientização dos funcionários para evitarem tais condutas.
Segundo o art. 3 da Lei 8069/90 do Estatuto da Criança e do Adolescente, “é dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo a salvo de qualquer tratamento desumano”. A prova de desrespeito a lei foi relatada pela Comissão de Transporte da Comunidade do Parque Capibaribe. As fotos encaminhadas juntamente com a representação, davam conta que além de ferir os dispositivos legais, a situação ainda ocasiona o contato das crianças com toda sujeira existente no chão, colocando em risco a sua saúde.
Considerando que em relação à saúde indiscutivelmente se aplica na sua plenitude o princípio da precaução. O promotor Luiz Guilherme pediu que o presidente da EMTU, Dilson Peixoto, tome as providências para que, além das crianças, todas as outras pessoas que tenham gratuidade nos coletivos não precisem passar pela catraca.
O promotor alertou que as medidas devem ser tomadas não só nos transportes que circulam em São Lourenço da Mata mas também nos coletivos que circulam entre o município e a Região Metropolitana do Recife.
READ MORE - MPPE cobra da EMTU melhor acesso de crianças em ônibus do Recife

Cartões mais baratos e segunda via do Bilhete Eletrônico pelo site


EMTU RECIFE


Dando prosseguimento às ações de melhoria no Sistema de Bilhetagem Eletrônica, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) reiniciou, no mês de maio, a venda da segunda via dos cartões do Vale-Transporte Eletrônico através do site da empresa (http://www.emtu.pe.gov.br/).A comercialização da segunda via do Bilhete Eletrônico estava suspensa desde o final de março, em função da diminuição dos estoques provocada pelo atraso na entrega do material por parte da empresa fornecedora. A grande novidade foi a considerável redução no preço do cartão, que passou do valor unitário R$ 24,50 para R$ 10,50 (o equivalente a seis tarifas do anel A).
BILHETAGEM ELETRÔNICA
Atualmente, mais de 560 mil cartões eletrônicos estão em circulação na Região Metropolitana do Recife. Desse total, 358 mil são utilizados pelos trabalhadores (Vale-Tranporte Eletrônico). O restante - cerca de 200 mil - é usado pelos estudantes (Passe Fácil).
READ MORE - Cartões mais baratos e segunda via do Bilhete Eletrônico pelo site

Todos contra o vandalismo numa lição de cidadania



Não importa a cor da bandeira ou da camisa. A exigência é uma só: usar o transporte público de passageiros com responsabilidade e cuidado. Agindo assim, sinta-se à vontade para participar da mais nova torcida organizada de Pernambuco: a Torcida Organizada Pela Paz nos Ônibus (T.O.P.O.). A iniciativa faz parte de uma ampla campanha educativo-publicitária para combater o vandalismo praticado contra os coletivos e demais equipamentos públicos nos dias em que são realizados jogos de futebol. Lançada no dia 13 de julho, durante a partida entre Náutico e Sport, pelo Campeonato Brasileiro da Série A, no estádio dos Aflitos, a ação já ganhou a simpatia de milhares de torcedores alvirrubros, tricolores e rubro-negros. Durante o evento de lançamento, milhares de peças (como bandeiras e faixas de cabeça) foram distribuídas entre os torcedores. Do lado de fora dos estádios, cartazes, outbus, backbus (peças publicitárias instaladas na parte traseira dos ônibus) e outdoors completaram a divulgação da campanha, que foi alvo de várias matérias na mídia local. Os personagens que atuaram como modelo nas peças da campanha não cobraram cachê. Torcedores apaixonados pelo futebol pernambucano, eles fizeram questão de colaborar gratuitamente com a ação.
PARCERIA
A campanha é fruto de uma parceria entre a EMTU, Polícia Militar, Ministério Público Estadual, Setrans, Federação Pernambucana de Futebol e os clubes Náutico, Sport e Santa Cruz. Desde maio, o grupo vem realizando reuniões periódicas - para avaliação dos prejuízos causados pela depredação e montagem das estratégias de combate a este tipo de crime, que além de provocar prejuízos materiais, assusta e coloca em risco a integridade física de usuários, motoristas e cobradores. O interesse do público em participar da campanha animou as equipes técnicas que realizam as ações de prevenção e monitoramento, acionadas através das centrais de atendimento da EMTU e da Polícia Militar. “Tivemos um aumento considerável de pessoas ligando para repassar informações sobre a ação de grupos acostumados a praticar atos de vandalismo. Todos os dados são recolhidos e repassados para nosso serviço de inteligência”, destacou o comandante geral da PM, coronel José Lopes, que participou diretamente do planejamento da campanha, quando ainda ocupava o cargo de comandante geral de operações da PM. De acordo com o presidente da EMTU, Dilson Peixoto, o espírito da campanha está intimamente ligado à questão da cidadania. “Os coletivos são bens públicos. Quem depreda está causando prejuízos para todos”, destacou. Entre os clubes e a Federação Pernambucana de Futebol (FPF), a expectativa também é positiva. “Futebol é arte e para que todos saiam ganhando com o espetáculo tudo tem que acontecer direito, sem violência, sem confusão, dentro ou fora dos estádios”, avaliou o presidente da FPF, Carlos Alberto Oliveira. Até o momento , 1.076 veículos foram alvo de depredação (totalizando 2.259 itens danificados) durante 44 partidas de futebol envolvendo os três principais times de futebol do Estado. O prejuízo já ultrapassou os R$ 268.476,00.
REFORÇO POLICIAL
Além de todo o trabalho educativo, a repressão aos vândalos ganhou uma atenção especial graças ao reforço das equipes da Polícia Militar destacadas para trabalhar junto à EMTU nos dias de jogo de futebol. Com a utilização de um banco de dados - que vem sendo montado pela PM com imagens cedidas pela EMTU, das câmeras utilizadas nos coletivos – a identificação dos vândalos será mais fácil.
READ MORE - Todos contra o vandalismo numa lição de cidadania

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960